"Plano de Negócios 2007-2011" FIESP

1,538 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,538
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
54
Actions
Shares
0
Downloads
26
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

"Plano de Negócios 2007-2011" FIESP

  1. 1. FIESP Plano de Negócios 2007-2011 José Sergio Gabrielli de Azevedo Presidente 21 de Julho de 2006 1
  2. 2. Aviso As apresentações podem conter previsões acerca de eventos futuros. Tais previsões refletem apenas expectativas dos administradores da Companhia. Os termos antecipa", "acredita", "espera", "prevê", "pretende", "planeja", "projeta", "objetiva", "deverá", bem como outros termos similares, visam a identificar tais previsões, as quais, evidentemente, envolvem riscos ou incertezas previstos ou não pela Companhia. Portanto, os resultados futuros das operações da Companhia podem diferir das atuais expectativas, e o leitor não deve se basear exclusivamente nas informações aqui contidas. A Companhia não se obriga a atualizar as apresentações e previsões à luz de novas informações ou de seus desdobramentos futuros. Aviso aos Investidores Norte-Americanos: A SEC somente permite que as companhias de óleo e gás incluam em seus relatórios arquivados reservas provadas que a Companhia tenha comprovado por produção ou testes de formação conclusivos que sejam viáveis econômica e legalmente nas condições econômicas e operacionais vigentes. Utilizamos alguns termos nesta apresentação, tais como descobertas, que as orientações da SEC nos proíbem de usar em nossos relatórios arquivados. 2
  3. 3. Estratégia Corporativa O posicionamento estratégico no que se refere à Missão e Visão 2015 não foi alterado; a Estratégia Corporativa passou a dar maior visibilidade e foco no posicionamento em Energias Renováveis Estratégia Corporativa Responsabilidade Crescimento Rentabilidade Social e Ambiental Liderar o mercadoode petróleo, gás natural, derivados e biocombustíveis na América Latina, Liderar mercado de petróleo, gás natural e derivados na América Latina, atuando como empresa integrada de energia, com expansão seletiva atuando como empresa integrada de energia, com expansão seletiva da petroquímica, da energia e da atividadeda atividade internacional. da petroquímica renovável e internacional. Consolidar e Desenvolver e Expandir Expandir Expandir a ampliar as liderar o mercado seletivamente seletivamente participação no vantagens brasileiro de gás a atuação a atuação no mercado de competitivas natural e atuar de internacional mercado biocombustíveis, no mercado forma integrada de forma petroquímico liderando a brasileiro e nos mercados de integrada com produção nacional sul-americano gás e energia os negócios da de biodiesel e de petróleo e elétrica na companhia ampliando a derivados América do Sul participação no negócio de etanol. Excelência operacional, em gestão, recursos humanos e tecnologia 3 3
