24. como estudar a biblía i

1,302 views

Published on

Published in: Spiritual
  • Jogando.net/MU *24*

    Boa tarde amigos,

    Venham conhecer nossos Servidores de Mu
    Online Season 6 http://www.jogando.net/mu/
    >>muitos kits novos;
    >> Nossos GMs online em todos os servers
    Fazem eventos todos os dias:
    Fazemos sua Diversão com qualidade,há mais de 5 anos
    Servers ON 24 horas por dia
    Vários Server esperando por você.Venha se divertir de verdade.
    >>>CURTA nossa Fan page no Facebook e concorra a prêmios.
    SORTEIO de 2 pacotes de 100 JCASHs mais 15 dias VIP Premium
    >>>Conheçam também Animes Cloud -> http://www.animescloud.com, mais de 20.000 videos online,feito exclusivo para sua diversão.
    Site http://www.jogando.net/mu/ Benvindos ao nosso servidor.
    Wartemix Divulgadora Oficial !
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here
  • Be the first to like this

24. como estudar a biblía i

  1. 1. 1| Apostila – Como Estudar a Bíblia I COMO ESTUDAR A BÍBLIA IO profeta declara uma verdade pela qual podemos provar toda doutrina.Diz ele: "À lei e ao testemunho! Se eles não falarem segundo estapalavra, nunca verão a alva." Isa. 8:20. Embora haja abundante erro nomundo, não há razão para que os homens permaneçam no engano. Averdade é clara, e quando ela é contrastada com o erro, seu caráterpode ser discernido. Todos os súditos da graça de Deus podemcompreender o que é requerido deles. Pela fé podemos submeter nossavida à norma da justiça, porque podemos apropriar-nos da justiça deCristo. (Fé e Obras, 97)O Semeador divino espalhou grãos da preciosa semente, quenão podemos ver até que um hábil trabalhador, sob a orientaçãodo Espírito Santo, os reúna e no-los apresente como completosistema de verdade, expondo as profundezas do amor divino.Durante todos os séculos, Jesus, o Autor da verdade, por meio deprofetas e pessoas, apresentara aos judeus uma verdade após aoutra, da coluna de nuvem e de fogo. Mas a verdade que Ele haviadado misturou-se com o erro, e foi necessário separá-la dacompanhia da heresia e do mal. Era necessário reajustá-la naestrutura do evangelho, para que pudesse resplandecer em seubrilho original e iluminar as trevas morais do mundo. Onde quer queencontrava uma gema da verdade que se desprendera de seuengaste, ou fora deturpada pelo erro, Ele tornava a engastá-la e nelagravava a assinatura de Jeová. Demonstrou que Ele mesmo era apalavra e a sabedoria de Deus. (MM, Exaltai-o, 260)Por Seu sábio desígnio, o Senhor encobre verdades espirituais emfiguras e símbolos. Mediante o uso de figuras de linguagem era muitasvezes dada a Seus acusadores e inimigos a mais franca e eficazrepreensão, sem que pudessem achar em Suas palavras algo paracondená-Lo. Em parábolas e comparações Ele encontrou o melhormétodo para comunicar verdades divinas. Em linguagem simples,
  2. 2. A p o s t i l a – C o mo E s t u d ar a Bí b l i a I |2usando figuras e ilustrações tiradas do mundo natural, Ele descerrava averdade espiritual a Seus ouvintes e expunha preciosos princípios quese teriam apagado da memória deles, sem quase deixar vestígio, se Elenão houvesse relacionado Suas palavras com emocionantes cenas davida, experiência ou natureza. Despertava assim o interesse deles,suscitava perguntas e, quando havia captado completamente a suaatenção, neles inculcava decididamente o testemunho da verdade.Conseguia deste modo causar tal impressão sobre o coração que, maistarde, ao olharem Seus ouvintes para aquilo com que Ele relacionaraSeu ensino, podiam recordar as palavras do divino Mestre. (FEC, 236)Todos os que manuseiam a Palavra de Deus estão empenhados numaobra mui solene e sagrada; pois em sua pesquisa devem receber luz ecorreto conhecimento, para que possam dar aos que são ignorantes.Educação é a transmissão de idéias que são luz e verdade. Todosos que diligente e pacientemente examinam as Escrituras para quepossam instruir a outros, lançando-se à obra de maneira correta e comcoração sincero, pondo de parte suas idéias preconcebidas, sejam elasquais forem, e deixando seus preconceitos hereditários à entrada dainvestigação, obterão verdadeiro conhecimento. Mas é fácil dar falsainterpretação à Escritura, salientando passagens e atribuindo-lhes certosignificado que, à primeira vista, pode parecer correto; mas, medianteestudo adicional, ficará manifesto que é falso. Se o pesquisador daverdade comparar uma passagem com outras, encontrará a chave queabre a casa do tesouro e lhe proporciona verdadeira compreensão daPalavra de Deus. Então ele verá que suas primeiras impressões nãosuportariam a pesquisa e que continuar a crer nelas seria misturar afalsidade com a verdade. (MM, Este Dia com Deus, 41) Afastando-se da FéDeus está ensinando, dirigindo e guiando Seu povo, para quepossam ensinar, dirigir e guiar a outros. Haverá, entre oremanescente destes últimos dias, como sucedeu com o antigo Israel,os que querem agir independentemente, que não estão dispostos asubmeter-se aos ensinos do Espírito de Deus e que não atenderão aadvertências ou conselhos. Tenham essas pessoas sempre em mente
  3. 3. 3| Apostila – Como Estudar a Bíblia Ique Deus possui uma Igreja sobre a Terra, à qual Ele delegou poder. Oshomens quererão seguir seu próprio critério independente, desprezandoconselhos e repreensões; mas, com tanta certeza como fazem isso, elesse afastarão da fé, e seguir-se-á a desgraça e a ruína de almas. Os quese arregimentam agora para apoiar e enaltecer a verdade de Deus,estão se alinhando de um lado, permanecendo unidos de coração,espírito e voz em defesa da verdade. Carta 104, 1894. (III ME, 23). Os diferentes grupos de professos crentes do advento têm cada umdeles um pouco de verdade, mas Deus deu todas essas verdades aosSeus filhos que estão sendo preparados para o dia de Deus. Ele temdado verdades que nenhum desses agrupamentos conhece, nementenderão. Coisas que para eles são seladas, o Senhor abriu aos queverão e estarão prontos a compreender. Se Deus tem alguma nova luza comunicar. Ele permitirá que Seus escolhidos e amados acompreendam, sem que precisem ter a mente iluminada pelo ouvir osque estão em trevas e erro. (PE, 124/125). E este é o objetivo que Satanás procura realizar. Nada há que ele maisdeseje do que destruir a confiança em Deus e em Sua Palavra. Satanásestá à frente do grande exército dos que duvidam, e trabalha em suamáxima força para aliciar as almas para suas fileiras. Duvidar está-setornando moda. Há uma classe numerosa pela qual a Palavra de Deusé olhada com desconfiança, pela mesma razão por que o foi o seuAutor: porque ela reprova e condena o pecado. Os que estãoindispostos a obedecer-lhe aos preceitos, esforçam-se por subverter asua autoridade. Lêem a Escritura, ou ouvem os seus ensinos como sãoapresentados do púlpito sagrado, meramente para encontrar defeito,nela ou no sermão. Não poucos se tornam incrédulos a fim dejustificar-se ou desculpar-se da negligência do dever. Outrosadotam princípios céticos por orgulho ou indolência. Demasiadoamantes da comodidade para se distinguirem no cumprimento dequalquer coisa digna de honra, que requeira esforço e abnegação,visam conseguir fama de uma sabedoria superior criticando a Bíblia. Hánela muita coisa que a mente finita, não iluminada pela sabedoriadivina, é impotente para compreender; e assim encontram ensejopara criticar. Muitos há que parecem entender ser virtude achar-se dolado da descrença, do ceticismo e da incredulidade. Mas, sob
  4. 4. A p o s t i l a – C o mo E s t u d ar a Bí b l i a I |4aparência de sinceridade, ver-se-á que tais pessoas são movidaspela confiança própria e orgulho. Muitos se deleitam em encontrarnas Escrituras alguma coisa que confunda o espírito de outros. Alguns aprincípio criticam e sofismam, por simples amor à controvérsia. Nãocompreendem que se estão assim enredando nas ciladas do caçador.Tendo, porém, expresso abertamente descrença, entendem que devemmanter sua atitude. Assim se unem eles aos ímpios, e fecham para simesmos as portas do paraíso. (GC, 526; II Tim 2: 26).Maravilhosas, maravilhosas palavras quase fora do alcance dacompreensão! Entenderão isto os professores de nossas escolas?Adotarão a Palavra de Deus como guia que pode torná-los sábios paraa salvação? Este Livro é a voz de Deus falando a nós. A Bíblia nosrevela as palavras da vida, pois nos torna familiarizados com Cristo queé nossa vida. Para ter verdadeira e inabalável fé em Cristo, precisamosconhecê-Lo assim como é representado na Palavra. A fé é confiante.Não é uma questão de caprichos e estremecimentos, de acordo com oimpulso e a emoção do momento; mas é um princípio que se baseia emJesus Cristo. E a fé precisa ser mantida em constante exercício pormeio de diligente e perseverante estudo da Palavra. Esta última torna-seassim uma força atuante, e somos santificados na verdade. (FEC, 433).Mediante pacientes e incansáveis labores, por vezes nas profundas eescuras cavernas da Terra, à luz de archotes, eram copiadas asEscrituras Sagradas, versículo por versículo, capítulo por capítulo.Assim a obra prosseguia, resplandecendo, qual ouro puro, a vontaderevelada de Deus; e quanto mais brilhante, clara e poderosa era porcausa das provações que passavam por seu amor, apenas o poderiamcompreender os que se achavam empenhados em obra semelhante.Anjos celestiais circundavam os fiéis obreiros. (GC, 69).Cada capitulo e cada versículo da Bíblia é uma comunicação daparte de Deus aos homens. Devemos ligar seus preceitos como sinaissobre nossas mãos, e como testeiras entre nossos olhos.Sendo estudada e obedecida, haveria de guiar o povo de Deus, comoguiados foram os Israelitas, pela a coluna de nuvem durante o dia, epela coluna de fogo a noite. (PP, 504)
  5. 5. 5| Apostila – Como Estudar a Bíblia IDeus não fixa limite para o progresso dos que desejam ser “cheiosdo conhecimento da Sua vontade, em toda sabedoria e inteligênciaespiritual”. Mediante a oração, a vigilância, através do crescimento noconhecimento e na compreensão, eles devem ser “corroborados emtoda a fortaleza, segundo a força de Sua gloria”. Assim são preparadospara trabalhar por outros. (AA, 478).A Bíblia é o grande padrão do que é certo e do que é errado, pois defineclaramente o pecado e a santidade. Seus vivos princípios, penetrandoem nossa vida como fios de ouro, são a nossa única salvaguarda naprovação e tentação.A Bíblia é um mapa que nos mostra os marcos da verdade. Os queestão familiarizados com esse mapa serão habilitados a palmilhar comsegurança o caminho do dever, seja para onde for que tenham de ir.A Bíblia contém um singelo e completo sistema de teologia e filosofia. Éo livro que nos torna sábios para a salvação. Ela nos conta comopodemos chegar às moradas de perene felicidade. Fala-nos do amor deDeus, segundo é revelado no plano da redenção, transmitindo oconhecimento essencial a todos – (MM. Exaltai-o, 131).Não basta estudar a Bíblia como se estudam outros livros. Para queseja compreendida salvificamente, o Espírito Santo precisa agir nocoração do pesquisador. O mesmo Espírito que inspirou a Palavraprecisa inspirar o leitor da Palavra. Então será ouvida a voz do Céu. Alinguagem do coração será: "Tua Palavra, ó Deus, é a verdade!" (MMExaltai-o 112).Cada coração é comovido ou atraído por Jesus Cristo. Ao vós tornardesestudantes das Escrituras, o Espírito de Deus toma as coisas de Deus evo-las imprime no coração. Os fios de ouro que se estendem dapessoa que faz de Deus a sua força, por meio da influência seprenderão a outras pessoas e as atrairão a Cristo. Essa é a obra quedeve ser feita pelos que colocam sobre a pedra-alicerce materialprecioso, pois cooperaram com Jesus Cristo e trabalham segundo Eledispõe. Carta 71, 1893. (MM. Lugares Celestial, 171).
