Diretrizes educar

794 views

Published on

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
794
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
24
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Diretrizes educar

  1. 1. DESAFIOS E TENDÊNCIASNA FORMAÇÃO DE PROFESSORES PARA A EDUCAÇÃO BÁSICA Guiomar Namo de Mello maio/2000 1
  2. 2. As Demandas da Nova Educação Básica para a Formação de Professores.- Potencializar o desenvolvimento das pessoas- Construir individualidades autônomas e solidárias- Construir a convivência inclusiva e produtiva- Construir competências para usar as linguagens e viver na sociedade do conhecimento e da informação 2
  3. 3. Suporte Legal para a Formação deProfessores. 3
  4. 4. Art. 13. Os docentes incumbir-se-ão de: I - participar da elaboração da proposta pedagógica do estabelecimento de ensino; II - elaborar e cumprir plano de trabalho, segundo a proposta pedagógica do estabelecimento de ensino; III - zelar pela aprendizagem dos alunos; (Grifo nosso) IV - estabelecer estratégias de recuperação para os alunos de menor rendimento; V - ministrar os dias letivos e horas-aula estabelecidos, além de participar integralmente dos períodos dedicados ao planejamento, VI - colaborar com as atividades de articulação da escola com as famílias e a comunidade. 4
  5. 5. Art. 61. A formação de profissionais da educação, de modo a atender aos objetivos dos diferentes níveis e modalidades de ensino e as características de cada fase do desenvolvimento do educando, terá como fundamentos: (grifo nosso) I - a associação entre teorias e práticas, inclusive mediante a capacitação em serviço; II - aproveitamento da formação e experiências anteriores em instituições de ensino e outras atividades. 5
  6. 6. Art. 62. A formação de docentes para atuar na educação básica far-se-á em nível superior, em curso de licenciatura, de graduação plena, em universidades e institutos superiores de educação, admitida, como formação mínima para o exercício do magistério na educação infantil e nas quatro primeiras séries do ensino fundamental, a oferecida em nível médio, na modalidade Normal. 6
  7. 7. Art. 63. Os institutos superiores de educação manterão: I - cursos formadores de profissionais para a educação básica, inclusive o curso normal superior, destinado à formação de docentes para a educação infantil e para as primeiras séries do ensino fundamental; II – programas de formação pedagógica para portadores de diplomas de educação superior que queiram se dedicar à educação básica; III – programas de educação continuada para os profissionais de educação dos diversos níveis. 7
  8. 8. Art. 87. É instituída a Década da Educação, a iniciar-se um ano após a publicação desta Lei. Parágrafo 4o – Até o fim da Década da Educação somente serão admitidos professores habilitados em nível superior ou formados por treinamento em serviço. 8
  9. 9. Dois pontos são dignos de nota no Decreto 3276/99:  a exigência contida no Artigo 5º, § 2º, de que as diretrizes para a formação dos professores atendam às diretrizes para a formação dos alunos e tenham por referência os parâmetros curriculares nacionais, formalizando a vinculação entre formação e exercício profissional, base legal do presente documento;  a importância atribuída ao estudo dos objetos de ensino na formação do professor para atuação multidisciplinar na educação infantil e nos anos iniciais do ensino fundamental, característica distintiva dos cursos normais superiores. 9
