Edição 22 - Petrobras em Ações - n° 01/2007

371 views

Published on

Published in: Technology, Business
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
371
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
1
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Edição 22 - Petrobras em Ações - n° 01/2007

  1. 1. Petrobras em Ações RELACIONAMENTO COM INVESTIDORES • ANO VII • N º 22 / MARÇO 2007 DESTAQUES Juros sobre Capital Próprio ■ O Conselho de Administração da Petrobras Novas fronteiras aprovou em 2006 duas antecipações de remuneração aos acionistas sob a forma de juros sobre o capital no Golfo do México A próprio, nos valores brutos de R$ 1,00 (em 20 de Petrobras, por intermédio de sua afiliada Petrobras América Inc., outubro) e R$ 0,45 (em 15 de dezembro) por ação tem obtido importantes conquistas na parte norte- ordinária e preferencial. O primeiro valor foi pago em 4 de janeiro e o segundo em 30 de março. Ambos americana do Golfo do México. Na área de Exploração e serão descontados da remuneração a ser distribuída Produção, a empresa atua em quatro diferentes regiões na bacia sedi- relativa ao exercício social de 2006, que teve mentar do Golfo. O projeto Cottonwood (Petrobras 100%), na parte dividendo total aprovado de R$ 1,80 por ação. central, iniciou recentemente sua produção em reservatórios de idade Esses valores estão sujeitos à incidência de 15% de Miocênica fechado contra as paredes de um domo de sal. Situado em imposto de renda na fonte, exceto para os acionistas que declararem ser imunes e isentos. Para mais uma área mais madura da bacia, a produção estimada é de 20 mil barris detalhes acesse a área “Comunicados” no endereço por dia, através de dois poços em águas profundas. http://www.petrobras.com.br/ri . Já em águas ultraprofundas, onde a companhia realizou quatro des- cobertas nos últimos cinco anos, os reservatórios em camadas inferiores Captação de US$ 500 milhões das formações do período Terciário (descobertos pioneiramente pela ■ A Petrobras International Finance Company, Petrobras), tiveram sua produtividade comprovada em 2006 por teste de subsidiária integral da Petrobras, colocou no mercado internacional de capitais, em outubro de longa duração realizado pela Chevron no projeto Jack. Segundo Renato 2006, títulos do tipo “Global Notes”, no valor Tadeu Bertani, então presidente da Petrobras América, está previsto de US$ 500 milhões. Os títulos apresentam um para 2009 o início de produção em Cascade e Chinook, rendimento líquido (yield to investor) de 6,185% ao onde a Petrobras instalará um FPSO (Floating Production Storage and ano, com prazo de vencimento de 10 anos, o que Offloading), uma plataforma com tecnologias jamais utilizadas no Golfo do significa uma taxa 1,55 pp acima do Título do Tesouro Americano de prazo comparável. A estraté- México, cuja licença já foi obtida junto ao MMS (órgão regulador). gia da emissão está alinhada com a recompra de Na região mais próxima à costa, a Petrobras possui prospectos em terra títulos antigos, efetuada recentemente pela companhia. e no mar, em águas rasas. Apesar da paralização do projeto Blackbeard, operado pela Exxonmobil (Petrobras 20%), devido à alta temperatura e Recompra de ações pressão no poço em perfuração, outro prospecto com alto potencial para ■ No dia 15 de dezembro o Conselho de significativas reservas de gás está sendo perfurado em terra. Finalmente, na Administração autorizou a recompra de ações preferenciais em circulação da Petrobras para futuro área localizada na parte oeste do Golfo, próxima à fronteira mexicana, a