  6. 6. A p o s t i l a – C o mo E s t u d ar a Bí b l i a I |6 Por que não havia de este livro - este precioso tesouro - ser exaltado eestimado como apreciado amigo? Esta é nossa carta através dotempestuoso mar da vida. É nosso livro-guia, mostrando-nos o caminhopara as mansões eternas, e o caráter que precisamos ter para nelashabitar. Não há livro cujo manuseio assim eleve e fortaleça o espíritocomo a Bíblia ao ser estudada. Aí o intelecto encontrará temas domais elevado caráter, para despertar-lhe as faculdades. Coisaalguma proporcionará vigor a todas as nossas faculdades como pô-lasem contato com as estupendas verdades da revelação. O esforço paraapreender e medir esses grandes pensamentos expande a mente.Podemos cavar fundo na mina da verdade e reunir preciosos tesouroscom que enriquecer a alma. (MCP, I, pág. 97). A Bíblia é a grande norma do direito e do erro, definindo claramente opecado e a santidade. Seus princípios vivos, atravessando nossa vidacomo fios de ouro, são nossa única salvaguarda na prova e na tentação.A Bíblia é um mapa, indicando-nos os marcos da verdade. Os que seacham relacionados com esse mapa, estarão habilitados a trilhar comsegurança a senda do dever, aonde quer que sejam chamados. Reviewand Herald, 11 de junho de 1908 (Fé Pela a Qual eu Vivo, 7). Nenhum conhecimento é tão sólido, consistente, e de tão vastoalcance, como o que é obtido do estudo da Palavra de Deus. É a basede todo verdadeiro conhecimento. A Bíblia é como uma fonte. Quantomais se olha para o seu interior, tanto mais profundo parece à vista. Asgrandiosas verdades da história sagrada possuem estupenda forçae beleza, e são tão vastas como a eternidade. Nenhuma ciência seiguala à que revela o caráter de Deus. (FEC, 393).Muitas ilustrações da natureza são empregadas pelos escritores daBíblia; e, observando nós as coisas do mundo natural, habilitamo-nos,sob a guia do Espírito Santo, para compreender mais amplamente aslições da Palavra de Deus. É assim que a natureza se torna umachave do tesouro da Palavra. (ED, 120).Devem-se animar as crianças a buscar na natureza objetos que ilustremos ensinos da Bíblia, e estudar nesta os símiles tirados daquela.
  7. 7. 7| Apostila – Como Estudar a Bíblia IDevem procurar, tanto na natureza como na Escritura Sagrada, todosos objetos que representem a Cristo, e também os que Ele empregoupara ilustrar a verdade. Desta maneira poderão aprender a vê-Lo naárvore e na videira, no lírio e na rosa, no Sol e na estrela. Poderãoaprender a ouvir a Sua voz no canto das aves, no sussurro das árvores,no retumbante trovão, na música do mar. E todos os objetos nanatureza repetir-lhes-ão Suas preciosas lições. (ED, 120).Por meio da Natureza, de figuras e símbolos, de patriarca e profetas,Deus falara ao mundo. As lições deviam ser dadas á humanidade nalinguagem da própria humanidade. O mensageiro do conserto deviafalar. (DTN, 33) Comparara Ele Sua obra à do semeador; o desenvolvimento de Seureino à semente da mostarda e ao efeito do fermento na medida defarinha. A grande separação final dos justos e os ímpios, descrevera-anas parábolas do trigo e do joio e da rede de pescar. A inexcedívelpreciosidade das verdades que ensinava, tinha sido ilustrada pelotesouro escondido e a pérola de grande preço, ao passo que, naparábola do pai de família, ensinara aos discípulos a maneira detrabalhar como representantes Seus. (DTN, 333).Os cristãos e o mundo unem-se em um coração e espírito nestasocasiões de festas. O Varão de Dores, que experimentou as angústias,não será bem-vindo nestes lugares de diversão. Os amantes do prazere da suntuosidade, imprudentes e frívolos, ajuntam-se nos salões e oesplendor e os enfeites da moda são vistos por todos os lados. Osornamentos das cruzes de ouro e pérola, que representam oRedentor crucificado, adornam as pessoas. Mas Aquele que essasjóias altamente preciosas representam não tem valor e não é bem-vindonas reuniões. Sua presença seria um constrangimento em suashilaridades e divertimentos sensuais, lembrando-os do devernegligenciado e trazendo-lhes à lembrança pecados ocultos que Lheproduziram semblante pesaroso e olhos tristes e lacrimosos. (DT, 78).As aves do céu, os lírios do campo, o semeador e a semente, o pastor eas ovelhas - tais eram as coisas com que Cristo ilustrava a verdade
  8. 8. A p o s t i l a – C o mo E s t u d ar a Bí b l i a I |8imortal. Ele tirava também ilustrações dos acontecimentos da vida,fatos da experiência familiar aos ouvintes - o fermento, o tesouroescondido, a pérola, a rede de pescar, a moeda perdida, o filhopródigo, a casa na rocha, e na areia. Em Suas lições havia semprealgo que despertava o interesse das pessoas, que falava a todo coração.Assim, a lida diária, em vez de ser mera rotina de labutas, despojada depensamentos elevados, iluminava-se e erguia-se pelas constanteslembranças de coisas espirituais e invisíveis. (Educação, 102).O tema central da Bíblia, o tema em redor do qual giram todos osoutros no livro, é o plano da redenção, a restauração da imagem deDeus no ser humano. Desde a primeira sugestão de esperança nasentença pronunciada no Éden, até àquela última gloriosa promessado Apocalipse - "verão o Seu rosto, e na sua testa estará o Seu nome"(Apoc. 22:4) - o empenho de cada livro e passagem da Bíblia é odesdobramento deste maravilhoso tema - o reerguimento do homem, ouseja, o poder de Deus "que nos dá a vitória por nosso Senhor JesusCristo". I Cor. 15:57 (ED, 125 e 126).A Bíblia explica-se por si mesma. Textos devem ser comparados comtextos. O estudante deve aprender a ver a Palavra como um todo, ebem assim a relação de suas partes. Deve obter conhecimento de seugrandioso tema central, do propósito original de Deus em relação a estemundo, da origem do grande conflito, e da obra da redenção. Devecompreender a natureza dos dois princípios que contendem pelasupremacia, e aprender a delinear sua operação através dos relatos daHistória e da profecia, até à grande consumação. Deve enxergar comoeste conflito penetra em todos os aspectos da experiência humana;como em cada ato de sua vida ele próprio revela um ou outro daquelesdois princípios antagônicos; e como, quer queira quer não, ele estámesmo agora a decidir de que lado do conflito estará. (ED, 190).Seu grande conjunto de verdades não é apresentado de modo a serdescoberto pelo leitor apressado ou descuidoso. Muitos de seustesouros jazem muito abaixo da superfície, e só se podem obter poruma pesquisa diligente e contínuo esforço. As verdades que irão
  9. 9. 9| Apostila – Como Estudar a Bíblia Iperfazer o grande todo, devem ser pesquisadas e reunidas "um poucoaqui, um pouco ali". Isa. 28:10. (ED, 123)Quando assim descobertas e reunidas, notar-se-á que se adaptamperfeitamente umas às outras. Cada evangelho é um suplemento dosoutros, cada profecia uma explicação de outra, cada verdade umdesenvolvimento de alguma outra. Os símbolos da economia judaicasão esclarecidos pelo evangelho. Cada princípio tem na Palavra deDeus seu lugar, cada fato sua significação. E a estrutura completa, emseu plano e execução, dá testemunho do seu Autor. Mente algumapoderia conceber ou moldar tal estrutura, a não ser a que possui o Enteinfinito.Pesquisando as várias partes e estudando as relações entre elasexistentes, são chamadas a uma intensa atividade, as mais altasfaculdades da mente humana. Ninguém poderá empenhar-se em talestudo, sem desenvolver poder mental. (ED, 123-124)Aquele que com espírito sincero e dócil, estuda a Palavra de Deus,procurando compreender as suas verdades, será levado em contatocom seu Autor; e, a menos que não o queira, não haverá limites àspossibilidades para o seu desenvolvimento.Maior ainda é o poder da Bíblia no desenvolvimento da naturezaespiritual. (MM. Exaltai-o, 123)A ciência da redenção é a ciência de todas as ciências; a ciência queconstitui o estudo dos anjos e de todos os seres dos mundos nãocaídos; a ciência que ocupa a atenção de nosso Senhor e Salvador;ciência que se acha incluída no propósito originado na mente do Infinito,propósito este que "desde tempos eternos esteve oculto" (Rom. 16:25);ciência, enfim, que será o estudo dos remidos de Deus através dosséculos infindáveis. (ED, 126).A verdade divina deve ser o objeto de sua contemplação e meditação.Deve ele considerar a Bíblia como a voz de Deus a ele falandodiretamente. Achará assim a sabedoria que é divina. (AA, 475).
  10. 10. A p o s t i l a – C o m o E s t u d a r a B í b l i a I | 10A Bíblia é a armadura com que nos podemos equipar para a luta.Nossos lombos devem estar cingidos com a verdade. Nossa couraçadeve ser de justiça. Na mão devemos ter o escudo da fé, e na cabeçao capacete da salvação; e com a espada do Espírito, que é a Palavra deDeus, devemos abrir caminho por entre as obstruções e embaraços dopecado. (AA, 502).Podemos ter uma visão do futuro, da felicidade no Céu. Na Bíbliaestão reveladas visões da glória futura, cenas pintadas pela mão deDeus, e que são uma preciosidade para Sua igreja. Pela fé podemoschegar até o limiar da cidade eterna e ouvir as afáveis boas-vindasdadas aos que, nesta vida, cooperaram com Cristo, considerando umahonra sofrer por Sua causa. Ao serem pronunciadas as palavras:"Vinde, benditos de Meu Pai" (Mat. 25:34). (AA, 601).Disse Jesus acerca das Escrituras do Antigo Testamento - e quantomais é isto verdade do Novo! - "São elas que de Mim testificam" (João5:39), - dEle que é o Redentor. Aquele em quem se centralizam nossasesperanças de vida eterna. Sim, a Bíblia toda fala de Cristo. Desde oprimeiro relatório da criação - pois "sem Ele nada do que foi feito se fez"(João 1:3) - até à promessa final: “(CC, 88)”.Pontos de vista e idéias agradáveis apresentam-se-me como preciososveios de ouro, e meu coração está todo abrasado e sinto um ardor dealma que parece ansiar por expressar-se.Ao ler as Escrituras, a luz parece incidir sobre toda letra - as frasesparecem ser tão vivas, novas e importantes - e meu coração estáem completa harmonia com o todo. Sou grata em todo momento,mesmo quando estou acordada à noite e não consigo dormir.Sei em minha experiência diária que o Espírito Santo está presentequando leio Sua Palavra, implantando a verdade no coração, paraque possa ser expressa a outros na vida e no caráter. O Espírito deDeus toma a verdade da página sagrada, onde Ele mesmo acolocou, e a imprime na alma. Que santa alegria, que esperança econsolo podem pertencer-nos para serem transmitidos a outros!(Este dia com Deus, 344).
