Aula03 final b

416 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
416
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
3
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Aula03 final b

  1. 1. Aula 3 – Design de atividades e tarefasRosa Maria E. M. da CostaVânia Marins “Time goes, you say? Ah no! Alas, Time stays, we go.” (Henry Austin Dobson) Como vimos nas aulas anteriores, programar qualquer atividade educativa exigecriatividade e atenção em relação à forma e ao conteúdo. Neste cenário, não podem seresquecidas as teorias pedagógicas, que formam a base teórica fundamental para que seestabeleça a construção de novos saberes através de trocas entre pares, experiênciascomunitárias e construção de conceitos em diferentes áreas. Temos ainda, queconsiderar as técnicas que estimulam a aprendizagem e as trocas de conhecimento, tãovalorizadas neste momento de expansão das redes de comunicação. Nesta aula são apresentadas e discutidas as questões que envolvem o design e odesenvolvimento de atividades apoiadas em ambientes virtuais de aprendizagem.1. Introduzindo alguns aspectos relacionados com as atividadesonline Segundo Salmon (2003), em geral, as atividades online possuem algumascaracterísticas básicas: 1
  2. 2. • Devem ser motivadoras, atraentes, cativantes e úteis;• Baseadas na interação entre aprendizes, principalmente, através de mensagens escritas;• Desenhadas pelo professor;• Conduzidas por moderadores;• Assíncronas em sua maioria;• Executadas em interfaces com boa usabilidade. Ela ainda salienta que alguns outros requisitos são fundamentais para que aaprendizagem seja estimulada e incluiu:• As aulas devem apresentar estímulos ou desafios (chamados de fagulhas);• Algumas atividades individuais devem ser propostas ao longo do curso, pois são importantes para o amadurecimento de conceitos;• Deve haver interação entre participantes;• O moderador, ou tutor deve fornecer um sumário, respostas rápidas e críticas;• As instruções devem ser passadas, ou estarem disponíveis em fóruns de discussão. A seguir são destacados alguns aspectos considerados fundamentais para que umcurso a distância se desenvolva de maneira proveitosa, destacando a importância dasnovas tecnologias de comunicação e listando alguns procedimentos básicos paraestimular o aprendizado.1.1. Motivação Um aluno a distância deve ter um alto nível de motivação, pois ele será ogerenciador do seu tempo, organizando seus horários de estudo dos conteúdos,participações nos fóruns e chats e realização das atividades. Para estimular e manter a motivação dos alunos durante o curso, é importantedesenvolver e propor atividades consideradas como lúdicas, tais como passar vídeos,propor que os alunos assistam a filmes e documentários, visitem sites e participem decomunidades, com intuito de promover reflexões sobre as relações entre os temastratados e a realidade.1.2. Socialização A idéia de comunidades de prática de Wenger (2000) são úteis no contexto daaprendizagem online. As novas tendências em educação, que mudam o paradigmacorrente da instrução centrada no professor para o compartilhamento, a troca e a 2
  3. 3. construção do conhecimento entre alunos e professores. Ou seja, o professor deixa deser o especialista-palestrante e passa a ser um facilitador, criador das tarefas postas emação, estimulador, (co)participante, orientador e observador. Essas comunidades podemser mantidas através de três categorias de atividades de colaboração via Internet: trocasinterpessoais, coleção e análise de informação e resolução de problemas. No caso dosprocessos de aprendizagem online na EAD o fundamental é a interação entreprofessores e estudantes e a colaboração estabelecida entre essas partes para aconstrução da aprendizagem.1.3. Construção do Conhecimento Os aprendizes tomando o controle da construção do seu conhecimento