  4. 4. Diretrizes e Estratégias Diretrizes Estratégias de Negócio Desenvolver o mercado e E&P monetizar as reservas de gás • Focar a produção e a expansão das reservas natural no Brasil de óleo leve e gás natural Reduzir a dependência por Downstream importação de óleo leve e • Expandir a capacidade de conversão e derivados melhorar a qualidade de produtos refinados • Aumentar a capacidade de bio-refino e os Melhorar a qualidade do negócios de biomassa, petroquímicos e derivado no Brasil e no fertilizantes exterior • Promover a produção brasileira de biodiesel e Reduzir a intensidade de a exportação de etanol carbono das operações e dos Distribuição produtos • Aumentar o market-share no Brasil para derivados e biocombustíveis Assegurar a demanda futura e adicionar valor às exportações Gás & Energia de óleo pesado • Desenvolver e estabelecer um mercado lucrativo e confiável de gás natural, incluindo Explorar, no exterior, as GNL vantagens competitivas da Internacional tecnologia de exploração em • Expandir o E&P no Golfo do México e África águas profundas • Empreender investimentos na capacidade de conversão e na qualidade do refino 4 4
  5. 5. Integração das Atividades da Companhia Plantas Óleo Derivados Petroquímicas H - Bio Importado Importados Biodiesel Derivados Produção Carga Processada Brasileira de Vendidos no no Brasil Petróleo Brasil Etanol Vendas Produção Internacionais Internacional de Refino Petróleo Internacional Produção de Gás Natural Outros no Brasil Energia Renováveis Gás Importado Infra-estrutura Industria GNL 5 5
  6. 6. Fundamentos Premissas Macroeconômicas Premissas 2007-2011 • Mercado indica apreciação da taxa de câmbio. PIB – Mundo (% ao ano) – 4,2 PPP • Brent de robustez da Petrobras PIB – América Latina (% 3,7 abaixo do limite inferior da banda ao ano) – PPP (*) de previsões do mercado. PIB – Brasil (% ao ano) 4,0 Taxa de Câmbio (R$/US$) 2,50 • Custos são projetados em níveis Brent de robustez correntes, sem ajustes para 23,00 (US$/bbl) reduções futuras de preço. 2006 – 62,00 • Preço dos produtos da Petrobras Brent para financiamento 2007 – 55,00 (US$/bbl) acompanham preços internacionais 2008 – 40,00 2009-2011 – 35,00 no médio prazo. Custos Em níveis correntes • Preços do gás natural Parametrizados pelos acompanharão diferenciais Preços domésticos de preços do mercado internacionais aos derivados. derivados internacional * PPP – paridade do poder de compra 6 6
  7. 7. Fundamentos Previsões para o Brent 2006-2015 • Equilíbrio entre oferta e demanda → alta volatilidade no médio e no longo prazo; • Petrobras assume valores conservadores para o preço do Brent → limite inferior da banda de previsão do mercado. 120 Banda de Previsões 100 2007-2011 80 US$/bbl 62 60 56 38 54 39 42 43 44 42 38 38 41 Banda de Previsões 40 29 2004-2010 20 0 2003 2004 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 2012 2013 2014 2015 Máx. e Min. PE 2004-2010 Petrobras (US$ nominais - US$ 35 a partir de 2008 em valores reais) Máx. e Mín PE 2007-2011 7 Obs.: Previsões em valores nominais
  8. 8. Fundamentos Aumento dos Custos • Aumento do preço do petróleo acarreta em altos custos dos serviços da indústria. 350 Evolução dos custos da indústria de E&P e do preço do petróleo (1995 = 100) 300 250 200 150 100 50 0 1995 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 Custos F&D - média de 3 anos Preço do petróleo (Brent) Fonte : Custos – PFC Energy -Média das empresas: Exxon, BP, Shell, Total, Chevron, COP, Eni, Repsol, Petrobras Preços – Platt´s 8 8