  11. 11. 11 | Apostila – Como Estudar a Bíblia IDiz o apóstolo: "Toda Escritura divinamente inspirada é proveitosa parao ensinar, para a redargüir, para a corrigir, para instruir em justiça, paraque o homem de Deus seja perfeito e perfeitamente instruído para todaboa obra." II Tim. 3:16 e 17. Isto é bastante amplo. Procurem todoscompreender, na máxima amplitude de suas faculdades, o significadoda Palavra de Deus. A mera leitura superficial da Palavra inspirada trarápouco benefício, porque cada declaração feita nas páginas sagradasrequer cuidadoso estudo. É verdade que certas passagens nãorequerem tão diligente concentração como outras, pois seu significado émais evidente. Mas o estudante da Palavra de Deus deve procurarcompreender a relação que existe entre uma passagem e outra, até quea cadeia da verdade se revele a sua vista. Como os veios do preciosometal se acham ocultos debaixo da superfície da Terra, assim asriquezas espirituais estão escondidas no texto da SagradaEscritura, e é necessário esforço mental e devota atenção paradescobrir o significado oculto da Palavra de Deus. (FEC, 169)Devemos buscar diligentemente o tesouro escondido e pedir sabedoriado Céu a fim de separar as invenções humanas das ordens divinas. OEspírito Santo auxiliará o que procura grandes e preciosas verdadesrelacionadas com o plano da redenção.Assim como o mineiro explora ansiosamente a terra para descobrir osveios de ouro, deveis examinar a Palavra de Deus em busca dotesouro escondido que Satanás há tanto tempo tem procuradoocultar aos homens. O Senhor diz: "Se alguém quiser fazer a vontadedEle, conhecerá a respeito da doutrina. “João 7:17. (FEC, 307)”Há nessa Palavra verdades que, qual veios de ouro precioso, estãoocultos sob a superfície. Os tesouros escondidos são descobertos aoserem buscados, assim como o mineiro busca o ouro e a prata.Certificai-vos de que a prova da verdade esteja na própria Escritura.Uma passagem é a chave de outras passagens. O valioso e profundosignificado é-nos desvendado pelo Santo Espírito de Deus, tornandoclara a Palavra à nossa compreensão. “(FEC. 390)”Assim como tem a mina ricos veios de ouro e prata ocultos porsob a superfície, de maneira que todos os que desejam descobrir os
  12. 12. A p o s t i l a – C o m o E s t u d a r a B í b l i a I | 12preciosos depósitos devem cavar, assim as Sagradas Escrituras têmtesouros de verdade que são revelados unicamente ao ardoroso,humilde e devoto pesquisador. Deus destinara a Bíblia a ser umcompêndio para toda a humanidade, na infância, juventude e idademadura, devendo ser estudada através de todos os tempos.Deu Sua Palavra aos homens como revelação de Si mesmo. Cadanova verdade que se divisa é uma nova revelação do caráter deseu Autor. O estudo das Escrituras é o meio divinamente ordenadopara levar o homem a mais íntima comunhão com seu Criador e dar-lhemais claro conhecimento de Sua vontade. É o meio de comunicaçãoentre Deus e o homem. (GC. 69).Necessitamos da iluminação do Espírito Santo, para discernir asverdades da Palavra de Deus. As coisas aprazíveis do mundo naturalnão são vistas sem que o Sol, dissipando as trevas, as inunde de luz.Assim as preciosidades da Palavra de Deus, não são apreciadas, semserem reveladas pelos brilhantes raios do Sol da Justiça.O Espírito Santo enviado do Céu, pela benevolência do infinito amor,toma as coisas de Deus e as revela a toda pessoa que tem fé implícitaem Cristo. Por Seu poder, as verdades vitais das quais depende asalvação, são impressas na mente, e o caminho da vida torna-se tãoclaro, que ninguém precisa desviar-se. Estudando as Escrituras,devemos orar para que a luz do Santo Espírito de Deus ilumine aPalavra a fim de vermos e apreciarmos suas jóias. (PJ. 113).Ninguém pense que não há mais sabedoria para alcançar. Aprofundeza do entendimento humano pode ser medida, as obras deautores humanos podem ser conhecidas; porém o mais alto, maisprofundo e mais largo vôo da imaginação não pode descobrir a Deus.Há a imensidade além de tudo que podemos compreender. Vimossomente o cintilar da glória divina e do infinito conhecimento esabedoria; temos estado a trabalhar, por assim dizer, próximos dasuperfície enquanto ricos veios de ouro estão mais embaixo, pararecompensar aquele que cavar em sua procura. A escavação precisaaprofundar-se mais e mais na mina, e maravilhosos tesouros serão oresultado. Por uma fé correta, o conhecimento divino tornar-se-áconhecimento humano. (PJ, 114)
  13. 13. 13 | Apostila – Como Estudar a Bíblia INinguém pode esquadrinhar as Escrituras no Espírito de Cristosem ser recompensado. Quando o homem consente em ser instruídocomo uma criancinha, quando se submete inteiramente a Deus, acharáa verdade em Sua Palavra. Se os homens fossem obedientescompreenderiam o plano do governo de Deus. O mundo celestial abririaos seus mistérios de graça e glória à pesquisa. Os seres humanosseriam totalmente diferentes do que agora são: porque, explorando asminas da verdade, os homens seriam enobrecidos. O mistério dasalvação, a encarnação de Cristo, Seu sacrifício expiatório nãoseriam, como o são agora, noções vagas em nossa mente. Nãosomente seriam mais bem compreendidos, como infinitamente maisapreciados. (PJ. 114-115) ATENÇÃOEm Sua oração ao Pai, deu Cristo ao mundo uma lição que deveser gravada na mente e na alma. "A vida eterna", disse, "é esta:Que conheçam a Ti só por único Deus verdadeiro e a Jesus Cristo,a quem enviaste." João 17:3. Isto é verdadeira educação.Comunica-nos poder. O conhecimento experimental de Deus e deJesus Cristo, a quem Ele enviou, transforma o homem nasemelhança de Deus. Dá ao homem o domínio próprio,submetendo todos os impulsos e paixões da natureza inferior aodomínio das faculdades superiores da mente. Faz de seupossuidor filho de Deus e herdeiro do Céu. Leva-o à comunhãocom a mente do Infinito e lhe abre os ricos segredos do Universo.Esse é o conhecimento obtido pelo estudo da Palavra de Deus.Esse tesouro pode ser encontrado por toda pessoa que der tudo paraalcançá-lo."Se clamares por entendimento, e por inteligência alçares a tua voz, secomo a prata a buscares e como a tesouros escondidos a procurares,então, entenderás o temor do Senhor e acharás o conhecimento deDeus." Prov. 2:3-5. (PJ, 115).(Apoc.14:8) Parte de uma serie de Acontecimentos – A mensagemquanto á queda de Babilônia deve ser dada. O povo de Deus deve
  14. 14. A p o s t i l a – C o m o E s t u d a r a B í b l i a I | 14entender o que se refere ao anjo que iluminará todo o mundo com suaglória, quando clamar poderosamente com grande voz: Caiu, caiu, agrande Babilônia. Os solenes acontecimentos que agora estãoacontecendo pertencem a uma serie de fatos da cadeia da históriados quais o primeiro éslogam está conectado com o Éden. Que opovo de Deus se preparem para o que estar vindo a Terra. O mundoestar cativo pelo o esbanjamento no uso dos recursos, o egoísmo e asheresias. Os instrumentos satânicos têm estado em ação duranteséculos. Render-se-á agora sem lutas? (MS 172, 1899) Comentáriobíblico de Apoc 18.Desde a primeira promessa de redenção no Éden, a vida, o caráter e amediação de Cristo têm constituído o estudo das mentes humanas.Todavia, cada mente pela qual tem atuado o Espírito Santo, expôsestes temas sob aspecto novo. As verdades da redenção sãosusceptíveis de desenvolvimento e expansão constantes. Emboravelhas, são sempre novas, e revelam constantemente ao pesquisadorda verdade maior glória e força mais potente. (PJ, 127)O Jardim do Éden, com sua pútrida mancha de desobediência,deve ser cuidadosamente estudado e comparado com o Jardim doGetsêmani, onde o Redentor do mundo sofreu agonia sobre-humanaquando os pecados do mundo todo foram depostos sobre Ele. Ouçam aoração do Filho unigênito de Deus : "Meu Pai, se possível, passe de Mimeste cálice! Todavia, não seja como Eu quero, e sim como Tu queres". Eorou a segunda vez, dizendo: "Meu Pai, se não é possível passar deMim este cálice sem que Eu o beba, faça-se a Tua vontade." Mat. 26:39e 42. (MM Cristo Triunfante. 24) A obra de Deus na Terra apresenta, século após século, umasurpreendente semelhança, em todas as grandes reformas oumovimentos religiosos. Os princípios envolvidos no trato de Deus comos homens são sempre os mesmos. Os movimentos importantes dopresente têm seu paralelo nos do passado, e a experiência da igreja nosséculos antigos encerra lições de grande valor para o nosso tempo.(GC, 343) este parágrafo é para ser juntado com os dois primeirosparágrafos da pág. 25 desta apostila.
  15. 15. 15 | Apostila – Como Estudar a Bíblia IAo serem as Escrituras do Antigo Testamento amalgamadas com oNovo numa explanação do eterno propósito de Jeová, isto será paramuitos judeus como o raiar de uma nova criação, a ressurreição daalma. Ao verem o Cristo da dispensação evangélica retratado naspáginas das Escrituras do Antigo Testamento, e perceberem quãoclaramente o Novo Testamento explica o Antigo, suas adormecidasfaculdades despertarão e eles reconhecerão a Cristo como o Salvadordo mundo. (A.A. 381)Apontando para a Bíblia, Ele disse: As Escrituras do Antigo e doNovo Testamentos devem ser unidas na obra de preparar um povopara subsistir no dia do Senhor. Aproveitai diligentemente vossasoportunidades de hoje. Tornai a Palavra do Deus vivo o vosso modelo.Caso isto houvesse sido sempre feito, alunos hoje perdidos para acausa de Deus seriam agora missionários. Jeová é o único Deusverdadeiro, e deve ser reverenciado e adorado. (CSE, 166).O Antigo Testamento derrama luz sobre o Novo, e o Novo sobre oAntigo. Cada qual é uma revelação da glória de Deus, em Cristo.Cristo, conforme foi manifestado aos patriarcas, conforme foisimbolizado no serviço dos sacrifícios, descrito na lei, e revelado pelosprofetas, é a riqueza do Antigo Testamento. Cristo em Sua vida, Suamorte e Sua ressurreição; Cristo, conforme é manifesto pelo EspíritoSanto, é o tesouro do Novo. (CPPE, 462).Deve ser apresentado perante o povo o poder de Cristo, o Salvadorcrucificado, para dar vida eterna. Devemos mostrar-lhes que o AntigoTestamento é tão verdadeiramente o evangelho em tempos e sombras,como o Novo Testamento o é em seu poder manifestado. O NovoTestamento não é uma nova religião, e o Antigo Testamento não éuma religião antiga a ser substituída pela nova. O Novo Testamentoé apenas o avançamento e desdobramento do Antigo. Abel foi umcrente em Cristo, tão verdadeiramente salvo por Seu poder como oforam Pedro e Paulo. (MM Cristo Triunfante, 62-63).A luz que recebemos sobre a terceira mensagem angélica é a legítima.O sinal da besta é exatamente o que tem sido proclamado. Nem tudo
  16. 16. A p o s t i l a – C o m o E s t u d a r a B í b l i a I | 16que se refere a este assunto é compreendido; nem compreendido seráaté que tenha sido completamente aberto o rolo do livro. Uma soleneobra será, entretanto, realizada no mundo. (II TS, 371)Que uma só passagem profética pode ter mais de um cumprimento, éevidente (ver com Deut 18: 15). Algumas destas profecias têm umcumprimento imediato e outras mais remotas, e ademais há nelasprincípios que podem aplicar-se em geral em todas as épocas. Maisainda deve lembrar-se que as promessas e as ameaças de Deus sãoigualmente condicionais. (EGW MS, 4 1883).Desta maneira certas predições que poderiam ter achado umcomprimento pleno em uma época anterior da historia, foram deferidaspor causa do fracasso da igreja que não se pôs a altura de seusprivilégios e oportunidades (ver T IV pp 32-36 com de Apoc).Depois de Sua ressurreição Jesus apareceu a Seus discípulos nocaminho para Emaús, e, "começando por Moisés, e por todos osprofetas, explicava-lhes o que dEle se achava em todas as Escrituras".Luc. 24:27. Comoveu-se o coração dos discípulos. Avivou-se-lhes a fé.Foram "de novo gerados para uma viva esperança", mesmo antes queJesus Se lhes revelasse. Era propósito de Cristo iluminar-lhes oentendimento, firmando-lhes a fé na "firme palavra da profecia".Desejava que no espírito deles a verdade criasse sólidas raízes, nãomeramente porque fosse apoiada por Seu testemunho pessoal, mas porcausa da evidência inquestionável apresentada pelos símbolos esombras da lei típica e pelas profecias do Antigo Testamento. (Cristo emSeu Santuário, 7).Esforçando-se por deixar de lado todas as opiniões preconcebidas,dispensando comentários, comparou passagem com passagem, com oauxílio das referências à margem e da concordância. Prosseguiu noestudo de modo sistemático e metódico; começando com Gênesis, elendo versículo por versículo, não ia mais depressa do que se lhedesvendava o sentido das várias passagens, de modo a deixá-lo livre detoda dificuldade. Quando encontrava algum ponto obscuro, tinha porcostume compará-lo com todos os outros textos que pareciam ter