precisamdesenvolver diferentes habilidades:• Crítica (análise): julgamento, avaliação, comparação e avaliação;• Criatividade: descoberta, inventividade e imaginação;• Prática: aplicar, utilizar e praticar o que foi vivenciado no curso.1.4. Objetos de aprendizagem Os objetos de aprendizagem podem fornecer estímulos ou “fagulhas” parafóruns ou atividades. Eles podem ser criados especificamente para o curso ou podem seraproveitados da Internet ou de bancos de objetos. Para o uso destes recursos Salmon(2003) sugere que:• A experiência com um objeto de aprendizagem deve ser fortemente recomendada, pois o aluno deve ter interesse em acessá-lo;• Todas as informações sobre o objeto de aprendizagem devem ser fornecidas, tais como, a utilidade, a localização e os autores.1.5. Concluindo Neste sentido, a definição de atividades deve contemplar alguns itens básicos:• Qual o objetivo da atividade?• Como ela será avaliada?• Por que as pessoas vão desejar participar?• A relevância da atividade está clara para o participante?• A atividade será em grupo ou individual? Se em grupo como vão se agrupar?• Que tipo de recursos será necessário para a atividade?• Quanto tempo será necessário para a execução da atividade? 3
  4. 4. Para as atividades que demandam a participação de um moderador, algunsaspectos relativos ao trabalho do moderador, devem ser definidos, para que os objetivosda atividade não se percam:• Definir as regras e ações dos moderadores;• Sugerir a quantidade de intervenções;• Propor ações em caso de não participação do aluno;• Definir o tempo necessário para as respostas dos moderadores;• Ter um plano de contingência, caso a atividade não aconteçam como planejado;• Definir o tipo de sensibilização/fagulha/instigação que deve ser explorado;• Evitar qualquer tipo de punição e tentativas de forçar a participação, caso os alunos não se sintam motivados. Um toque de criatividade nas atividades e na mediação vai proporcionar aosparticipantes uma aprendizagem mais motivadora e divertida. Segundo Salmon (2003),a criatividade é o atributo mais importante para todos em um momento de mudançastão rápidas.2. Desenho de tarefas Em geral, a comunicação entre professores e estudantes em EaD é feita atravésda língua escrita. A dinâmica de um curso a distância é bastante diferenciada daqueladesenvolvida em uma sala de aula presencial, onde o professor fala, pode serinterpelado com questões, pode rever, parar e seguir adiante num tempo próprio. Logo,o design de um conteúdo ou atividade para EaD deve contemplar as característicaspeculiares a estes cursos, considerando principalmente, a capacidade de leitura e escritados estudantes. O desenho de conteúdos para a EaD pode ser pensado em três níveis: o conteúdoou conceito a ser aprendido, o texto que melhor comunica esse conteúdo ou conceito e aimagem que o ilustra, seja estática, em movimento ou interativa. Outro aspecto quedeve ser considerado é a linha pedagógica adotada. Palincsar y Brown apud Wertsch (1993) identificaram quatro atividadesconcretas que os estudantes devem desempenhar se desejamos que eles aprendam ashabilidades de compreensão, são elas: sintetizar (resumir), perguntar, esclarecer epredizer. Segundo eles, essas são as atividades que as pessoas que possuem dificuldadede leitura não conseguem realizar. 4
