Passageiros do tempo       Josane Peer“Minha primeira estrofe da         alma”              1
2
BIOGRÁFIAPoeta, Compositor, Letrista, Músico e ProdutorArtistico. Atuou em grupos de rock, como:Inhumanos(BA), Madrasta-Mã...
Agradecimentos Especiais:Ao Universo, á Minha Mãe Rosália e sobrinhas,W.T.TedeSilva, Hélio Braz, Prof.Ediney Santana, os i...
1a edicao - 1a impressãoDireção Geral: Josane PeerRevisão: Josane PeerCapa: Anjo Produções GráficasProjeto Gráfico/ diagra...
A Poesia do SubmundoPor: Ediney Santana*	       A poética de Josane Peer não nasceu com a escrita,nasceu no canto, na músi...
seu sofrimento por não se reconhecido ou ao menosrespeitado como artista.	      É com alegria que vivo esses novos tempos ...
Poeta a navegar entre os sonhos da juventude e omundo impiedoso da maturidade, da concreta realidadeao lúdico, da não acei...
Viver é se expressar. Quem não faz um filme,escreve um livro. O cinema é uma industria, a musicaé um vicio, o teatro é a a...
A casa tortaPrisioneiros do abismo solidãoRepletos de vazioEstranha multidãoA mesa posta sem respostaAlma sem lar a casa t...
A cor da Rosa é essência RealA cor da RosaDe fragrância NaturalDe um jeito ternoQue é só teu...teu...teuSublime de SerA co...
Jaz agora corrompidaNo sempre vazio de ter o que não éNem nunca virá a ser em VidaRestará apenas o passadoComo companhiaNo...
Leste,Oeste,Norte e Sul,De contigentesDas trilhas do MetrôQue não se pode pararNem separarCosmopolita multidãoCidade de so...
Dispa-se dos teus segredosIluminado sob o sol das noitesFaz-me sonhar e amar sem medoImaginando o paraíso em floresVamos i...
Aqui JazCidade cinzaVermelho tinto e lutoSangue e vinto tinto,Branco a cor do riso sujoDegradê,neôn e lusco-fuscoVerdejant...
Os olhos famintosAnte a tua forçaAnte a tua feminilidade inocenteInocentemente transgressoraPronta pra nos hipnotizarAtrav...
Perdidas através das areias dos temposOnde escorriam os sonhosAtravés dos muitos dedosPor entre as chaves do mistérioEscon...
De desmedido e incomensurável prazer,Prazer proibidoAdentrar o teu universo de feminino serE chegar juntamente contigoNa p...
Blues da solidãoAs vezes a dor tão suaveQuanto sonhar amorUm só amar é perigosoMelhor sonhar a doisBlues da solidão que me...
frágil,frágil bebêBoneco de louçaGuardado na estanteEsquecido em qualquer lugarParte de um todoDa memória vivaDe um berço ...
Vestem-se e despem-se aos milharesAs cabeças em seus cortesAdereços e recortesE retoquesSecos & MolhadosFios aos montesRet...
Cavaleiros da OrdemSomos Cavaleiros da OrdemE vimos em Missão de PazIrradiar Amor na TerraHonradamente AprazPreservar a Na...
CenárioNeste cenário imperfeito de desilusãoQuero partirPegar caronaPela estrada aforaDo teu beijoE me perderNo infinitoTe...
E apodrece a nossa espécieEm toda forma de poderNos privando de sobreviverSempre dispostos a matarE não morrerNos privando...
Por obra do destinoSó o caso por sí mesmoA predestinarO que almejas agarrarE teima em pensarNo impedimento de sonharOnde n...
Do além cantarCanto para o espaço infinitoCanto para a noite sonharCanto para a minha morteCanto para a vida sem parCanto ...
Aprender contigoE incomensuravelmenteMesmo que distraídamenteEm fantasias ter-teSerias sublimalQuerer-te em ArteDestarte e...
E as nuvens se dissipamCom o pulsar das horasVou seguir em frentePela estrada a foraE nas curvas do destino vouTrilhar o m...
Por que em uma fração de segundoSe esvai todo e qualquer resquícioDe consciência?Quando parecíamos estar vivos?Por que se ...
Uma sonora viagemSilenciosaQue agora gritaEternidade!Uma sonora viagemsilenciosaQue agora gritaEternidade!                ...
F...Da noite és perfeita damaEntre furtivas paixõesQue clama alcova e fogePor entre lençois teus sonhos em chamasA realida...
Filhos do vícioHá um grave preconceitoQue nos foi impostoQuando saímos da ilusãoInvadimos sem licençaO adulto mundo da raz...
Flor da liberdadeSonho acordadoE viajo em um mundo imaginárioRico em miragens flutuamNo instante do horizonte de um espaço...
Flor MarginalA Flor Marginal exala o perfume ocreEm poesias acídas de Tons atonaisEm suas cores Piscodélicas e Dissonantem...
FlorescênciaArvores,ramagens,frutos,folhas e floresVerdes miragens,paisagens e coresColoridos ramalhetes de serena plenitu...
Que venha a resgatar-meDa misericórdia de DeusE agora o que será da vida?O que será do meu último instante?E agora o que s...
Me violentam me jogam aos pés dessa cidadeE me arranca alma sob o sol dessa cidadeCujo grito ecoa os quatro cantos da cida...
Abri meu coraçãoNão obtive clemênciaQuando quis a pazNos deram a morteE das guerras nos deram ilusãoIlusão...ilusão...O qu...
Que não se querSutil paixão e explendorQue feminal e plena personificasNa sensualidade prementeQue instigasE convidas a ba...
Lua RubraMeu corpo sofreu amputação do tempoLevou consigo as lembranças perdidasAo ventoPor um instante eu penseiTer achad...
Há de extinguir a vidaCompanheira minha morteO que será do futuroDe um passadoAo inferno me devolveAo fim...Da lua rubra  ...
Magia do existirDescortinar horizontesÉ adentrar o âmago dos teus olhosÉ partilhar dos teus sonhosÉ compor uma cançãoÉ ser...
Vem me abraçar com teu olhar de luzPintam as cores dos diasNos conduz a trafegarNa eternidade por quase um segundoInvencív...
Os uivantes caninosAntissépsia sem artificialismosA antissépsiaNão usam molasOs saltos dos felinosQue traçam sete vidas te...
Matava por prazer e sem justiçaCondenado pela políciaEra um psicopata terroristaDizimou tantas culturasGenocida!Já não ten...
Na mesa de um bar...BluesQuero uma dose de uísquePara esquentar meu coraçãoCongelar minha eterna dorMinha companheira soli...
O Deus que vejoO Deus que vejoNão pertence as classesE elites dominantesNão é aquele cuja a plebeSe curva e diz amémA espe...
Eu me tenho eu me amo de verdadeNada podes me abalarNós somos o que pensamosCalcados no insconscienteSe positivo ou negati...
Passeiam pelo arBailam e flutuam nos convidas a dançarPra brincar e amarPra brincar pra dançar e amar...             Amor ...
As Maravilhas da CriaçãoSorria para a VidaE deixe a Luz entrarDeixe aberta as portasDo teu coraçãoVêm e dê a mãoFazendo o ...
Basta um pouco de tí...Basta um pouco de tiPara alegrar meu coraçãoGuiam-me os pensamentosRumo à tua direçãoTodas as palav...
Fantástico ter vocêFantástico ter você comigoFantástico ter você aquiFantástico sermos amigosFantástico ser e servirFantás...
Deusa HeraComo Descrever tamanha formosuraQue de tua belezaComo jóia rara emanasMisteriosa e enigmática FeminaVem consagra...
Libertação do AmorLiberte sua menteDos teus velhos víciosIncorpore novos hábitosE abras um sorrisoDê um novo coloridoPara ...
Ante ao tronosDos teus desejosDesejos que me fazem descerAos intermináveis umbraisDo insconscienteDos nossos instintosDesp...
O Universo conspira a teu favorÉ tua chance de crescer com garra e Motivação(Você é especial)Você pode muda sua vidaP’ra m...
O Dia do ChacalMáquinas de almasEstatizando víciosPrivatizando mentesSocializando egoísmosMas Deus não estava em casaUnive...
Mas querem-me ou tem-me por jogueteOu quem sabe por tolo ou marionetesEsquecem eles que a Natureza-MãeOutorgou-me SerPrimo...
De braços abertosDespida traduzLouca eternidadeO mais belo morrer                      O mantoO manto negro do meu cantarÉ...
