Biocombustíveis em um Contexto Global
           José Sérgio Gabrielli de Azevedo
                     Presidente
        ...
MERCADO PARA BIOCOMBUSTÍVEIS
      A manutenção das metas dos governos para biocombustíveis, nos próximos anos,
          ...
PRODUÇÃO GLOBAL DE ETANOL, COMÉRCIO E PREÇOS (PROJEÇÕES ATÉ 2017)

    Bilhões Litros                                     ...
FLUXOS DE COMÉRCIO – ETANOL 2007 vs. 2020
       Principais Fluxos de Comércio de Etanol 2007




                        ...
MATRIZ ENERGÉTICA BRASILEIRA - 2008



        Fontes Renováveis: 45,4                  %
        251,5 Milhões Tep
  100 ...
MATRIZ BRASILEIRA DE COMBUSTÍVEIS VEÍCULARES - 2008

          Gasolina C:
     Gasolina + Álcool Anidro
       23,3 + 8,2...
MATRIZ BRASILEIRA DE COMBUSTÍVEIS VEÍCULARES - 2008


                                                                    ...
BRASIL É O PRIMEIRO PAÍS A OBTER BENEFÍCIOS A PARTIR DO ÁLCOOL

                                        Consumo do Setor d...
EVOLUÇÃO DA FROTA DE VEÍCULOS LEVES NO BRASIL


                45.000
                                                   ...
PRODUÇÃO E EXPANSÃO DO ETANOL

        Mais de 2.000 km de distância da
        fronteira da Floresta Amazônica           ...
PETROBRAS: PRESENTE EM TODOS OS SEGMENTOS DE ENERGIA

              Exploração        Reservas Provadas: 11,2 bilhões boe ...
CARTEIRA DE INVESTIMENTOS: 2009-2013
                     PLANO DE NEGÓCIOS 2009-2013
                          US$ 174,4 ...
PROGER - PROGRAMA TECNOLÓGICO DE ENERGIAS RENOVÁVEIS




                                 CENPES – Centro de Pesquisa
    ...
CONCLUSÕES

   Mercado Mundial e Nacional em Expansão:
      Segurança Energética e Questões Ambientais

   Etanol brasile...
“Houve um tempo em
 que a Petrobras era
apenas uma empresa
    de petróleo.”




              José Sérgio Gabrielli de Az...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

02.06.2009 Apresentação do Presidente José Sergio Gabrielli de Azevedo sobre - “Biocombustíveis em um contexto Global” na Ethanol Summit em São Paulo - SP.

1,413 views

Published on

Published in: Investor Relations
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
1,413
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
36
Actions
Shares
0
Downloads
78
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

02.06.2009 Apresentação do Presidente José Sergio Gabrielli de Azevedo sobre - “Biocombustíveis em um contexto Global” na Ethanol Summit em São Paulo - SP.