  17. 17. 17 | Apostila – Como Estudar a Bíblia Iqualquer referência ao assunto em consideração. Permitia que cadapalavra tivesse a relação própria com o assunto do texto e, quandoharmonizava seu ponto de vista acerca dessa passagem com todas asreferências da mesma, deixava de ser uma dificuldade. Assim, quandoquer que encontrasse passagem difícil de entender, achava explicaçãoem alguma outra parte das Escrituras.Estudando com fervorosa oração para obter esclarecimentos da partede Deus, o que antes parecia obscuro à compreensão agora se fizeraclaro. Experimentou a verdade das palavras do salmista: "A exposiçãodas Tuas Palavras dá luz; dá entendimento aos símplices." (Sal.119:130).Com intenso interesse estudou os livros de Daniel e Apocalipse,empregando os mesmos princípios de interpretação que para as demaispartes das Escrituras; e descobriu, para sua grande alegria, que ossímbolos proféticos podiam ser compreendidos. Viu que as profecias jácumpridas tiveram cumprimento literal; que todas as várias figuras,metáforas, parábolas, símiles, etc., ou eram explicados em seucontexto, ou os termos em que eram expressos se achavamentendidos literalmente. "Fiquei assim convencido", diz ele, “de ser aEscritura Sagrada um conjunto de verdades reveladas, tão clara esimplesmente apresentadas que o viajante, ainda que seja um louco,não precisa errar”. (GC, 320).Deve ser apresentado perante o povo o poder de Cristo, o Salvadorcrucificado, para dar vida eterna. Devemos mostrar-lhes que o AntigoTestamento é tão verdadeiramente o evangelho em tempos e sombras,como o Novo Testamento o é em seu poder manifestado. O NovoTestamento não é uma nova religião, e o Antigo Testamento não é umareligião antiga a ser substituída pela nova. O Novo Testamento éapenas o avançamento e desdobramento do Antigo. (MM Cristotriunfante 63). ATENÇÃOGuilherme Miller não alimentava simpatias para com as influências queconduziam ao fanatismo. Declarou, como o fez Lutero, que todo espírito
  18. 18. A p o s t i l a – C o m o E s t u d a r a B í b l i a I | 18deveria ser provado pela Palavra de Deus. "O diabo", disse Miller, "tempresentemente grande poder sobre o espírito de alguns. E comosaberemos de que espécie de espírito são eles? A Bíblia responde:Por seus frutos os conhecereis. ... Muitos espíritos há no mundo;ordena-se-nos provar os espíritos. O espírito que não nos faz viversóbria, reta e piamente, no mundo atual, não é o Espírito de Cristo.Estou cada vez mais convencido de que Satanás muito tem a fazernestes movimentos desordenados. ... Entre nós, muitos que pretendemser inteiramente santificados, seguem as tradições dos homens, evisivelmente se tornam tão ignorantes acerca da verdade como outrosque não têm semelhantes pretensões." - Bliss. "O espírito do erro nosafastará da verdade, e o Espírito de Deus para a verdade nos conduzirá.Mas, dizeis vós, um homem pode estar em erro e pensar que tem averdade. Como será então? Respondemos: O Espírito e a Palavraconcordam. Se um homem julga a si mesmo pela Palavra de Deus eacha perfeita harmonia em toda a Palavra, deve então crer que tem averdade; mas, se descobre que o espírito pelo qual se conduz não seharmoniza com todo o conteúdo da lei ou do Livro de Deus, ande comcuidado, para que não suceda ser preso na cilada do diabo." - TheAdventist Herald and Signs of the Times Reporter, de 15 de janeiro de1845. (G.C. 396-397).A mera leitura da Palavra não logrará o resultado desejado peloCéu; tem de ser estudada e acariciada no coração. O conhecimento deDeus não é alcançado sem esforço mental. Devemos estudardiligentemente a Bíblia, pedindo a Deus o auxílio do Espírito Santo, a fimde que Lhe compreendamos a Palavra. Devemos tomar um versículoe concentrar a mente na tarefa de descobrir o pensamento queDeus colocou para nós nesse versículo. Devemos demorar-nosnesse pensamento, até que se torne nosso e nós saibamos "o que diz oSenhor". (M.M. Nos Lugares Celestiais, 138). Cumpre-nos estudar cuidadosamente a Bíblia, pedindo a Deus oauxílio do Espírito Santo, para que possamos compreender a Palavra.Devemos tomar um versículo, e concentrar a mente na tarefa deaveriguar o pensamento nele posto por Deus para nós. Convémdemorar-se sobre esse pensamento até que nos apoderemos dele, esaibamos "o que diz o Senhor". (DTN, 390).
  19. 19. 19 | Apostila – Como Estudar a Bíblia INo estudo diário o método de estudar versículo por versículo émuitas vezes o mais eficaz. Tome o estudante um versículo, econcentre o espírito em descobrir o pensamento que Deus ali pôs paraele, e então se demore nesse pensamento até que se torne seutambém. Uma passagem estudada assim até que sua significaçãoesteja clara, é de mais valor do que o manuseio de muitos capítulos semnenhum propósito definido em vista, e sem nenhuma instrução positivaobtida. (Educação, 189; Isaias 28: 10, 13)Não permitais que idéias estreitas vos proscrevam e impeçam osesforços. "O campo é o mundo." Mat. 13:38. As doutrinas verdadeirassão plenamente reveladas em cada página da Palavra de Deus e, nãoobstante, o inimigo tem poder para cegar a mente dos orgulhosos,de maneira que não entendam as mais claras e simplesdeclarações. (CSES, 78)Devemos tomar um versículo, e concentrar a mente na tarefa deaveriguar o pensamento nele posto por Deus para nós. Convémdemorar-se sobre esse pensamento até que nos apoderemos dele, esaibamos "o que diz o Senhor". (DTN, 390)Isaias diz que é um pouco aqui e um pouco ali (Isa 28: 10, 13), asvezes usando uma só parte do versículo. Oséias diz que essesversículos estão escritos por comparações, isto é, símiles (Oséias 12:10), também fala que esses símiles só seriam revelados aos profetas(Num 12: 6) e que Deus não fariam coisa alguma sem revelar aos seusservos, os profetas (Amos 3: 7). São todos profetas? (I Cor 12: 12 e 27-28) e que se o povo cresce em seus profetas prosperariam e em Deus eestariam seguros (II Cro 20: 20), e que teriam uma maneira segura decomo ler a Bíblia (Lucas 10: 26) e que a maneira segura, seria atravésde como saber interpretar os símbolos, isto vemos nas promessas deCristo de que nos últimos dias revelaria seus mistérios (Sl 78: 1-2; Mat13: 34-35; Jer 33: 3), mas esses mistérios só seriam revelados aos seusservo Mat 13: 11-17), os demais não compreenderão (Deut. 29: 4; ISA.6: 9- 10; Jer 5: 21; Mar 4: 12; João 12: 37-43; Atos 28: 23-28;), porqueestarão na mão do diabo (II Tim 2: 25-26; II Cor. 4:4) mas os sábiosentenderão (Dan. 12: 10). Que no tempo do sétimo anjo os mistérios de
  20. 20. A p o s t i l a – C o m o E s t u d a r a B í b l i a I | 20Deus seria revelados (Apoc 10: 7), e o que tivesse de ser descobertoseria descoberto (Mat 10: 26). A Bíblia é toda inspirada, para a correção,para a instrução do povo de Deus (II Tim 3: 16-17) e nem uma parte foiescrita por elucidação humana (II Pe 1: 19-21), o povo de Deus teriamplena compreensão da vontade de Deus (I Cor 2: 6-16) mas estasabedoria seria loucura para o mundo (I Cor 1: 26-31; I Cor 3: 19) istotudo porque a linguagem seria espiritual (II Cor 3: 6) e por fé (Hac 2: 4;Rom 1: 17;) fé é a certeza de algo que ainda não vimos masacreditamos.(Heb 11: 1;Rom 3: 28; II Cor 5: 7). A fé vem pela apregação da Palavra (Rom 10: 17; 10: 14) e por não acreditarem viria oescândalo (Mat 13: 21; Mat 13: 57; Mar 4: 16-17; João 6: 61-62; I Cor 1:18-25), mas ai de quem se escandalizasse (Mat 18: 7; Lucas 17: 1-2;Rom 14: 13). O evangelho seria escândalo para os da própria fé (I Cor1: 23; I Cor 8: 13; II Cor 6: 3;) Jesus e Paulo foram escândalo por causado evangelho (Rom 9: 33; Rom 14: 9, 20; Rom 16: 17; Gl 5: 11). Ficaclaro que todas as vezes que Deus dá uma revelação a seu povo,sempre uma boa parte se escandaliza. A EGW fazendo comentário aeste respeito disse: “Toda nova verdade teve de enfrentar o ódio e aoposição; os que foram beneficiados por sua luz sofreramtentações e provações.” GC, 609). Uns compreenderão outros não(Mat 24: 41) por que só os espirituais farão parte desta nova aliança,porque Deus procura adoradores espirituais (João 4: 24; 6: 63;) nãoesqueça meu amigo “o justo viverá pela a fé” (Heb 10: 38-39). O novoreino é a junção do humano e do espiritual, e você fará parte dele sequiser. (I João 4: 2-6; I Cor 15: 38-45;). Quem tem ouvido, ouça. ( Apoc2: 7). Paulo diz que tudo isso são Sombras das coisas espirituais (Col 2: 16 - 17; Heb 9: 8-10; I Cor 3: 16 - 17; Heb 10: 15-18; Gal 4: 24;Heb 8: 5 - 10). A luz é crescente. (GC, 164; I TI, 262-263; GC, 344).Nos versículos de Heb. 10: 19 – 25. Paulo continua a exortar os crentes,a que continuem a buscar a santificação. E Gal 4: 24. Continuar seusignificado em Isaias 54.Ainda há muita luz a irromper da lei de Deus e do evangelho dajustiça. Esta mensagem, compreendida, em seu verdadeiro carátere proclamada no Espírito, iluminará a Terra com sua glória. Agrande questão decisiva deve ser apresentada a todas as nações,línguas e povos. A obra final da mensagem do terceiro anjo seráacompanhada de um poder que enviará os raios do Sol da justiça atodos os caminhos e atalhos da vida, e serão tomadas decisões para
  21. 21. 21 | Apostila – Como Estudar a Bíblia IDeus como Governante supremo; Sua lei será considerada a norma deSeu governo. (MM Este Dia Com Deus, 312).Há grandes verdades, por muito tempo ocultas sob o monturo doerro, que devem ser reveladas ao povo. A doutrina da justificação pelafé tem sido perdida de vista por muitos que têm professado crer naterceira mensagem angélica. (I ME, 360); por favor confira no livro napág 361, para ter maiores informações. (João 21: 25; 20: 30;)A Escola Sabatina deve ser um lugar em que se busquem as jóias daverdade, libertando-as dos erros que a cercam e colocando-as no seuverdadeiro lugar na estrutura do evangelho. As preciosas gemas daverdade, há muito perdidas de vista, devem agora ser restituídasaos filhos de Deus. Os temas da justificação pela fé e da justiça deCristo devem ser apresentados em nossas escolas, a fim de que osjovens e as crianças compreendam esses assuntos e os professores ealunos aprendam o caminho da salvação. Santos e eternos princípiosligados ao plano da salvação, antes olvidados, devem retomar seu lugarde importância (CSES, 12).A regra que é dada para a Bíblia é para o Espírito de Profecia, nãoesqueça disto.Santidade não é arrebatamento: é inteira entrega da vontade a Deus; éviver por toda a palavra que sai da boca de Deus; é fazer a vontadede nosso Pai celestial; é confiar em Deus na provação, tanto nas trevascomo na luz; é andar pela fé e não pela vista; é apoiar-se em Deuscom indiscutível confiança, descansando em Seu amor. (AA, 51).Ponderando essas coisas em seu coração, Paulo compreendeu mais emais claro a razão de seu chamado - ser um "apóstolo de Jesus Cristo,pela vontade de Deus". I Cor. 1:1. Este chamado lhe veio, "não da partedos homens, nem por homem algum, mas por Jesus Cristo, e por DeusPai". Gál. 1:1. A magnitude da obra que estava a sua frente levou-o adedicar muito estudo às Escrituras Sagradas, a fim de que pudessepregar o evangelho, "não em sabedoria de palavras, para que a cruz de