O nadaSinais dispersosNos detém aos teusExatos apelos anexosRetratis olharesUniversos aos paresDíspares sonhosEm vários di...
Dos nossos sonhos e ambiçõesSob o asfalto as incertezasSob os corpos longínquos de tédio marcadosPelas veias as drogasSubj...
Na lembrança memorial da HistóriaContramão ao largo do silencioso esquecimento                O “X” da QuestãoNão desista ...
Olhar BluesLivre navega em silêncioTua alma primaveraDe sonhos e luzBlues são teus olhosTão profundo e infinitosDos teus d...
Olhos que sentemOlhar em flor amanhecemEm noites a sonhar teus segredosDespertar mistériosRevelar-se por teus olhosMe carr...
Os Sete VéusPassado vivificado em ceraEvocando tempos remotosTrazendo á tira coloRetrovisor espelho futuroDe eólicas sensa...
Passageiros do TempoA verdade não está nos livrosDa mentira escrita a mãoNossa vida é uma eterna HistóriaPágina rasgada ol...
Que esquece o tempoSeca as lágrimas da razãoE transita ante a loucuraE da simples criaçãoE se torna mais complexaAnte a ex...
Pérola JanisQuando a lua dos teus olhosBanhar-se em sangueE o sol da tua almaEstiver fora de síLonge de tudoLonge de mim m...
Em um beijo azulDe infinitos sonhos bluesPérola Janis,Perola Janis JoplinPérola Janis,For ever Janis Joplin               ...
Procurando encontrarTesouros do coraçãoApesar do eterno riscoSou pescador de ilusão             Poesia do SubmundoMoramos ...
Marginais corrompidosPelo dinheiro sujo de sangueDrogas ou homicídioEssa música é para aquelesQue não se deixam conduzirDe...
Poetizando me sinto como se estivesseA querer desvendarQuanta magia estás ocultaNo teu nobre coraçãoSedentas de querer ser...
Por entrelinhasNas curvas do destinoSob meus passosEntrelinhasMinhas mãosMeu caminho a direçãoPor onde seguir?Para me enco...
De dúvidas e de incertezas?Sem respostas pras perguntasDe tudo que sem o serDeterminante o fator crerDe ter e acontecer ra...
Convertido no que agora souEntre incertezas e imperfeiçõesE se possível fosse que o tempo congelasseToda amaldade ao derre...
Que sonha liberdadePor certo destino(in) certo!                Primeira infânciaVamos viverViemos para vencerE mudarToda a...
In memorian:       Renato Russo (Legião Urbana)Quem sabe o porto dos sentidos?Os sete dias e os varõesSe fez palavra o sil...
QuiseraQuisera eu ser diafanoTal qual os nobres faunosQuisera eu ser leveE sábio como os ascetasQuisera eu ser retoDe cará...
ReflexõesNo bojo da ignorante sapiênciaDe todo o mistério que se reveste a VidaÉ não ter nenhum segredo que sejaPor ser de...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Passageiros do Tempo

480 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
480
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
5
Actions
Shares
0
Downloads
3
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Passageiros do Tempo

  1. 1. Passageiros do tempo Josane Peer“Minha primeira estrofe da alma” 1
  2. 2. 2
  3. 3. BIOGRÁFIAPoeta, Compositor, Letrista, Músico e ProdutorArtistico. Atuou em grupos de rock, como:Inhumanos(BA), Madrasta-Mãe (SP) e hoje segue carreira solo.No meio literário participou de Antologias pelasEditoras:Physis, Andross (SP) e Lítteris (RJ),Diretorda APACESP (Associação de Produtores e AgentesCulturais do Estado de São Paulo), e recém eleitoMembro Correspondente da Academia de Artes deCabo Frio-RJ (ArtPop).Contatos :Josane Peer(11)8255-2390MSN e Orkut:never-land2009@hotmail.comjosanepeer@myspace.comww.myspace.com/josanepeerwww.palcomp3.com.br/josanepeerhttp://clubecaiubi.ning.com/profile/Peerhttp://www.oinovosom.com/http://www.pleimo.com/peerhttp://twitter.com/poetadorockhttp://peerrock.blogspot.com/http://noisecall.com/POETADOROCK 3
  4. 4. Agradecimentos Especiais:Ao Universo, á Minha Mãe Rosália e sobrinhas,W.T.TedeSilva, Hélio Braz, Prof.Ediney Santana, os irmãosYdelmar e Lindomar de Oliveira e Jussiê ,Héliomar eHélio, Eliciane Alves, Preto Paulo, Juliana Gimenes,Josane Tonello, Moacir Barbosa (Bicho Raro) á poetisae escritora Sílvia Mendonça, aos poetas e escritores dePontes Culturais por Izabelle Valladares (em especial),De Luna Freire, Sra.Lúcia Pio e Bia, Renata Viana,Luana Lima, Regina Galdino e todos os meus amigos epessoas que me apoiaram e também aos críticos. 4
  5. 5. 1a edicao - 1a impressãoDireção Geral: Josane PeerRevisão: Josane PeerCapa: Anjo Produções GráficasProjeto Gráfico/ diagramação: Anjo ProduçõesGráficasDIREITOS RESERVADOS É proibida a reprodução total ouparcial da obra, de qualquer forma ou por qualquer meio sema autorização prévia e por escrito do autor. A violação dosDireitos Autorais (Lei nº 9610/98) é crime estabelecido peloartigo 48 do Código Penal.ISBN :Impresso no BrasilPrinted in Brazil2010 5
  6. 6. A Poesia do SubmundoPor: Ediney Santana* A poética de Josane Peer não nasceu com a escrita,nasceu no canto, na música. Poucos são os letristas decanções que merecem o epitáfio de poeta, Peer merece.Autor de verbos cortantes e imagens aterradoras sobrenossa cambaleante humanidade Peer se insere nocontexto máximo de quem faz da arte confissão e fé deser. É quase impossível separar Peer da música ouliteratura, sabemos o quanto é a música sua paixãoprimeira, no entanto a palavra sempre lhe foi maisgenerosa; como foi também com Renato Russo, JimMorrison, Cazuza ou John Lennon. O fazer poética de Josane Peer se insere na bemsucedida mistura entre o Romantismo e Simbolismo oque não raro nos oferece uma deliciosa seleta de versosrepletos de imagens e mergulhos profundos na almahumana. Cada verso de Peer é urbanamente hermético, nãoé uma leitura fácil sua escrita, embora seja um sujeitoforjado na essência da cultura pop, Peer é dado oshermetismos clássicos. Pop sim, mas impiedosamenteclássico no trato com a língua portuguesa. Tive o prazer de conhecê-lo e conviver com eledurante anos, pude acompanhar seu incansável trabalhoartístico o qual a Bahia não soube reconhecer, pude velonas escadarias do Centro Educacional Teodoro Sampaio,em Santo Amaro-Ba, compondo instantaneamenteinúmeras canções, como se estivesse em profundotranse artístico. Seu talento era inegável tanto quanto 6
  7. 7. seu sofrimento por não se reconhecido ou ao menosrespeitado como artista. É com alegria que vivo esses novos tempos em queas tecnologias felicitam a produção artística de inúmerosmúsicos e escritores, com alegria vejo o império dos“donos” da cultura desabar. Um novo mapa cultural vai aos poucos sedesenhando no país, novas e antigas vozes antesignoradas ganham as ruas sem o carimbo das poderosascorporações empresariais, escritores publicam e sãolidos sem constar nas listas pré-fabricas “dos mais lidosda semana”, é com alegria que tudo isso eu presencio.Cultura e Educação andam juntas, mas no nosso paísno qual políticas públicas são remendos sociais paramaquiar a degradação do próprio Estado Brasileiroe milhões de pessoas são mantidas por esse mesmoEstado artificialmente na ignorância pelos processos dedesarticulação da escola pública, publicar um livro éalgo a ser celebrado. Celebremos então Josane Peer por ter vivo suavida em favor da arte e nunca ter machucado ninguém,celebremos suas palavras, palavras coloridas quandofalam de juventude, amizade, infância, sonho e alma;palavras cinzas quando falam de injustiça, dor, tristeza,solidão e política. Celebro a você meu amigo poeta da urbanidade,da busca constante por si mesmo, pelo amor, pelosubmundo que tantas vezes juntos andamos em busca depaz e respeito, celebro tua vida que é arte e construçãohonesta de uma Utopia a qual teu canto nunca desistiu debuscar. 7