  9. 9. Fundamentos Mercado doméstico de derivados • Aumentando a demanda por destilados médios mil bpd 2500 3,1% a.a 2.117 2000 211 1.766 97 128 1500 108 935 777 1000 282 237 500 315 368 201 224 0 2005 2011 GLP Gasolina A Nafta Diesel* + QAV OC Coque e Outros 9 9 *Inclui biodiesel
  10. 10. Fundamentos Mercado doméstico de gás natural 140 Mercado de gás natural 121,0 121,0 120 até 20,0 100 34,0 17,7% a.a. até 30,0 80 Milhões m3/dia 38,6 60 45,4 40 13,5 até 71,0 20 24,8 48,4 0 7,1 Consumido em 2005 Demanda Máxima Oferta Potencial 2011 2011(*) Termelétricas Indústria Outros Produção Nacional Importação da Bolívia GNL * Consumo potencial de GN para geração elétrica considerando despacho máximo de todas as térmicas 10 10
  11. 11. Plano de Investimento Plano de Investimento 2007-2011 US$ 87,1 bilhões Total US$ 75,0 bilhões no Brasil... ...dos quais 14% em SP 56% 14%U S$ 49,3 12 ,1 14% bi US$ 10,2 bi 23,0 US$ 75,0 bi US$ 64,8 bi 1,8 2,2 86% 86% 3% 3,3 7,5 26% 3% 4% 9% E&P Downstream São Paulo Brasil Internacional G&E Petroquímica Outros Estados Distribuição Corporativo Nota: Inclui Internacional 11 11
  12. 12. Plano de Investimento • Novos projetos representam 50% e aumento de custos 23% do Capex adicional em relação ao plano anterior. US$ Milhões • Projetos de exploração e Alteração de Escopo produção 1.824 Ateração do Modelo • Produção Offshore de Negócio Outros • Qualidade do diesel e da 2.957 517 gasolina e carteira de conversão • Renovação da frota e expansão Apreciação do do programa Câmbio 4.189 • Novos projetos de exploração no Brasil Aumento dos Custos • Desenvolvimento da produção 7.792 Jabuti, ESS-164 • H-BIO, modernização RPBC • Exportação de etanol • Novos Navios Novos Projetos • GNL no Nordeste e no Sudeste 17.412 • Novos projetos em E&P e em PN 2006-10 refino no exterior 52.430 12 12
  13. 13. PETROBRAS Investimentos em E&P Metas de produção – Óleo & LGN e Gás Natural Mil boed 7,5% a.a. 4.556 278 7,8% a.a. 742 3.493 185 383 724 2.403 2.217 2.020 551 2.036 101 96 85 94 133 163 289 161 168 274 250 265 2. 812 2. 374 1. 880 1. 540 1. 493 1. 684 2003 2004 2005 M eta 2006 M eta M eta Projeção 2011 22015 015 Ól eo + LGN B r a si l Gá s N a t ur al B r a si l 13 Ól eo + LGN I nt e r nac i ona l Gá s N a t ur al I nt e r nac i ona l
  14. 14. PETROBRAS Investimentos em E&P Principais projetos de produção de óleo e LGN no Brasil Mil bpd 2.600 Albacora Leste Albacora Leste P-50 P-50 180.000 bpd 180.000 bpd Abril/2006 Abril/2006 Roncador Roncador P-52 P-52 ESS-130 ESS-130 2.374 2.400 Jubarte 180.000 bpd 180.000 bpd Golfinho Mód. III**** Golfinho Mód. III**** Jubarte Fase 1 2007 2007 (FPSO) (FPSO) Fase 1 P-34 P-34 100.000 bpd 100.000 bpd 2.368 Parque das Parque das Conchas*** 2008 Conchas*** 60.000 bpd 60.000 bpd Rio de janeiro Rio de janeiro 2008 2.200 Espadarte Mód. II 100.000 bpd 100.000 bpd Out/2006 Out/2006 Espadarte Mód. II 100,000 bpd 100,000 bpd 2.195 2011 2011 FPSO Capixaba FPSO Capixaba 2007 2007 Golfinho Mod. 1 Golfinho Mod. 1 Frade Frade Roncador Roncador 2.000 100.000 bpd 100.000 bpd 2.061 100.000 bpd 100.000 bpd P-55** P-55** Maio 2006 Maio 2006 2009 2009 180.000 bpd 180.000 bpd 1.979 Marlim Sul Marlim Sul 2011 2011 Módulo 2 Jubarte Jubarte Módulo 2 Roncador Roncador P-51 Fase 2 Fase 2 P-51 P-54 P-54 180.000 bpd P-57 P-57 1.800 180.000 bpd 1.880 180.000 bpd 180.000 bpd 2008 2008 