cancelamento. O principal objetivo é reduzir o companhia detém prospectos considerados como uma fronteira explorató- excedente de caixa e adequar a estrutura de capital, ria, com padrões sísmicos bastante similares a projetos que obtiveram gran- contribuindo para a redução do custo de capital da de êxito no Brasil. companhia. No prazo de 365 dias poderão ser No setor de Refino, a Petrobras investe na Refinaria de Pasadena, recompradas até 91,5 milhões de ações preferenciais, correspondendo a 4,9% do total desta classe de ação Texas, para expandir sua capacidade de processamento em circulação. A recompra de ações não compromete- de óleo pesado, como o do tipo Marlim, exportado pelo Brasil. rá o plano de negócios e o programa de investimentos, Os investimentos totais, de 2006 a 2009, estão estimados em US$ 2.1 nem substituirá o habitual pagamento de dividendos. bilhões, sendo 50% de responsabilidade da Petrobras. Lucro Petrobras Volume de recorde de na negociações na R$ 25,9 bilhões Bolívia NYSE PÁG. 2 PÁG. 3 PÁG. 4
  2. 2. LUCRATIVIDADE Lucro recorde de R$ 25,9 bilhões E m 2006, a Petrobras obteve lucro 2007 são ainda maiores. Mesmo com a de US$ 423 milhões, superando os líquido de R$ 25,9 bilhões, supe- queda de 20 % no exterior, devido às US$ 352 milhões de 2005. rando o recorde alcançado em alterações contratuais na Venezuela, a O custo unitário de extração de 2005, devido, principalmente, ao produção total da Petrobras cresceu 4% petróleo no Brasil aumentou 15% em aumento da produção de petróleo e em 2006. dólares em relação a 2005, em função derivados e aos preços nos mercados A carga processada das refinarias no dos maiores gastos com sondas e com- interno e externo. Este resultado repre- País aumentou 2% em relação ao ano pessoal, e também pela entrada em ope- sentou o maior crescimento de lucro anterior, enquanto no exterior a carga ração da FPSO-Capixaba e da P-34 com (em dólares) dentre as majors (empresas processada cresceu 23%, com a inclusão custos unitários iniciais mais elevados. líderes) do setor. das operações de Pasadena. O volume O custo unitário de refino no País A geração de caixa (EBITDA) de de vendas no mercado interno foi supe- aumentou 21% em dólares (8% em R$ 52,1 bilhões assegurou recursos para rior em 3% ao apurado em 2005, por Reais) por conta da maior complexidade investimentos, melhoria do perfil finan- conta dos maiores volumes vendidos de resultante dos investimentos para pro- ceiro e pagamento de dividendos. gasolina (7%), nafta (5%) e gás natural cessamento de óleo pesado e para A estratégia de internacionalização (7%). No mercado externo, as exporta- melhorar a qualidade dos combustíveis. da companhia levou a um aumento de ções cresceram 11% e as vendas inter- O ano de 2006 foi muito bom para 127% dos investimentos na área Inter- nacionais 31%, graças ao incremento as ações da Petrobras. Apesar da volatili- nacional, dentre os quais se destaca a das operações offshore (cujo objetivo é dade das cotações do petróleo, as ações aquisição da refinaria de Pasadena, por capturar oportunidades comerciais no ordinárias valorizaram-se 31,94% e as US$ 370 milhões. Na esfera doméstica, a exterior), entre outros fatores. preferenciais, 33,83%, ficando em linha produção de petróleo aumentou 6% em O ano de 2006 foi favorável à balan- com o desempenho registrado pelo 2006, o que ainda não refletiu a plena ça comercial física da Petrobras: o saldo Ibovespa (+32,93%). Em Nova York, os capacidade de operação da P-50, FPSO- final de exportações líquidas foi de 93 ADRs da Petrobras tiveram