  5. 5. 2.1. Exemplo de atividade que contempla a sintetizaçãoCaro (a) aluno (a)[1] Leia o texto Teorias Pedagógicas: Fundamentos dos processos de ensino-aprendizagem que estamos disponibilizando;[2] Elabore um resumo do que foi lido com introdução, desenvolvimento e concluadiscutindo a importância das teorias pedagógicas para apoiar o processo educacional.Sua conclusão deve estar apoiada nas discussões no fórum da semana.2.2. Exemplo de atividade de pesquisaQuerido (a) aluno (a),[1] Leia o texto base Mídias e Ambientes Virtuais para EaD;[2] Pesquise na internet sites de conteúdo educacional, escolha um e faça uma crítica desua interface com base nos conceitos discutidos no texto base.[3] Siga o modelo da tarefa da semana 2 (Figura 1). Este documento deve ser entregue,aqui, na plataforma Moodle, através de upload. Esta tarefa vale 10 pontos. Bomtrabalho ! Informática Educativa I :: Tarefa da Semana 2 Título: Aluno: Pólo: IntroduçãoDesenvolvimentoConclusõesReferênciasCAMPOS, Fernanda C.A., COSTA, Rosa M., SANTOS, Neide Fundamentos daEducação a Distância, Mídias e Ambientes Virtuais – Juiz de Fora: Ed. Editar, 2007. Figura 1: exemplo de um modelo de atividade Para que os moderadores sigam o mesmo padrão de correção, é importante terum modelo que destaque os itens que devem ser observados, a pontuação máxima, ouos conceitos associados. A Figura 2 apresenta um exemplo de grade de correção. 5
  6. 6. Grade de Avaliação das Atividades da Semana 2Estrutura e Conteúdo da Tarefa PontosO texto segue de forma coerente o modelo de estrutura proposto 3,0no modelo: Introdução, Desenvolvimento e Conclusões.As conclusões estão de acordo com as discussões do fórum. 2,5O texto cita as referências corretamente. 0,5 Total da Tarefa 5,0Participação no Fórum de discussõesParticipou com uma ou mais mensagens significativas. 3,0Comentou a mensagem do tutor ou de um colega. 1,0Contribui com conteúdo extra de acordo com o assunto discutido. 1,0 Total da Participação do Fórum 5,0 Total da Semana 2 10,0 Figura 2: exemplo de um modelo de grade de avaliação de atividade3. Design para fórum de discussão A seguir são listadas algumas dicas oferecidas pelos elaboradores do Moodlepara uma boa participação em fórum. • Leitura A leitura rápida de um texto pode causar equívocos em relação ao que o autorqueria dizer. Para evitar problemas de compreensão, leia cuidadosamente. Isto podeajudá-lo a refletir sobre o que o autor não disse ou deixou em dúvida - isto pode ajudá-lo a elaborar suas próprias questões. • Redação Quando você redigir textos, tenha em mente os seus possíveis leitores. Expliqueas suas idéias no modo mais claro e simples possível para evitar erros de interpretação.Evite frases longas, quando uma frase curta for suficiente. No fórum, é muito importante que as mensagens sejam curtas e adequadas aoargumento em questão. Ao invés de uma mensagem longa sobre diversos assuntos, émelhor escrever diversas mensagens curtas. Mensagens longas podem ser tornar poucoobjetivas e desestimular nossos leitores. Outra diretriz para redação no fórum é limitar o tamanho das mensagens. Que taltentarmos limitar nossa participação em 120 palavras? Você não precisa contá-las, 6
  7. 7. escreva no editor de textos e use a ferramenta para contar palavras (tanto noBrOffice.org como no Word fica no menu Ferramentas) Faça tantas revisões do texto quantas forem necessárias. No fórum, você tem 30minutos para modificar as mensagens depois que forem enviadas. Ao responder às mensagens de outros, pense em questões interessantes. Istoajuda todos os participantes a refletirem sobre o assunto e a aprenderem! • Fazer Perguntas Um bom modo para ajudar outras pessoas a refletirem sobre um assunto é fazeruma pergunta. Uma pergunta bem feita pode nos ajudar a organizar a informação,avaliar as nossas idéias atuais e criar novas idéias. As perguntas possuem o objetivoespecífico de ajudar o processo de aprendizagem. O site do “Teleporto de Educação”(Teleporto, 2009) apresenta uma lista de questões, que foram adaptadas de Paul (1993)e foram amplamente discutidas, para serem trabalhadas nos fóruns deste módulo.Perguntas de esclarecimento • O que você quer dizer quando afirma que ______? • Qual é o ponto crucial? • Qual é a relação entre _____ e _____? • Você pode explicar isto de uma outra maneira? • Vejamos se entendi o seu ponto de vista; você quer dizer _____ ou _____? • Qual é a relação entre isto e o nosso problema/discussão/argumento? • Maria, você pode resumir com as suas palavras o que o Ricardo disse? ... Ricardo, era isto o que você queria dizer? • Pode me dar um exemplo? • _____ seria um bom exemplo disso?Perguntas que verificam suposições • Qual é a sua suposição aqui? • Qual é a suposição de Maria? • O que poderíamos supor em vez disto? • Parece que você supõe _____. Entendi corretamente? • Todo o seu discurso depende da ideia de que _____. Porque você baseou a sua hipótese em _____ em vez de em _____? 7