  1. 1. Biocombustíveis em um Contexto Global José Sérgio Gabrielli de Azevedo Presidente São Paulo – 02 de junho de 2009
  2. 2. MERCADO PARA BIOCOMBUSTÍVEIS A manutenção das metas dos governos para biocombustíveis, nos próximos anos, levará a um aumento significativo da demanda China - Etanol Canadá - Etanol UE - Bios 2010: 75% E10 2010: 10% mistura 2010: 5,75% 2020: 10% USA - Renováveis 2012: 7,5 bi galões 2015: 15 bi galões 2022: 36 bi galões Índia - Etanol 2008: 10% Argentina Brasil - Biodiesel Malásia - Biodiesel Biodiesel e Etanol 2008: 3% 2010: 5% 2010: 5% 2013: 5% Indonésia - Biodiesel 2010: 2% - 2025: 5% As metas estabelecidas para biocombustíveis na matriz energética global irão criar uma demanda que viabilizará os investimentos em expansão da oferta e de infra-estrutura. Fonte: WoodMackenzie, 2007, The Economic Times, 2008 2
  3. 3. PRODUÇÃO GLOBAL DE ETANOL, COMÉRCIO E PREÇOS (PROJEÇÕES ATÉ 2017) Bilhões Litros US$/Litros Produção Comércio Preços Fonte: FAO 2008 3
  4. 4. FLUXOS DE COMÉRCIO – ETANOL 2007 vs. 2020 Principais Fluxos de Comércio de Etanol 2007 Principais Fluxos de Comércio de Etanol 2020 Unidades: Mil toneladas Unidades: Mil toneladas Fonte: Wood Mackenzie, 2008 4
  5. 5. MATRIZ ENERGÉTICA BRASILEIRA - 2008 Fontes Renováveis: 45,4 % 251,5 Milhões Tep 100 93 87 Biomassa Petróleo e 31,5% 80 Derivados 37,3% 60 55 45 40 20 13 7 0 M undo OECD Brasil Hidráulica e Gás Na tural Elétrica Renováveis 10,2% Carvão Urânio 13,9% Não Renováveis Mineral 1,5% 5,7% Fonte: Resenha Energetica Brasileira 2008 – M inistério de M inas e Energia (MM E) 5
  6. 6. MATRIZ BRASILEIRA DE COMBUSTÍVEIS VEÍCULARES - 2008 Gasolina C: Gasolina + Álcool Anidro 23,3 + 8,2 = 31,5% 23,3% Diesel (Total) 50,9 + 0,5 = 51,4% 8,2% 50,9% Etanol (Total) 13,7% 8,2 + 13,7 = 21,9% 3,4% Gasolina Pura Álcool Anidro 0,5% Álcool Hidratado Gás Natural Biodiesel Diesel 6
  7. 7. MATRIZ BRASILEIRA DE COMBUSTÍVEIS VEÍCULARES - 2008 Gás Natural 3,7% Álcool 19,4% Diesel 51,6% Gasolina 25,3% Fonte: Resenha Energetica Brasileira 2008 – M inistério de M inas e Energia (MM E) 7
  8. 8. BRASIL É O PRIMEIRO PAÍS A OBTER BENEFÍCIOS A PARTIR DO ÁLCOOL Consumo do Setor de Transporte – Gasolina e Etanol Fim da regulação Veículos 25,000 1999 Flex-Fuel Ínicio da desregulamentação do setor 20,000 PROÁLCOOL Veículo à Álcool 10³ tep 15,000 10,000 5,000 0 71 73 75 77 79 81 83 85 87 89 91 93 95 97 99 01 03 05 07 19 19 19 19 19 19 19 19 19 19 19 19 19 19 19 20 20 20 20 Gasolina Etanol Os motivadores originais foram segurança energética e atratividade econômica. Hoje, também se consideram os benefícios ambientais. Fonte: MME, BEN 2008 8
  9. 9. EVOLUÇÃO DA FROTA DE VEÍCULOS LEVES NO BRASIL 45.000 7% 40.000 35.000 Mil Veículos 30.000 25.000 75% 20.000 15.000 10.000 1% 5.000 17% 0 1990 1995 2000 2005 2010 2015 2020 Gasolina Álcool Flexfuel Diesel Fonte: Estratégia / Petrobras
  10. 10. PRODUÇÃO E EXPANSÃO DO ETANOL Mais de 2.000 km de distância da fronteira da Floresta Amazônica Plantação de Cana Área de Cana Produtividade Floresta Amazônica Ano (MM ha) (ton/ha) 1975 1,9 46,82 2006 7,1 75,05 EXTENSÃO DA ÁREA (milhões Percentual de hectares) BRASIL (TOTAL) 851 100% ÁREA ARÁVEL 383 45% ÁREA PLANTADA 7% 62 ATUAL (16% da área arável) 25% PASTOS 210 (55% da área arável) DISPONÍVEL PARA 11% EXPENSÃO 91 (24% da área arável) ÁREA DE CANA-DE- 0,35% AÇÚCAR PARA 3 (0,8% da área arável) ETANOL PLANTAÇÕES PARA 0,2 a 0,47% ÓLEO VEGETAL 1,7 a 4,0 (0,4% a 1% da área arável) (B2 e B5) Fonte: IBGE (Áreas de Preservação) e CTC (Plantação de Cana)
  11. 11. PETROBRAS: PRESENTE EM TODOS OS SEGMENTOS DE ENERGIA Exploração Reservas Provadas: 11,2 bilhões boe (SEC 2008) & Produção Produção de Óleo e Gás: 2,4 milhões boed (2008) Refino, 15 Refinarias • Capacidade: 2.167 mil bpd Transporte e Dutos: 25.197 Km • Terminais:46 • Navios: 54 Comercialização 5,998 Postos de Serviço no Brasil Distribuição 35% Market Share Venda de Gás Natural: 49,0 milhões m3 / dia Gás & Energia Geração Elétrica: 2.025 MWmédios Usinas Termelétricas: 18 Acionista minoritário nas centrais Petroquímica petroquímicas brasileiras Etanol: Abertura de Novos Mercados Biocombustíveis Biodiesel: 3 Usinas (Candeias, Quixadá e Montes Claros) 11
  12. 12. CARTEIRA DE INVESTIMENTOS: 2009-2013 PLANO DE NEGÓCIOS 2009-2013 US$ 174,4 BILHÕES INVESTIMENTOS EM BIOCOMBUSTÍVEIS US$ 2,8 BILHÕES 2% 2% 2% 3% 16% 7% 5,6 3,0 E&P 11,8 2,8 RTC 3,2 G&E Petroquímica 43,4 104,6 (*) 25% Distribuição 59% Biocombustív eis 84% Corporativ o Etanol Biodiesel (*) US$ 17,0 bi em Exploração Atuar, globalmente, no segmento de biocombustíveis, com participação relevante nos negócios de biodiesel e de etanol Atuar no negócio etanol, participando da cadeia produtiva nacional e do desenvolvimento de mercados internacionais; Assegurar o desenvolvimento de tecnologias competitivas para a produção de biocombustíveis, a partir, principalmente, de matérias-primas de biomassa residual; Atuar no negócio biodiesel, participando da cadeia produtiva nacional e atuar seletivamente no exterior, priorizando matérias-primas da agricultura familiar de forma sustentável. 12
  13. 13. PROGER - PROGRAMA TECNOLÓGICO DE ENERGIAS RENOVÁVEIS CENPES – Centro de Pesquisa da Petrobras – Rio de Janeiro PROJETOS DE P&D EM BIOCOMBUSTÍVEIS Biodiesel Hidrogenação de óleo animal/vegetal Bioetanol não-convencional Bioetanol de Lignocelulose Bioetanol a partir de Óleo Vegetal Biocombustível Sintético (BTL) 13
  14. 14. CONCLUSÕES Mercado Mundial e Nacional em Expansão: Segurança Energética e Questões Ambientais Etanol brasileiro é competitivo e não concorre com a produção de alimentos; Desafios: Padronização da Qualidade; Estabelecimento de um Mercado Global: tornar o etanol uma commodity; Questões Tarifárias; Infraestrutura e Logística 14
  15. 15. “Houve um tempo em que a Petrobras era apenas uma empresa de petróleo.” José Sérgio Gabrielli de Azevedo PETROBRAS São Paulo – 02 de junho de 2009 15

×