performance Capixaba e P-34. Com estas plataformas mil barris/dia, um aumento de 21% em superior, devido às influências cambiais, operando em plena capacidade, as pers- relação a 2005. Já o superávit financeiro registrando alta de 44,51% (ordinários) pectivas de aumento da produção para na balança comercial da companhia foi e de 44,10% (preferenciais). Variação Nominal das Ações Dados Econômico-Financeiros RESULTADOS & RETROSPECTIVA Jan-Dez 297,8% (Petrobras PN) Em R$ Milhões 2006 2005 Variação (%) 480 292,0% (Petrobras ON) Vendas brutas 205.403 179.065 15 306,5% (Ibovespa) 430 Vendas líquidas 158.239 136.605 16 380 Lucro bruto 63.573 59.497 7 Lucro operacional* 41.040 38.767 6 330 Lucro líquido 25.919 23.725 9 280 Lucro líquido por ação (R$) 5,91 5,41 9 230 Geração de caixa operacional 44.125 36.889 20 Ebitda 50.864 46.802 9 180 Valor de mercado (controladora) 230.372 173.584 33 130 Total de investimentos 33.686 25.710 31 Endividamento líquido (em 30 de setembro) 18.776 24.825 (24) 80 Estrutura de capital Dez-02 Jan-02 Fev-03 Mar-03 Abr-03 Mai-03 Jun-03 Jul-03 Ag0-03 Set-03 Out-03 Nov-03 Dez-03 Jan-04 Fev-04 Mar-04 Abr-04 Mai-04 Jun-04 Jul-04 Ag0-04 Set-04 Out-04 Nov-04 Dez-04 Jan-05 Fev-05 Mar-05 Abr-05 Mai-05 Jun-05 Jul-05 Ag0-05 Set-05 Out-05 Nov-05 Dez-05 Jan-06 Fev-06 Mar-06 Abr-06 Mai-06 Jun-06 Jul-06 Ag0-06 Set-06 Out-06 Nov-06 Dez-06 Jan-07 Fev-07 Mar-07 (capital de terceiros / passivo total) 47% 52% -5 pp * Antes das receitas e despesas financeiras e da equivalência patrimonial. Variação Real Acumulada* Resultados Operacionais Jan-Dez 500% ■ Ibovespa 391,3% ■ Petrobras PN Em mil barris de óleo equivalente/dia 2006 2005 Variação (%) 400% Produção de petróleo, LGN e gás natural 2.297 2.217 4 ■ Petrobras ON 300% Produção de derivados 1.892 1.839 3 265,4% Exportação (Importação) líquida de petróleo 200% e derivados 93 77 21 105,6% 102,3% 104,0% 115,5% Capacidade de utilização das refinarias 100% – no Brasil 89% 87% 2 pp 13,9% -1.0% -0.1% Capacidade de utilização das refinarias 0 – no exterior 81% 80% 1 pp -100% 10 Anos 5 Anos 1 Ano Participação do óleo nacional na carga processada 80% 80% - * Como deflator foi utilizado o IGP-DI
  3. 3. INTERNACIONAL Petrobras na Bolívia O s investidores vêm acompanhan- recuperáveis da Petrobras. Uma vez Reservas Totais: 15,02 bilhões boe (*) do na mídia as notícias sobre as pagos estes custos, o saldo será dividido > Brasil: 13,75 bilhões boe > Exterior: 1,27 bilhões boe repercussões para a Petrobras da entre a YPFB e a Petrobras segundo uma promulgação do Decreto Supremo nº tabela que considera os volumes pro- Bolívia 2,9% 28.701, assinado pelo presidente da Bolí- duzidos, o ritmo da depreciação, pre- via, Evo Morales, no dia 1º de maio de ços, impostos e novos investimentos. Outros 5,5% 2006, regulamentando diretrizes já existen- Com relação ao contrato de supri- tes na Carta Magna Boliviana e na Lei dos mento de gás (GSA), as negociações Brasil “Hidrocarburos”, aprovada em 17 de maio entre executivos da Petrobras e da 91,6% de 2005. São três as questões em discus- YPFB chegaram a um acordo benéfico * Critério SPE Dados de 2006 são com aquele país que afetam as opera- para ambas as partes. A Petrobras acei- ções da Petrobras. Após inúmeras rodadas tou pagar à YPFB, a preços vigentes no de negociação, apresentamos aos investi- mercado internacional, pelas frações Produção Total: 2.298 mil boed > Brasil: 2.055 mil boed dores o atual estágio destas questões. de hidrocarbonetos líquidos presentes > Exterior: 243 mil boed Em primeiro lugar, na área de no gás natural efetivamente