  8. 8. • Parece que você supõe que _____. Como você explica a avaliação disto como ponto pacífico ? • É sempre assim? Porque você acha que esta suposição é pertinente? • Porque alguém partiria desta suposição?Perguntas que verificam evidências e linhas de raciocínio • Você pode explicar a sua linha de raciocínio? • Como isso se aplica a este caso? • Existe uma razão para duvidar desta evidência? • Quem pode saber que isto é verdade? • O que você diria a alguém que afirmasse que ____? • Mais alguém pode apresentar evidências a favor deste ponto de vista? • Como você chegou a esta conclusão? • Como podemos descobrir se isto é verdade?Perguntas sobre pontos de vista ou perspectivas • Em que implica esta afirmação? • Quando você diz _____, você subentende _____? • Mas se isto acontecesse, quais seriam os outros resultados? Porque? • Quais seriam os efeitos disto? • Isto aconteceria necessariamente ou é apenas uma possibilidade? • Qual é uma alternativa? • Se _____ e _____ são verdadeiros, o que mais poderia sê-lo? • Se dissermos que ____ é ético, o que podemos dizer de _____?Perguntas que verificam implicações e consequências • Como podemos descobrir isto? • Qual é a suposição desta pergunta? • _____ elaboraria esta questão em modo diverso? • Como alguém poderia esclarecer esta questão? • É possível subdividir esta questão? • Esta pergunta é clara? Entendemos isto? • Esta pergunta é fácil ou difícil de responder? Porque? • Todos nós concordamos que esta é a questão? 8
  9. 9. • Para responder esta pergunta, quais outras perguntas temos que responder primeiro? • Como _____ definiria este problema? • Porque esta questão é importante? • Esta é a pergunta mais importante ou existe uma outra questão na qual esta se baseia? • Você pode ver a relação disto com ________? Outro aspecto crítico em cursos a distância é como pontuar a participação dosalunos no fórum de forma que haja um procedimento padrão a ser adotado por todos ostutores. A existência de critérios de avaliação, além de uniformizar tanto quantopossível a avaliação, ajuda no feedback aos alunos. Segundo Salmon (2003), algumas atitudes dos moderadores, ou tutores, podecontribuir para o aumento de participações nos fóruns e a evitar o isolamento dosalunos. A questão principal é a de que as pessoas sempre desejam uma resposta. Apergunta é: como e quando devemos dar esta resposta. Seguem algumas opções deatuação dos moderadores/tutores nos fóruns:• Responda imediatamente em um prazo de 24 horas;• Ignore temporariamente para que os outros possam responder ou construir mensagens antes de você;• As postagens com linguagem imprópria devem ser removidas (pag 60);• Existe um amplo espectro de emoções associado com o estudo online. É importante observar os aspectos emocionais da interação para que se possa incentivar a atividade dos aprendizes;• Responda as mensagens finalizando com uma questão desafiadora;• Finalize um fórum com um sumário das respostas mais significativas; Salmon (2003) também sugere alguns pontos que podem ser pensados nomomento do design de objetos ou atividades:• Seja amável;• Indique a finalidade da discussão claramente;• Incentive a formação de comunidades de aprendizagem;• Deixe claro que você deseja que os aprendizes exponham suas idéias;• Mostre ou crie atividades que tenham uma razão para que eles trabalhem juntos;• Encoraje os participantes a postarem mensagens O moderador/tutor é a pessoa que está online todos os dias e possui aoportunidade de responder a todas as questões. 9