  10. 10. QUESTÕES A SEREM ENFRENTADAS PARA MELHORAR A FORMAÇÃO DE PROFESSORES No campo institucionalSegmentação da formação dos professores edescontinuidade na formação dos alunos daeducação básicaSubmissão da proposta pedagógica àorganização institucionalIsolamento das escolas de formação 10
  11. 11. Distanciamento entre os cursos de formação e oexercício da profissão de professor no ensinofundamental e médioDistanciamento entre as instituições de formaçãode professores e os sistemas de ensino daeducação básica 11
  12. 12. No campo curricularDesconsideração do repertório de conhecimentodos professores em formaçãoTratamento inadequado dos conteúdosDesarticulação entre conteúdos pedagógicos econteúdos de ensinoFalta de oportunidades para desenvolvimentoculturalTratamento restrito da atuação profissional 12
  13. 13. Concepção restrita de práticaInadequação do tratamento da pesquisaAusência de conteúdos relativos às tecnologiasda informação e das comunicaçõesDesconsideração das especificidades própriasdos níveis e/ou modalidades de ensino em quesão atendidos os alunos da educação básica 13
  14. 14. PRINCÍPIOS ORIENTADORES PARA UMAREFORMA DA FORMAÇÃO DEPROFESSORESCompetência: uma concepção de competência é nuclear 14
  15. 15. As competências tratam sempre de algumaforma de atuação, só existem "em situação" e,portanto, não podem ser aprendidas apenaspela comunicação de idéias. Para construí-las,as ações mentais não são suficientes - aindaque sejam essenciais. Não basta a umprofissional ter conhecimentos sobre seutrabalho; é fundamental que saiba fazê-lo. 15
  16. 16. Coerência: uma qualidade imprescindível A simetria invertida Concepção de aprendizagem Concepção de conteúdo Concepção de avaliação 16
  17. 17. Pesquisa: elemento essencial 17
  18. 18. DIRETRIZES PARA A FORMAÇÃO DEPROFESSORES DIRETRIZES GERAIS A formação de professores para a educação básica deverá voltar-se para o desenvolvimento de competências que abranjam todas as dimensões da atuação profissional do professor 18
  19. 19. Organizar um curso de formação de professoresa partir da concepção de competência implica:a) definir o conjunto de competênciasnecessárias à atuação profissional;b) tomá-las como norteadoras tanto da propostapedagógica quanto da organização institucional eda gestão da escola de formação. É com essafinalidade que estão elencadas neste item. 19
  20. 20. Competências referentes ao comprometimentocom os valores estéticos, políticos e éticosinspiradores da sociedade democrática 20
  21. 21. Competências referentes à compreensão dopapel social da escola 21
  22. 22. Competências referentes ao domínio dosconteúdos a serem socializados, de seussignificados em diferentes contextos e de suaarticulação interdisciplinar 22
  23. 23. Competências referentes ao domínio doconhecimento pedagógico 23
  24. 24. Competências referentes ao conhecimento deprocessos de investigação que possibilitem oaperfeiçoamento da prática pedagógica 24
  25. 25. Competências referentes ao gerenciamento dopróprio desenvolvimento profissional 25