  22. 22. A p o s t i l a – C o m o E s t u d a r a B í b l i a I | 22Cristo se não faça vã", "mas em demonstração de Espírito e de poder",para que a fé de todos os que ouvissem "não se apoiasse em sabedoriados homens, mas no poder de Deus". I Cor. 1:17; 2:4 e 5.(AA, 127).Aprendamos das revelações dadas pelo Espírito Santo a Seus profetas,a grandeza de nosso Deus. (AA, 432). A árvore da ciência, assim chamada, tem-se tornado instrumento demorte. Satanás tem entretecido astuciosamente seus dogmas, suasfalsas teorias na instrução dada. Da árvore da ciência, profere ele asmais aprazíveis lisonjas quanto à educação superior. Milharesparticipam do fruto dessa árvore, mas isso significa para eles morte.Cristo diz: "Por que gastais o dinheiro naquilo que não é pão?" Isa. 55:2.Estais empregando os talentos que vos foram confiados pelo Céu nabusca de uma educação que Deus declara ser loucura. (CPPE, 12)As igrejas protestantes, tendo recebido as doutrinas que a Palavra deDeus condena, expô-las-ão e as imporão sobre a consciência do povo,assim como as autoridades papais forçaram seus dogmas sobre osadvogados da verdade no tempo de Lutero. A mesma batalha serátravada novamente, e toda pessoa será chamada a decidir de que ladodo conflito se encontrará. (Cristo Triunfante, 322)O mesmo perigo existe ainda. Muitos se têm na conta de cristãos,simplesmente porque concordam com certos dogmas teológicos. Nãointroduziram, porém, a verdade na vida prática. Não creram nela nem aamaram; não receberam, portanto, o poder e a graça que advêmmediante a santificação da verdade. E ouvindo homens e mulheres asverdades que Lhe caíam dos lábios, tão diversas das tradições edogmas ensinados pelos rabis, brotava-lhes no coração a esperança.Havia em Seus ensinos uma sinceridade que fazia com que Suaspalavras fossem direto ao alvo, com um poder convincente. (ObreirosEvangélicos, pág. 188).A "imagem da besta" representa a forma de protestantismo apóstataque se desenvolverá quando as igrejas protestantes buscarem o auxílio
  23. 23. 23 | Apostila – Como Estudar a Bíblia Ido poder civil para imposição de seus dogmas. (O Grande Conflito,págs. 443 e 445).Muitos que se diziam conversos ainda se apegavam aos dogmas desua filosofia pagã, e não somente continuaram no estudo desta, masencareciam-no a outros como meio de estenderem sua influência entreos pagãos. Erros graves foram assim introduzidos na fé cristã. Destaca-se entre outros o da crença na imortalidade natural do homem e suaconsciência na morte. Esta doutrina lançou o fundamento sobre o qualRoma estabeleceu a invocação dos santos e a adoração da VirgemMaria. Disto também proveio a heresia do tormento eterno para os quemorrem impenitentes, a qual logo de início se incorporara à fé papal.(GC, 58).Mas aqueles humildes camponeses, em seu obscuro retiro, excluídosdo mundo e presos à labuta diária entre seus rebanhos e vinhedos, nãohaviam por si só chegando à verdade em oposição aos dogmas eheresias da igreja apóstata. A fé que professavam não era nova. Suacrença religiosa era a herança de seus pais. Lutavam pela fé da igrejaapostólica - a "fé que uma vez foi dada aos santos". Jud. 3. "A igreja nodeserto" e não a orgulhosa hierarquia entronizada na grande capital domundo que era a verdadeira igreja de Cristo, a depositária dostesouros da verdade que Deus confiara a Seu povo para ser dada aomundo. (GC, 64).Achando-se destituída do poder do amor, tem buscado o braço forte doEstado para tornar obrigatórios os seus dogmas e executar-lhe osdecretos. Nisto reside o segredo de todas as leis religiosas jádecretadas, e o segredo de toda perseguição, desde os dias de Abel atéaos nossos dias. (MDC, 127).A Bíblia deve tornar-se um livro mais preeminente entre nós, e o atentoe diligente indagador deve, com profundo esforço, buscar o tesouroescondido. As máximas dos homens, os dogmas do erro emboraapresentados pelos que professam ser intérpretes da Palavra de Deus,têm de ser rejeitados, pois são designados a encobrir a verdade, e amistificar a importância espiritual do evangelho sagrado. Os que se
  24. 24. A p o s t i l a – C o m o E s t u d a r a B í b l i a I | 24empenharem em buscar o tesouro escondido, encontrá-lo-ão. (MM –Para Conhecê-lo, 343). Se quiser saber como romanistas e protestantes, unidos, tratarão osque rejeitarem seus dogmas, veja o espírito que Roma manifestou emrelação ao sábado e seus defensores. (GC, 572). Tenho procurado apresentar um bom relatório e algumas uvas daCanaã Celestial, pelo qual muitos me apedrejariam, da mesma formacomo a congregação desejou apedrejar Calebe e Josué por seurelatório. (Num. 14: 10). Mas eu vos declaro, meus irmãos e irmãs noSenhor, que esta é uma terra muito boa, e devemos subir para possuí-la. (PE, 14). A Mente Deve Estar Preparada EspiritualmenteProcuro não esquivar-me de transmitir a nosso povo todo conselho deDeus; às vezes, porém, tenho adiado certos assuntos com a injunção:"Eles não podem suportá-los agora." Até a verdade não pode serapresentada em sua plenitude a mentes que não estão preparadasespiritualmente para recebê-las. Tenho muito que dizer, mas as pessoasàs quais as mensagens se aplicam não podem suportá-las em seu atualestado de falta de consagração. Carta 55, 1894. Contar Tudo Por que Paulo não PôdeO grande apóstolo teve muitas visões. O Senhor mostrou-lhe muitascoisas, as quais não é lícito ao homem referir. Por que ele não podiacontar aos crentes o que tinha visto? Porque teriam feito errôneaaplicação das grandiosas verdades apresentadas. Não conseguiriamcompreender essas verdades. E, no entanto, tudo que foi mostrado aPaulo moldou as mensagens que Deus o incumbiu de transmitir àsigrejas. Carta 161, 1903. (III ME,57).
  25. 25. 25 | Apostila – Como Estudar a Bíblia IAo chegar, na providencia de Deus, o tempo de o mundo serprovado quanto á verdade para aquele tempo, mentes serãodespertadas pelo Seu Espírito para pesquisarem as Escrituras, mesmocom jejum e oração, até que se descubra elo após elo, e estes sejamligados em perfeita cadeia. Todo fato que tem que ver de perto com asalvação de almas, será tornado tão claro, que ninguém precisa errar,ou andar em trevas.Em cada época há novo desenvolvimento da verdade, umamensagem de Deus para essa geração. As velhas verdades são todasessenciais; a nova verdade não é independente da antiga, masdesdobramento dela. Só compreendendo as velhas verdades é quepodemos entender as novas. Quando Cristo quis expor aos discípulos averdade de Sua ressurreição, começou "por Moisés, e por todos osprofetas", e "explicava-lhes o que dEle se achava em todas asEscrituras". Luc. 24:27. Mas a luz que brilha na nova ampliação daverdade, é que glorifica a Ao acompanharmos a cadeia de profecias, averdade revelada para o nosso tempo tem sido claramente vista eexplicada. Somos responsáveis pelos os privilégios que desfrutamos, epela a luz que incide sobre nosso caminho. Os que viveram nasgerações passadas foram responsáveis pela a luz que lhes foiconcedida. Sua mente foi despertada acerca de vários pontos daEscritura que lhes serviram de prova. Não compreenderam, porém, asverdades que hoje entendemos. Não foram responsáveis pela luz quenão tiveram. Tinham a Bíblia, como nós; mas o tempo para seresclarecida a verdade especial quanto ás cenas finais da históriaterrestre, é o das ultimas gerações que vivem na Terra.Verdades especiais foram adaptadas ás condições das gerações ámedida que existiram. A verdade presente, que é uma prova para opovo desta geração, não era prova aos das gerações que longe ficaram.Caso a luz que hoje brilha sobre nós relativamente ao sábado do quartomandamento houvesse sido dadas ás gerações do passado, Deus osteria considerado responsáveis por essa luz. (II TI, 692 / 93).Cada um dos diferentes períodos da historia da igreja se temdistinguido pelo desenvolvimento de alguma verdade especial,adaptada ás necessidades do povo de Deus naquele tempo. Toda novaverdade teve de enfrentar o ódio e a oposição; os que forambeneficiados por sua luz, sofreram tentações e provações. O Senhor dá
  26. 26. A p o s t i l a – C o m o E s t u d a r a B í b l i a I | 26ao povo uma verdade especial quando este encontra em situação difícil.Quem ousa recusar-se a publicá-la? Ele ordena a Seus servos queapresentem o ultimo convite de misericórdia ao mundo. Eles não podempermanecer silenciosos, a não ser com perigo de sua alma. (GC, 609).Em cada época há um novo desenvolvimento da verdade, umamensagem de Deus para essa geração. As velhas verdades são todasessenciais; a nova verdade não é independente da antiga, masdesdobramento dela. Só compreendendo as velhas verdades é quepodemos entender as novas. Quando Cristo quis expor aos discípulos averdade de Sua ressurreição, começou “por Moises, e por todos osprofetas”, e “explicava-lhes o que dele se achava em todas asEscrituras. Luc 24: 27. Mas a luz que brilha na nova ampliação daverdade, é que glorifica a velha.. O homem que rejeita ou despreza anova, não possui realmente a velha. Para ele perde seu poder vital etorna-se forma inanimada. (MM. Exaltai-o, 307). Observação A senhora EGW iluminada pelo Espírito Santo, estar falando que quando a mensagem do terceiro anjo for encerrada, terá sua luz do momento. Você não quer descobrir esta nova luz? Tome cuidado para não perder o trem. O Tempo e os Acontecimentos Corrigem as Atitudes ErradasO tempo junto com a perspectiva histórica que proporciona tempermitido que os investigadores posteriores corrijam o erro próprio dasprimeiras exposições importunas de limitações inevitáveis. Porém essesprimeiros expositores devem receber a devida honra por essa obrainicial que temos recebido como herança. Já é sumamente convenienteconhecer esse marco histórico e esses antecedentes. (Comentário decomo a profecia de Daniel foi sendo entendido do comentário bíblicoAdventista).Muitos hoje se apegam de modo idêntico aos costumes e tradições deseus pais. Quando o Senhor lhes envia mais luz, recusam-se a aceitá-laporque, não havendo ela sido concedida á seus pais, não foi por estes
  27. 27. 27 | Apostila – Como Estudar a Bíblia Iacolhida. Não estamos colocados onde nossos pais se achavam;conseqüentemente nossos deveres e responsabilidades não são osmesmos. Não seremos aprovados por Deus olhando para o exemplo denossos pais a fim de determinar nosso dever, em vez de pesquisar pornós mesmos a Palavra da verdade. Nossa responsabilidade é maior doque foi a de nossos antepassados. Somos responsáveis pela luz quereceberam, e que nos foi entregue como herança; somos tambémresponsáveis pela luz adicional que hoje, da Palavra de Deus, está abrilhar sobre nós. (GC. 164).Incide sobre nós maior luz do que brilhou sobre nossos pais. Nãopodemos ser aceitos ou honrados por Deus prestando o mesmo serviço,ou fazendo as mesmas obras que nossos pais. Afim de sermos aceitose abençoados por Deus como eles foram, cumpre-nos imitar suafidelidade e seu zelo, aperfeiçoar nossa luz como eles fizeram à sua efazer como eles teriam feito caso vivessem em nossos dias. Cumpre-nos viver segundo a luz que brilha sobre nós, do contrário, essa luztornar-se-á em trevas. Deus requer de nós que manifestemos aomundo, no caráter e nas obras a medida do espírito de união e unidadeproporcional às sagradas verdades que professamos, e ao espírito dasprofecias que se estão cumprindo nesses últimos dias. A verdade queatingiu nosso entendimento e a luz que nos incidiu sobre a mente nosjulgará e condenará, caso dela nos desviemos e recusemos ser por elaguiados. (TI 1, 262-263).Nenhum de nós jamais receberá o selo de Deus, enquanto o carátertiver uma nódoa ou mácula sequer. Cumpre-nos remediar os defeitos decaráter, purificar de toda a contaminação do templo da alma. Então achuva serôdia cairá sobre nós, como caiu a temporã sobre os discípulosno dia de Pentecoste. (II TS, 69). Textos para conferir: I Tes. 5: 15-22; I Cor 14: 32-33; I Cor 12: 1-31; Ef 4: 1-32; Rom 12: 3-8.
