WEBSOCIAL<br />novos ambientes de<br />comunicação, informação e aprendizagem<br />::BIBLIOTECA 2.0::<br />Braga, 23 de Ma...
1<br />2<br />3<br />4<br />
1.começando<br />
A informática já não tem a ver com computadores.<br />Tem a ver com a Vida.<br />NEGROPONTE (1995)<br />
O que é a WEB 2.0<br />
WEB 1.0<br />WEB 2.0<br />
O que é a WEB 2.0<br />
“A internet tem hoje muito mais a ver com as pessoasdo que propriamente com a tecnologia”Jay Conrad Levinson<br />
FerramentasUm mundo de ferramentas<br />Para utilização pessoal, profissional e institucional…<br />
O que caracteriza uma ferramenta 2.0:<br /><ul><li>Partilham e reutilizam informação
Substituem aplicaçõesde desktop
Os utilizadores acrescentam valor</li></li></ul><li>Imagem retirada do Slideshare de Didac Margaix http://www.slideshare.n...
Imagem retirada do Slideshare de António Granado http://www.slideshare.net/agranado/comunicacao-universidades<br />
4 pilares da websocial<br /><ul><li>1. Redes sociais
2. Geração de conteúdos
3. Organização social e inteligente da informação
4. Aplicações e serviços (mashups)
Consultar »» Livro “Planeta Web 2.0. Inteligencia colectiva o medios fast food”</li></li></ul><li>PROSUMER<br />producer (...
Editar um blogue, publicar post<br />Porque não?<br />utilização simples(fácil publicar e actualizar)<br />Porque sim!<br ...
Cultura bloguer<br />Publicar como acto pessoal e de autogestão<br />Vontade de partilhar e participar em comunidades<br /...
Blogosfera(s)<br />Ponto de situação:<br />Morte? NÃO (passou de moda)<br />Amadureceu– SIM<br />Surgiram outras ferrament...
2.mudança…<br />
Ambientes em mudança<br />As alterações que a utilização dos novos recursos webedispositivosmóveisestá a provocar nas atit...
Ambientes em mudança<br />As ferramentas e plataformas daweb socialestabelecem novas formas individuais e colectivas de in...
Novos ambientes de aprendizagem<br />Um cenário em mudança…<br />Novas formas mais dinâmicas, personalizadase centradas no...
Novos ambientes de aprendizagem<br />Um cenário em mudança…<br />Ênfase no desenvolvimento dos recursos e capacidades nece...
Novos ambientes de aprendizagem<br />Os processos e ambientes de ensino e aprendizagemestão confrontados actualmente com m...
E as Bibliotecas…<br />As bibliotecas como serviços de suporte incorporados nestes processos e ambientes assumem particula...
Bibliotecas e a web social<br /><ul><li>Permiteà biblioteca e aos seus públicos mais comunicação, melhor colaboraçãoe a co...
Possibilita a partilhae reutilização de informação e conteúdos produzidos e disponibilizados pelos serviços.
Facilitaa aprendizagem, disseminam a informação e capitalizam o conhecimento dos utilizadores e a utilização que fazem dos...
Para além da tecnologiaatitude<br />Flexívelno contexto dos novos ambientes<br />De maior transparênciaevisibilidade<br />...
Não andar pelas redes sociais sem antes reprogramar o cérebro 1.0 com a versão 2.0<br />
Antes de mais, adaptação à mudança<br />Ir ao encontro das necessidades dos públicos e confiar nos utilizadores<br />Assum...
Maior visibilidade<br />Estar onde o utilizador está<br />Ser útil onde o utilizador está<br />Organização aberta à mudanç...
Ponto de partida<br />Assumir uma atitude institucional de pioneirismo tecnológico focado na funcionalidadee não na tecnol...
Para além da tecnologia posicionamento<br />De um serviço fronteira<br />Gerador de sinergias<br />Facilitadorde recursos<...
Biblioteca um serviço de Fronteira<br />Está na fronteira<br /><ul><li>Um serviço de interface… de relações e interdependê...
Da educação formal e da educação não-formal
Do estudo individual e da descoberta partilhada
Do tradicional e da novidade
Do espaço físico e do espaço virtual
Da cultura e da assistência social
Dos leitores e dos escritores
Da história e das estórias…</li></li></ul><li>Conversas 2.0 sobre Bibliotecas<br />
Para além da tecnologia estratégia<br />Integração de conteúdos e serviços<br />Recursos e ferramentas de web social<br />...