  26. 26. A escola de formação de professores paraa educação básica deve, sempre quenecessário, responsabilizar-se por ofereceraos futuros professores condições deaprendizagem dos conhecimentos daescolaridade básica, de acordo com aLDBEN e as Diretrizes CurricularesNacionais.Na formação de professores para aeducação básica devem ser contempladosos diferentes âmbitos do conhecimentoprofissional do professor. 26
  27. 27. Cultura geral e profissional 27
  28. 28. Conhecimento sobre crianças, jovens e adultos 28
  29. 29. Conhecimento sobre a dimensão cultural,social,política e econômica da educação 29
  30. 30. Conteúdos das áreas de ensino 30
  31. 31. Conhecimento pedagógico 31
  32. 32. Conhecimento experiencial 32
  33. 33. A seleção dos conteúdos das áreas deensino da educação básica deve orientar-se por, e ir além daquilo que osprofessores irão ensinar nas diferentesetapas da escolaridade.Os conteúdos a serem ensinados naescolaridade básica devem ser tratados demodo articulado com suas didáticasespecíficas. 33
  34. 34. A avaliação deve ter como finalidades aorientação do trabalho dos formadores, aautonomia dos futuros professores emrelação ao seu processo de aprendizageme a habilitação de profissionais comcondições de iniciar a carreira 34
  35. 35. DIRETRIZES PARA ORGANIZAÇÃO CURRICULAR Os cursos devem ser organizados de forma a propiciar aos professores em formação estímulo e condições para o desenvolvimento das capacidades e atitudes de interação e comunicação, de cooperação, autonomia e responsabilidade. Os cursos devem ser organizados de forma a propiciar aos professores em formação vivenciar experiências interdisciplinares. 35
  36. 36. O tempo destinado pela legislação à parteprática (800 horas) deve permear todo ocurso de formação, de modo a promover oconhecimento experiencial do professor. Parecer CNE nº 05/97A organização dos currículos devecontemplar atividades curricularesdiversificadas.A organização dos currículos de formaçãodeve incluir uma dimensão comum a todosos professores de educação básica 36
  37. 37. Formação comum a todos os professores de atuação multidisciplinar 37
  38. 38. Formação comum a todos os professores especialistas 38
  39. 39. Formação específica a todos os professores dos anos iniciais do ensino fundamental 39
  40. 40. Formação específica de professores da Educação Infantil 40
  41. 41. Formação específica dos professores especialistas por áreas/disciplinas 41
  42. 42. Opções de formação em campos específicos de atuação. 42
  43. 43.  educação de crianças e jovens em situação de risco; educação de jovens e adultos correspondente aos anos iniciais do ensino fundamental; aos anos finais do ensino fundamental e ao ensino médio; atuação em escolas rurais ou classes multisseriadas 43
  44. 44. Quadro 1: Curso Normal Superior - Formação De Professores para a Educação Infantil FORMAÇÃO COMUM A TODOS OS 20% PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA FORMAÇÃO COMUM A TODOS OS PROFESSORES DE ATUAÇÃO 32,5% MULTIDISCIPLINAR FORMAÇÃO ESPECÍFICA AOS 35% PROFESSORES DE EDUCAÇÃO INFANTIL FORMAÇÃO ESPECÍFICA PARA ATUAÇÃO EM OUTRAS ÁREAS PROFISSIONAIS 2,5% ESTÁGIO 10% 44