  8. 8. Poeta a navegar entre os sonhos da juventude e omundo impiedoso da maturidade, da concreta realidadeao lúdico, da não aceitação da derrota a solidão longe dafamília, da voz acidamente delirante a compaixão pelopróximo, da palavra em favor da vida a busca pela tãosonhada paz de espírito. Das guitarras distorcidas a sempre e necessáriarebeldia, do fazer solidário de poemas repletos dedelicados encontros consigo ao mundo desejado. Assimse faz o letrista, poeta e inegavelmente artista passageirodo tempo: Josane Peer. * Ediney Santana é escritor, autor de diversoslivros, escreve regularmente em http://cartasmentirosas.blogspot.com 8
  9. 9. Viver é se expressar. Quem não faz um filme,escreve um livro. O cinema é uma industria, a musicaé um vicio, o teatro é a arte do desespero, a poesia é oultimo refugio da dignidade, da identidade, da expressãoda sensibilidade humana. As midias mudam, o vinilvolta, o CD acaba, todo mundo pirateia, os artistaslutam para sobreviver como nunca. Apenas a poesiaé eterna, não precisa de super produção, nem casas deexibição, nem suportes fisicos elaborados, apenas aforça das palavras no exercicio triunfal do que de melhorpode fazer a lingua. Assim Josane Peer, carregando todaa sensibilidade de uma geração, se expressa na poesiapara seguir vivendo, ele que é um multiartista, musico,cantor, ator. Não sabemos aonde vamos, quando e ondeparar, como ele diz em um de seus inspirados versos. Aestrada que seguimos é mais perigosa do que cala nossocoração, garante ele. Mas a certeza, e o poeta insiste, éque sabemos que o grande momento esta na liberdade dese amar. Se amar. Quando estamos cercados, ou tentamnos paralisar, ou tentam nos reduzir à rotina do come edorme, eis que uma rajada de poesias desperta-nos domarasmo e mostra que "a virtude não esta contida naverdade de quem vai contar" mas sim "esta expressa nomisterio que tentamos buscar." Grande Josane Peer! Quea Poesia continue tendo em você um guerreiro, pois tudoo resto é descartável mas ela é essencial!Tede SilvaDiretor,Ator,Compositor,Escritor,Artista MultimídiaAtualmente reside na França 9
  10. 10. A casa tortaPrisioneiros do abismo solidãoRepletos de vazioEstranha multidãoA mesa posta sem respostaAlma sem lar a casa tortaA cama é quenteO riso é frioIndiferente amor servilSão fantasmas que nos vestemDe loucas fantasiasÁ procura da saída sem sair da escuridãoEscuridãoPrisioneiros do abismo solidãoRepleto de vazioEstranha multidão A cor da RosaA cor da Rosa é MistérioA cor da Rosa de infinito TonTom de arco-íris do olharQue desperta o verdadeiro SomDesperta a Pétala Flor -Mulher 10
  11. 11. A cor da Rosa é essência RealA cor da RosaDe fragrância NaturalDe um jeito ternoQue é só teu...teu...teuSublime de SerA cor da RosaÈ bam mais que Arte de estarQue se quer descobrirAo recôndito Prazer de se DarDe revelar-se em Rara belezaA Deusa-MulherA Deusa-MulherA Deusa-Mulher! VIDASVidas se prostituemEm busca de outras vidasTentando se encontrarPerdida consciênciaDe luz...ausênciaÉ o que háNa pálidez espectral do olharFalange de seuisos corposSedentos de serCobertos de amores vãosOnde outrora beleza exposta 11
  12. 12. Jaz agora corrompidaNo sempre vazio de ter o que não éNem nunca virá a ser em VidaRestará apenas o passadoComo companhiaNo disfarce do porvirQue do futuro irá se fartarCom tua dor como conselheiraAo amanhecer por fim estando inerteSe ainda o destino quiser e estarAchar-se ao seu lado para acordar A PaulicéiaCidade de tantas vertentesIgualitária em suas desigualdadesTênue e soberbaTua louca densidadeE diversidade tamanhaConcreto e açoTeu coraçãoDe arranha-céusE cores profusas nos outdoorsE adjacentes vias tuasCerteiras e marginaisNas horas (in) certasDo caos á pressaDe se encontrarNos desencontrosDas múltiplas estações 12
  13. 13. Leste,Oeste,Norte e Sul,De contigentesDas trilhas do MetrôQue não se pode pararNem separarCosmopolita multidãoCidade de sonhos dispersosE tão diversosGritante solidãoTransgredindo a inocênciaPerdida nos semáforos e cruzamentosNos viadutosEm dias e noitesDe inteira progressãoDespe contagem regressivaCorrendo o tempo no ArSão Paulo meu louco amorAqui estou de braços abertosA te abraçar Alma BlueVestida para amar devora-meDevora minha solidãoMe cubra com os lençóis secretosMisteriosos do teu coraçãoDesnuda minha alma em transeMe vista com tua presençaMe envolva com os teus sorrisosEncantados da tua essência 13
  14. 14. Dispa-se dos teus segredosIluminado sob o sol das noitesFaz-me sonhar e amar sem medoImaginando o paraíso em floresVamos inventar o infinito outra vezE vestir de nudez a nossa plenitudeAlma blueAlma blueAlma blueAlma blue Amor MaiorBusque se tocar em Arte intensamenteTranscendendo amores e paixões incandescentesPara transformar e brilhar no palco dos nossos coraçõesOnde aceleram pulsantesNo reino dos nossos sonhosNa incessante procura do nosso outro lado amanteNa incessante procura do nosso outro lado amanteTão constante quanto é a eternidadeMajestosa e infinita é a brevidadeEnquanto dure o encantoDo nosso amor maiorEnquanto dure o encantoDo nosso louco amor maiorMaior amor maior amor maior amor maior 14
  15. 15. Aqui JazCidade cinzaVermelho tinto e lutoSangue e vinto tinto,Branco a cor do riso sujoDegradê,neôn e lusco-fuscoVerdejante teu grito que buscaDe rarefeito ArInsípido,incolor e inodora dor do paladarUma dança sem parRosto sem larTrafego sem rumoSem ter como voltarSem ter como voar BailadoNa magistral arte de bailarTu evocas encantosQue se manifestamNos recônditos da almaQue sonha liberdadeE se despe de tamanha vontadeDe plenitude presenteE rege teu mundoTeu universo interiorDe rara beleza e explendorTranscendendo desejos e fantasias milQue extasiam 15
  16. 16. Os olhos famintosAnte a tua forçaAnte a tua feminilidade inocenteInocentemente transgressoraPronta pra nos hipnotizarAtravés do teu sorrisoAtravés dos teus gestosAtravés de tua nudezDa tua grandezaDe ser o que ésNa busca incessante de prazerNa busca incessante de sonharSer livreSer livre para ser eternaSer eterna para amar! Beatinik SputinikSeus olhos arco-írisMergulhara por sob almas alémSuas mãos mecanizadasTeciam flores de plásticosEnvoltas sob bombas de chocolateAdocicando com canções tuasCorações metálicosCaminhava ele por destinosQue não tinha fins nem meiosEra apenas re-começoDe sí mesmo a surgirEm meios as tramas do medo 16
  17. 17. Perdidas através das areias dos temposOnde escorriam os sonhosAtravés dos muitos dedosPor entre as chaves do mistérioEscondia-se do UniversoTodos os segredosBeatinik Sputinik Bela MulherTua voz sensualmente roucaNos convida a sonharSoa como doce melodiaAdentrando nossos ouvidosE se transformandoEm bela e harmoniosa cançãoViajando até nosso desarmado espíritoEmbevecido á exaustãoNo compasso mais que perfeito da emoçãoFaz-nos pulsar mais forteAo sabor de indescritíveis desejosO nosso hipnotizado coraçãoQue imaginas querer desvendarTeus mistérios e segredosDe bela mulher que tu ésIndependente do teu estado civilQuer intensamente vivenciarE sentir o teu querer, o teu pulsar,O teu olhar,te sentir ,te tocarE por ti te fazer delirar 17