  28. 28. A p o s t i l a – C o m o E s t u d a r a B í b l i a I | 28 A IGREJA DE DEUS NA TERRA É SIMBOLO DA IGREJA NO CÉUO rei Davi, ao fim de seu reinado, fez solene exortação aos que tinham oencargo da obra de Deus em seus dias. Convocando a Jerusalém"todos os príncipes de Israel, os príncipes das tribos, e os capitães dasturmas, que serviam o rei, e os capitães dos milhares, e os capitães dascentenas, e os maiorais de toda a fazenda e possessão do rei, e deseus filhos, como também os eunucos e varões, e todo o varão valente",o idoso rei solenemente os advertiu "perante os olhos de todo o Israel, acongregação do Senhor, e perante os ouvidos do nosso Deus", paraque guardassem e buscassem "todos os mandamentos do Senhorvosso Deus". I Crôn. 28:1 e 8. (AA, 94).A organização da igreja em Jerusalém deveria servir como modelo paraa organização de igrejas em todos os outros lugares em quemensageiros da verdade conquistassem conversos ao evangelho.Aqueles a quem fora entregue a responsabilidade da administraçãogeral da igreja, não deveriam assenhorear-se da herança de Deus, mas,como sábios pastores, apascentar "o rebanho de Deus", "servindo deexemplo ao rebanho" (I Ped. 5:2 e 3); e os diáconos deveriam ser"varões de boa reputação, cheios do Espírito Santo e de sabedoria".Atos 6:3. Estes homens deveriam, unidos, defender o direito e mantê-locom firmeza e decisão; assim teriam sobre o rebanho todo, umainfluência para a união. (AA, 91).Jerusalém era a metrópole dos judeus, e era ali que se encontravam omaior exclusivismo e beatice. Os cristãos judeus, vivendo próximos dotemplo, naturalmente permitiam voltar a mente aos privilégios peculiaresdos judeus como nação. Quando viram a igreja cristã se afastando dascerimônias e tradições do judaísmo, e perceberam que a peculiarsantidade de que os costumes judeus eram revestidos seria logoperdida de vista à luz da nova fé, muitos se mostraram indignados comPaulo como sendo a pessoa que, em grande medida, havia provocadoesta mudança. Mesmo os discípulos não estavam todos preparadospara aceitar de boa vontade a decisão do concílio. Alguns eram zelososda lei cerimonial, e se referiam a Paulo como desfavor, pois pensavamque seus princípios referentes às obrigações da lei judaica eramfrouxos. (AA, 107).
  29. 29. 29 | Apostila – Como Estudar a Bíblia IPosto que o profeta não interprete os símbolos de sua visão, e postoque nem uma passagem da Bíblia que se afirme especificamente qualera o significado destas caras, só se pode conjecturar quanto aaplicação especifica dos símbolos. Os comentadores têm sugeridovarias alternativa. 1) O rosto de Homem é o símbolo mais excelso do Eterno; o Leão é símbolo de soberania; o Boi é também símbolo em certo sentido de soberania, junto com o símbolo natural da força posta ao serviço do ser humano; a Águia é emblema de poder régio. 2) Os rostos simbolizam os quatro evangelistas. Esta posição foi sustentada pelos os pais da igreja, sendo Irineu um dos primeiros que apresentou esta teoria. Algumas vezes se identificava o Leão com Mateus, o homem com Marcos, outras vezes se invertia a identificação. Todos concordam em identificar o Boi com Lucas e João com a Águia. Porém esta interpretação só se baseia na imaginação. 3) Segundo a tradição posterior judia, os quatro seres na ordem em que os apresenta Ezequiel, são os estandarte que só podiam usar as tribos de Judá, Efraim, Rubens e Dán quando estavam em caminhada pelo deserto (Num 2: 2). Não é possível verificar que esses houvessem sido os antigos estandartes. Ainda que isto fora possível, é difícil ver relação alguma entre os estandartes e os propósitos didáticos da visão.Quando intenta interpretar o significado destes quatro seres viventes ébom lembrar que na profecia simbólica o profeta vê a representação enão a realidade. Estas interpretações podem parecer realidade, aindaque muitas vezes não é assim. Com freqüência os atores de um dramaprofético têm uma aparência sumamente diferente dos seres oumovimentos que representam. Assim anjos podem desempenhar papelque mais tarde deveriam realizar os homens. Um anjo fez o papel dopovo adventista em uma visão de João no (Apoc 10: 1-11; cf Apoc 14: 6-12). Representações de bestas e dragões aparecem para dramatizar aatividade das nações e potestades sobrenaturais (Dan. 7:; 8; Apoc. 12;13; 17). Em alguns casos Jesus aparece simbolizado como um cordeiromorto, com sete chifres e sete olhos (Apoc 5: 6). Ninguém ousariapensar nem por um momento, que se intentaria representar a aparênciade Jesus. Em sua visão da sua segunda vinda, Jesus aparece
  30. 30. A p o s t i l a – C o m o E s t u d a r a B í b l i a I | 30cavalgando em um cavalo branco. Vestido de vestimenta manchada desangue e com uma espada em sua boca. Outra vez; o propósito destavisão não é representar a aparência real de Jesus no momento destegrande acontecimento, que seria o ponto final da historia. (Apoc 19: 11-15). Deve ter o cuidado de não entender literalmente o que diz umprofeta bíblico quando não está falando em forma literal. Em certaocasião quando os críticos criticaram de Ellen G. White ela, escreveu oseguinte: Meus opositores criticaram desta débil e simples expressão degloriosas uvas que crescem em fios de prata que estão unidos as varasde ouro. Eu não afirmei que as uvas cresciam em fios de prata. O queeu contemplei esta descreveu assim como me pareceu vê-lo. Não devesupor que as uvas estavam unidas a fios de prata ou a vara de ouro,porém esta foi à aparência que se me apresentou. (EGW MS, 4, 1883).No que se refere a interpretação da profecia simbólica é importantepermitir que o mesmo espírito que o deu a visão identifique os símbolos.Quando não aparece tal identificação, o expositor fica na liberdade paraconjecturar quanto a explicação. Por isso deve evitar o dogmatismo.Ademais como ocorre nas parábolas, os diversos elementos daapresentação simbólica têm diversos graus de significado e deimportância. Uma parábola não necessita explicar-se em todos osdetalhes. O mesmo ocorre com a profecia simbólica. Não deve dar-lhes a mesma importância a cada detalhe de um quadro profético.É possível que alguns alinhamento se introduzam só paraarredondar a apresentação. Ou um inicio de fundo adequado.Assim como deve ser com as parábolas, é necessário determinarqual é o motivo central da visão e que traços de apresentaçãopitoresca têm o propósito de ensinar uma verdade divina.Graças à inspiração podemos saber quais são as lições que devemosapresenta da visão de Ezequiel sobre os seres viventes (TS, II Págs349-354; PR,535-536, 176;). As afirmações das quais se faz referenciaaqui estabelece em primeiro termino o marco da visão. Estaapresentação profética tinha o propósito de animar aos judeus emmomentos quando uma boa parte de seu país estava em ruínas porcausa de suas invasões sucessivas, e muitos dos habitantes estavamcativos em um país estrangeiro. A esses oprimidos lhe parecia queDeus já não regia o mundo. Muitos interpretavam que o saquedesenfreado cometido pelas as nações que Deus já não importava com
  31. 31. 31 | Apostila – Como Estudar a Bíblia Io que acontecia. O povo não via a mão de Deus no transcurso dahistória. Não via que um propósito divino e supremo estava em ação noque acabava de ocorrer, assim como tinha obrado através dos séculos.Esta visão foi dada para mostrar que um poder supremo intervinha nosassuntos dos governantes terrenos e que Deus, todavia exerciadomínio. Este era o propósito principal da visão. Por tanto qualquerinterpretação que intente fazer, deve ser conseqüente com este objetivo.Os seres viventes representam a seres celestiais. (II TS, 349-350), comose fez assinalar, não é necessário imaginar que entre os servidores deDeus tenha seres com quatro cabeças e quatro asas. Em nenhum lugara inspiração exige que se chegue a essa conclusão. Sem duvida, aforma que Deus escolheu para estes seres nesta apresentação proféticatinha o propósito de simbolizar os mensageiros celestiais na plenitudede sua função, poder e adaptabilidade.1.11, Isa 6: 2.1.12. Ez 10: 16-19.DE ONDE O ESPIRITO. Estes seres não faziam nenhuma ação. Seusmovimentos estão em harmonia com as indicações do Espírito.Destaca-se também isto no vers 20.1.13. Apoc 4: 5; II Sam 22: 9;TOCHAS ENCADECENTE. Outra referencia ao fogo que se mencionano ver 4. Agora Ezequiel pode observar a pouca distancia. Procuradescrever em termos humano o interessante espetáculo de luzesvibrante e detalhes figurantes que de continuo se moviam entre osseres.1.14.Sl 29: 7. RELÂMPAGO. Com esta figura é representada a velocidade dos seresque vão e vem em suas diversas missões. A luz resplandecente quecruza entre os seres viventes com a rapidez do relâmpago representa arapidez com que esta obra avança finalmente fará sua terminação.Aos homens muitas vezes lhes parece que os propósitos divinos tardamdemasiado em cumprir-se. É verdade que tem tido certa demora, porémo Senhor não retarda sua promessa, segundo alguns a tem portardança, mas que é paciente para conosco, não querendo que nenhumpereça, mas que todos procedam ao arrependimento ( II Pe 3: 9). Um
  32. 32. A p o s t i l a – C o m o E s t u d a r a B í b l i a I | 32dia muito próximo, com terrível velocidade, irrompendo como umasurpresa, o fim virá mais rapidamente que os homens esperam.1.15. Ez 10: 9-13; 3: 13; 10: 2; Apoc 8: 5; Lev 16: 12; Apoc 11: 19; 16:18; Dan 7: 9 (Comentário de Ezequiel 01 do comentário Bíblico).38. 1, A PALAVRA DE JEOVÁ. Os caps. 38 e 39 formam uma sóprofecia. Toda a passagem tem sido objeto de muitas especulações. Detempo em tempo se tem apresentado diversas interpretações. A fim deavaliar em forma adequada, é necessário conhecer bem o propósitobásico e dos métodos e o alcance da profecia.O problema estar em encontrar a forma de distinguir bem entre os quetêm aplicação local e imediata e que tem aplicação mais remota. Quemsabe a era cristã, ou o fim do tempo. Os estudiosos da Bíblia queaplicam certas profecias do AT a era cristã advertem com freqüênciaque estas profecias têm aqui e ali predições que são evidentemente deaplicação local e imediata. Alguns procuraram explicar esta aparentemistura do imediato com o futuro supondo que o profeta, quando davauma mensagem, aos povos de seus dias, fazia de tempo em tempopredições proféticas e projetava suas profecias para o futuro distante.Ainda que esta permissão parecesse resolver parcialmente o problema,não proporciona critério para distinguir em forma adequada o que éimediato e o que é futuro remoto.A resposta á este problema esta na formulação de um principio, cujométodo aparece na Bíblia, e também nos escritos de Ellen G. White.Poderia pronunciar este principio da seguinte maneira:As profecias que tem que ver com a gloria futura de Israel e deJerusalém estavam condicionadas pela a obediência (Jer. 18: 7-10; PR.519-520), teriam se cumprido em forma literal nos séculos seguintes seos Israelitas houvesse aceitado plenamente os propósitos divinos paracom eles. O fracasso de Israel impossibilitou o cumprimento destasprofecias em sua intenção original. Sem duvida isto não implicanecessariamente que eles não tiveram importância. Paulo proporcionauma resposta com as seguintes: porque nem todos que descende deIsrael são israelitas (Rom 9: 6). Por isto estas promessas se cumprirãode certo modo ao Israel espiritual. Porém até que ponto? Este deve serdeterminado por meio da inspiração. Tenhamos no NT nos escritos do