180.000 bpd 180.000 bpd 2007 2007 2010 2010 Piranema Piranema 1.600 1.684 20.000 bpd 20.000 bpd Cidade de Vitória Cidade de Vitória Golfinho Mod. 2 Marlim Leste Marlim Leste P-53* P-53* Postergado Out 2006 Out 2006 Golfinho Mod. 2 100.000 bpd 100.000 bpd 180.000 bpd 180.000 bpd Novo 2009 2007 2007 2009 Antecipado 1.400 2005 2006 2007 2008 2009 2010 2011 * No plano anterior a P-53 estava prevista 2008 **No plano anterior a P-55 estava programada para 2010 *** Abalone, Ostra, Argonauta e Nautilus (antigo BC10): participação Petrobras 35% 14 **** No plano anterior, Golfinho Mód. 3 estava previsto para 2010
  15. 15. PETROBRAS Investimentos em E&P Principais projetos entre 2011-2015 no Brasil Para sustentar o crescimento da produção de petróleo serão implementados 15 grandes projetos entre 2011-2015 com destaque para: Produção de Óleo no Brasil (Mil barris) 2900 2.812 2800 2700 • Marlim Sul P-56 • Roncador P-55 2600 • Papa-Terra Mod. 1 e 2 • Marlim Sul Mod 4 2500 • Roncador Mod 4 2400 2.374 • Cachalote e Baleia Franca • Baleia Azul 2300 2200 2100 2011 2015 15
  16. 16. PETROBRAS Investimentos em Abastecimento US$ 23,1 bilhões na área de downstream... ...dos quais US$ 14,2 bilhões em refino 14% 6% 26% US $ US$ 3,7 0, US$ 3,2 9 19% US$ 2,7 12% US$ 2,8 61% US$ 2,5 US$ 14,2 18% US$ 4,4 0 3, $ US 13% 31% Refino Transporte D&T Qualidade Gasolina e Diesel Expansão Transpote Marítimo Petroquímica SMS Conversão Outros • Agregando valor ao nosso óleo pesado e produzindo diesel e gasolina de acordo com padrões internacionais. 16
  17. 17. PETROBRAS Investimentos em Abastecimento Investimentos em Petroquímica Principais projetos Unidade Petroquímica Básica: - 150.000 bbl/d de óleo de Marlim; - Produtos: Diesel, LPG, Etileno, Complexo Petroquímico do Rio de Propileno, PX, Benzeno e Coque. Janeiro Complexo petroquímico Integrado: - Polipropileno; Complexo Acrílico /SAP - Polietileno; - PTA; PTA Pernambuco - Etileno glicol; - PET; - Estireno; Unidade de fertilizantes - Fenol. Nitrogenados III Fafen BA • Investimentos de US$ 3,3 bilhões em Petroquímica; • Redução do déficit brasileiro e adição de valor à produção do Downstream. 17
  18. 18. PETROBRAS Investimentos em Abastecimento Transporte Marítimo Projetos Programa de modernização e expansão da frota (PROMEF) 26 Navios PROMEF 16 Navios 1 FSO (Floating, Storage & Offloading) 10 PSV (Navio de Suprimento de Plataforma) Investimentos de US$ 2,8 bilhões entre 2007-2011 18 18
  19. 19. PETROBRAS Investimentos em Distribuição Participação das Distribuidoras no Brasil (%) • Liderar o mercado brasileiro de derivados e biocombustíveis 34% •Expandir o market-share doméstico e 21% expandir a carteira de clientes 8% • Internacionalizar e adicionar valor à marca Petrobras 7% 13% 17% BR Ipiranga Shell Esso Texaco Outras US$ 2,2 bilhões a serem investidos no período 2007-2011 19
  20. 20. PETROBRAS Investimentos em Gás Natural Desafios Metas do PN 2007-2011 Mais de 75% da produção atual de gás Investimentos para desenvolver a natural é de gás associado produção de gás não-associado Risco de falta de oferta de gás devido GNL irá garantir flexibilidade para a anormalidades evitar tais riscos Carência de infra-estrutura para Investimentos totais (Petrobras e desenvolver o mercado brasileiro parceiros) na cadeia de gás natural no Brasil somam US$ 22,1 bilhões 20