  18. 18. De desmedido e incomensurável prazer,Prazer proibidoAdentrar o teu universo de feminino serE chegar juntamente contigoNa plenitude de intermináveis gozos divinaisÀs portas do teu íntimo paraíso... Blue BabyLeve voa pousa e repousaSuave canta trança e encantaNada é mais distante agoraSó resta o infinitoGôtas de silêncio afloramE tecem o gritoDos momentosLoucos pensamentos germemSe perdem no espaçoE que se transformam belosEm laços e abraçosDos momentosDos meus olhos rubrosQue procuram silêncioImpressos gritos no escuroAlma dor sentimento 18
  19. 19. Blues da solidãoAs vezes a dor tão suaveQuanto sonhar amorUm só amar é perigosoMelhor sonhar a doisBlues da solidão que me consolaInconsolável fúria atrozAlma inacabadaEnlouquecidaRefém do serAlgoz que sou Boneco de LouçaVem me carregar sou teu big babyCompor uma cançãoFúnebre de ninarfúnebre de ninarfúnebre de ninarQuer me carregar e me jogar ao chãoPorta fora aberta do sagrado coração de sangueSangue maternal,sangue maternalSou teu bebê (sou teu bebê)Quero respirarSou frágil, 19
  20. 20. frágil,frágil bebêBoneco de louçaGuardado na estanteEsquecido em qualquer lugarParte de um todoDa memória vivaDe um berço tumularDe um berço tumularDe um berço tumular Botão em florPequenina feita em flor botãoTeu sorriso de menina-mulherMe diz quantos segredos tem teu coração?Me diz destino afinalO que essa moça quer? CabelosPelos pêlos capilaresOndalejantes cacheados e suavesCrespos,lisos entrelaçadosEm muitas ramagens 20
  21. 21. Vestem-se e despem-se aos milharesAs cabeças em seus cortesAdereços e recortesE retoquesSecos & MolhadosFios aos montesRetos...curtos...curvos...longosPelas pontas...soltas presas,Vem de montaPara brilhar,molhar,alisar,massagear,secar,remodelarTipo trançado,channelE tudo mais que for possívelPelo bem da ética e da estéticaTodos os penteados todos os estilosVariados pelos pêlos capilaresMolduram faces, decoram modelos e tiposCriam moda da terra,ao mar, ao céuSugerem dos cabelos outros e novos arquétipos 21
  22. 22. Cavaleiros da OrdemSomos Cavaleiros da OrdemE vimos em Missão de PazIrradiar Amor na TerraHonradamente AprazPreservar a Natureza-MãeAmar à Deus e ao SemelhantesE fazer o BemSem olhar a quemNem mesmo o Tempo e à MortePode nos vencerSomos Eternos em IrmandadeNada temos à temerAvante Cavaleiros...Avante Cavaleiras...Na comunhão da LuzO Amor é o CaminhoQue assim sejas! 22
  23. 23. CenárioNeste cenário imperfeito de desilusãoQuero partirPegar caronaPela estrada aforaDo teu beijoE me perderNo infinitoTeus abraçosNos delíriosTeus desejos... ConformismoConformismoVem com o exílioQue se farta e me devoraE me derrota com a fomeQue assola e arrebenta a consciênciaDe todo o serE a morte trás o caos que se avizinhaSem demoraCom o mal que sempre entortaOs caminhos do nascerHipocrisia é poesiaQue arrota ignorânciaSacra ,sangra e espanca toda a forma de viverE explode e enriquece o egoísmo que empobrece 23
  24. 24. E apodrece a nossa espécieEm toda forma de poderNos privando de sobreviverSempre dispostos a matarE não morrerNos privando de sobreviverSempre dispostos a matarE não morrer DesejoDesejos conhecer-te na profundidadeDo teu ser mais plenoNa serenidade do teu sentirNa magnetude do teu pulsarNa tua ânsia saudável de viverNo teu desejo intimo e recôndito de amarTe adoroNa tríade sublimal simbioseDo corpo, da alma e do coração DesplugarMinha alma desplugada estáDa minha mente a se desligarRepleta de solidãoDeste vazio a vagarEnquanto não( des) cançarNada ainda vai restarO que desta será feito 24
  25. 25. Por obra do destinoSó o caso por sí mesmoA predestinarO que almejas agarrarE teima em pensarNo impedimento de sonharOnde não há mais lugarPor onde possa escoar e ecoarSe há muito pouco(Por efeito parafuso ou desuso)Minha alma desplugada está... EcosMinha voz ecoaEm acordes densos e cortantesEmitindo díspares emoções constantesEm imersas ebulições adianteE só eu seiO quanto isso me é gratificanteDeveras inspirativaVital e importanteExpulsar os meus demônios interioresMeus medos, mitos, dores e rancoresCombustível plenamente essencialPara estar de mãos dadasO Bem com o Mal 25
  26. 26. Do além cantarCanto para o espaço infinitoCanto para a noite sonharCanto para a minha morteCanto para a vida sem parCanto para o riso do prantoCanto para a tristeza espantarCanto para os excluídos de liberdadeCanto para os sinos dobrarCanto para os caminhantesCanto para os tortos a vagarCanto para os que no trem partiramCanto para os que estão por chegarrCanto para o SilêncioCanto para o tempo a bailarCanto para a dor dos ais que persisteCanto pra quando a morte chegarCanto para o meu torto cantoCanto para o Além do voarEnsinar e aprender... Amando 26
  27. 27. Aprender contigoE incomensuravelmenteMesmo que distraídamenteEm fantasias ter-teSerias sublimalQuerer-te em ArteDestarte ensinar-meOs mistériosDos desejos inconscientesNa maestral purezaDo teu Feminino dom de sê-laA ensinar-meNos meandros de "proibidas"Sensações que a paixãoDespertasE incontinente sob a epidermeCom aguçada sagacidade e perspicáciaE de desejos febris me invades...Tomam-me de assalto soleneDebalde tão somente... Amar-te! EsperançasTudo o que passouVou deixar pra trásNasce um novo tempoPra re-começarAgora é hora de sorrirO sol brilha por nós dois 27
  28. 28. E as nuvens se dissipamCom o pulsar das horasVou seguir em frentePela estrada a foraE nas curvas do destino vouTrilhar o meu caminhoNão desistir jamaisAté chegar ao fimNão desistir jamaisAté chegar ao fimFecho as cortinas do passadoE deixo atrás da portaO presente aqui e agoraÉ o que me importaMeu amor Esvair-se P/estevão in memorianQual o real sentido da vida?Por que sofrer tantoPerante a inexorável ventura da morte?Qual o verdadeiro sentido da existência?Por que tristeza,dor e pranto? 28
  29. 29. Por que em uma fração de segundoSe esvai todo e qualquer resquícioDe consciência?Quando parecíamos estar vivos?Por que se autoanularE se entregar no vazio negando toda essência?Por que desistir?No meio do caminho?Por que subtrair-se e quedar-se ante aos desafios?Que nos impõe o destinoPor que fraquejamos?Por que?Quais as respostas pra tantas questões?Por que após muito lutarmos caímosComo vencidos?Vencidos pelo cansaço e fechamos os olhosPara sempre?por que?por que?Por que ?finalmente?Por que ,perecer,fenecer, morrer Eternidade In memorian:Cássia EllerVou pegar estradaPara algum ponto de partida p’ro finalInterminável de mim mesmoNo sorriso da tristeza da auroraA esperança plena se vesteDe tons imaginários 29
  30. 30. Uma sonora viagemSilenciosaQue agora gritaEternidade!Uma sonora viagemsilenciosaQue agora gritaEternidade! Exato êxtaseQuando me inspirarNa tua expiraçãoNão sei se vai caber ou nãoDo senso a sensaçãoAo explodir mil gestos núsDe ti profana erupçãoPrimaveril floral estãoTua densa relva em profusãoDe intensa seiva o pulsarDa açãoÍntimo cosmo em expansãoDe sermos uno aos turbilhõesNo exato êxtase de estar entãoNo exato êxtase de estar então 30
  31. 31. F...Da noite és perfeita damaEntre furtivas paixõesQue clama alcova e fogePor entre lençois teus sonhos em chamasA realidade amanhece em suas tramasTecem feroz...Avida já não é maisUm mar de rosasNem tamouco de estrelas é coberto teu chãoOnde lá no fundo suplica tua almaReinvindica a calmaFaminta de amor e completa afeiçãoQuem pensas que tú és mera aventuraRedondamente se enganasChoras ao cair da camaInútilmente se trae para fazer tua famaPois eles não sabem que do teu sagrado seioDivinamente repousaA mãe – menina-mulherQue sonha esperançaA heroína que ésQuase que semi-deusaTão pura , tão nuaF... 31
