Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Torres de separação

21,730 views

Published on

É um trabalho que abrange como funcionam torres de separação por 3 tipos de operações,tais como absorção,adsorção e destilação,além de uma definição básica do conceito de cada uma delas.

Published in: Education

Torres de separação

  1. 1. TORRES DE SEPARAÇÃO POR ABSORÇÃO, ADSORÇÃO E DESTILAÇÃO. <br />PietraFagundesAraújo<br />
  2. 2. Torres Absorção<br />
  3. 3. Absorção<br />A absorção é uma transferência de massa de uma fase gasosa para uma fase líquida. Consiste na transferência de um componente (absorbato) presente em fase gasosa (gás de arraste) para um líquido (absorvente). <br />
  4. 4. Absorção<br />Princípio<br /> Os gases efluentes passam através de lavadores que contém líquidos absorvedores que removem, tratam ou modificam poluentes.<br />
  5. 5. Absorção<br />
  6. 6. Absorção/Dessorção<br />A operação inversa chama-se Dessorção (“Desorption” ), na qual um componente dissolvido num líquido passa para a fase gasosa. Embora a transferência de massa ocorra em direções opostas os princípios físicos associados tanto à Absorção como à Dessorção são os mesmos. <br />
  7. 7. Absorção/Dessorção<br />
  8. 8. Absorção<br />Torres com Recheio<br />Constituem-se de um cilindro preenchido com material de enchimento (suporte) sustentando tanto o topo quanto a base de modo a permitir a separação das fases <br />
  9. 9. Recheios<br />
  10. 10. Absorção<br />Torres de Pratos<br /> Este tipo de absorvedor não apresenta suporte ou qualquer tipo de enchimento, mas furos distribuídos uniformemente nos pratos que o constituem <br />
  11. 11. Absorção<br /><ul><li>Torres Spray</li></ul>O gás contaminado flui para cima e as partículas chocam com gotas de líquido produzido por bocais apropriados localizados em todo o fluxo de fluido. <br />
  12. 12. Torres Adsorção<br />
  13. 13. Adsorção<br />Consiste em transportar um poluente na fase gasosa ou líquida ,para a superfície de um sólido poroso.<br />Na "torre de adsorção" tem-se um processo de difusão com o transporte de poluente para a superfície de um material sólido (adsorvente).<br />
  14. 14. Adsorção<br />
  15. 15. Adsorventes<br />O material adsorvente<br /> mais utilizado nas torres<br /> é o carvão ativado, por sua <br />disponibilidade e custo .<br />eficiente<br /> para remoção de <br />compostos voláteis <br />orgânicos, tais como<br /> hidrocarbonetos, solventes,<br />gases tóxicos e odores<br /> orgânicos.<br />
  16. 16. Adsorventes<br />Outrosadsorventes:<br />Zeólitas;<br />Alumina ativada;<br />Sílica-Gel.<br />
  17. 17. Adsorvedores<br />Tipos:<br />LeitoÚnico<br />Fixo ;<br />Móvel .<br />LeitoMúltiplo;<br />Fixo;<br />Móvel.<br />
  18. 18. Adsorvedores<br /><ul><li>Leito único e fixo de carvão ativado
  19. 19. Neste caso, o ar entra sujo pelo topo e sai limpo pelo fundo.</li></li></ul><li>Adsorvedores<br />Adsorvedor de Leito Múltiplo<br />e Fixo<br />O gásentranametadedaaltura<br />dacoluna,passapelosadsorventes<br />Quepodem ser fixadosporpratos<br />Suportes,eosvaporessaemporcima<br />E baixodatorre.<br />
  20. 20. Adsorvedores<br />Adsorvedor de leito móvel<br />Neste caso, a corrente de <br />ar contendo o poluente <br />passa em fluxo horizontal <br />através da coluna vertical <br />adsorvedora.<br />
  21. 21. Adsorção<br />Eficiência<br />Extremamenteefetivosnaremoção de poluentesgasosos. Podendochegar a 100%.<br />
  22. 22. Torre de Destilação<br />
  23. 23. Destilação Flash <br />
  24. 24. Destilação Flash<br />A água é aquecida e bombeada para um tanque a baixa pressão onde se vaporiza repentinamente. O vapor que se forma é condensado e retirado como água pura. O líquido não vaporizado segue para a unidade Flash seguinte <br />
  25. 25. DestilaçãoFracionada<br />
  26. 26. DestilaçãoFracionada<br />Estágio de DestilaçãoFracionada com PratosPerfurados<br />
  27. 27. DestilaçãoFracionada<br />Estágio coluna de destilação Fracionada com pratos borbulhadores.<br />
  28. 28.
  29. 29. Torres de Recheio<br />
  30. 30. Destilação a vácuo<br />Na destilação à vácuo a pressão de operação da torre de fracionamento é reduzida o que provoca uma diminuição do ponto de ebulição da mistura a ser destilada.<br />Muito usada em substâncias com o ponto de ebulição muito elevado e que são difíceis de separar em pressão atmosférica.<br />
  31. 31. Destilação a Vácuo-Cru Reduzido (Resíduos)a partirdadestilaçãoatmosférica .<br />-Este resíduo entra a mais ou menos 100mmHg;<br />-Vapor entraporbaixo;<br />-O diâmetro é maiorque a Torre de Destilaçãoatmosférica.<br />
  32. 32. Outrostipos de Destilação<br />Destilação Extrativa; <br />Azeotrópica.<br />
  33. 33. Referências bibliográficas<br />CALDAS, Jorge Navaes; LACERDA, Antônio Ignácio de . Internos de torres: pratos & recheios. Rio de Janeiro: EdUERJ, 2003. 466p. (Tecnologia brasileira) ISBN 8575110608<br /> <br />DESTILAÇÃO Disponível em: http://vega.eq.uc.pt/siteJoomla/index.php?option=com_content&task=view&id=223&Itemid=413>. Acesso em: 13 jun. 2009.<br />FOUST, Alan S. (Alan Shivers). Princípios das operações unitárias. 2. ed. Rio de Janeiro: Guanabara Dois, 1982. 670p. <br /> <br />POMBEIRO, Armando J. Latourrette O. Técnicas e operações unitárias em química laboratorial. Lisboa: Fundação CalousteGulbenkian, 2003. 1069p. <br />

×