Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Ciencias Naturais

5,127 views

Published on

O meu trabalho fala sobre a os ecossistemas e nuitas outras coisas

Published in: Career
  • Be the first to comment

Ciencias Naturais

  1. 1. Ciências Naturais. Dinâmica dos Ecossistemas . Domingo, 7 de Junho de 2009
  2. 2. Sucessões Ecológicas. Domingo, 7 de Junho de 2009
  3. 3. Sucessão ecológica O que é? <ul><li>As sucessões ecológicas representam conjunto de mudanças ordenadas pelas quais passa uma comunidade biológica detendo ao estádio de clímax uma característica predominante para o estabelecimento das sucessões é a condição abiótica favorável dos ambientes. </li></ul>Domingo, 7 de Junho de 2009
  4. 4. Tipos de sucessões ecológicas . <ul><li>Sucessões primárias. </li></ul><ul><li>Sucessões secundárias. </li></ul><ul><li>Sucessões autotróficas. </li></ul><ul><li>Sucessões heterotróficas. </li></ul>Domingo, 7 de Junho de 2009
  5. 5. Sucessões ecológicas/ primárias. <ul><li>A evolução gradual que ocorre num ecossistema, desde uma comunidade inicial simples até que outras comunidades mais complexas, duradouras e estáveis tendo o nome de sucessão ecológica. </li></ul><ul><li>A sucessão ecológica que se inicia numa área anteriormente estéril, como é o caso das ilhas vulcânicas, da areia das dunas, de rochas nuas ou de um lago recém-formado, é chamada sucessão primária. </li></ul>Domingo, 7 de Junho de 2009
  6. 6. Sucessões secundárias. <ul><li>Por vezes, devido a catástrofes naturais, como incêndios, vulcanismo, ou mesmo devido á intervenção humana, tanto através da desflorestação como da emissão de produtos poluentes, ou mesmo devido ao abandono de terras de cultura numa determinada zona, uma comunidade pode ser destruída ou, pelo menos, parcialmente aniquilada. </li></ul><ul><li>Subsequentemente, uma nova comunidade pode surgir nesse local e evoluir no tempo, constituindo este processo uma sucessão secundária. </li></ul>Domingo, 7 de Junho de 2009
  7. 7. Sucessões autotróficas <ul><li>Iniciadas por organismos autotrofos em locais inorgânicos, como a sucessão iniciada pelo líquen numa rocha nua. </li></ul>Domingo, 7 de Junho de 2009
  8. 8. Sucessões heterotróficas <ul><li>Iniciadas por organismos heterotróficos, em locais orgânicos, como em rios poluídos ou restos de plantas e de animais. </li></ul>Domingo, 7 de Junho de 2009
  9. 9. Processo de sucessão <ul><li>Aumento da produção bruta (produção superior ao consumo). </li></ul><ul><li>Aumento do consumo. </li></ul><ul><li>Diminuição da produção líquida. </li></ul><ul><li>Aumento da biomassa, porém este aumento vai ocorrendo cada vez de forma mais lenta. </li></ul>Domingo, 7 de Junho de 2009
  10. 10. Comunidade pioneira. <ul><li>São espécies que conseguem fixar-se em zonas pobres em nutrientes (rochas nuas, dunas, lavas vulcânicas,…) sujeitos a grandes amplitudes térmicas e geralmente sobre a influência dos ventos. A fixação nestes ambientes começa a mudar. </li></ul><ul><li>Geralmente são esporos de musgos e líquenes os primeiros a fixarem-se e a poderem germinar, e estes constituem exemplo de espécies pioneiras. </li></ul>Domingo, 7 de Junho de 2009
  11. 11. Acção dos líquenes na Natureza. ( 1º parte ) <ul><li>Os líquenes elaboram substâncias que atacam as rochas, contribuindo assim para a abertura de fendas, que vão sendo preenchidas por poeiras e produtos resultantes da decomposição dos próprios líquenes. Origina-se deste modo um solo simples. </li></ul>Domingo, 7 de Junho de 2009
  12. 12. Acção dos líquenes na Natureza. ( 2º parte ) <ul><li>Após as chuvas, o solo formado retém água, e nele podem viver, então, os musgos ou germinar sementes de plantas herbáceas. As raízes das plantas penetram nas fendas das rochas. Excrementos de aves e de outros animais migradores podem também enriquecer o solo assim constituído. </li></ul>Domingo, 7 de Junho de 2009
  13. 13. Ciclo Biogeoquímico ( 1º parte) <ul><li>ciclo biogeoquímico é o percurso realizado no meio ambiente por um elemento químico essencial à vida. Ao longo do ciclo, cada elemento é absorvido e reciclado por componentes bióticos (seres vivos) e abióticos (ar, água, solo) da biosfera, e às vezes pode se acumular durante um longo período de tempo em um mesmo lugar. É por meio dos ciclos biogeoquímicos que os elementos químicos e compostos químicos são transferidos entre os organismos e entre diferentes partes do planeta. As relações entre espécies e ambiente físico caracterizam-se por uma constante permuta dos elementos, em uma atividade cíclica, a qual, por compreender aspectos de etapas biológicas, físicas e químicas alternantes, recebe a denominação geral de Ciclo Biogeoquímico. Na verdade, o fenômeno é estritamente cíclico apenas em relaçào ao aspecto químico, no sentido de que os mesmos compostos químicos alterados se reconstituem ao final do ciclo, enquanto que o aspecto físico das rochas não se regenera, necessariamente </li></ul>Domingo, 7 de Junho de 2009
  14. 14. Ciclo Biogeoquímico( 2º parte) <ul><li>Assim, há uma espécie de intercâmbio contínuo entre meio físico, denominado abiótico (relativo à parte sem vida do meio físico) e o biótico (conjunto de seres vivos), sendo esse intercâmbio de tal forma equilibrado, em relaçào á troca de elementos nos dois sentidos, que os dois meios se mantêm praticamentes constantes </li></ul><ul><li>Principais ciclos Dentre os ciclos biogeoquímicos mais conhecidos, estão o ciclo do carbono (meio pelo qual os organismos vivos adquirem sua máteria principal e que os sustentam quimicamente), o ciclo do nitrogênio ou fixação do nitrogênio (usado para produção de substâncias vitais aos organismos, feito principalmente por bactérias) o próprio ciclo da água (ciclos curtos e longos) e o ciclo do oxigênio. Existem também o ciclo do enxofre, o ciclo do hidrogênio e o ciclo do fósforo. </li></ul>Domingo, 7 de Junho de 2009
  15. 15. <ul><li>trabalho realizado por: </li></ul><ul><li>Luís Ferreira nº 17 </li></ul><ul><li>Patrícia Alexandra nº 19 </li></ul><ul><li>Vânia Luso nº 23 </li></ul>Domingo, 7 de Junho de 2009
  16. 16. <ul><li>The end </li></ul><ul><li>( fim ) </li></ul>Domingo, 7 de Junho de 2009

×