Integração dos conteúdos e serviços<br />Uma forma de entregara biblioteca aos utilizadores…<br />Estratégia integrada no ...
Para além da tecnologiarelevância<br />Sendo útilonde o utilizador está<br />Com atenção às necessidadesdos públicos<br />...
Mais relevância<br />Ir ao encontro das necessidadesdos públicos<br />Seleccionaras ferramentas e canaisde comunicação<br ...
Não basta estar onde o utilizador está<br />é importante ser útil<br />onde o utilizador está e aí criar serviços de valor...
4.concretizar<br />
Conteúdos e serviços<br />Úteis nos ambientes de informação e aprendizagem<br />Eaí criar serviços de valor acrescentado<b...
A Web social nas bibliotecas é geradora de oportunidades de interacçãoe serviços de proximidade<br />
gerar conteúdos relevantes<br />David Álvarez, Mi PLE - http://e-aprendizaje.es/2010/03/09/mi-ple<br />
serviços em diferentes canais<br />Martin Weller - My personal work/leisure/learning environment<br />http://nogoodreason....
úteis onde o utilizador está<br />Alec Couros, PhD Thesis illustration, the Networked Teacher - http://educationaltechnolo...
com integração dos recursos <br />Ismael Peña-López, Mapping the PLE sphere - http://ictlogy.net/20100715-mapping-the-ple-...
construção de comunidades online<br />Katherine Pisana - My PLE and 3 Sub PLEs oriented towards specific learning networks...
fontes de informação relevantes <br />Paulo Simões - Twitter - the Heart of a #PLE<br />
incorporados nos ambientes<br />Steve Wheeler, Anatomy of a PLE - http://steve-wheeler.blogspot.com/2010/07/anatomy-of-ple...
PLE sapo campus UA<br />integrar o espaço pessoal de aprendizagem <br />http://fotos.ua.sapo.pt/Vh6fhW1H2V4uYfBd41Oq<br />
Não há receitas<br />É preciso criatividade<br />Adaptabilidade<br />E processos de construção colaborativa<br />
“Community is the new content”<br />http://seedmagazine.com/images/uploads/15Sci08368.jpg<br />
identidade e memória colectiva da comunidade<br />
diversidade nas ferramentas de web social<br />
diversificação dos canais<br />
realidades concretas, comunidades locais <br />
“Just because you candoesn’t mean you should…”<br />
visibilidade<br />Dinamismona acção<br />Transparênciana comunicação<br />Redundânciade pontos de acesso à info<br />
CASO PRÁTICO: BIBLIOTECAS UA <br />
FORMAÇÃO INTEGRADA DE UTILIZADORES<br />
RECURSO Á COMUNICAÇÃO INSTITUCIONAL<br />
COMUNICAÇÃO COLABORATIVA E  INFORMAL<br />
PRESENTE NA PLATAFORMA DE ELEARNING<br />
CONVERSAR, CAPITALIZAR  E AMPLIFICAR NAS REDES SOCIAIS<br />
NOVOS AMBIENTES E PROJECTOS <br />(ple sapo campus ua)<br />
RECURSO ABERTO E PARTILHADO NA WEB<br />
PARTILHA E COLABORAÇÃO EM REDE<br />Interessante…<br />CONTEÚDOS DE APOIO E LITERACIA<br />RELEVANTES e ÚTEIS<br />ESTRATÉ...
Novos ambientes<br />Estratégia Integradade serviços<br />De construção colectiva na comunicação<br />
As ferramentas de web social devem ser integradas numa estratégiaglobal de serviços aos utilizadores<br />
Aposta em canais e ferramentas de web social para: facilitar a aprendizagem, disseminar a informação, capitalizar o conhec...
Utilizar a inteligência colectiva para desenhar novos serviços aos utilizadores:<br />- introduzindo no “processo” o públi...
