Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Tirinhas aula 1- características gerais

75,550 views

Published on

Tirinhas aula 1- características gerais

  1. 1. PIBID- LETRAS:UNIVERSIDADE DO ESTADO DO AMAZONASAda Carla BrandizziAline Beatriz BragaAna Noelia Dias NatesLetícia CardosoMaknaima CavalcanteMANAUS- 2012
  2. 2. GÊNERO TEXTUAL:
  3. 3. As tiras ou tirinhas, como são mais conhecidas,são uma ramificação dos Quadrinhos.Segundo RAMOS (2009), “Quadrinhos” é umhipergênero, ou seja, um rótulo para váriosgêneros que possuem várias características emcomum. Entre esses gêneros destacamos as HQs(histórias em quadrinhos), as tiras e as charges.
  4. 4. História em quadrinhos  É uma narrativagráfica- visual.Charge  É um texto de humor que abordaalgum fato ou tema ligado ao noticiário.Trabalha em geral com figuras reaisrepresentadas de forma caricata,principalmente políticos.Tiras  Semelhantes as HQs, de carátersintético, geralmente até quatro quadrinhos.
  5. 5. História em quadrinhos:http://comicshagar.blogspot.com.br
  6. 6. Charge:
  7. 7. http://blogs.lancenet.com.br/charges/
  8. 8. Tira:http://g1.globo.com/pop-arte/fotos/2010/04/tirinhas-rei-emir.html#F31841
  9. 9. http://blogdosquadrinhos.blog.uol.com.br/arch2008-05-01_2008-05-31.htmlhttp://blogdosquadrinhos.blog.uol.com.br/arch2009-01-01_2009-01-31.html
  10. 10. Principais diferenças entre os gêneros:Tiras e HQs  a extensão.Tiras e Charges  o fato de as chargestrabalharem com personagens e situaçõesreais enquanto as tiras trabalham compersonagens e situações igualmente fictícios.
  11. 11. Recursos dos quadrinhosBalões:Os balões são o principal recurso para indicar afala ou pensamento dos personagens;Um estudo sobre o tema feito por RobertBenayoun, em 1968, apontava 72 tiposdiferentes, dos quais destacamos: Balão-zero; Balão-fala; Balão-pensamento Balão-berro; Balão-cochicho.
  12. 12. Balão-zero:É quando não há o contorno do balão,permanecendo, geralmente, apenas o apêndice(linha que vai em direção ao personagem quefala).Apêndicehttp://opanca.blogspot.com.br/
  13. 13. Balão-fala:É o mais comum, neutro, indica o tom de voznormal.http://www.flickr.com/photos/13893374@N04/
  14. 14. Balão-pensamento:Possui o formato de nuvem, com o apêndice emforma de bolhas. Indica que a fala dopersonagem está sendo pensada.http://tirinhasdogarfield.blogspot.com
  15. 15. Balão-berro:Com o contorno similar a uma explosão, deextremidades para fora, indica tom de voz alto,grito.http://www.monica.com.br/index.htm
  16. 16. Balão-cochicho:Com contorno pontilhado, indica tom de vozbaixo ou sussurro.http://www.monica.com.br/index.htm
  17. 17. Oralidade nos quadrinhosOs balões são utilizados para representar a fala,no entanto, para reproduzir as marcas daoralidade, outros recursos são utilizados, entreeles: Diferentes valores expressivos da letra; Reticências; Repetições;Caracteres desconhecidos ou signos icônicos.
  18. 18. Diferentes valores expressivos da letraAs variadas formas e tamanhos da letra,dependendo da intenção do autor e do contexto,podem assumir diversos sentidos. Destacamos:Letra tradicional  Indica fala usual,considerada o “grau zero” do qual os outros irãoderivar.Negrito Pode indicar tom de voz alto ouênfase.Itálico  Indicam palavras ou expressõesestrangeiras.Letra em tamanho menor  Indica falasussurrada ou em tonalidade mais baixa.
