Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Edição 36 - Petrobras em Ações - nº 01/2011

1,567 views

Published on

  • Be the first to comment

Edição 36 - Petrobras em Ações - nº 01/2011

  1. 1. Relacionamento com Investidores • Ano XI • nº 36 Prêmio no Chile n A Petrobras Chile recebeu o Prêmio de Empresa Destaque em 2010 por sua Novidades do pré-sal contribuição ao desenvolvimento econômico daquele país. O reconhecimento se deu pela importância da companhia no mercado local O de combustíveis, com investimentos em tecnologia, qualidade e meio ambiente. primeiro sistema definitivo de produção do pré-sal teve início em outubro de 2010, no campo de Lula, com a entrada em Acordos com chinesas operação da plataforma Cidade de Angra dos Reis. No primeiro n A Petrobras assinou dois importantes acordos com as empresas chinesas trimestre de 2011, a companhia iniciou Testes de Longa Duração Sinopec (China Petrochemical Corporation) (TLDs) em outros campos do pré-sal. O objetivo dos TLDs é obter informa- e Sinochem (Sinochem Corporation). Com ções sobre as características dos reservatórios para a definição dos projetos a Sinopec, a companhia firmou Acordo definitivos de desenvolvimento da produção. de Cooperação Tecnológica para troca de conhecimentos em geofísica, geologia Em fevereiro, entrou em operação o TLD do reservatório de e engenharia de reservatórios. Com a Tracajá, localizado a 124 km da costa do Rio de Janeiro, na área do pré-sal Sinochem foi assinado Memorando de do campo de Marlim Leste, na Bacia de Campos. A descoberta de Traca- Entendimentos para Cooperação Estratégica já faz parte do Programa Planóleo, que busca intensificar os trabalhos de para identificar e viabilizar oportunidades de negócios nas áreas de upstream, exploração e produção nas áreas próximas a campos que já se encontram comercialização e recuperação de campos em operação. maduros. Em abril, outros dois TLDs foram iniciados: na área nordeste do campo de Lula, no pré-sal da Bacia de Santos, a cerca de 300 km da costa do Rio de Transporte de etanol n Em março, foi criada a Logum Logística Janeiro, e na área de Brava, na concessão de produção do campo de Marlim, S.A., que será responsável pela construção, localizado a 170 km da cidade de Macaé (RJ). O TLD de Lula Nordeste é desenvolvimento e operação de um um projeto do consórcio formado pela Petrobras (operadora, com 65% de abrangente sistema logístico multimodal participação), BG Group (25%) e Galp Energia (10%). para transporte e armazenagem de etanol. Petrobras, Copersucar S.A., Cosan S.A. Cinco reservatórios estão em produção no pré-sal da Bacia de Campos: Indústria e Comércio e Odebrecht Transport Brava, Jubarte, Baleia Franca, Tracajá e Carimbé (este último iniciado em Participações S.A. detêm, cada uma, 20% 2010, na concessão do campo de Caratinga). O petróleo do pré-sal das ações da empresa. também já está sendo exportado: 1 milhão de barris de petró- Aquisição da Innova leo extraídos do campo de Lula foram vendidos à estatal chilena Empresa n A Petrobras passou a deter 100% Nacional de Petróleo (Enap). do capital social da Innova, empresa petroquímica brasileira antes controlada pela Petrobras Energia Internacional (Pesa). Assim, a companhia terá autonomia para realizar novos investimentos na Innova e alinhar a atuação desta empresa aos seus negócios Navio-plataforma no Brasil. Ao mesmo tempo, a Pesa poderá FPSO Cidade de Angra concentrar suas atividades na Argentina. O valor da operação foi de US$ 332 milhões. dos Reis Produção em março n A produção média de petróleo e gás natural da Petrobras, no Brasil e no exterior, em março, foi de 2.613.994 barris de óleo equivalente por dia (boed), ante 2.603.953 boed em fevereiro. No Brasil, a produção alcançou 2.376.186 boed. No mês, houve retorno à produção de plataformas que se encontravam em manutenção e entrada em Petrobras Executivo Construção operação do Teste de Longa Duração do é destaque nos de Petróleo do e afretamento de campo de Sidon, na Bacia de Santos. EUA Ano sondas Pág. 3 Pág. 4 Pág. 4