Saber utilizar os clicksque os utilizadores fazem<br />
“Estar na web 2.0 cria expectativasde serviço, tão importantes como ter a porta aberta da biblioteca”<br />
Entregar a Biblioteca aos utilizadores<br />
Mobile é o próximo passo para as bibliotecas<br />Permite às bibliotecas virtualizaro espaço físico, aumentando a sua real...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Web Social e os novos ambientes de comunicação, informação e aprendizagem [biblioteca 2.0]

2,570 views

Published on

Seminário "O Ambiente digital aberto", Braga - 23 de Abril de 2011

Published in: Education

Web Social e os novos ambientes de comunicação, informação e aprendizagem [biblioteca 2.0]

  1. 1. WEBSOCIAL<br />novos ambientes de<br />comunicação, informação e aprendizagem<br />::BIBLIOTECA 2.0::<br />Braga, 23 de Maio de 2011- Pedro Príncipe<br />
  2. 2. 1<br />2<br />3<br />4<br />
  3. 3. 1.começando<br />
  4. 4. A informática já não tem a ver com computadores.<br />Tem a ver com a Vida.<br />NEGROPONTE (1995)<br />
  5. 5.
  6. 6. O que é a WEB 2.0<br />
  7. 7. WEB 1.0<br />WEB 2.0<br />
  8. 8. O que é a WEB 2.0<br />
  9. 9. “A internet tem hoje muito mais a ver com as pessoasdo que propriamente com a tecnologia”Jay Conrad Levinson<br />
  10. 10. FerramentasUm mundo de ferramentas<br />Para utilização pessoal, profissional e institucional…<br />
  11. 11. O que caracteriza uma ferramenta 2.0:<br /><ul><li>Partilham e reutilizam informação
  12. 12. Substituem aplicaçõesde desktop
  13. 13. Os utilizadores acrescentam valor</li></li></ul><li>Imagem retirada do Slideshare de Didac Margaix http://www.slideshare.net/dmargaix/taller-unesco-didac2-presentation<br />
  14. 14. Imagem retirada do Slideshare de António Granado http://www.slideshare.net/agranado/comunicacao-universidades<br />
  15. 15. 4 pilares da websocial<br /><ul><li>1. Redes sociais
  16. 16. 2. Geração de conteúdos
  17. 17. 3. Organização social e inteligente da informação
  18. 18. 4. Aplicações e serviços (mashups)
  19. 19. Consultar »» Livro “Planeta Web 2.0. Inteligencia colectiva o medios fast food”</li></li></ul><li>PROSUMER<br />producer (produtor) + consumer (consumidor)<br />Compreender a alteração do papel dos utilizadores face aos media e web em geral:- do consumidor ao prosumer- dos media tradicionais aos media participativos<br />
  20. 20.
  21. 21. Editar um blogue, publicar post<br />Porque não?<br />utilização simples(fácil publicar e actualizar)<br />Porque sim!<br />partilharinformação<br />expressara opinião pessoal<br />A ainda porque…<br />Melhoram a escrita e a capacidade de comunicar<br />Desenvolvem o autoconhecimentoe o espírito critico<br />Constroem reputações e redessociais<br />
  22. 22. Cultura bloguer<br />Publicar como acto pessoal e de autogestão<br />Vontade de partilhar e participar em comunidades<br />Vontade de conversar e desejo de feedback<br />Valor da reciprocidade e do reconhecimento<br />Ânsia de informação, curiosidade e inquietude<br />Respeito pelas fontes<br />Actualização frequente, velocidade e sempre em cima do acontecimento<br />Estilo de escrita breve, informal e com humor<br />Destreza para a leitura e escrita baseada em ligações<br />Defesa das liberdades e dos direitos<br />Paixão <br />(José Luis Orihuela, IV Encontro de Blogues, 2008)<br />
  23. 23. Blogosfera(s)<br />Ponto de situação:<br />Morte? NÃO (passou de moda)<br />Amadureceu– SIM<br />Surgiram outras ferramentas de publicação + atraentes – TAMBÉM<br />Os blogues contribuíram para o início da websocial… e fazem parte dela!<br />
  24. 24. 2.mudança…<br />