  21. 21. PETROBRAS Investimentos em Gás Natural Principais Projetos GNL - Gás Natural Liquefeito Gasene - Perna Norte Gasoduto Urucu-Coari-Manaus Manutenção da infra-estrutura de transporte de GN Malha de gas do Sudeste Ampliação Gasbel Ampliação trecho sul do Gasbol (distribuição do GNL) Malha de gasodutos do Nordeste US$ 6,5 bilhões investidos entre 2007- Construction Current Under evaluation GASBOL 2011 • Preços do gás natural acompanharão diferenciais internacionais aos derivados. 21
  22. 22. PETROBRAS Investimentos em Gás Natural Curva de Entrega Milhões m3/dia Cavalo SPS25 RJS633 Marinho Roncador Urucu 80 ESS164 2009 2010 2010 (P-55) Início da 2008 2011 venda do gás 2007 70 70 Mexilhão Roncador Golfinho 2009 70,6 (P-54) Mód 2 Canapu 65,2 60 2007 2007 2008 Tambaú/Uruguá Parque das Conchas 2010 Peroá- Frade 2011 50 Cangoa Fase 1 2009 Jubarte Fase 2 2006 49,4 Marlim Leste (P-57) Marlim Sul 40 2010 GN Não associado GN associado Mód 2 (P-53) Manati ESS130 (P-51) 2009 2006 2008 2008 34,1 30 Piranema Peroá- 27,5 2006 Cangoa 20 Roncador (P-52) Albacora Fase 2 2007 Jubarte 2007 Complementar Albacora 10 (P-34) Espadarte 2007 Leste 2006 (P-50) Mód. 2 2006 2007 0 Golfinho Mód 1 2006 2006 2007 2008 2009 2010 2011 • Produção de gás não associado em 10 novos campos e em Merluza. 22
  23. 23. PETROBRAS Investimentos em Gás Natural Plangás 2008 – Ampliação da Oferta do Sudeste Plangás • Ampliação da oferta de gás natural do Sudeste: dos atuais 15,8 milhões de metros cúbicos por dia para 40 milhões em 2008. • Desenvolvimento de dois novos campos de óleo e gás no Espírito Santo (1-ESS-164 e 1-ESS-130) • Aumento da oferta de gás natural do campo Marlim (Bacia de Campos) • Expansão da produção de gás do campo Merluza (Bacia de Santos) • Investimentos totais de US$ 7 bilhões. RPBC Reduc 23
  24. 24. Redução da intensidade de carbono das operações e dos produtos Óleo Gás Natural Renováveis Disponibilidade de 855.000 m3/ano de biodiesel Processamento de 425.000 m3/ano de óleo vegetal (H-BIO) 3,5 milhões m3 de exportação de etanol Capacidade instalada de geração de energia de 240 MW de fontes renováveis Emissões evitadas de gases de efeito estufa: 3.93 (Milhões de Toneladas de CO2 Equivalente) Investimentos de US$ 0,7 bilhões em energia renovável e biocombustíveis 24 24
  25. 25. PETROBRAS Investimentos Internacionais Capex Total: US$ 12.1 billion Metas 0,8% 1,7% 0,8% 14% a.a. 568 1,7% Mil boed E&P 185 Refino e Marketing 259 262 Petroquímica 24,8% 94 96 383 Gas e Energia 70,2% 168 163 Distribuição Corporativo 2004 2005 Meta 2011 Óleo e LGN Gás Natural Áreas Foco: • Refino • Adicionar valor às exportações de óleo pesado brasileiro • E&P: Oeste da África (Nigéria e Angola) & Golfo do México: • Aplicar tecnologia de perfuração em águas profundas. • América Latina: • Liderança como uma empresa de energia integrada 25
  26. 26. PETROBRAS Investimentos no Estado de São Paulo US$ milhões Área/ Projeto 2007-11 E&P 3.301 •Desenvolvimento da Bacia de Santos, incluindo Mexilhão Gás Natural 428 •Ampliação da rede de distribuição de gás no Estado Energia 191 •Cubatão e Conversão de Térmicas para Biocombustível Petroquímica 88 •Unidade de Polipropileno Transporte D&T e Marítimo 1.498 •Plano Diretor de Dutos e Álcooldutos Refino •Aumento da capacidade de conversão e a qualidade dos produtos das 4.473 refinarias do Estado (REPLAN, REVAP, RPBC e RECAP) Distribuição • Ampliação da distribuição de gás e GLP, Projeto “Asfalto, Automotivo, 256 Aviação” e “Grandes Consumidores” Corporativo 7 Total 10.243 26
