O Modelo De Auto Avaliação No Contexto Do Agrupamento Pedro Moura

662 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
662
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
4
Actions
Shares
0
Downloads
8
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

O Modelo De Auto Avaliação No Contexto Do Agrupamento Pedro Moura

  1. 1. Apresentação do<br />Modelo de Auto-Avaliação<br />das Bibliotecas Escolares<br />1<br />Formando: Pedro Moura<br />
  2. 2. 2<br />Biblioteca Escolar /<br />Centro de <br />Recursos<br />Professores<br />do Ensino<br />Regular<br />Sucesso<br />Educativo<br /><ul><li> Professor Bibliotecário
  3. 3. Professores/Educadores
  4. 4. PCT’s
  5. 5. PAA
  6. 6. Coordenadores
  7. 7. Órgão de Direcção
  8. 8. RI
  9. 9. PCA
  10. 10. PEA
  11. 11. RBE
  12. 12. Ministério da Educação
  13. 13. Factores inerentes à estrutura interna
  14. 14. Condições físicas e em termos de equipamentos
  15. 15. Recursos de informação que tem para oferecer</li></ul>Biblioteca Escolar /<br />Centro de <br />Recursos<br />
  16. 16. 3<br />Biblioteca Escolar<br />Centro de Recursos<br />Investimento<br />Financeiro<br />Espaço com recursos<br />e actividades para dinamizar a<br />comunidade educativa<br />Evolução<br />Tecnológica<br />Interactiva, que oferece recursos e<br />Informações em diversos suportes<br />Transformação de<br />informação em conhecimento<br />Trabalho articulado com os<br />professores<br />Sintonia com as metas de aprendizagem e sucesso definidas pela ESCOLA<br />Pontos Fortes<br />Auto-avaliação<br />Áreas a melhorar<br />Priorizar medidas<br />
  17. 17. 4<br />Avaliação<br />Biblioteca Escolar<br />Centro de Recursos<br />Estatísticas<br />Recursos<br />Crescimento<br />Tamanho da Colecção<br />Facilidades de Uso<br />Estruturas Tecnológicas<br />Quantidade de Pessoal<br />Avaliação<br />Biblioteca Escolar<br />Centro de Recursos<br />Recolha de Evidências das<br />Aprendizagens dos alunos<br /><ul><li>Como fazemos?
  18. 18. Como sabemos?
  19. 19. O que é que vamos fazer agora?
  20. 20. Howare wedoing?
  21. 21. Howdo weknow?
  22. 22. Whatare wegoing to do now?
  23. 23. “Self-evaluationisan integral partofthedevelopmentplanningcycle.” (E. S. Scott : 2002)</li></li></ul><li>Avaliação<br />Biblioteca Escolar<br />Centro de Recursos<br />Testam-se quatro domínios<br />Trabalho de colaboração entre <br />Biblioteca e professores em prol <br />do sucesso dos alunos: <br />Desenvolvimento da leitura<br />e das literacias<br />A: Apoio ao desenvolvimento Curricular<br />B: Leitura e Literacia<br />Desenvolvimento de actividades livres,<br />(extra-curriculares ou de enriquecimento<br />curricular)<br />Abertura à comunidade<br />C: Projectos, parcerias e actividades livres de<br />abertura à comunidade<br />Serviços, condições humanas e <br />materiais; articulação da BE com a <br />Escola; Gestão de colecção<br />D: Gestão da Biblioteca<br />Ciclo de quatro anos:<br />Estabelecem-se as prioridades dos domínios a testar<br />
  24. 24. 6<br />Avaliação<br />Biblioteca Escolar<br />Centro de Recursos<br />Recolha de Evidências das<br />Aprendizagens dos alunos<br />Fases do Processo<br />Intervenientes<br />Escolha do domínio<br />Órgão de direcção<br />Professores<br />Recolha de evidências<br />Alunos<br />Gestão e interpretação da<br />informação recolhida <br />Encarregados de Educação<br />Gestão dessas evidências<br />ao nível da escola<br />Outros agentes<br />
  25. 25. Comunicação dos resultados <br />“O Relatório de auto-avaliação da BE deve ser discutido e aprovado em Conselho Pedagógico, bem como o plano de melhoria que vier a ser delineado.<br /> A avaliação da BE deve estabelecer ligações com a avaliação da escola. Do relatório de avaliação da BE deve transitar uma síntese que venha a integrar o relatório da escola.” <br />(O Modelo de Auto-avaliação no contexto da Escola/ Agrupamento, RBE, 2008)<br />Impacto dos resultados<br />A biblioteca deve SER … um verdadeiro centro de aprendizagens!<br /><ul><li> Para a diversificação e diferenciação das metodologias, técnicas e meios utilizados
  26. 26. Para o enriquecimento dos modos de organização do ensino e modalidades de trabalho com alunos e outros docentes
  27. 27. Para um desenvolvimento do currículo efectivamente baseado em conhecimentos e competências</li></ul>(…) weworkvery,veryhard to climbonemountainonly to findtherestoftheschoolon a completelydifferentpeak. Doug Johnson (2002)<br />
  28. 28. Reflexão Final<br />Quando os bibliotecários escolares e os professores trabalham em conjunto os alunos atingem: maiores níveis de literacia, leitura, aprendizagem, resoluçãodeproblemas e competênciasdeinformação e comunicaçãotecnológica.<br />RossTodd (2002)<br />
  29. 29. 9<br />Bibliografia<br /><ul><li>Gabinete da Rede de Bibliotecas Escolares. (2008) “Manifesto da Biblioteca Escolar”
  30. 30. Johnson, D. (2002) “Getting the Most from Your School Library Media Program”. Disponívelnaplataforma
  31. 31. Scott, E. (2002) “How good is your school library resource centre?” 68th IFLA Council and General Conference August. Disponívelnaplataforma
  32. 32. Todd, R. (2002) “School librarian as teachers: learning outcomes and evidence-based practice”. 68th IFLA Council and General Conference August. Disponívelnaplataforma
  33. 33. Texto da sessão. Disponívelnaplataforma</li>

×