  10. 10. 3.1. Exemplo de fórum Começamos com um exemplo de preparação de fórum de discussão. Naproposta que se segue partimos do questionamento de uma aluna em um fórum anterior. Nosso texto base possui o seguinte parágrafo. "Recentemente, a Educação aDistância (EaD) vem consolidando um novo paradigma de ensino pautado nainteratividade, no uso crescente dos recursos oferecidos pelas TIC e na idéia de que aaprendizagem envolve um processo de participação entre elementos de umacomunidade (Vygotsky, 2003), que visa a construção e a reconstrução do conhecimento.Segundo esta visão sócio-interacionista da aprendizagem, o conhecimento é construídode forma coletiva, marcado pela história e pela cultura das comunidades. Nestecontexto, a interação social possui um papel fundamental no desenvolvimento cognitivodo indivíduo, pois seu desenvolvimento aparece primeiro no nível social, entre seuspares, e depois no nível individual, dentro dele próprio. Nesta perspectiva, aaprendizagem é vista como o resultado das interações sociais e um processo socialcontínuo. Esse modelo tem sua ênfase aprendizagem (Pallof, 1999). Podemos dizer ainda, que a formação dessas comunidades tem como objetivoromper o isolamento do aluno em cursos a distância, dar a ele uma noção de pertencer auma turma, a sensação de que não está só no seu processo de aprendizagem. Os recursos que, em geral, os ambientes virtuais disponibilizam para apoiar ainteração são os fóruns e os chats. Os fóruns possuem a vantagem da comunicaçãoassíncrona, ou seja, os alunos não precisam estar online para discutir um assunto. A aluna Osania, da turma 05, colocou a seguinte postagem na discussão dofórum da semana 2. “O desenvolvimento de inúmeras ferramentas online possibilitou aoprofessor um grande leque de possibilidades de disponibilizar material, porém comodisponibilizar? O que disponibilizar? Passa a ser a questão a responder. Gosto muito dedizer o quanto não me agrada em cursos a distancia a saturação de fóruns sempreenormes e cansativos, parecendo que não existe nenhum outro recurso que possasubstitui-lo. Tenho pensado que o uso dos fóruns não é o ponto mais forte naaprendizagem online. Acho que o envolvimento e esforço pessoal têm um peso muitomaior que o aprendizado coletivo. É claro que os alunos se ajudam, mas vejo sinais deque esse tipo de interação, dependendo do caso, tem importância bem menor que oauto-aprendizado. Quanto à quantidade de mensagens postadas pelo aluno, a falta de 10
  11. 11. limites nas mensagens podem inviabilizar as leituras e muitas vezes desestimulam osdemais participantes, pois o excesso de mensagens pouco acrescenta e o númeroexcessivo de postagens torna o fórum desgastante, correndo o risco de desviar o foco deatenção. Portanto, procurar maneiras diferentes de disponibilizar informação para nãosaturar um ambiente é um grande desafio nos cursos a distancia”. Vocês concordamcom a opinião dela ? Que soluções poderiam ser adotadas para amenizar os problemaslevantados pela aluna ? Que acham da linha do tempo da Figura 3? Ela não é uma forma de exporinformações de forma resumida e direta sem saturar a interface? Figura 3: exemplo de linha do tempo. Veja a interface interativa em <http://www.ensinoarterede-eav.org.br/matApoio/linhaDoTempo/index.htm> O encerramento de um fórum em muitos casos deixa perguntas sem respostas egera a sensação de que faltou uma finalização dos temas tratados. Uma forma de evitaresses problemas é o mediador ou tutor preparar um texto de fechamento, destacando asmelhores postagens e dando algumas respostas às questões pendentes.Exemplo de fechamento para fórumPrezados alunos,Nossa discussão essa semana foi muito rica. Destaco para vocês algumas passagens.Nós nos sentimos bastante tocados com o conteúdo objetivo e simples do vídeoapresentado. Rosângela foi a primeira em apontar que não bastava tecnologia. Em 11