  19. 19. Letra tradicional:.http://www.solzinho.com.br/tirinhas.asp
  20. 20. Negrito:Indicando gritohttp://clubedamafalda.blogspot.com
  21. 21. .Indicando ênfase à fala de Cebolinhahttp://www.monica.com.br/index.htm
  22. 22. Letra em tamanho menorIn: RAMOS(2009) p.202
  23. 23. Diferentes tamanhos de letras:In: RAMOS(2009) p.55
  24. 24. Repetições:As repetições podem ser de letras, sílabas,palavras ou até mesmo frases. Podem indicarengasgos e gagueira utilizados como estratégiade reformulação do conteúdo que é dito ousugerir surpresa e incompreensão. Além disso,podem intensificar emoções e afirmações.
  25. 25. Reformulação de conteúdo (procura umajustificativa para a vulgaridade)In: RAMOS(2009) p.65
  26. 26. Repetição da consoante“M” sugere surpresa eincompreensão.In: RAMOS(---) p.202
  27. 27. Reticências:Sugerem pausa ou hesitação.Indicandointervalo, pausaentre as falas.http://pensarenlouquece.com/as-mais-belas-tiras-de-calvin-e-haroldo/#more-321
  28. 28. Caracteres desconhecidos ou signos icônicos:Em geral são representados por sequênciascompostas por pregos, caveiras, estrelas e outroselementos, dentro ou fora dos balões, e indicam“discussões acaloradas” e palavrões.In: RAMOS(2009) p.112
  29. 29. Níveis da falaOs níveis da fala, também conhecidos comovariantes linguísticas servem, muitas vezes,para caracterizar os personagens, sendoresponsáveis pela sua “identidade linguística”.
  30. 30. Fala formal:Caracteriza personagens cultos. Já em “OPoderoso Thor”, por exemplo, ela cria um “ar denobreza”, reforçando a natureza divina de seuspersonagens.IRRTHUM (1994) p.5http://pt.scribd.com/doc/6975708/Edgar-Allan-Poe-o-Corvo-Quadrinhos>
  31. 31. Thor filho de Asgard o1 pdf. p. 13http:// www.4shared.com/office/1swp-Je3/Thor
  32. 32. Regionalismos:Intensificam as marcas da linguagem de cadaestado ou região.http:byrata.blogspot.com/2011/10/o-embaixador-do-xiru-lauterio-em-são.htmlhttp://www.monica.com.br/comics/tirinhas/tira21.htm
  33. 33. KLÉVISSON (2006) p. 18.http://pt.scribd.com/doc/15934973/Lampiao-em-quadrinhos-Grafic-novel-klevisson
  34. 34. Representação dos sonsPara representar os sons são utilizados oselementos paralinguísticos e as onomatopeias.Elementos paralinguísticos  Utilizados pararepresentar os sons que acompanham a fala comochoro, suspiros e risos.Onomatopeias  Utilizadas para representar os sonsem geral.
  35. 35. Elementos paralinguísticoshttp://pensarenlouquece.com/as-mais-belas-tiras-de-calvin-e-haroldo/#more-321http://www.monica.com.br/index.htm
  36. 36. In: RAMOS(2009) p.121
  37. 37. OnomatopeiasIn: ELIAS(2009) p.94
  38. 38. Thor filho de Asgard o1 pdf. p. 17http:// www.4shared.com/office/1swp-Je3/Thor
  39. 39. Referências biblográficas:MENDONÇA, Maria Rodrigues de Souza. Um gênero quadroa quadro: a história quadrinhos. In: DIONÍSIO, Angela Paiva;MACHADO, Anna Rachel; BEZERRA, Maria Auxiliadora(org.). Gêneros textuais e ensino. São Paulo: Parábola, 2010.RAMOS, Paulo. A leitura dos quadrinhos. São Paulo:Contexto, 2009. Recursos de oralidade nos quadrinhos. . In:ELIAS, Vanda Maria (org.).RAMOS, Paulo. Ensino de Língua Portuguesa: oralidade,escrita e leitura. São Paulo: Contexto, 2011. p. 79-103.

×