  32. 32. Filhos do vícioHá um grave preconceitoQue nos foi impostoQuando saímos da ilusãoInvadimos sem licençaO adulto mundo da razãoNão somos culpadosSim, somos vítimasDa incompreensãoQue vem da criminosa dúvidaDívida de ser vidaNeste mundo cãoNós hoje somos jovensCom pressa de chegarA algum lugarQue o destino apontaMas...queremos retornarSomos só filhosFilhos do vícioDo vício da existênciaQue as vezes nos impedeE nos mata de sonharQue as vezes nos impedeE nos mata de sonhar 32
  33. 33. Flor da liberdadeSonho acordadoE viajo em um mundo imaginárioRico em miragens flutuamNo instante do horizonte de um espaçoVôo e vejo a clara percepçãoDos olhos núsGritam em lembranças vivasQue ocultam gotasDe silêncio frágilFragmento beloDe silêncio frágilFragmento beloOnde me perco e me achoNa eternidade plena de um abraçoDessas noites que emergem como pássarosCantam inspirações e poesias e delírios, sonhosInfinitos como a flor da liberdade 33
  34. 34. Flor MarginalA Flor Marginal exala o perfume ocreEm poesias acídas de Tons atonaisEm suas cores Piscodélicas e DissonantementeDesconcertantes a despojar as carapaçasDe nossos inconscientes e despertandoPara a delicada crueza da realidade NuaQue se finge de ilusãoFlor Marginal Perpétua sejasNos teus jardins do EsperançarConjugando o verbo LiberdadeE desconstruindo o caos da hipocrísiaReinante que teima com seus subterfúgiosO verdadeiro sentido de SER do humano serEclipsarQue teu perfume aguce todas as narinasE fossas nassaisQue tuas cores despertem e façam toda a írisContida no semblante a enxergarQue tua acída poesia possas enfimE dissonante canção atonalFazer todo consiciente espirito que jazNa orbe terrestrePara o Por Vir de uma nova consciênciaIgualitária e despida de egosSe fazer ser ouvida a todos grotõesE Nações do mundoE se fazer de vez o todo amâgo nascenteInssurgir-se na forma de advérbio crescenteDessa eterna buscaRevolucionar 34
  35. 35. FlorescênciaArvores,ramagens,frutos,folhas e floresVerdes miragens,paisagens e coresColoridos ramalhetes de serena plenitudeSeiva...sementes... de aromas tão docesGinoceu...androceu...Pairam vicejantes e amigasDe germinante botão desperta a pétalaSublimes sonhos de clorofilaHão de preencher de Vida a Terra! FugaOs confins do mundoSão só meras imagensQue povoam e flutuam os espaçosFalidos da minha cabeçaNão importa agora se o tempoRetrocede ou avançaNão levará nada a nenhum lugarOs pensamentos se perdemNas vagas lembrançasNos momentos de serenidadeQue o instinto da fuga estraçalham juntoCom as fantasiasO brusco e o angustiante vôo para o nadaSe confundem em seus próprios instintosE não haverá um único sentimento pressentido 35
  36. 36. Que venha a resgatar-meDa misericórdia de DeusE agora o que será da vida?O que será do meu último instante?E agora o que será da vida?O que será do meu último instante? Gritos do silêncioÉ violenta e cruel a dor que trago em mimDeixou marcas no meu corpoÉ o preço pago pelo progresso nocivoEm trocada nossa liberdadeA nossa falsa liberdadeA nossa falsa liberdadeO vento corta o meu rostoSilencia suspeito ao grito que ecoa na cidadeO vento corta o meu rostoSilencia suspeito ao grito que ecoa na cidadeÉ só a fúria que se desenha nas palavrasÉ só a noite cujo o desejo se retrataE voa alto rumo ao céus sem asasE voa alto rumo aos céus sem asasÉ como a droga que entorpece os nossos sonhosEntrega-nos a vida a escuridãoTurva-nos a voz e cala o nosso próprio mundoNão há chance de voltar mais o perdãoNão há chance de voltar mais o perdãoNão há chance de voltar mais perdãoQue sobrevoa os quatro cantos da cidade 36
  37. 37. Me violentam me jogam aos pés dessa cidadeE me arranca alma sob o sol dessa cidadeCujo grito ecoa os quatro cantos da cidadeÉ como a droga que entorpece os nossos sonhosEntrega-nos vida a escuridãoTurva-nos a voz e cala o nosso próprio mundoNão há chance de voltar mais o perdãoNão há chance de voltar mais o perdãoNão há chance de voltar mais o perdão Grupos de exterminioGrupos de extermínio fuzilam nossos sonhosNos matam o futuro e assassinam criançasFamintas, perdidas de amor sem perdãoEm troca do escuro seqüestram nossos diasE as noites que talvez nunca virãoE as noites que talvez nunca virãoSemeiam com sangue a revolta e a misériaCom derrubam toda uma naçãoNão haverá nunca a chance de vidaSerá se houver sangue nas faces ,nas mãosQuem escreverá a poesiaO que será destes pobres inocentesCondenados a não ver mais a luz do dia?Estendi a mãoDá-me violênciaRecebi o ódioComo gratidão 37
  38. 38. Abri meu coraçãoNão obtive clemênciaQuando quis a pazNos deram a morteE das guerras nos deram ilusãoIlusão...ilusão...O que será do futuro?o que será de nós?Se provocaram da vida um abortoE mataram os nossos sonhosNossos pais,nossa pátria,nossos heróisO que será do futuro? O que será de nósSe provocaram da vida um aborto?E mataram os nossos sonhosNossos pais ,nossa pátria, nossos anjosE assassinaram os heróis tudo pela dor La Fêmme PassionComo definir teus estágios e encantos?Como definir tua intuiva belezaQue enobrece e conquistasPor onde passas?Encantos de meninaMenina em florFeito mulherNa fragrancia cristalinaQue seduz e dominaNossos instintosAinda que possas parecer 38
  39. 39. Que não se querSutil paixão e explendorQue feminal e plena personificasNa sensualidade prementeQue instigasE convidas a bailarMil sonhos e noitesDe prazerPrazer entre Pétalas e BotõesNo paraíso dos GineceusE no Phoênis das muitas DianasE Deusas de Elfos e AfroditesRenascidasNa virtude do desabrochar-seAnte ao toque feminal de SerDeste belo e divino SERNatural e tão cósmicoTão intímoTão leve e marcanteLa Femme PassionQue nos convidaA infinitasmenteNo Amor PlatônicoSe inspirarDa inspiraçãoDe desnudamenteTeu mistérios desvendarLa Femme PassionalUm indescritívelCheiro da Prefeita FragrânciaDe sensual liberdade no AR 39
  40. 40. Lua RubraMeu corpo sofreu amputação do tempoLevou consigo as lembranças perdidasAo ventoPor um instante eu penseiTer achado a liberdadeQue se encontrava entre prisõesDe conscientes crueldadesE a paz que eu tinha em mim guardadaNos lábios traíam um gosto de guerraA viajar por momentos sóbriosDe inebriadas solidões eternasHá de extinguir a vidaCompanheira minha morteO que será do futuro de um passadoAo inferno me devolveAo fim...Aos caos da tua línguaCujo o corpo quero esquecerEsquecer que eu existoDa indiferença me refazerRefugiar-me do meu nadaCompreender o quanto fui tudoPedir ao sol pra que se apagueE voltarmos para o escuro 40
  41. 41. Há de extinguir a vidaCompanheira minha morteO que será do futuroDe um passadoAo inferno me devolveAo fim...Da lua rubra LuzVou dar a luz a tua luz, a meia-luzPor inteiro grávido de AmorNa gravidade do espaço-coraçãoUm novo serChamado sentimentoNa aurora virginal dos temposLeve soprar da EternidadeClaro alvorecerO grito libertário do sonho igualA bordo da esperança plenaSerena plenitudeDe um novo plano astralA bordo da esperança plenaSerena plenitudeDe um novo plano astral 41
  42. 42. Magia do existirDescortinar horizontesÉ adentrar o âmago dos teus olhosÉ partilhar dos teus sonhosÉ compor uma cançãoÉ ser mais veloz que o tempoNos permitir aos pensamentosSe desvelar na emoçãoE não me importa nada alémO que me importa agora é tudoQue vem de tí meu bemÉ enxergar o mais profundoCom o saber da inocência do sentirPerpetuar tesouros do amorNa magia do existir Mary Hellen BluesAlém dos limites dos sonhosNas linhas do coraçãoSe desenham os momentos futurosPalco para a imaginaçãoUma nova realidadePara a transformaçãoDo nosso ser humanidadeDo infinito o soprar 42