  12. 12. seguida Cristiane arrematou com uma excelente citação do Professor Franz KreutherPereira: "É condição indispensável para lidar com o paradigma educacional emergente ser um professor com espírito reflexivo, criativo e pesquisador."Gisele apontou como o vídeo traduziu bem as condições e dificuldades do professor.Logo após tivemos as opiniões de Sandra, Marco, Ademir, Eliana, Fabrícia, Roberta,Symone, Estela, Elisangela e Andréa confirmando a necessidade de mudança depostura, preparo e apoio adequado ao professor.Vimos quanta responsabilidade e cobranças são jogadas nos ombros do professor, quenão foi consultado e muito menos capacitado para a mudança (comentado por Valériae Alberto). Denise já conhecia o vídeo e pode constatar que seu conteúdo nãoenvelheceu. Vimos também que além de metodologia, precisamos estar próximos domundo dos alunos e (por incrível que pareça) gostar deles como bem concordouSandra e Andréa.Fabrícia compartilhou conosco uma listagem do que o professor precisa para seadequar as novas tecnologias.• Estar aberto à transformação;• Reconhecer que é necessário estar sempre investigando, estudando, isto é se atualizando;• Perder o medo do novo, desprender-se do velho;• Avaliar se a metodologia será eficaz para o ensino do conteúdo abordado;• Ser criativo, fazer adaptações quando necessário;• Conhecer as correntes pedagógicas;• Verificar se a metodologia a ser usada está adequada ao PPP da escola; entre outros.Cristiane completou: • O professor passa a ser "um pesquisador em serviço" onde, através da pesquisa e da prática aprende e "ensina a partir do que aprende", passando a assumir o papel de um "orientador/mediador". (MORAN, 2000, p.30); • O software deve ser adequado e pertinente em relação ao contexto da disciplina;Nanci acrescentou: • Contemplar as características que levam a formação global do aluno; • Ter alta interatividade... ênfase na autonomia do aluno; • E uma das principais características de um aplicativo é sua capacidade de satisfazer as necessidades implícitas de seus usuários.Deixo para vocês as palavras de nossa colega Valéria, que no meu entender, sintetizoumuito bem as nossas dificuldades e anseios frente à implantação e uso de novastecnologias. Como discutimos em fóruns passados, ninguém aprende o que não queraprender. Assim apreender, apropriar-se e re-significar esse conhecimento, será frutode um desejo pessoal e não de uma determinação recebida através de um documento,lido em uma reunião (em hora extra).”4. Design para chat Em geral, as ferramentas de apoio a EaD possuem um aplicativo denominado chat,que pode ser compreendido em português como “bate-papo”. De maneira mais 12
  13. 13. detalhada, seria a conversa em tempo real através do computador. A realização de umchat exige uma preparação anterior, para que o monitor/tutor possa responder aosquestionamentos dos alunos e ao mesmo tempo, lançar novos desafios, manter umaconversação animada, sustentando um alto nível de interesse dos alunos.4.1. Exemplo de plano de atuação de tutoria para chat temático1) Tutor(a): Ana Cláudia2) Data: xx/xx/xx3) Texto da mensagem inicial do Chat :Caro aluno seja bem-vindo a este Bate-papo Virtual.Este espaço de interação está reservado por esta tutoria para que possamos discutir otexto que foi disponibilizado para esta finalidade.4) Texto das Regras de Participação no Chat :Procure ser gentil e objetivo em suas colocações, zelando sempre pela harmonia desteambiente visando à aprendizagem coletiva. Procure, ainda, primar pela correção dalíngua portuguesa, evitando dessa forma