  33. 33. 33 | Apostila – Como Estudar a Bíblia Iespírito de profecia numerosas citações dos autores do AT que mostracomo estas antigas predições – que deveriam ter achado gloriosocumprimento no Israel literal – se cumpriram finalmente no Israelespiritual.Sem dúvida, o ponto ressalta que nem todos os detalhes da profeciaoriginal poderiam cumprir-se com precisão, já que tem variado muito ascondições e o meio ambiente. Na verdade é uma regra segura deexegese aplicar unicamente ao futuro aquelas profecias que a revelaçãoque assim aplica. Corresponde notar também as limitações que seimpõem. O que vai mais além desses limites, não pode ser mais queespeculações – no melhor dos casos – e nunca deveria constituir a basede um dogma. Nem a permissão sobre a qual se levante toda umaestrutura de razoamento teológico.O tono nitidamente local que tem estas antigas profecias se explicaporque Deus originalmente quis que estas predições se cumprissem naforma indicada. Ademais o que se tem designado como predições quechega a um futuro distante – em boa medida em relação comapresentação geral da passagem – aparecem também apresentar nomarco dos primeiro propósitos de Deus. Em vista de que essesprimeiros propósitos não se cumpriram, escritores inspirados posterioresapresentam os cumprimentos progressivos dessas predições dentro domarco da igreja cristã. (PP. 27-30).A luz deste principio se pode observar nos caps. 38 e 39 de Ezequielteria se cumprido em forma literal depois do regresso dos Judeus doexílio se estes houvessem aceitado as condições oferecidas pelos osprofetas. Devido sua rejeição persistente, a prosperidade que aqui sedescreve nunca chegou a realizar-se. Em conseqüência da união dasnações pagãs não pode atacar um povo que mora na prosperidade aquianunciada.Aplicar-se-á esta profecia ao futuro? Se observar o principio recémanunciado, tal aplicação estabelecer-se somente por meio de umarevelação posterior. No NT aparece só uma referencia direta aossímbolos desta profecia (Apoc 20: 8). Nesta passagem João afirma queesta profecia – que troca de condição teria cumprido na forma literal emtempos anteriores – se cumprirá até certo ponto na luta final contra Deuspor parte das enormes hostes dos ímpios, chamados “Gog” e “Magog”.Os escritos de Ellen G. White não dizem nada em forma direta acerca
  34. 34. A p o s t i l a – C o m o E s t u d a r a B í b l i a I | 34deste capitulo. Por suposto em forma indireta se pode notar um paraleloentre esta luta e a contenda final contra o Israel de Deus quando asnações se unir para invalidar a lei de Deus. (5 TI 524) os ímpios seunem plenamente a Satanás em sua guerra contra Deus. Assim comoSatanás influenciou as nações pagãs para que destruíssem a Israel,assim num futuro próximo impulsionará os poderes ímpios da terra adestruir o povo de Deus (TM 473). Este conflito milenario concluiráfinalmente com a destruição de Satanás e suas hostes denominadasGog e Magog Apoc 22: 8. no final do milênio. Porém para então oconflito ter alcançado proporções mundiais e já não poderá limitar-se auma esfera pequena como a que se indica em Ez. 38 e 39, ondeaparece como uma luta militar contra o Estado judeu restabelecido.Qualquer exposição que vá mais além dos limites da interpretação doNT e das revelações do espírito de profecia carece de um “assim diz oSenhor”. Por suposto não pode afirmar-se que não pode haver ummaior conhecimento sem uma revelação adicional. Porém se podeafirmar-se que além das confirmações especificas da inspiração existeuma grande possibilidade de erro em qualquer exposição desse tipo,sobre tudo em relação com as profecias não cumpridas, o qual se podever claramente em toda a historia da interpretação profética.(Comentário de Ezequiel 38 e 39)No ensino de Cristo por parábolas, é manifesto o mesmo princípiode Sua própria missão ao mundo. Para que pudéssemos familiarizar-nos com Sua vida e caráter divinos, tomou Cristo nossa natureza ehabitou entre nós. A divindade foi revelada na humanidade; a glóriainvisível, na visível forma humana. Os homens podiam aprender dodesconhecido pelo conhecido; coisas celestiais foram reveladaspelas terrenas; Deus Se revelou na semelhança do homem. Assimera nos ensinos de Cristo: o desconhecido era ilustrado peloconhecido; verdades divinas por coisas terrenas, com as quais opovo estava mais familiarizado.Diz a Escritura: “Tudo isso disse Jesus por parábolas à multidão...para que se cumprisse o que fora dito pelo profeta, que disse: Abrireiem parábolas a boca; publicarei coisas ocultas desde a criação domundo.” Mat. 13:34 e 35. As coisas naturais eram veículos para asespirituais; cenas da natureza e da experiência diária de seus
  35. 35. 35 | Apostila – Como Estudar a Bíblia Iouvintes eram relacionadas com as verdades das EscriturasSagradas. Guiando assim do reino natural para o espiritual, são asparábolas de Cristo, elos na cadeia da verdade que une o homem aDeus, e a Terra ao Céu. (Oseías 12: 10)Em Seus ensinos da natureza falava Cristo das coisas que Suaspróprias mãos haviam criado, e que possuíam qualidades efaculdades, que Ele próprio lhes havia comunicado. Em Suaperfeição original, eram todas as coisas criadas a expressão dopensamento de Deus. Para Adão e Eva no seu lar paradisíaco,estava a natureza cheia do conhecimento de Deus, transbordante deinstrução divina. A sabedoria falava aos olhos e era acolhida nocoração; pois eles comungavam com Deus pelas obras criadas. Logoque o santo par transgrediu a lei do Altíssimo, o resplendor da facede Deus desapareceu da face da natureza. A Terra está agoradeformada e maculada pelo pecado. Mas, mesmo nesta condição,muito do que é belo permanece. As lições objetivas de Deus, não sãoobliteradas; quando bem compreendida, a natureza fala de seuCriador.Nos dias de Cristo estas lições haviam sido perdidas de vista. Oshomens tinham quase cessado de reconhecer á Deus em Suas obras. Anatureza pecaminosa da humanidade atirara um véu sobre a bela faceda criação; e em vez de revelarem á Deus, suas obras tornaram-seobstáculo que O ocultavam. Os homens “honraram e serviram mais acriatura do que o Criador” Rom 1: 25. Desta maneira, os pagãos “emseus discursos se desvaneceram, e seu coração insensato seobscureceu.” Rom 1: 21. Assim haviam inculcado em Israel ensinos dehomens, em vez de ensinos divinos. Não somente a natureza, mas oserviço sacrifical, e mesmo as Sagradas Escrituras, são dados pararevelar á Deus, foram tão truncados que se tornaram o meio de oculta-lo.Cristo procurou remover aquilo que obscurecia a verdade. Veio tirar ovéu que o pecado lançara sobre a face da natureza, e desse modotrazer á luz a glória espiritual que todas as coisas foram criadas pararefletir. Suas palavras focalizaram sob aspecto novo as lições danatureza, bem como as da Bíblia, e as tornou uma nova revelação. (PJ,17-19)
  36. 36. A p o s t i l a – C o m o E s t u d a r a B í b l i a I | 36Os pássaros, trinando seus cantos livres de cuidado, as flores do valevicejando em sua beleza - o lírio que descansava, em sua formosura, nofundo do lago, as árvores altaneiras, a terra cultivada, as ondulantesespigas, o solo estéril, a árvore infrutífera, os montes eternos, aborbulhante corrente, o Sol poente a tingir e dourar o firmamento - tudoisso empregou Ele para impressionar os ouvintes com a verdade divina.Relacionava a obra da mão de Deus nos céus e na Terra com a Palavrada vida. Dessas coisas tirava Ele Suas lições de instrução espiritual.Apanhava os lírios, as flores do vale, e colocava-as nas mãos dascriancinhas, como instrutores a proclamarem a verdade de Sua palavra.(MM, Para Conhecê-lo, 144 de 1965.)Que uma só passagens profética pode ter mais de um cumprimento,é evidente (ver Deut. 18: 15). Algumas destas profecias têm umcumprimento imediato e outras mais remotas, e ademais há nelasprincípios que podem aplicar-se em geral em todas as épocas. Maisainda, deve lembrar-se que as promessas e as ameaças de Deussão igualmente condicionais (EGW MS, 4 de 1883). Desta maneiracertas predições que poderiam ter achado um comprimento pleno emuma época anterior da historia, foram deferidas por causa dofracasso da igreja que não se pôs a altura de seus privilégios eoportunidades (ver, t. IV PP. 32-36) (Comentário bíblico V. 7 noestudo de APOC).A obra de Deus na Terra apresenta, século após século, umasurpreendente semelhança, em todas as grandes reformas oumovimentos religiosos. Os princípios envolvidos no trato de Deuscom os homens são sempre os mesmos. Os movimentos importantesdo presente têm seu paralelo nos do passado, e a experiência daigreja nos séculos antigos encerra lições de grande valor para onosso tempo.Nenhuma verdade é mais claramente ensinada na Escritura do queaquela segundo a qual Deus, pelo Seu Espírito Santo, dirige demaneira especial Seus servos sobre a Terra, nos grandesmovimentos que têm por objetivo promover a obra da salvação. Oshomens são instrumentos nas mãos de Deus, por Ele empregadospara cumprirem Seus propósitos de graça e misericórdia. Cada um
  37. 37. 37 | Apostila – Como Estudar a Bíblia Item a sua parte a desempenhar; a cada qual é concedida umaporção de luz, adaptada às necessidades de seu tempo, e suficientepara o habilitar a efetuar a obra que Deus lhe deu a fazer.Nenhum homem, porém, ainda que honrado pelo Céu, já chegou acompreender completamente o grande plano da redenção, ou mesmo aaquilatar perfeitamente o propósito divino na obra para o seu própriotempo. Os homens não compreendem plenamente o que Deus desejacumprir pela missão que lhes confia: não abrangem, em todos osaspectos, a mensagem que proclamam em Seu nome."Porventura alcançarás os caminhos de Deus, ou chegarás à perfeiçãodo Todo-poderoso?" "Os Meus pensamentos não são os vossospensamentos, nem os vossos caminhos os Meus caminhos, diz oSenhor. Porque, assim como os céus são mais altos do que a Terra,assim são os Meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos eos Meus pensamentos mais altos do que os vossos pensamentos." "Eusou Deus, e não há outro deus, não há outro semelhante a Mim; queanuncio o fim desde o princípio, e desde a antiguidade as coisas queainda não aconteceram." Jó 11:7; Isa. 55:8 e 9; 46:9 e 10.Mesmo os profetas que eram favorecidos com iluminação especialdo Espírito, não compreendiam plenamente a significação dasrevelações a eles confiadas. O sentido deveria ser desvendado deséculo em século, à medida que o povo de Deus necessitasse dasinstruções nelas contidas.Pedro, escrevendo acerca da salvação trazida à luz pelo evangelho, diz:"Da qual salvação inquiriram e trataram diligentemente os profetas queprofetizaram da graça que vos foi dada, indagando que tempo ou queocasião de tempo o Espírito de Cristo, que estava neles, indicava,anteriormente testificando os sofrimentos que a Cristo haviam de vir, e aglória que se lhes havia de seguir. Aos quais foi revelado que, não parasi mesmos, mas para nós, eles ministravam." (I Ped. 1:10-12).Entretanto, ao mesmo tempo em que não era dado aos profetascompreender completamente as coisas que lhes eram reveladas,buscavam fervorosamente obter toda a luz que Deus fora servido tornarmanifesta. "Inquiriram e trataram diligentemente", "indagando que tempoou que ocasião de tempo o Espírito de Cristo, que estava neles,indicava." Que lição para o povo de Deus na era cristã, para o benefício
  38. 38. A p o s t i l a – C o m o E s t u d a r a B í b l i a I | 38do qual foram dadas aos Seus servos estas profecias! "Aos quais foirevelado que não para si mesmos, mas para nós, elesministravam." Considerai como os santos homens de Deus"inquiriram e trataram diligentemente", com respeito a revelaçõesque lhes foram dadas para as gerações ainda não nascidas.Comparai seu santo zelo com a descuidada indiferença com que osfavorecidos dos últimos séculos tratam este dom do Céu. Queexprobração àquela indiferença comodista e mundana, que se contentaem declarar que as profecias não podem ser compreendidas!Posto que a mente finita do homem não seja apta a penetrar nosconselhos do Ser infinito, ou compreender completamente arealização de Seus propósitos, muitas vezes é por causa de algum erroou negligência de sua parte que tão palidamente entendem asmensagens do Céu. Com freqüência, a mente do povo, e mesmo dosservos de Deus, se acha tão cegada pelas opiniões humanas, astradições e falsos ensinos, que apenas pode parcialmente apreender asgrandes coisas que Ele revelou em Sua Palavra. (GC, 343-345) COMO ESTUDAR O ESPIRITO DE PROFECIA DE EGWNos tempos antigos, Deus falou aos homens pela boca de Seusprofetas e apóstolos. Nestes dias Ele lhes fala por meio dosTestemunhos do Seu Espírito. Não houve ainda um tempo em que maisseriamente falasse ao Seu povo a respeito de Sua vontade e daconduta que este deve ter. Evangelismo, págs. 255 e 256. (III ME, 30). A Bíblia e o Espírito de Profecia Têm o Mesmo AutorO Espírito Santo é o autor das Escrituras e do Espírito de Profecia.Estes não devem ser torcidos e levados a indicar o que o homem querque indiquem, para cumprir as idéias e os sentimentos do homem, paralevar avante os seus desígnios sob todos os riscos. Carta 92, 1900.