  25. 25. Ambientes em mudança<br />As alterações que a utilização dos novos recursos webedispositivosmóveisestá a provocar nas atitudes das pessoas face à informaçãosão marcantes.<br />O papel dos utilizadores da web na relação que estabelecem com a redetransformou-se, passando de meros pesquisadores ou consumidoresde informação a produtorese geradores de novos conteúdos.<br />
  26. 26. Ambientes em mudança<br />As ferramentas e plataformas daweb socialestabelecem novas formas individuais e colectivas de interacção, produçãoe validaçãode informação. <br />Amplificam a ideia de que estes sistemas de informação e comunicação se tornam cada vez melhores à medida que mais utilizadoresparticipam e contribuem.<br />
  27. 27. Novos ambientes de aprendizagem<br />Um cenário em mudança…<br />Novas formas mais dinâmicas, personalizadase centradas no aluno. (DOWNES, 2005)<br />Novas abordagens caracterizadas por uma maior abertura, participação e colaboração.<br />
  28. 28. Novos ambientes de aprendizagem<br />Um cenário em mudança…<br />Ênfase no desenvolvimento dos recursos e capacidades necessárias para os alunos se envolverem na aquisição de novas competências e para a procura do conhecimento existente nas redescriadas e mantidas pelos utilizadores.(SIEMENS, 2008)<br />
  29. 29. Novos ambientes de aprendizagem<br />Os processos e ambientes de ensino e aprendizagemestão confrontados actualmente com mudanças constantes, mas que não resultarão necessariamente na substituição de um tipo de aprendizagem por um outro.<br />
  30. 30. E as Bibliotecas…<br />As bibliotecas como serviços de suporte incorporados nestes processos e ambientes assumem particular relevo na convergência gradual entre as diferentes formas de aprendizagem e na percepção das novas necessidades de informação e de aprendizagem das comunidades.<br />Estes novos ambientes de informação,<br />comunicação e aprendizagem revelam-se<br />cada vez mais como uma oportunidade<br />para as bibliotecas.<br />
  31. 31.
  32. 32.
  33. 33. Bibliotecas e a web social<br /><ul><li>Permiteà biblioteca e aos seus públicos mais comunicação, melhor colaboraçãoe a construção de comunidades online.
  34. 34. Possibilita a partilhae reutilização de informação e conteúdos produzidos e disponibilizados pelos serviços.
  35. 35. Facilitaa aprendizagem, disseminam a informação e capitalizam o conhecimento dos utilizadores e a utilização que fazem dos sistemas da biblioteca.</li></li></ul><li>3.biblioteca 2.0<br />
  36. 36. Para além da tecnologiaatitude<br />Flexívelno contexto dos novos ambientes<br />De maior transparênciaevisibilidade<br />Correr riscos, não recear o erroe rejeitar o perfeito<br />
  37. 37. Não andar pelas redes sociais sem antes reprogramar o cérebro 1.0 com a versão 2.0<br />
  38. 38. Antes de mais, adaptação à mudança<br />Ir ao encontro das necessidades dos públicos e confiar nos utilizadores<br />Assumir-se institucionalmente “early adopter”<br />Incorporar serviços e tecnologias emergentes<br />Correr riscos, não ter receio de errar e rejeitar a “cultura do perfeito”<br />
  39. 39. Maior visibilidade<br />Estar onde o utilizador está<br />Ser útil onde o utilizador está<br />Organização aberta à mudança<br />Oferecendo serviços e conteúdos relevantes<br />Confiando e envolvendo a comunidade<br />
  40. 40. Ponto de partida<br />Assumir uma atitude institucional de pioneirismo tecnológico focado na funcionalidadee não na tecnologia.<br />Postura de early adopter com um duplo papel:<br />incorporador das tecnologias nos seus sistemas e serviços,<br />formador dos seus públicos na utilização dos novos recursos tecnológicos.<br />
  41. 41. Para além da tecnologia posicionamento<br />De um serviço fronteira<br />Gerador de sinergias<br />Facilitadorde recursos<br />