  43. 43. Vem me abraçar com teu olhar de luzPintam as cores dos diasNos conduz a trafegarNa eternidade por quase um segundoInvencível ao tempo superas a morteNos brinda ávida em felicidadeNa flor de uma cançãoBrotar a semente mais lindo do amorUniversal do coraçãoOh! Mary Hellen BluesDo nosso coração MistériosQuão silentes MistériosTomam-me de assalto a almaE meu corpo invades?Tão intensa e ProibidaQue me excitas e evocasE impele-mes a convidar-teA querer contigoBanhar-se de nuas sensaçõesE fazer-te Amor com Arte?MutaçõesNão precisam de dentifrícios 43
  44. 44. Os uivantes caninosAntissépsia sem artificialismosA antissépsiaNão usam molasOs saltos dos felinosQue traçam sete vidas teus destinosDe garras siamesasE as aranhas tuas teias tecemMultiplicam lares com tuas próprias vestesPós borboletasBichos-da-sedaDespertam vidas em sombras tamanhasLuz se revela oculta na penumbraE o Criador criava as criaturasQue brincavam de serO construtor Nazista infernalQuando nasceu alijado do céuTeve um destino ruimDe tão mal foi cruelSua mãe viveu na prostituiçãoSeu pai era tido como um ladrãoSeu brinquedo a violênciaSua virtude a maldiçãoEstuprava virgensSeu indecente!Não tinha alma nem coração 44
  45. 45. Matava por prazer e sem justiçaCondenado pela políciaEra um psicopata terroristaDizimou tantas culturasGenocida!Já não tenho palavras para explicarJá não tenho meios para conceberUm crime uma vida um filme sem finalDe um nazista infernal No meu 4ºAs palavras se transformam em silêncioE os pensamentos belas fantasiasTravestidas nas paredes do meu quartoE os sentimentos sempre serão os mesmosOs mesmos caminhos que sempre percorremosEm busca de solidãoTravestida nas paredes do meu quartoE me consumem atrás de alguma explicaçãoConfusões criadas pelo próprio mundoQual a razão ?O que será da razão?Traços riscados, desenhos coloridosLogotipos eróticos colados na paredeDiscos, fotos de jornais olhar em preto e brancoNas janelas as imagens que sempre as mesmasNem tudo isso tem explicação 45
  46. 46. Na mesa de um bar...BluesQuero uma dose de uísquePara esquentar meu coraçãoCongelar minha eterna dorMinha companheira solidãoQuero viver sob as sombras do infinitoDo que morrer sob as luzes da ilusãoQuero o beijo azul mais que proibidoVoar nas asas dessa cançãoQuero você estagnadaCantando comigoE ser até apedrejada por tua falsa consciênciaPor tua falsa consciênciaO nosso amor acabou ele jamais começouÉs página virada destacada e descartadaQue o vento levouMeu amorMeu amorPra encerrar agora quero outra dose de uísqueE o vinho etílico da transgressãoMe embriagar nas esquinasDa companheira solidãoDa companheira solidão 46
  47. 47. O Deus que vejoO Deus que vejoNão pertence as classesE elites dominantesNão é aquele cuja a plebeSe curva e diz amémA espera de migalhas da salvaçãoNão é o Deus do armagedomE do juízo finalEstá acima do bem e do malNão é o Deus das ditas religiõesCom seus profetas e suas vãs filosofiasO Deus que vejo não pertence a ninguémNão é o Deus ateu dos suicídasNão é o Deus do pranto,das guerras,das pestesDa fome,dos dizímos,das ceitas, da cismasO Deus que vejo resplandeceNo regaço atemporal do InfinitoEm forma de natureza,revolução, canção e poesia! AcreditarAcredite em você e vençaLute e não se deixe quedarÁ primeira dificuldadeVocê pode superarSe olhas no espelho e digas a ti mesmo 47
  48. 48. Eu me tenho eu me amo de verdadeNada podes me abalarNós somos o que pensamosCalcados no insconscienteSe positivo ou negativo no serProduzidos pelos padrões da menteLiberte-se deste casuloVocê quer, você é mais forteSó o Amor constróiSuperas a própria Morte...Nós somos o que pensamosCalcados no inconscienteSe positivo ou negativo no serProduzidos pelos padrões da mente Amor de TrêsVamos brincar,vamos brincar de serE tingir o arco-írisCom as cores do som e da luzInventar um páisSami fazer sorrir linda “tekinha” de luz felizNos jardins da inspiração brotouA mais bela fina flor canção de amorDe céu ornamentou-se o coraçãoE fez morada felicidade aliComo mágica mil borboletas 48
  49. 49. Passeiam pelo arBailam e flutuam nos convidas a dançarPra brincar e amarPra brincar pra dançar e amar... Amor IncondicionalNão tenha pressa de viverNão tenhas medo de se descobrirCom as doze dicas de motivaçãoO importante é ser FelizProsperidade é cuidar de si mesmoÉ amar vocêÉ ajudar o outroÉ ter um relacionamento sustentávelÉ cuidar da NaturezaPreservar nosso PlanetaÉ ter riqueza com espiritualidadeÉ Motivação (ter motivos para praticar ações)É amar o próximoÉ voltarmos para o PaiMelhor do que nós viemosO Amor IncondicionalÉ o maior dos ensinamentosO Amor IncondicionalÉ o mais belo dos ensinamentos 49
  50. 50. As Maravilhas da CriaçãoSorria para a VidaE deixe a Luz entrarDeixe aberta as portasDo teu coraçãoVêm e dê a mãoFazendo o BemSiga á direçãoSem olhar a quemO que importa é ser felizCom Paz e AmorÉ querer alguémSem cobrança e rancorÉ saciar a fomeÉ matar a sedeÉ agasalhar de carinho o irmãoÉ gostar de si mesmoÉ poder conquistarÉ realizar muitos sonhosÉ ter brilho no olharÉ ter plenitudeEm constante evoluçãoEspalhar Amor e HarmoniaFaz bem ao coraçãoE poder contemplar as maravilhas do Criador e suaCriação 50
  51. 51. Basta um pouco de tí...Basta um pouco de tiPara alegrar meu coraçãoGuiam-me os pensamentosRumo à tua direçãoTodas as palavras do mundoAinda não são suficientesPra traduzirEste grande sentimento por tiÉs tão fascinanteÉs tão onipresenteAinda que fisicamente distantesPenso em ti tão somenteUnicamente te queroConstantemente te sintoHei de te encontrarAbsolutamente hei de te AmarInfinitasmenteJunto a mi corazon...Hei de te amarPra sempre! 51
  52. 52. Fantástico ter vocêFantástico ter você comigoFantástico ter você aquiFantástico sermos amigosFantástico ser e servirFantástico ver você sorrindoFantástico ver nascer o AmorFantástico você evoluindoFantástico que Deus criouFantástico a tua presençaFantástico sermos irmãosSem dogmas e respeitando crençasE amarmos sem distinçãoFantástico ter você conoscoFantástico a Vida fluirFantástico fazer o bemFantástico é ser FelizFantástico estar entre amigosFantástico ajudar o irmãoFantástico ser CavaleiroFantástico nossa Missão 52
  53. 53. Deusa HeraComo Descrever tamanha formosuraQue de tua belezaComo jóia rara emanasMisteriosa e enigmática FeminaVem consagrar aos Deuses perpétuos de HeraTamanho Amor vívido que em teu regaço perdurasNa alcova cintilante dos nossos diasHão de contemplar adjacentes maravilhasQue saltam do teu profundo olharQue fulguras majestosaQual explendor de Rainha tua luz explanaVeneranda de prazer pontificasAo elo que tecem encantadora caríciaDulcissima e perfeita que ésNa tua nobre grandeza de Linda Mulher-MeninaQuerer-te desvendar teus segredosEm desvelado AmorÉ de todos homens de paixãoAcrisolados nos caminho se destinas do coraçãoDo labirinto ato de sentir-se e inssurgirAcorrentada e enfeitiçada sina Femina FlorNa síntese do desejo e extaseQue nossa fantasia instigas e prescrutasQuão doces mistérios e sabores hão de se conter noUniverso oculto Deste belo ser Feminino da qualostentas perfumada Flor de delicada Vulva? 53