  45. 45. Quadro 1: Curso Normal Superior - Formação De Professores para a Educação Infantil FORMAÇÃO COMUM A TODOS OS 20% PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA FORMAÇÃO COMUM A TODOS OS PROFESSORES DE ATUAÇÃO 32,5% MULTIDISCIPLINAR FORMAÇÃO ESPECÍFICA AOS 35% PROFESSORES DE EDUCAÇÃO INFANTIL FORMAÇÃO ESPECÍFICA PARA ATUAÇÃO EM OUTRAS ÁREAS PROFISSIONAIS 2,5% ESTÁGIO 10% 45
  46. 46. Quadro 1: Formação De Professores para a Educação Infantil FORMAÇÃO COMUM A TODOS OS 20% PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA FORMAÇÃO COMUM A TODOS OS PROFESSORES DE ATUAÇÃO 32,5% MULTIDISCIPLINAR FORMAÇÃO ESPECÍFICA AOS 35% PROFESSORES DE EDUCAÇÃO INFANTIL FORMAÇÃO ESPECÍFICA PARA ATUAÇÃO EM OUTRAS ÁREAS PROFISSIONAIS 2,5% ESTÁGIO 10% 46
  47. 47. Quadro 1: Curso Normal Superior - Formação De Professores para a Educação Infantil FORMAÇÃO COMUM A TODOS OS 20% PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA FORMAÇÃO COMUM A TODOS OS PROFESSORES DE ATUAÇÃO 32,5% MULTIDISCIPLINAR FORMAÇÃO ESPECÍFICA AOS 35% PROFESSORES DE EDUCAÇÃO INFANTIL FORMAÇÃO ESPECÍFICA PARA ATUAÇÃO EM OUTRAS ÁREAS PROFISSIONAIS 2,5% ESTÁGIO 10% 47
  48. 48. Quadro 1: Curso Normal Superior - Formação DeProfessores para a Educação Infantil FORMAÇÃO COMUM A TODOS OS 20% PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA FORMAÇÃO COMUM A TODOS OS PROFESSORES DE ATUAÇÃO 32,5% MULTIDISCIPLINAR FORMAÇÃO ESPECÍFICA AOS 35% PROFESSORES DE EDUCAÇÃO INFANTIL FORMAÇÃO ESPECÍFICA PARA ATUAÇÃO EM OUTRAS ÁREAS PROFISSIONAIS 2,5% ESTÁGIO 10% 48
  49. 49. Quadro 2: - Formação de Professores para osAnos Iniciais do Ensino Fundamental FORMAÇÃO COMUM A TODOS OS 20% PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA FORMAÇÃO COMUM A TODOS OS PROFESSORES DE ATUAÇÃO 32.5% MULTIDISCIPLINAR FORMAÇÃO ESPECÍFICA AOS PROFESSORES DOS ANOS INICIAIS 35% DO ENSINO FUNDAMENTAL FORMAÇÃO ESPECÍFICA PARA ATUAÇÃO EM OUTRAS ÁREAS PROFISSIONAIS 2,5% ESTÁGIO 10% 49
  50. 50. Quadro 2: Curso Normal Superior - Formação deProfessores para os Anos Iniciais do EnsinoFundamental FORMAÇÃO COMUM A TODOS OS 20% PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA FORMAÇÃO COMUM A TODOS OS PROFESSORES DE ATUAÇÃO 32.5% MULTIDISCIPLINAR FORMAÇÃO ESPECÍFICA AOS PROFESSORES DOS ANOS INICIAIS 35% DO ENSINO FUNDAMENTAL FORMAÇÃO ESPECÍFICA PARA ATUAÇÃO EM OUTRAS ÁREAS PROFISSIONAIS 2,5% ESTÁGIO 10% 50
  51. 51. Quadro 2: Curso Normal Superior - Formação deProfessores para os Anos Iniciais do EnsinoFundamental FORMAÇÃO COMUM A TODOS OS 20% PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA FORMAÇÃO COMUM A TODOS OS PROFESSORES DE ATUAÇÃO 32.5% MULTIDISCIPLINAR FORMAÇÃO ESPECÍFICA AOS PROFESSORES DOS ANOS INICIAIS 35% DO ENSINO FUNDAMENTAL FORMAÇÃO ESPECÍFICA PARA ATUAÇÃO EM OUTRAS ÁREAS PROFISSIONAIS 2,5% ESTÁGIO 10% 51
  52. 52. Quadro 2: Curso Normal Superior - Formação deProfessores para os Anos Iniciais do EnsinoFundamental FORMAÇÃO COMUM A TODOS OS 20% PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA FORMAÇÃO COMUM A TODOS OS PROFESSORES DE ATUAÇÃO 32.5% MULTIDISCIPLINAR FORMAÇÃO ESPECÍFICA AOS PROFESSORES DOS ANOS INICIAIS 35% DO ENSINO FUNDAMENTAL FORMAÇÃO ESPECÍFICA PARA ATUAÇÃO EM OUTRAS ÁREAS PROFISSIONAIS 2,5% ESTÁGIO 10% 52
  53. 53. Quadro 2: Curso Normal Superior - Formação deProfessores para os Anos Iniciais do EnsinoFundamental FORMAÇÃO COMUM A TODOS OS 20% PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA FORMAÇÃO COMUM A TODOS OS PROFESSORES DE ATUAÇÃO 32.5% MULTIDISCIPLINAR FORMAÇÃO ESPECÍFICA AOS PROFESSORES DOS ANOS INICIAIS 35% DO ENSINO FUNDAMENTAL FORMAÇÃO ESPECÍFICA PARA ATUAÇÃO EM OUTRAS ÁREAS PROFISSIONAIS 2,5% ESTÁGIO 10% 53