  42. 42. Biblioteca um serviço de Fronteira<br />Está na fronteira<br /><ul><li>Um serviço de interface… de relações e interdependências…
  43. 43. Da educação formal e da educação não-formal
  44. 44. Do estudo individual e da descoberta partilhada
  45. 45. Do tradicional e da novidade
  46. 46. Do espaço físico e do espaço virtual
  47. 47. Da cultura e da assistência social
  48. 48. Dos leitores e dos escritores
  49. 49. Da história e das estórias…</li></li></ul><li>Conversas 2.0 sobre Bibliotecas<br />
  50. 50. Para além da tecnologia estratégia<br />Integração de conteúdos e serviços<br />Recursos e ferramentas de web social<br />Integrados na estratégia dos serviços<br />
  51. 51. Integração dos conteúdos e serviços<br />Uma forma de entregara biblioteca aos utilizadores…<br />Estratégia integrada no apoio ao utilizador em novos ambientes de aprendizagem.<br />Estratégia que se caracteriza por:<br />uma lógica de redundância de pontos de acesso à informação,<br />tornar acessíveis a biblioteca, os seus serviços e recursos onde e quando são necessários.<br />
  52. 52. Para além da tecnologiarelevância<br />Sendo útilonde o utilizador está<br />Com atenção às necessidadesdos públicos<br />Para adequarconteúdose ferramentas<br />
  53. 53. Mais relevância<br />Ir ao encontro das necessidadesdos públicos<br />Seleccionaras ferramentas e canaisde comunicação<br />Olhar para fora das paredes da biblioteca e encontrar lá as oportunidadesde novos serviços e aplicações<br />Permanente adequação dos conteúdos <br />Oferecendo serviços de valoracrescentado<br />
  54. 54. Não basta estar onde o utilizador está<br />é importante ser útil<br />onde o utilizador está e aí criar serviços de valor acrescentado<br />
  55. 55. 4.concretizar<br />
  56. 56. Conteúdos e serviços<br />Úteis nos ambientes de informação e aprendizagem<br />Eaí criar serviços de valor acrescentado<br />
  57. 57. A Web social nas bibliotecas é geradora de oportunidades de interacçãoe serviços de proximidade<br />
  58. 58. gerar conteúdos relevantes<br />David Álvarez, Mi PLE - http://e-aprendizaje.es/2010/03/09/mi-ple<br />
  59. 59. serviços em diferentes canais<br />Martin Weller - My personal work/leisure/learning environment<br />http://nogoodreason.typepad.co.uk/no_good_reason/2007/12/my-personal-wor.html<br />
  60. 60. úteis onde o utilizador está<br />Alec Couros, PhD Thesis illustration, the Networked Teacher - http://educationaltechnology.ca/couros/580<br />
  61. 61. com integração dos recursos <br />Ismael Peña-López, Mapping the PLE sphere - http://ictlogy.net/20100715-mapping-the-ple-sphere/<br />
  62. 62. construção de comunidades online<br />Katherine Pisana - My PLE and 3 Sub PLEs oriented towards specific learning networks<br />
  63. 63. fontes de informação relevantes <br />Paulo Simões - Twitter - the Heart of a #PLE<br />
  64. 64. incorporados nos ambientes<br />Steve Wheeler, Anatomy of a PLE - http://steve-wheeler.blogspot.com/2010/07/anatomy-of-ple.html<br />
  65. 65. PLE sapo campus UA<br />integrar o espaço pessoal de aprendizagem <br />http://fotos.ua.sapo.pt/Vh6fhW1H2V4uYfBd41Oq<br />
  66. 66. Não há receitas<br />É preciso criatividade<br />Adaptabilidade<br />E processos de construção colaborativa<br />
  67. 67. “Community is the new content”<br />http://seedmagazine.com/images/uploads/15Sci08368.jpg<br />
  68. 68. identidade e memória colectiva da comunidade<br />
  69. 69. diversidade nas ferramentas de web social<br />
  70. 70. diversificação dos canais<br />
  71. 71. realidades concretas, comunidades locais <br />
  72. 72. “Just because you candoesn’t mean you should…”<br />
  73. 73.