gírias, palavras impróprias ao contexto ouainda palavras abreviadas que dificultem a compreensão.5) Dinâmica da Tutoria no ChatDuração do Chat : será de aproximadamente 45 minutos, podendo se estender por mais10 minutos e não mais que isso a fim de não tornar o debate cansativo para nós.Na abertura do Chat, nos primeiros minutos, serão feitas as apresentações, nesta ordem,primeiro o tutor, em seguida os alunos.6) Exemplo de texto de apresentação dos participantesQueridos alunos é um prazer estar online com vocês, peço que acaso a conexão caia,não se apavorem ou se desculpem do ocorrido, apenas entrem novamente na discussão,ok?Peço, ainda, que se acaso cair a minha conexão (exemplo acabou a luz em minha casa)que vocês conduzam o Chat até às 20:45 h uma vez que o Chat não é meu é nosso!Combinado?Neste momento preciso saber se alguém tem dúvida em relação a utilização do Chat ?Como primeira tarefa cada um de nós deverá se apresentar, vamos começar por mim: 13
  14. 14. Sou especialista em sistemas de informação e atualmente sou professora de Informática(presencial) e tutora de Informática (Graduação e Pós-graduação - online).Agora cada um de vocês pode se apresentar.7) Depois das apresentaçõesAté agora nós lemos muitos textos ressaltando os traços positivos da EaD. Entretanto, aEaD não é uma unaminidade, o texto "Uma Nação em Risco" apresenta uma outra visãosobre o assunto. Neste chat nós vamos discutí-lo. Portanto serão feitas três perguntasprovocativas para estimular nosso debate. Vamos iniciar ? Irei postar as perguntas umaa cada vez e em seguida, cada um deve colocar sua contribuição, entenderam ?1ª Pergunta :Em sua opinião "para atender uma demanda cada vez maior (de alunos, deconhecimento, etc) basta apenas ampliar a rede escolar" (página 1) ?2ª Pergunta :A partir da vivência de vocês na EaD, vocês concordam com a visão do texto ?3ª Pergunta :Vocês concordam que com a EaD "estaremos produzindo um enorme contingente deprofissionais universitários analfabetos diplomados" (página 8 nas conclusões) ?8) Finalizando a discussãoBom, acredito que o objetivo desta atividade tenha sido alcançado. Despeço-me de cadaum com a certeza de ter deixado a semente da aprendizagem de mais uma atividadeonline e como vocês pelo exemplo poderão conduzi-la em suas atividades pedagógicas.Ana CláudiaTutora a distância5. Áudio e vídeo como elementos de motivação “Nesses novos tempos de saturação de informação, devemos começar semprepelo clímax, ou pelo menos por um anúncio claro do que ainda virá de melhor. Sedeixarmos para desenvolver um longo raciocínio para chegar ao clímax..., corremos umgrande risco de perder a atenção do aluno durante esse processo. Para obter o efeitodesejado, portanto, as palavras de ordem são: criatividade, ousadia, inovação,objetividade e simplicidade[...]” (Rebelo, M., 2008). 14
  15. 15. Por exemplo, Lévy (2000) tem tido uma grande influencia na discussão dosmodelos e impactos das novas tecnologias na sociedade. Que tal assistir a um vídeoonde ele fala da EaD ? (http://www.youtube.com/watch?v=08rVXi55yjE). Como éinteressante materializar uma imagem que estava no nosso imaginário, não é mesmo?Que impacto um vídeo pode gerar nas discussões de um curso a distância? Os áudios também podem ser de grande valia para explicar algum conceito,motivando a participação dos alunos em discussões e para compartilhar conhecimento.Vamos ouvir um áudio sobre uma indicação de leitura para o público infantil(http://int.territorioeldorado.limao.com.br/eldorado/audios!getPlayerAudio.action?destaque.idGuidSelect=DD3ECC20955645678A8807E099E451F8) (clique em “ouvir”).Que força possui um áudio para fomentar discussões, ou lançar sementes parasensibilizar os alunos ?6. Uso de jogos A utilização de jogos em Educação, chamados de jogos sérios (serious games), ouem EaD, também pode servir para