entregue, Bolívia 2,5% Exploração em Produção, conforme que elevam seu poder calorífico para acordo firmado em outubro de 2006, valores acima de 8.900 kcal/m 3 Outros 8,1% a Petrobras continua responsável pela (1.000 BTU por pé cúbico). Não operação dos campos de San Alberto e houve alteração de volumes ou na fór- Brasil San Antonio na Bolívia, ambos produ- mula do preço de compra do gás na- 89,4% tores de gás natural e LGN, sendo a tural da Bolívia prevista no atual con- empresa estatal de petróleo Boliviana trato de compra e venda entre as Dados de 2006 (YPFB) responsável por sua comerciali- empresas. Atualmente, pelos termos zação. Os ativos atuais permanecem do GSA, o gás natural entregue pela no planeja adquirir uma participação em propriedade da Petrobras até o final YPFB à Petrobras tem poder calorífico de pelo menos 50% mais uma ação do contrato – que passa a ser de no mínimo 9.200 kcal/m3 (1.034 nas refinarias, estando atualmente em de 30 anos – quando passarão BTU/ pécúbico), refletindo a presença curso a avaliação do valor das ações. à YPFB, conforme já previsto de líquidos de gás natural (etano, buta- As refinarias continuam operando no contrato original. O Estado no, propano e gasolina natural) de normalmente e são responsáveis pela boliviano receberá, a título de maior valor no mercado internacional totalidade da demanda de querosene Royalties, Participações e do que o metano, componente básico e gasolinas especial, premium e de Imposto Direto sobre Hidro- do gás natural para uso térmico. aviação e por mais de 70% da deman- carbonetos (IDH), 50% O terceiro assunto em discussão da de óleo diesel na Bolívia. sobre o valor da produção, refere-se à propriedade das duas refina- Os investimentos totais da Petrobras calculados sobre a média rias da Petrobras na Bolívia, Gualberto na Bolívia alcançaram cerca de US$ 1 dos preços praticados Villaroel, em Cochabamba, e Guillermo bilhão no período 1996-2004 e o lucro nos diversos contratos de Elder Bell, em Santa Cruz de La Sierra. líquido da Petrobras Bolívia em 2005, comercialização. Os 50% As duas refinarias processam, jun- de R$ 250 milhões, representou 1,1% restantes serão usados tas, uma média de 40 mil barris diários do lucro líquido total da Petrobras primeiramente para atender aos custos de petróleo e LGN. O governo bolivia- naquele ano. A vez dos combustíveis verdes BIODIESEL A primeira unidade de biodiesel líderes mundiais em engenharia de processa- balhadores rurais para que possa alcan- industrial da Petrobras será em mento de sementes e óleos vegetais. çar a meta de produzir 855 mil metros Candeias, na Bahia, estado tam- O biocombustível é uma das muitas cúbicos/ano em 2011. bém pioneiro na produção de petróleo. novas frentes de trabalho da Petrobras O Programa Nacional de Produção Outras duas plantas industriais serão insta- que a tornam uma empresa integrada e Uso do Biodiesel estabelece que a par- ladas em Montes Claros (MG) e Quixadá de energia. tir de janeiro de 2008 será compulsória (CE). Para a construção das usinas, a Nesse momento, a companhia ana- a adição de 2% de biodiesel ao diesel Petrobras fechou contrato no valor de lisa cerca de quinze projetos em várias convencional, sendo permitida a mistu- US$ 227 milhões com a empresa de enge- regiões do País em parceria com dife- ra de até 5%, que será obrigatória a nharia Intecnial S.A., que adota a tecnologia rentes investidores, desde grandes gru- partir de 2012, o que contribui para da americana Crown Iron Works, uma das pos econômicos até cooperativas de tra- a expansão do mercado.