  74. 74. visibilidade<br />Dinamismona acção<br />Transparênciana comunicação<br />Redundânciade pontos de acesso à info<br />
  75. 75. CASO PRÁTICO: BIBLIOTECAS UA <br />
  76. 76. FORMAÇÃO INTEGRADA DE UTILIZADORES<br />
  77. 77. RECURSO Á COMUNICAÇÃO INSTITUCIONAL<br />
  78. 78. COMUNICAÇÃO COLABORATIVA E INFORMAL<br />
  79. 79. PRESENTE NA PLATAFORMA DE ELEARNING<br />
  80. 80. CONVERSAR, CAPITALIZAR E AMPLIFICAR NAS REDES SOCIAIS<br />
  81. 81. NOVOS AMBIENTES E PROJECTOS <br />(ple sapo campus ua)<br />
  82. 82. RECURSO ABERTO E PARTILHADO NA WEB<br />
  83. 83. PARTILHA E COLABORAÇÃO EM REDE<br />Interessante…<br />CONTEÚDOS DE APOIO E LITERACIA<br />RELEVANTES e ÚTEIS<br />ESTRATÉGIA DE FORMAÇÃO E DIVULGAÇÃO INSTITUCIONAL<br />INCORPORADOS NOS SISTEMAS<br />UTILIZANDO A WEB SOCIAL<br />COM IMPLICAÇÕES DE DIMENSÃO MUNDIAL<br />
  84. 84. Novos ambientes<br />Estratégia Integradade serviços<br />De construção colectiva na comunicação<br />
  85. 85. As ferramentas de web social devem ser integradas numa estratégiaglobal de serviços aos utilizadores<br />
  86. 86. Aposta em canais e ferramentas de web social para: facilitar a aprendizagem, disseminar a informação, capitalizar o conhecimento dos utilizadores e o uso que fazem dos sistemas<br />
  87. 87. Utilizar a inteligência colectiva para desenhar novos serviços aos utilizadores:<br />- introduzindo no “processo” o público,<br />- procurando compreender como acedem, consomem e produzem informação<br />
  88. 88. Saber utilizar os clicksque os utilizadores fazem<br />
  89. 89. “Estar na web 2.0 cria expectativasde serviço, tão importantes como ter a porta aberta da biblioteca”<br />
  90. 90. Entregar a Biblioteca aos utilizadores<br />
  91. 91. Mobile é o próximo passo para as bibliotecas<br />Permite às bibliotecas virtualizaro espaço físico, aumentando a sua realidade, amplificar a sua acção, tornando acessíveis os seus serviços, recursos e conteúdos onde e quando são necessários para um número cada vez maior de utilizadores, captando novos públicos.<br />
  92. 92. Experiências de aprendizagem na biblioteca<br />
  93. 93. Competências, estratégias e agilidades de pesquisa de informação na web<br />
  94. 94. Formação ao longo da vida…<br />
  95. 95. Promoção de hábitos de leitura<br />
  96. 96. Outros espaços, mais proximidade e leitores<br />
  97. 97. Dinamização e integração social<br />
  98. 98. Parceiro na informação aos cidadãos<br />
  99. 99. De dentro para fora e em acesso aberto<br />
  100. 100. Papel activo e pioneiro nas literacias… <br />
  101. 101. ratodebiblioteca.blogspot.com<br />facebook.com/pedroprincipe<br />twitter.com/pedroprincipe<br />youtube.com/user/pedroprincipe<br />slideshare.com/pedroprincipe<br />23 de Maio de 2011<br />
  102. 102. Imagens<br />http://fotos.ua.sapo.pt/Vh6fhW1H2V4uYfBd41Oq?a=6<br />http://www.gliffy.com/pubdoc/1092065/L.png<br />http://ictlogy.net/img/posts/0000003437.png<br />http://4.bp.blogspot.com/_p0M9IDN4_TM/TDmqK_u1ZGI/AAAAAAAABag/UMpeQCo-h4I/s1600/CLE+Concept.jpg<br />http://1.bp.blogspot.com/_p0M9IDN4_TM/TDmp-M7V3oI/AAAAAAAABaY/s4Sv6eCdytQ/s1600/PLE+anatomy.jpg<br />http://eaprendizaje.files.wordpress.com/2010/03/miple_basico1.png<br />http://nogoodreason.typepad.co.uk/.shared/image.html?/photos/uncategorized/2007/12/06/pwe_3.jpg<br />http://www.virtuallyscholastic.com/wp-content/uploads/2009/07/MY-Professional-PLE.png<br />http://edtechpost.wikispaces.com/file/view/Picture_5.png/155457331/Picture_5.png<br />Referências<br />http://edtechpost.wikispaces.com/PLE+Diagrams#downes<br />http://ictlogy.net/20100715-mapping-the-ple-sphere/<br />http://steve-wheeler.blogspot.com/2010/07/anatomy-of-ple.html<br />http://www.microbiologybytes.com/tutorials/ple/ple5.html<br />http://www.virtuallyscholastic.com/2009/07/whats-in-your-orbit/<br />http://nogoodreason.typepad.co.uk/no_good_reason/2007/12/my-personal-wor.html<br />http://napraia.blogs.ua.sapo.pt/<br />http://prezi.com/sumyq0u4o4vo/workshop-ple_bcn-twitter-the-heart-of-your-ple/<br />

×