  27. 27. PETROBRAS Metas Financeiras Principais Indicadores Financeiros Média Média Indicadores 2006-2010 2007-2011 Retorno sobre o Capital Empregado (ROCE) (%) 15 16 Captação de Recursos por Financiamento LP 2,9 3,1 (US$ Bilhão)* Saldo de Caixa (final do ano) (US$ Bilhão) 4,4 3,5 Dívida Líq. / Dívida Líq. + Patrimônio 28 25 (Alavancagem Financeira) (%) FCO antes juros e impostos / Juros 8,6x 13,7x Fluxo de Caixa Operacional Livre 1,5 1,5 (US$ Bilhão) Sensibilidade ao Preço Brent em 2007-2011(média anual) Cada variação de US$ 5,00 do preço do Brent resultará em: • variação de 3 pp no ROCE; • variação de US$ 3,5 bilhões na geração de caixa operacional; • variação de 10 pp na alavancagem. 27
  28. 28. Metas Financeiras Fontes e Usos Fontes Usos (US$ 99,3 bilhões) (US$ 99,3 bilhões) 12,6 12,2 86,7 87,1 2004-2010 2004-2010 Recursos de Terceiros Amortização Investimentos Geração Própria (líquido de dividendos) • Acumulado do Lucro Econômico Gerado (2006-2015): US$ 83,4 bilhões (US$ 53,9 bilhões até 2011). 28 28
  29. 29. PETROBRAS Conteúdo Nacional O PN 2007-11 indica que 66% dos Investimentos relacionados aos projetos do País serão colocados juntos ao mercado fornecedor nacional, resultando em uma média de US$ 10 bilhões/ano colocados nesse mercado US$ bilhões Investimento Colocação no Conteúdo Área de Negócio Doméstico Mercado Nacional Nacional (%) 2007-11 2007-11 E&P 40,7 22,0 54% Abastecimento 23,1 18,1 78% G&E 7,2 6,3 87% Distribuição 2,2 2,2 100% Áreas Corporativas 1,7 1,4 80% Total 75,0 49,9 66% 29
  30. 30. PETROBRAS Empregos O Plano de Investimentos demandará, em média no Brasil no período 2007-11, cerca de 840 mil postos de trabalho totais, sendo 225 mil diretos... Média Anual Postos de Trabalho (Mil) 2007-11 Postos de Trabalho Diretos 225 Postos de Trabalho Indiretos mais Efeito Renda 615 Postos de Trabalho Totais 840 ...atingindo em 2007 mais de 970 mil postos entre diretos, indiretos e efeito renda 30
  31. 31. PETROBRAS Valor Adicionado O Valor Adicionado no País gerado pelas atividades da Petrobras acrescido do impacto na cadeia produtiva dos investimentos e dos gastos operacionais estão apresentados abaixo, representando em média, cerca de 10% do PIB brasileiro R$ Bilhões Média Anual Valor Adicionado Gerado pela: 2007-2011 Petrobras no País 117 Cadeia Produtiva dos Investimentos 46 Cadeia Produtiva dos Gastos Operacionais 53 Total do Valor Adicionado 216 31
  32. 32. Bolívia Decreto 28.701: • Estado boliviano toma controle de todos os segmentos da indústria no país; •YPFB assume a comercialização: define condições, volumes e preços para mercado interno e externo; • Estado estabelece período de transição de 180 dias para normalizar situação sob novos contratos individualmente aprovados pelo congresso; • Estado nacionaliza as ações necessárias para que a YPFB controle no mínimo 50% mais 1 das ações da Petrobras Bolivia Refinación S.A.. A nacionalização do petróleo e do gás boliviano, no entanto, não afeta o contrato firmado com a Petrobras, que garante a venda de até 30 milhões m3/dia de gás natural até 2019. 32 32