introduzir novos temas ou ajudar a absorção de novosconceitos ou comportamentos. Os jogos podem ser em duas dimensões, ou em trêsdimensões, como é o caso dos jogos que exploram a tecnologia de Realidade Virtual. Shaffer (2004) justifica lançarmos um olhar sobre os jogos, não porque eles sejamuma solução para problemas de motivação ou de aprendizado, mas porque eles podemmostrar novos caminhos para a educação. Esta idéia é reforçada por Pinho, que coloca:“Talvez o aspecto de maior relevância no uso de games em educação é sua influência namotivação para o aprendizado” (Pinho,1996). O exército dos Estados Unidos está tãoconvencido do poder dos jogos que utiliza massivamente os jogos online commultijogadores (multiplayer online games). Um dos cinco mais populares, segundoDeberry (2010), é o America’s Army. Veja uma imagem de uma tela do jogo na Figura4 < http://www.americasarmy.com>. 15
  16. 16. Figura 4: Serious Games utilizado pelo exército dos Estados Unidos7. Concluindo Nas últimas décadas houve um avanço no desenvolvimento das TIC(Tecnologias de Informação e Comunicação). Neste contexto, muitos educadorespassaram a acreditar na possibilidade do uso destas tecnologias em Educação. Maisrecentemente, pesquisas educacionais começaram a explorar uma combinação das TICcom a aprendizagem colaborativa, criando as comunidades de aprendizagem. As mídias de comunicação, as mídias sociais e a Web 2.0 são aceleração,novidade, criatividade, colaboração e excesso. Os AVAs e as ferramentas Web 2.0estão disponíveis gratuitamente, agora o grande desafio que se coloca é “como explorartodo esse aparato para fomentar a construção coletiva do conhecimento?”. Desenvolvero senso crítico diante de tantas possibilidades, avaliar sua viabilidade e eficácia para aeducação parece ser uma boa proposta para os educadores interessados em motivar seusestudantes e dinamizar seus cursos. 16
  17. 17. Na próxima semana continuaremos estas discussões e vamos estudar maisprofundamente as ferramentas da Web 2.0, os AVAs e suas variadas possibilidades parauso educacional.8. ReferênciasDERRYBERRY, A. Serious games: online games for learning. Disponível em: <http://www.adobe.com/resources/elearning/pdfs/serious_games_wp.pdf>. Acesso em:junho 2010.LÉVY, Pierre. Cibercultura. São Paulo: Editora 34, 2000.PALLOFF, R e PRATT, K. Building learning communities in Cyberspace, Jossey-BassPublishers, San Francisco, 1999.PAUL, R. Critical Thinking: How To Prepare Students for a Rapidly ChangingWorld. Foundation for Critical Thinking, Santa Rosa, CA, 1993.PINHO, Márcio S. Realidade Virtual como Ferramenta de Informática na Educação.Simpósio Brasileiro de Informática na Educação. Belo Horizonte, Minas Gerais,1996.REBELO, M. O professor em um mundo saturado de informação, Material do curso dePlanejamento, implementação e Gestão da EaD, UAB, Módulo 2, 2008.SALMON, Gilly. e-tivities – The key to active online learning. Kogan Page, London,2003SHAFFER, D. W; SQUIRE, K.R.; HALVERSON, R.; GEE, J.P. Video Games and theFuture of Learning, University of Wisconsin-Madison, 2004. Disponível em:http://citeseerx.ist.psu.edu/viewdoc/download?doi=10.1.1.126.2563&rep=rep1&type=pdf Acessado em maio 2010.TELEPORTO DE EDUCAÇÃO. Disponível em:<http://www.teleportodeeducacao.com.br/etebras/help.php?file=questions.html>.Acesso em maio de 2010.WENGER, E. Communities of practice and social learning systems, Organization,2000. Disponível em:<http://www.abdn.ac.uk/~lls007/Radio4/Articles/wenger2000.pdf>. Acesso em: maio2010VYGOTSKY, L. S. A formação social da mente: o desenvolvimento dos processospsicológicos superiores. Org: Michael Cole et al; tradução José Cipolla Neto, LuísSilveira. Martins Fontes, 2003.WERTSCH, J. V. (1993) Voces de la mente, un enfoque sociocultural para el studio dela acción mediada (trad. Adriana Silvestri) Madrid: Ed.Visor. 17

×