  39. 39. 39 | Apostila – Como Estudar a Bíblia IAlguns apontarão ao ridículo, trabalhando contra a luz que Deus temestado a comunicar por anos, e alguns que são fracos na fé serão assimtransviados.Outros, porém, receberão grandes auxilio das mensagens. Conquantonão lhes sejam individualmente dirigidas, receberão as correções, eserão levados a fugir dos males aí especificados,... O Espírito do Senhorestará nas instruções, e as duvidas existentes em muitos espíritos serãobanidas. Os próprios testemunhos serão a chaves que explicará asmensagens dadas, como textos escriturístico são explicados portexto escriturístico. Muitos lerão com ansiedade as mensagens quereprovam o erro, para que aprendam o que hajam de fazer para seremsalvos,... A luz raiará no entendimento, e o Espírito impressionará amente, á medida que a verdade bíblica é clara e singelamenteapresentada nas mensagens que Deus tem estado a mandar a Seupovo desde 1846. Essas mensagens devem encontrar seu lugar noscorações, e operar-se-ão transformações. (I ME, 42).Escrevi muita coisa no diário que tenho mantido em todas as minhasviagens, e deve ser apresentado ao povo se for essencial, mesmo queeu não escreva mais nenhuma linha. Desejo que apareça o que forconsiderado conveniente, pois o Senhor me deu muita luz que desejoque as pessoas tenham; porque há instruções que o Senhor me temdado para Seu povo. É luz que eles devem ter, regra sobre regra,preceito sobre preceito, um pouco aqui, um pouco ali. Isto deveagora ser apresentado ao povo, porque foi dado para corrigir erros epara especificar o que é verdade. O Senhor revelou muitas coisas queindicam a verdade, dizendo portanto: "Este é o caminho, andai por ele."Carta 117, 1910. (III ME, 32).Não tenho feito muita coisa sobre a vida de Cristo, e muitas vezes souobrigada a solicitar a ajuda de Mariana, sem levar em conta o trabalhosobre a vida de Cristo que ela tem de realizar sob grandes dificuldades,coligindo um pouco aqui e um pouco ali, de todos os meus escritos,a fim de arrumá-lo da melhor maneira possível. Ela está, porém, comboa disposição para o trabalho; se tão-somente eu pudesse sentir-melivre para dedicar toda a minha atenção a essa obra! (III ME, 116).
  40. 40. A p o s t i l a – C o m o E s t u d a r a B í b l i a I | 40Sou instruída a dizer às nossas igrejas: Estudai os Testemunhos. Elessão escritos para nossa admoestação e encorajamento, de nós outrossobre quem os fins dos séculos têm chegado. Se o povo de Deus nãoestudar estas mensagens que lhes são enviadas de quando emquando, são culpados de rejeitar a luz. Regra sobre regra, preceitosobre preceito, um pouco aqui, um pouco ali, Deus está enviandoinstruções a Seu povo. Atendei à instrução; segui a luz. O Senhor temuma contenda com o Seu povo porque no passado eles não atenderama Sua instrução e não seguiram Sua orientação. (III ME, 358)Sabia que apenas a pregação não bastava para educar os crentes paraexpor a Palavra da vida. Sabia, que, mandamento sobremandamento, regra sobre regra, um pouco aqui, um pouco ali, elesprecisavam ser ensinados a fazer progresso na obra de Cristo. (AA,206).Os que sentem sobre si o fardo de almas saiam de casa em casafazendo o trabalho, e ensinem o povo mandamento sobremandamento, um pouco aqui, um pouco ali, levando-osgradualmente à plena luz da verdade bíblica. Isto foi o que tivemos defazer nos primeiros tempos da mensagem. (BS, 77).O Senhor tem dado muita instrução a Seu povo: regra sobre regra,mandamento sobre mandamento, um pouco aqui, um pouco ali.Pouca atenção é dada à Bíblia, e o Senhor deu uma luz menor paraguiar homens e mulheres à luz maior (Colportor E, 125).Mas antes de tudo o mais, devem ser ensinados que o temor do Senhoré o princípio da sabedoria. Devem ser instruídos em mandamentosobre mandamento, regra sobre regra, um pouco aqui, um poucoali. Mas o único objetivo do professor deve ser educar as crianças nosentido de conhecerem a Deus, e a Jesus Cristo a quem Ele enviou.(CPPE, 169).Os princípios da verdade gravados no coração, regra sobre regra,mandamento sobre mandamento, produzirão corretas ações. A
  41. 41. 41 | Apostila – Como Estudar a Bíblia IBíblia contém as penetrantes máximas dadas por Deus para guiar aoCéu homens, mulheres, jovens e crianças, através dos conflitos destavida. "Santifica-os na verdade; a Tua Palavra é a verdade" (João 17:17),foi a oração de Cristo. (CSES, 68).Onde a Bíblia é aberta ao entendimento, regra sobre regra,mandamento sobre mandamento, um pouco aqui, um pouco ali. Éo lugar onde a luz da verdade deve ser comunicada. Nem todos os queensinam em nossas Escolas Sabatinas se qualificam para essetrabalho. (CSES, 99) PERIGO DE REJEITAR A LUZÉ desígnio de Deus que, mesmo nesta vida, a verdade seja sempredesvendada a Seu povo. Há unicamente um modo em que esseconhecimento pode ser obtido. Só podemos alcançar acompreensão da Palavra de Deus, mediante a iluminação doEspírito por quem foi dada a Palavra. "Ninguém sabe as coisas deDeus, senão o Espírito de Deus. ... Porque o Espírito penetra todas ascoisas, ainda as profundezas de Deus." I Cor. 2:11 e 10. E a promessado Salvador a Seus discípulos, foi: "Quando vier aquele Espírito daverdade, Ele vos guiará em toda a verdade. ... Porque há de receber doque é Meu e vo-lo há de anunciar." João 16:13 e 14.Pedro exorta os irmãos: "Crescei na graça e conhecimento denosso Senhor e Salvador Jesus Cristo." II Ped. 3:18. Sempre que opovo de Deus estiver crescendo em graça, obterá constantementecompreensão mais clara de Sua Palavra. Há de distinguir mais luz ebeleza em suas sagradas verdades. Isto se tem verificado nahistória da igreja em todos os séculos, e assim continuará até aofim. Mas à medida que a verdadeira vida espiritual declina, tem sidosempre a tendência cessar o crente de avançar no conhecimentoda verdade.Os homens ficam satisfeitos com a luz já recebida da Palavra de Deus,e desistem de qualquer posterior estudo das Escrituras. Tornam-seconservadores, e procuram evitar novo exame.
  42. 42. A p o s t i l a – C o m o E s t u d a r a B í b l i a I | 42O fato de não haver controvérsias ou agitações entre o povo de Deus,não deveria ser olhado como prova conclusiva de que eles estãomantendo com firmeza a sã doutrina. Há razão para temer que nãoestejam discernindo claramente entre a verdade e o erro. Quando nãosurgem novas questões em resultado de análise das Escrituras, quandonão aparecem divergências de opinião que instiguem os homens aexaminar a Bíblia por si mesmos, para se certificarem de que possuema verdade, haverá muitos agora, como antigamente, que se apegarãoàs tradições, cultuando nem sabem o quê.Tem-me sido mostrado que muitos dos que professam a verdadepresente, não sabem o que crêem. Não compreendem as provas de suafé. Não apreciam devidamente a obra para este tempo. Quando chegaro tempo de angústia, e ao examinarem a posição em que se encontram,homens que agora pregam a outros, verificarão que há muitas coisaspara as quais não podem dar uma razão satisfatória. Até que fossemassim provados, desconheciam sua grande ignorância.E há muitos na igreja que contam por certo que compreendem aquiloem que crêem, mas que até surgir uma discussão, ignoram suafraqueza. Quando separados dos da mesma fé, e forçados a estarsozinhos e expor por si mesmos sua crença, ficarão surpreendidos dever quão confusas são suas idéias do que têm aceito como verdade. Écerto que tem havido entre nós um afastamento do Deus vivo, e umvoltar-se para os homens, pondo a sabedoria humana em lugar dadivina.Deus despertará Seu povo; se outros meios falharem, introduzir-se-ãoentre eles heresias, as quais os hão de peneirar, separando a palha dotrigo. O Senhor chama todos os que crêem em Sua Palavra, para quedespertem do sono. Tem vindo uma preciosa luz, apropriada aosnossos dias. É a verdade bíblica, mostrando os perigos que se achammesmo iminentes sobre nós. Essa luz nos deve levar ao estudo diligentedas Escrituras, e a um mais atento exame crítico das posições quemantemos.É vontade de Deus que todos os fundamentos e posições da verdade,sejam cuidadosa e perseverantemente estudados, com oração e jejum.Os crentes não devem ficar em suposições e mal definidas idéias doque constitui a verdade. Sua fé deve estar firmemente estabelecidasobre a Palavra de Deus, de maneira que, quando o tempo de prova
  43. 43. 43 | Apostila – Como Estudar a Bíblia Ichegar, e eles forem levados perante os concílios para responder porsua fé, sejam capazes de, com mansidão e temor, dar a razão para aesperança que neles há.Agitai, agitai, agitai! Os assuntos que apresentamos ao mundo devemser para nós uma realidade viva. É importante que, ao defender asdoutrinas que consideramos artigos fundamentais da fé, nunca nospermitamos o emprego de argumentos que não sejam inteiramenteretos. Eles podem fazer calar um adversário, mas não honram averdade. Devemos apresentar argumentos legítimos, que, não somentefaçam silenciar os oponentes, mas que suportem a mais profunda eperscrutadora investigação.Quanto aos que se preparam para debates, há grande perigo de quenão lidem, com lisura em relação à Palavra de Deus.Ao enfrentar um adversário, deve ser nosso mais sincero esforçoapresentar os assuntos de maneira tal, que despertemos a convicçãoem seu espírito, em vez de procurar meramente inspirar confiança aocrente.Seja qual for o grande adiantamento intelectual do homem, nãopense ele, nem por um momento, que não há necessidade deinteira e contínua indagação das Escrituras em busca de maior luz.Como um povo, somos convidados individualmente ao estudo daprofecia. Devemos observar atentamente, a fim de distinguirqualquer raio de luz que Deus nos apresente. Devemos apanhar osprimeiros clarões da verdade; e, mediante estudo acompanhado deoração, poder-se-á obter mais intensa luz, a qual poderá serapresentada aos outros.Quando o povo de Deus está à vontade, satisfeito com a luz que jápossui, podemos estar certos de que Ele os não favorecerá. É Suavontade que marchem sempre avante, recebendo a intensa e semprecrescente luz que para eles brilha. A atitude atual da igreja não agrada aDeus. Tem-se introduzido uma confiança que os tem levado a não sentirnenhuma necessidade de mais verdade e maior luz. Vivemos numaépoca em que Satanás opera à direita e à esquerda, em nossa frente epor trás de nós; e todavia, como um povo, estamos dormindo. Deusdeseja que se faça ouvir uma voz despertando Seu povo para a ação.(Testemunhos Seletos, vol. 2, págs. 308-312).

×