  4. 4. Óleo leve na Bacia de Santos PAINEL DE NOTÍCIAS MEIO AMBIENTE T este em poço pioneiro (1-RJS-628A) em nova fronteira exploratória na Bacia de Santos confirmou a presença de significativo volume de óleo leve, de 30º API, ao registrar uma vazão de 4.900 barris de óleo e 150.000 metros cúbicos de gás natural por dia. O poço encontrou um reservatório de alta produtividade situado abaixo de uma camada de sal de 2 mil metros de espessura (“pré-sal”). O poço descobridor situa-se no bloco BM-S-11, Um Chico Mendes operado pela Petrobras (65%), em consórcio com a BG (25%) e a Petrogal (10%). Serão realizados investimentos adicionais, inicialmente com a para a Amazônia perfuração do primeiro poço de extensão para a avaliação completa do volume de óleo do reservatório. U m novo personagem chega à Amazônia para fazer o monito- ramento ambiental da vasta região. É o robô Chico Mendes, resultado de Entrada da Aumento da dois anos de pesquisas do Labora- P-34 em produção base de acionistas tório de Robótica da Tecnologia A P-34 entrou em produção no Pela segunda vez consecutiva a Submarina do Cenpes, o Centro de Campo de Jubarte, em Dezembro Petrobras foi premiada pela Pesquisas da Petrobras. de 2006, mas ainda levará Bovespa como a companhia aberta Em testes nas águas do Rio Soli- alguns meses para operar a plena com maior quantidade de negócios mões, o Chico Mendes é confecciona- capacidade, de 60 mil barris e maior volume financeiro. do em fibra de vidro e policarbonato, diários, o que só acontecerá Em dezembro de 2006 as ações com quatro rodas propulsoras espe- quando todos os poços estiverem ordinárias e preferenciais foram ciais que permitem o deslocamento produzindo o volume previsto. responsáveis por 16,6% do total de negócios na Bolsa, sendo as ações nos mais diversos ambientes da flores- Quando a plataforma atingir o pico de produção, o estado do de maior liquidez. ta. É o único veículo capaz de trafegar Espírito Santo passará a produzir Desde setembro de 2005, quando na terra e na água, no mangue e nos 135 mil barris por dia. ocorreu o desdobramento, cerca de alagados e sobre a vegetação aquática 50 mil novos investidores já da Amazônia. Não poluente, é alimen- ingressaram na base de acionistas tado por bateria elétrica recarregável da Petrobras, que na carteira por energia solar. teórica do 1º quadrimestre de Projetado para colher dados em 2007 continua sendo a empresa tempo real, o robô dispõe de duas com maior peso no índice câmaras de TV que gravam e fazem Ibovespa:16,2%. transmissão direta para uma base de imagens dos ecossistemas. Possui Volume de negociações na NYSE ainda um Sistema de Posicionamento Global (GPS) em 3D (latitude, longi- Os recibos de depósito emitidos pela Petrobras (ADRs) foram os mais negociados tude e altitude) e um braço eletrôni- na Bolsa de Valores de Nova York (NYSE) em 2006, com volume financeiro diário co para coleta de materiais. Essa médio de US$ 326 milhões. No ano, os papéis valorizaram 44,51% (ordinários) máquina ambiental é um dos equipa- e 44,10% (preferenciais), apresentando desempenho superior ao índice Dow Jones mentos usados pelos pesquisadores no período (+6,71%) e excelente liquidez. do Piatam (Projetos Potenciais Impac- tos e Riscos Ambientais da Indústria 326 242 232 227 212 172 154 153 114 105 100 99 93 90 87 de Petróleo e Gás). A engenhoca tecnológica desper- tou a curiosidade das populações ribei- Milhões US $ rinhas que já propuseram seu uso tam- bém como ambulância ou em casos de emergências na época das enchentes. O objetivo é lançar, até 2008, cerca de (Total) (Total) (Ordinários) (Ordinários) (Series L) (Preferenciais) Petrobras BP CVRD Petrobras Nokia CVRD America Movil America Movil BHP Billiton Cemex Total Petrobras Taiwan Semiconductor RD Shell Ellan 100 robôs pequenos, médios e gran- des para monitorar os 420 quilômetros do leito e das margens do rio Solimões. Informativo publicado pela Gerência de Relacionamento com Investidores da Petrobras • Gerente Executivo: Raul Campos • Coordenador: Marcos Vinícius Guimarães • Edição: Gerência de Comunicação Institucional da Petrobras • Editores Responsáveis: Cláudio Paula e Tereza Lobo • Contato: Suporte ao Acionista Tel.: (21) 3224-1540/4914 • Fax: (21) 2262-3678 • 0800 282-1540 • Av. República do Chile, 65 / 2202-A • Centro – Rio de Janeiro – RJ – 20031-912 • E-mail: acionistas@petrobras.com.br • Projeto Gráfico e Diagramação: Estúdio Matiz Visite nosso site www.petrobras.com.br/ri

×