  54. 54. Libertação do AmorLiberte sua menteDos teus velhos víciosIncorpore novos hábitosE abras um sorrisoDê um novo coloridoPara a tua vidaA si mesmo uma nova chanceComece bem o diaAme-se a vontadeQue sem esperarUm outro alguém irá surgirQuerendo te amarPartilhes alegria as 4 cantosDo mundoVocê é forteVocê podeTudo muda em um segundoSe permitas para a vidaO agora é aquiEsquece o que passou pra trazE venha ser livreLindamente DemoníacaLindamente DemôniacaFazes me ajoelhar 54
  55. 55. Ante ao tronosDos teus desejosDesejos que me fazem descerAos intermináveis umbraisDo insconscienteDos nossos instintosDespe-mes ...Escraviza-me ante as labaredasDos teus puros anseiosMeu corpo ardeDe dolorido gozoEspasmódico e perfeitoAnte ao teu enlaceQue debaldeMe fazes tomar de assaltoE sobressaltante lúxuriaNo derradeiro osculo envolventeDa tua celestialTernuraMergulhado e infensoNa tua beleza angelical de azul delirio constanteNo contraste cósmorgasmico feminal presenteLindamente demôniaca e excitante... Luz da MotivaçãoVocê pode mudar a tua vidaP’ra melhorVocê é especialVocê pode vencerCom muita fé ,energia e Amor 55
  56. 56. O Universo conspira a teu favorÉ tua chance de crescer com garra e Motivação(Você é especial)Você pode muda sua vidaP’ra melhorVocê é especialVocê pode vencerCom muita fé energia e AmorO Universo conspira a teu favorÉ preciso ser felizPara alcançar a VitóriaFaça por BemQue o Criador te cobrirásDe Paz e GlóriasFaça a tua parteO Cosmos te recompensarásRecomece nunca é tardeAcredite e vencerásVocê podes mudar a tua vidaP’ra melhorVocê é especialVocê pode vencerCom muita fé , energia e AmorO Universo conspira a teu favor 56
  57. 57. O Dia do ChacalMáquinas de almasEstatizando víciosPrivatizando mentesSocializando egoísmosMas Deus não estava em casaUniverso de férias coletivasEstados falimentaresDas causas primeiras dessa vidaVidas que custam a passarCorre que o tempo está por findarSanto burgosChacal dos sete umbraisDe passagem para o caosTeus vis metaisLetaisMentais O LoucoTaxam-me por loucoInsanoDébilDementeMormente não sabem elesQuão preciosa e régiaÉ ter sensibilidade 57
  58. 58. Mas querem-me ou tem-me por jogueteOu quem sabe por tolo ou marionetesEsquecem eles que a Natureza-MãeOutorgou-me SerPrimo-irmão da poesia em ArteOnde quiça serei pereneMesmo na morteE quanto a eles restarãoSer-lhes fadados ao limbo do esquecimento precocedebalde! O mais belo morrerChoro delírios e versosQue aflorescem a dorAngustiada fantasiaMe decomponho aos poucosAborta-me o silêncioEm falsas alegriasTraço e desfecho um atoDesenlace os laçosE partos em guerrasSuprir de existência ternuraRenegar o amanhãAbstratas quimerasReagem em cadeiaTracejam-me as teiasCorroem-me as veiasApagam as a centelhasDo que foi meu ser 58
  59. 59. De braços abertosDespida traduzLouca eternidadeO mais belo morrer O mantoO manto negro do meu cantarÉ a solidão solidáriaSolidária com a dor do desatinoQue desagua em minha vida sem vidaMinha alegria tristonhaMelancolia vestem fantasiasTortos caminhos meus passosEm lenta agonia sem fimVem me sorrir a morteEm eternos desváriosEu sigo infinito cantando a dor deste BluesE eu sigo infinito cantando a dor deste BluesMinha alegria tristonhaMelancolia vestem fantasias 59
  60. 60. O nadaSinais dispersosNos detém aos teusExatos apelos anexosRetratis olharesUniversos aos paresDíspares sonhosEm vários disfarcesSutis reticências de cores milenaresQue nos refletem por todos os lugaresVazios repletos de silêncioDe braços abertos pro nadaVazios repletos de silêncioDe braços abertosDe braços abertosDe braços abertosPro nada O outro lado da vaidadeRasgaram a liberdadeNo olhar não está presenteRasgaram a liberdadeNo olhar não está presenteEstragado da noiteEstragado da noiteOnde vomitamos sangue fruto 60
  61. 61. Dos nossos sonhos e ambiçõesSob o asfalto as incertezasSob os corpos longínquos de tédio marcadosPelas veias as drogasSubjugando as almas de outroras manhãsDas manhãs das manhãsDas manhãs das manhãsDos condenados a se viciarPelo rol da cobiça se definharEm muitas injustiças e traiçõesNos olhares tristonhosE suas tortas lembrançasQue vos confere a desilusãoNa face o gosto amargo da decepçãoLhes sobrevêm da fraquezaE a impotente servidãoA nua e crua realidadeQue se lhes impõe por herançaA “nossa” democrática sociedadeO desfecho inapelávelO advérbio:Negação!!! O poetaO poeta é tão celéreQuanto a velocidade da luzTão espantoso quanto a precisãoDo tempoQue este se eterniza 61
  62. 62. Na lembrança memorial da HistóriaContramão ao largo do silencioso esquecimento O “X” da QuestãoNão desista mesmo que caiasVocê podes levantarHá muitas glóriasPara te esperarMesmo que choresAinda é tempo de sorrirA vida agora apenas começouÉ hora de seguirO que é a dorPerante a Evolução?O que é o malPerante o AmorQue aqueces o coração?O Criador te esperasDe braços abertosEle é luz, é força e inspiraçãoÉ o caminho mais certoVocê foi feito para brilharVocê tem tudo p’ra evoluirVocê tem o coração para amarVocê tem tudo para ser feliz 62
  63. 63. Olhar BluesLivre navega em silêncioTua alma primaveraDe sonhos e luzBlues são teus olhosTão profundo e infinitosDos teus desejos nusDos teus desejos nusDos teu desejos nusDos teus desejos nus(sentimento)Eternizada que sejasEm tua bela realeza de amorFruto de um grito verdadeiroEm poesia e rock n rollDos teus desejos nusDos teus desejos nusDos teus desejo nusDos teus desejos nus(sentimento) 63
  64. 64. Olhos que sentemOlhar em flor amanhecemEm noites a sonhar teus segredosDespertar mistériosRevelar-se por teus olhosMe carregue nos abraçosInfinitos teusE vem ficar comigoMe carregue no teu seioAdentrar teu coraçãoMe leve ao ParaísoPinta a alma em florOs mais nobres sentimentosDescobrindo o universo do AmorComo se fosse um beijo sem fimMe carregue nos abraçosInfinitos teusE vem ficar comigoMe carregue nos teu seioAdentrar teu coraçãoMe leve ao Paraíso 64
  65. 65. Os Sete VéusPassado vivificado em ceraEvocando tempos remotosTrazendo á tira coloRetrovisor espelho futuroDe eólicas sensaçõesMumificantes lembrançasNos braços do Coletivo InsconscienteDormitasOs Sete VéusDo Grande EnigmaPor entremeios que nos destinasDo Além regaçoDespojos e TraçasDespem-se Tesouros e Sete TaçasCom Quem estão guardadasAs Sete Chaves do Mistério?Na ofuscante forma nossa de pensarTão fugaz e DisformeQue nos distorceE no Ápice do desenlaceVerteremo-nos tão somente a PóNa contramão da HistóriaA contagem regressivaEscandantes areias da AmpulhetaComo Maestro Regente o TempoE Orquestra de Não NascidosE Sepulcrais côro de vozesPor onde o Silêncio é teu Par! 65
  66. 66. Passageiros do TempoA verdade não está nos livrosDa mentira escrita a mãoNossa vida é uma eterna HistóriaPágina rasgada olha sem visãoSomos Passageiros do tempoE andamos pela contramãoA estrada que seguimos é mais perigosaDo que cala o nosso coraçãoSomos passageiros do tempoNão sabemos aonde vamosQuando e onde pararSó sabemos que o grande momento estáNa liberdade de se amarA virtude não está contidaNa verdade de quem vai contarEstá expressa no concretoQue se encerra no mistérioQue tentamos buscarA chance de uma palavraAmiga do coraçãoMais densa que o silêncioMais breve que a solidãoEstamos acompanhadosPor sociedades que ditam tortas leisMas elas já nascem mortasDas mãos inconscientes de quem as fezE desfaz-se o ser humanoQue compõe a sua decomposiçãoE se torna a lembrança 66