  2. 2. Resultados do primeiro trimestre de 2011LUCRATIVIDADE N o primeiro trimestre de prio para os acionistas e pagos R$ 1 bi- A modernização das refinarias 2011 (1T11), a Petrobras obteve lhão 565 milhões em dividendos. Além possibilitou maior produção de diesel lucro líquido recorde, que disso, foi aprovada a distribuição de melhor qualidade. atingiu R$ 10 bilhões 985 milhões, antecipada de remuneração aos O preço médio, em reais, dos deri- 42% superior ao registrado no mesmo acionistas, sob a forma de juros so- vados vendidos no mercado brasileiro período de 2010 (1T10), e também bre o capital próprio, no montante de aumentou 4% na comparação entre o registrou aumento do lucro bruto, R$ 2 bilhões 609 milhões. 1T11 e o 1T10, e as vendas nesse com variação positiva de R$ 894 mi- A produção total de petróleo e mercado no período foram 7% lhões. O aumento na cotação do petró- gás natural no Brasil e exterior no 1T11 superiores às do 1T10. No 1T11, leo Brent, que atingiu a média de aumentou 3% em relação ao 1T10, a importação de petróleo aumentou US$ 104,97 no 1T11 (contra US$ 76,24 atingindo a média diária de 2 milhões devido à necessidade de recomposi- no 1T10), elevou as receitas da exporta- 627 mil barris de óleo equivalente (boed). ção de estoque. Além disso, as impor- ção e da produção. As vendas do seg- Entraram em operação novos projetos tações de derivados aumentaram 2% mento internacional registraram aumen- do Plano de Antecipação da Produção no período como reflexo do cresci- to na receita de R$ 1 bilhão e 94 milhões. de Gás (Plangas). Houve elevação da mento na demanda. No mesmo período, as despesas fica- produção nas plataformas exis- Em janeiro de 2011, a compa- ram estáveis em relação ao 1T10. Com tentes e também no piloto do campo nhia realizou a maior colocação de isso, a companhia obteve lucro opera- de Lula, além de vários testes de longa dívida por uma empresa brasileira no cional 8% superior e geração operacio- duração (TLDs) na área do pré-sal. mercado internacional de capitais, com a nal de caixa (EBITDA) 7% maior em Destaca-se no trimestre a utili- emissão de títulos no valor de US$ 6 bi- relação ao 1T10. Os investimentos zação de 92% da capacidade lhões (vencimentos de 5, 10 e 30 anos). Os no 1T11 totalizaram R$ 15 bilhões nominal das refinarias no Bra- recursos captados são para investimentos 871 milhões. sil, decorrente dos investimentos em do Plano de Negócios, mantendo-se a es- No mesmo período, foram desem- melhorias operacionais. Foram proces- trutura adequada de capital e o grau de bolsados R$ 2 bilhões 218 milhões sados 1 milhão 852 mil bpd de petró- alavancagem financeira em linha com a título de juros sobre o capital pró- leo, 7% a mais do que no 1T10. as metas da companhia.RESULTADOS & RETROSPECTIVA Em R$ Milhões 1T11 1T10 Variação (%) Em R$ Milhões 1T11 1T10 Variação (%) Vendas líquidas 54.800 50.412 8,7 EBITDA 16.093 15.076 6,7 Lucro bruto 20.204 19.310 4,6 Valor de mercado (controladora) 402.487 332.381 21,1 Lucro operacional * 12.536 11.617 7,9 Investimentos consolidados 15.871 17.753 (10,6) Lucro líquido 10.985 7.726 43 Endividamento líquido** 66.064 62.067 6,4 Lucro líquido por ação (R$) 0,84 0,88 (4,5) Estrutura de capital (capital de terceiros 34 33 3,0 líquido / passivo total líquido) (percentual)** * Antes das receitas e despesas financeiras e da equivalência patrimonial. ** (1T 2011 x 4T 2010) Em mil barris óleo equivalente/dia 1T11 1T10 Variação (%) Produção total de petróleo, LGN e gás natural 2.627 2.547 3,1 500 Produção total de derivados 1.877 1.765 6,3 450 Exportação líquida de petróleo e derivados (38) 126 (130,2) 400 Capacidade de utilização das refinarias – no Brasil 2.007 1.942 3,3 350 Capacidade de utilização das refinarias – no exterior 281 281 0,0 300 Participação do óleo nacional na carga processada 82% 80% 2,5 162% IBOV 250 Variação Real Acumulada das Ações 200 145% PETR3 150 IBOVESPA PETR3 PETR4 135% PETR4 (%) (%) (%) 100 Nos últimos 10 anos 433,08 ou 18,22 a.a. 403,88 ou 17,55 a.a. 376,85 ou 16,91 a.a. 50 1/1/2006 1/7/2006 1/1/2007 1/7/2007 1/1/2008 1/7/2008 1/1/2009 1/7/2009 1/1/2010 1/7/2010 1/1/2011 Nos últimos 5 anos 189,72 ou 23,71 a.a. 47,94 ou 8,15 a.a. 46,68 ou 7,96 a.a. No último ano 5,95 (26,65) (25,62)