  33. 33. Bolívia • Como conseqüência das medidas adotadas pelo governo boliviano, a Petrobras irá atuar para: • Defender seus interesses através de negociações, por meio de todos os meios legais; • Suspender todos novos investimentos neste país, bem como aqueles relacionados ao gasoduto Bolívia-Brasil (Gasbol); • Iniciar imediatamente estudos visando diversificar suas fontes de suprimento, incluindo o GNL. Em 2005, a Bolívia representou: Investimentos na Bolívia (US$ milhões) • 3,7% das reservas totais 250,0 218, 4 • 2,4% da produção total 200,0 178, 0 151, 9 • 1,5% das receitas operacionais 128, 7 135, 7 líquidas 150,0 • 1,1% do lucro líquido 100,0 74, 3 49, 7 33, 4 34, 9 50,0 18, 7 4,5 0,0 1996 1997 1998 1999 2000 2001 2002 2003 2004 2005 1T 2006 33 33
  34. 34. Bolívia Compra de Gás: estrutura contratual Bolívia Brasil YPFB - PETROBRAS BOLIVIA/OUTRAS PRODUTORAS - YPFB - PETROBRAS Contrato de Risco Compartilhado Contratos back-to-back Contrato GSA (concessão exploratória e de produção) (venda de gás) (exportação de gás) Legislação boliviana Legislação boliviana Fórum: Santa Cruz Fórum: Santa Cruz Tribunal Arbitral: Câmara de Tribunal Arbitral: Câmara de Comércio Internacional (ICC) Comércio Internacional (ICC) Fórum: Nova York Tribunal Arbitral: American Arbitration Association Tratado de Proteção de Investimentos entre a Bolívia e a Holanda ICSID (International Center for Settlement of Investments Disputes) 34 34
  35. 35. Bolívia Vendas de gás ao Brasil: estrutura contratual YPFB e YPFB com PETROBRAS CEG MSgás Comgás GASBOL Gas Natural YPFB PETROBRAS CEGRIO Sulgás SPS GAS SALE AGREEMENT Gas Compagás SCgás Brasiliano OUTRAS 35 35
  36. 36. Bolívia Vendas de gás ao Brasil: estrutura contratual BG TESORO YPFB MAXUS e YPFB com PETROBRAS ENRON CEG MSgás BG Comgás CHACO REPSOL SHELL GASBOL ANDINA ENRON Gas Natural YPFB ENRON/SHELL PETROBRAS CEGRIO REPSOL Sulgás ENRON REPSOL SPS PLUSPETROL GAS SALE AGREEMENT Gas Compagás ENRON SCgás AGIP Brasiliano VINTAGE OUTRAS PECOM OUTRAS 36 36
  37. 37. Bolívia Vendas de gás ao Brasil: estrutura contratual BG TESORO YPFB PETROBRAS, MAXUS REPSOL e YPFB E com TOTAL PETROBRAS ENRON CEG MSgás BG Comgás CHACO REPSOL SHELL GASBOL ANDINA ENRON Gas Natural YPFB ENRON/SHELL PETROBRAS CEGRIO REPSOL Sulgás ENRON REPSOL SPS PLUSPETROL GAS SALE AGREEMENT Gas Compagás ENRON SCgás AGIP Brasiliano VINTAGE OUTROS PRODUTORES OUTRAS PECOM OUTRAS 37 37
  38. 38. Comentários Finais Integração Vertical Média das Majors * 4.793 3.176 2.735 Média das Companhias Nacionais ** 1.579 1.630 4.329 2011: Petrobras Nova Refinaria adiocionará capacidade de 200 mil bpd 2.296 2010: Renovação da Refinaria Pasadena concluída – 2.114 processamento de 70 mil bpd de óleo pesado Venda de Produtos (mil. bpd) 2.217 Refino (mil bpd) 3.400 Produção (mil boed) Meta 2011 *** dados de 2004, exceto os da Petrobras (2005) 38 38 * Majors: BP, Exxon, Total, Royal Dutch Shell, Chevron, Conoco and Repsol-YPF ** Companhias Nacionais: PEMEX, PDVSA, Saudi Amraco, KPC, Pertamina and Sonatrach Fonte: PIW Intelligence e Petrobras
  39. 39. PETROBRAS Sessão de Perguntas 39

×