  54. 54. Quadro 3: Licenciaturas para a Formação deProfessores dos Anos Finais do EnsinoFundamental e para o Ensino Médio FORMAÇÃO COMUM A TODOS OS 20% PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA FORMAÇÃO COMUM A TODOS OS 32.5% PROFESSORES DE ATUAÇÃO MULTIDISCIPLINAR FORMAÇÃO ESPECÍFICA AOS 35% PROFESSORES DOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL FORMAÇÃO ESPECÍFICA PARA ATUAÇÃO 2,5% EM OUTRAS ÁREAS PROFISSIONAIS ESTÁGIO 10% 54
  55. 55. Quadro 3: Licenciaturas para a Formação deProfessores dos Anos Finais do EnsinoFundamental e para o Ensino Médio FORMAÇÃO COMUM A TODOS OS 20% PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA FORMAÇÃO COMUM A TODOS OS 32.5% PROFESSORES DE ATUAÇÃO MULTIDISCIPLINAR FORMAÇÃO ESPECÍFICA AOS 35% PROFESSORES DOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL FORMAÇÃO ESPECÍFICA PARA ATUAÇÃO 2,5% EM OUTRAS ÁREAS PROFISSIONAIS ESTÁGIO 10% 55
  56. 56. Quadro 3: Licenciaturas para a Formação deProfessores dos Anos Finais do EnsinoFundamental e para o Ensino Médio FORMAÇÃO COMUM A TODOS OS 20% PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA FORMAÇÃO COMUM A TODOS OS 32.5% PROFESSORES DE ATUAÇÃO MULTIDISCIPLINAR FORMAÇÃO ESPECÍFICA AOS 35% PROFESSORES DOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL FORMAÇÃO ESPECÍFICA PARA ATUAÇÃO 2,5% EM OUTRAS ÁREAS PROFISSIONAIS ESTÁGIO 10% 56
  57. 57. Quadro 3: Licenciaturas para a Formação deProfessores dos Anos Finais do EnsinoFundamental e para o Ensino Médio FORMAÇÃO COMUM A TODOS OS 20% PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA FORMAÇÃO COMUM A TODOS OS 32.5% PROFESSORES DE ATUAÇÃO MULTIDISCIPLINAR FORMAÇÃO ESPECÍFICA AOS 35% PROFESSORES DOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL FORMAÇÃO ESPECÍFICA PARA ATUAÇÃO 2,5% EM OUTRAS ÁREAS PROFISSIONAIS ESTÁGIO 10% 57
  58. 58. Quadro 3: Licenciaturas para a Formação deProfessores dos Anos Finais do EnsinoFundamental e para o Ensino Médio FORMAÇÃO COMUM A TODOS OS 20% PROFESSORES DA EDUCAÇÃO BÁSICA FORMAÇÃO COMUM A TODOS OS 32.5% PROFESSORES DE ATUAÇÃO MULTIDISCIPLINAR FORMAÇÃO ESPECÍFICA AOS 35% PROFESSORES DOS ANOS INICIAIS DO ENSINO FUNDAMENTAL FORMAÇÃO ESPECÍFICA PARA ATUAÇÃO 2,5% EM OUTRAS ÁREAS PROFISSIONAIS ESTÁGIO 10% 58
  59. 59. O percurso de 1º anoformação dosprofessores deatuaçãomultidisciplinar 2º ano 3º ano 4º ano Formação comum aos professores da Educação Básica Formação comum aos professores especialistas Formação específica dos professores de cada disciplina/área – conteúdos ampliadores Formação específica dos professores de cada disciplina/área - perspectiva do ensino e da aprendizagem, incluindo as opções de formação em áreas específicas 59 Estágio
  60. 60. O percurso de 1º anoformação dosprofessoresespecialistasem áreas oudisciplinas 2º ano 3º ano 4º ano Formação comum aos professores da Educação Básica Formação comum aos professores de atuação multidisciplinar Formação específica dos professores dos anos iniciais do ensino fundamental ou da educação infantil, incluindo as opções de formação em áreas específicas Estágio 60

×