  3. 3. INTERNACIONALEXPLORAÇÃO & PRODUÇÃO Mais um bloco exploratório Petrobras é destaque na África nos Estados Unidos A Petrobras adquiriu 50% de participação no bloco 4, lo- calizado na costa do Benin – país A Petrobras tem se destacado em suas operações nos Estados Unidos. O Escritório de Administra- “Indústria do Ano”, em reco- nhecimento à “excelência dos servi- ços prestados à comunidade” pela situado na costa oeste da África, junto à ção, Regulamentação e Supervisão refinaria da Petrobras. empresa Compagnie Béninoise des de Energia Oceânica dos Estados A PRSI é membro da Câmara de Hydrocarbures (CBH), subsidiária da Unidos (BOEMRE, na sigla em inglês) Comércio de Pasadena há 53 anos Lusitania Petroleum, que permanece concedeu licença para a com- e se orgulha por contribuir para o com os 50% restantes. A CBH perma- panhia iniciar a produção de contínuo crescimento e prosperi- nece como operadora do ativo, mas a petróleo e gás natural em seu dade da cidade e áreas adjacentes. Petrobras tem o direito de assumir a projeto nos campos de Cascade e A Petrobras, desde a compra da refi- operação. Chinook, no Golfo do México. naria em 2008, tem realizado inves- A expectativa é encontrar óleo leve, A direção do órgão destacou timentos para aprimorar a eficiência reproduzindo descobertas realizadas a qualidade tecnológica do e a segurança. em atividades exploratórias no conti- projeto da Petrobras e ressal- nente africano, segundo a estratégia da tou a colaboração entre a indústria Petrobras de buscar oportunidades em e o governo americano para a pro- águas profundas e ultraprofundas na dução segura de recursos de energia região, onde já possui importante atua- no país. ção. O bloco cobre uma área de Com essa licença, a Petrobras aproximadamente 7,4 mil km2, iniciará em breve a produção com profundidade d’água que varia de no Golfo do México em cam- 200 metros a 3 mil metros, a uma dis- pos localizados a 2.500 metros de tância média de 60 km da costa. profundidade e utilizará o primeiro navio-plataforma do tipo FPSO a operar na região. Já a Refinaria de Pasadena (PRSI), localizada em Pasadena, no Operação inéditaLOgíSTICA Texas (EUA), recebeu da Câmara de Refinaria de no mar Comércio daquela cidade o prêmio Pasadena A Petrobras realizou com sucesso, em março, a primeira opera- Anunciado Terminal de gÁS E ENERgIA ção de abastecimento de bunker Regaseificação na Bahia a partir de outro navio em São Luís (MA). O procedimento ocorreu a cerca de 20 km da entrada do porto de São Luís, onde estão fundeados 95% dos navios com destino ao porto da ca- pital maranhense. E m março, foi assinado Protocolo de Intenções entre a Petrobras e o governo do estado da Bahia com sentando um investimento de US$ 706 milhões, com índice de nacionalização de 80%. Para a implantação dessa nova mo- o objetivo de definir ações a serem Quando o TRBA entrar em ope- dalidade de abastecimento foi incor- tomadas pelas partes que propicia- ração, o Brasil terá capacida- porado à frota de bunker o navio Sea rão as condições para a implantação de de regaseificar 35 milhões Emperor, com casco duplo, equipado do Terminal de Regaseificação da de m³/dia, volume maior que os com propulsor que facilita as manobras Bahia (TRBA). 31 milhões de m³/dia de gás natu- e tem capacidade de fornecimento de A construção do Terminal, que ral importados da Bolívia. Assim, a 12 mil toneladas. O potencial de aten- terá capacidade para regaseifi- Petrobras agregará ainda mais segu- dimento nos terminais que compõem car 14 milhões de m³/dia, vai rança e flexibilidade ao atendimento o porto (Itaqui, Ponta da Madeira e assegurar a injeção de gás natural no do mercado, uma vez que ampliará Alumar) é de 70 navios por mês. maior estado consumidor deste o acesso a diferentes fontes de oferta Com o início das operações, a combustível do Nordeste. A obra co- (nacional e importada). A malha de Petrobras espera um crescimento susten- meçará em março de 2012 e será gasodutos brasileira atingiu 9.634 km tável nas vendas do produto na região. concluída em agosto de 2013, repre- em 2010.