  67. 67. Que esquece o tempoSeca as lágrimas da razãoE transita ante a loucuraE da simples criaçãoE se torna mais complexaAnte a extensa imensidãoSe não fogem os seus errosE segredos irracionaisSomos só passageiros do tempoPor entre estranhos carnavais Pequena notávelÉs pureza do inocente desejo?Ou desejo de ser puraNo divino ato de pecar?Tantos mistériosResidem em tiQuem ousará por fim desvendar?Pequena notávelDe grande e sensívelRara beleza ímparQuantos segredos escondidosPor trás do teu sorrisoDe menina-mulherHá de guardar? 67
  68. 68. Pérola JanisQuando a lua dos teus olhosBanhar-se em sangueE o sol da tua almaEstiver fora de síLonge de tudoLonge de mim mesmoMeu eu meu corpo em fogoComo cançãoSerei sempre teu eternamente azulDe infinitos sonhos beijo em bluesSerei sempre teu eternamente azulDe infinitos sonhos beijo em bluesPérola JanisPérola Janis joplinPérola JanisFor ever Janis JoplinAté libertra minh’almaEm uma explosão interiorLúcida loucamente AmorRasgar o céu de som em somSombra e luz girar o mundo cinzaPedir a cor em par com dorDos nossos corpos nusPérola Janis,Pérola Janis JoplinPérola Janis,For Ever Janis joplinVoando intensamenteEm um beijo azulDe infinitos sonhos bluesVoando intensamente 68
  69. 69. Em um beijo azulDe infinitos sonhos bluesPérola Janis,Perola Janis JoplinPérola Janis,For ever Janis Joplin Pescador de ilusãoJá cruzei tantos maresNunca dantes navegadosMuitos caminhos que andeiPelo destino traçadosMas perdi a direçãoSou um barco á derivaÀ procura de uma ilhaPorto seguro pra atracarÉ forte a tormentaTempestade me arrebentaNestes dias friosMinha vista cansadaAlma nubladaRepleto deste vazioProcurando encontrarTesouros do coraçãoApesar do eterno riscoDe navegar sempre na contramão 69
  70. 70. Procurando encontrarTesouros do coraçãoApesar do eterno riscoSou pescador de ilusão Poesia do SubmundoMoramos em um paísSomos vistos como marginaisDerrotados pelo conflito entre o trabalhoE os donos dos capitaisNão sabemos nossos nomesSe vivemos ou se morremosDe fome ou de doençaPor crime ou violênciaMoramos em um paísOnde nós somos culpadosDe rasgarmos o futuroPros nossos filhos abortadosMassacrados pelos homensQue estão cegos de poderNão sabemos como vamosSobreviverHá tantas injustiças que convêmA nos partirO nosso ego é ilimitadoNão sabemos como definirNeste país de marginais 70
  71. 71. Marginais corrompidosPelo dinheiro sujo de sangueDrogas ou homicídioEssa música é para aquelesQue não se deixam conduzirDe carregar nas costasO castigo do passadoE se destruirPelas garras do poderDas cegueiras da ilusãoQue se presta a julgar a HumanidadeOu tal país pelo crime de omissão! Poetizando...Poetizando é o desnudar da tua almaDevassar tua vastidão de mistérios femininosÉ partilhar contigo desejos incontidosÉ mergulhar na profundidade dos teu oceanoDe encantos e quedar-se ante teu intenso brilhoÉ cingir-se de tua aura cristalinaE banhar-se na tua plenitudeDe luz que enebrias a todos a olhos vistosÉ achar-se no horizonte dos teus aconchegosÉ eternecer-se com tamanha meiguiceQue emanasTal qual acesa chama de PaixãoQue em teu cerne latente estásE que com certeza poderosa e repletaDe imensidão há de reverberás 71
  72. 72. Poetizando me sinto como se estivesseA querer desvendarQuanta magia estás ocultaNo teu nobre coraçãoSedentas de querer ser amada eInfinitamente Amar! Pôr do solPor detrás do pôr do solAdormece o girassolPor detrás do pôr do solAdormece o girassolNo silêncio da amplitudeVibra a flor da quietudeNo silêncio da amplitudeVibra a flor da quietudeInfinito horizontePequeno grande coraçãoUm porto mistérioInfinito segredoUm porto mistérioInfinito segredoCrepuscular silêncioTecem contemplaçãoA vida a envolverAs mãos em luzSol! 72
  73. 73. Por entrelinhasNas curvas do destinoSob meus passosEntrelinhasMinhas mãosMeu caminho a direçãoPor onde seguir?Para me encontrarO sentidoQue tanto busco a procurarUm trago de felicidadePara me realizarNas taças da imagináriaE fugidia liberdadeQue sonho um dia degustarPara adocicarO meu amargo pa-la-dar Por queQual o sentido da interrogação?Qual a razão do por que?E o por que da razão?Qual o limite?Até onde vai a loucura?Fragmentada e diluída ?Em um traço indivisível 73
  74. 74. De dúvidas e de incertezas?Sem respostas pras perguntasDe tudo que sem o serDeterminante o fator crerDe ter e acontecer racionandoO que ninguém pode saberE ainda que desconfieE pergunte o que éE mesmo que sem saberQual a razão do porqueSe mesmo na realidadeNada é definívelPossível de se preverQual a razão do por que? Por todas as erasNão me importas o teu nomeNem onde morasMe importas o que sentesO que pensas quando ris ou chorasApesar dessa distânciaDos desencontros e das circunstânciasEstou contigoVocê é meu porto seguroPro meu perdido espíritoDe poeta ,solitárioE quase louco...anjo decaído 74
  75. 75. Convertido no que agora souEntre incertezas e imperfeiçõesE se possível fosse que o tempo congelasseToda amaldade ao derredorAo derredor de nós doisPara o bem de nós doisAinda assim te esperoPara sonharmos juntosO sonho de liberdade e de amor sinceroVocê estará comigo na memória do meu espíritoPor toda a Eternidade nos braços da saudadeAté que um dia tudo isso passeAté que todas as eras se acabem Por um segundoPor um segundoNo contratempoDe sobressaltoPassos na contramãoInventam espaçoEm velozes pensamentosEntrelaços e caminhosCarregam aos braçosO SERInstinto decerto 75
  76. 76. Que sonha liberdadePor certo destino(in) certo! Primeira infânciaVamos viverViemos para vencerE mudarToda a questão de serSem perder a razãoE a emoção da alegria de sorrirNa primeira instânciaParalela a circunstânciaDe crescer e lutarSem perder a infânciaSem perder a ternuraSem perder a inocênciaDa primeira infânciaE a simplicidadeDe estar e ser sinceroNeste nosso mundoTão adulto e tão complexoSem adulterar a pureza do coraçãoQuem irá nos traduzir? 76
  77. 77. In memorian: Renato Russo (Legião Urbana)Quem sabe o porto dos sentidos?Os sete dias e os varõesSe fez palavra o silêncio derradeiroAbertas as portas da percepçãoDiário em cançãoRenega a vida em nome das paixõesFoi tão difícil viver sob as próprias vontadesVoz da minha juventudeEm tristezas me fizestes felizVoz da minha juventudeEm tristezas me fizestes felizA tua dor voz amiga faz me sentir teu silêncioE ver que o mundo é uma simples passagemFace marcada sofrimentoTua luz a verdade de uma vidaRara essência do coraçãoQue conduz a liberdade em poesiaE eterniza o infinito da cançãoVais amigo descance em pazPois a saudades que deixas-tes não foi em vãoVais amigo segues em frenteLivremente tomar caronaRumo á outra Legião... 77
  78. 78. QuiseraQuisera eu ser diafanoTal qual os nobres faunosQuisera eu ser leveE sábio como os ascetasQuisera eu ser retoDe caráter férreoComo uma certeira flexaQuisera eu ser tão castoQuanto a nascente ervaQuisera eu não descender de AdãoE sim ser frutoDo divino pecado de Eva 78
  79. 79. ReflexõesNo bojo da ignorante sapiênciaDe todo o mistério que se reveste a VidaÉ não ter nenhum segredo que sejaPor ser desvendadoPorém nossa razão embotadaNão nos permite licença para descobri-laPor isso mister que se digaQue desejaria eu me encontra alémNo além de mim mesmoEm outras estratosferasPor outras plagas siderais e erasDo cosmo universal indizívelNo íntimo atímo do ápiceDo verbo não-existirPorém infinitamente conjugando em PoesiaO verso Ser, sentir! 79

×