  4. 4. Executivo de Petróleo do Ano O presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli de Azevedo, foi eleito o Executivo de Petróleo do Ano pela Energy Intelligence, um importante pro- vedor independente de informações e análises para o setor de energia há mais de 60 anos. Ele foi escolhido entre os dirigentes das cem maiores companhias do mundo no segmento. A escolha de Gabrielli se deu por liderar a companhia num período de grande crescimento, cujos principais destaques foram: as descobertas no pré-sal (as mais importantes da última década), o sucesso da operação de capitalização, o segun- do maior valor de mercado entre empresas de petróleo e a posição da Petrobras como líder em tecnologia de exploração e produção em águas profundas, com um dos mais altos padrões de segurança e eficiência do setor. Programa de Uma das mais Financiamento de sustentáveis do Fornecedores mundo A Petrobras lançou o Programa Progredir, que viabiliza de for- ma ágil e padronizada a oferta de A Petrobras aparece pelo segundo ano consecutivo entre as cem empresas mais sustentáveis do mundo, segundo o crédito em volume e condições ranking Global 100 da revista Corporate competitivas para as empresas que Knights, publicação canadense especializada integram a cadeia de fornecedores em responsabilidade social e desenvolvi- da Petrobras. Cerca de 20 mil em- mento sustentável. presas compõem a cadeia de forne- O estudo foi elaborado com base numa cedores de bens e serviços da Petro- pesquisa que analisou 3.500 companhias de bras e as empresas de pequenos e 24 países e de todos os setores da econo- médio porte encontram dificuldade mia. A Petrobras subiu 12 posições em rela- de acesso a recursos financeiros. ção ao ranking anterior e ficou em 88º lugar, A estimativa é que o custo de capta- sendo uma das três empresas brasileiras da ção dos fornecedores caia, em mé- lista (Natura, 66º, e Bradesco, 91º). dia, 20%. A iniciativa, desenvolvida em parceria com os seis maiores banco de varejo do País e com o Programa de Mobilização da Indústria Nacio- Construção e afretamento de sondas nal de Petróleo e Gás Natural, conta com o apoio da indústria e de suas entidades de classe. O crédito não A Petrobras aprovou a contratação para construção e afretamento de sete sondas. Esse lote faz parte dos A Sete BR é uma empresa constituída pelo Fundo de Investimentos em Participações, gerido pela Caixa Eco- envolve recursos da Petrobras. processos de licitação destinados à nômica Federal, que detém 90% da A fase piloto do programa, que é contratação de até 28 sondas de per- empresa e terá como quotistas inves- complementar a outras ações da furação marítima para atendimento tidores de mercado. A Petrobras dete- Companhia voltadas para o fortale- do programa de perfuração de longo rá 10% das ações da nova empresa. cimento de sua cadeia produtiva, foi prazo da companhia, prioritariamente A Sete BR admitirá como parceiras implantada em setembro de 2010. para utilização nos poços do pré-sal. e coproprietárias dos navios-sonda Nesta primeira etapa, 15 empresas O contrato de afretamento será empresas com experiência operacio- obtiveram financiamento junto aos realizado com a Sete Brasil S.A. (Sete nal para operar as sondas na presta- bancos por meio da iniciativa, com BR), que assumirá o contrato de cons- ção dos serviços contratados pela volume total de R$ 137 milhões. trução com o Estaleiro Atlântico Sul. Petrobras. 9 10Informativo publicado pela Gerência de Relacionamento com Investidores da Petrobras • Gerente executivo: Theodore Helms • Editor e jornalista responsável: OrlandoGonçalves Jr. MTb-MA 993 • Colaboração: Bianca Nasser, Fabrizio Carega, Gregor Iriarte (estagiário) e Luciana Guilliod • Contato: Suporte ao AcionistaTels.: (21) 3224-1540/4914 e 0800 282-1540 • Fax: (21) 2262-3678 • Endereço: Av. República do Chile, 65 / Sala 2202-B • Centro – Rio de Janeiro – RJ – CEP 20031-912 • E-mail: acionistas@petrobras.com.br • Projeto gráfico e diagramação: Estúdio Matiz Visite nosso site www.petrobras.com.br/ri

×