Tratamento de Águas Residuais em Portugal

2,090 views

Published on

Trabalho realizado pelo Daniel e Joana, alunos do curso profissional de Técnico de Turismo Ambiental e Rural do Agrupamento de Escolas de Oliveira de Frades, no âmbito da disciplina de Ambiente e Desenvolvimenbto Rural

Published in: Education
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
2,090
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
231
Actions
Shares
0
Downloads
0
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Tratamento de Águas Residuais em Portugal

  1. 1.  Introdução Situação Atual de Portugal Objetivos Metas Índice de Drenagem de Águas Residuais População coberta por Sistema de Drenagem de Águas Residuais Índice de Tratamento de Águas Residuais População servida por Sistema de Drenagem de Águas Residuais Conclusão Fim
  2. 2.  Em 2009, 83% da população de Portugal Continental estava coberta por sistemas públicos de drenagem, mas apenas 72 % estava ligada a sistemas de tratamento de águas residuais. Nesse ano, a Região Autónoma dos Açores, apresentou um valor de cobertura com sistemas de drenagem de 36% e de tratamento de 28%. A Região Autónoma da Madeira apresentava valores de 59% e de 57%. As regiões a sul do Tejo registaram valores de drenagem e tratamento superiores aos das regiões a norte.
  3. 3.  Elevar os níveis de cobertura e atendimento das populações e da qualidade do serviço; Reduzir as assimetrias regionais em matéria de sistemas públicos de drenagem e tratamento de águas residuais; Proteger o ambiente dos efeitos adversos das descargas das águas residuais urbanas.
  4. 4.  O PEAASAR, aponta como uma meta para 2013, uma cobertura nacional de 90% da população servida com drenagem e tratamento de águas; O PRAA estabelece um objetivo de população servida por sistemas de drenagem de águas residuais de 85% e 95% da população servida por sistemas de tratamento de águas residuais; O PRAM estabelece objetivos para o atendimento com drenagem e tratamento de águas residuais para a população residente na Madeira, mas apenas com sistemas públicos, de 75 % e 77% para 2012 e 2020.PEAASAR - Plano Estratégico de Abastecimento de Água e de Saneamento de Águas ResiduaisPRAA - Plano Regional da Água da Região Autónoma dos AçoresPRAM - Plano Regional da Região Autónoma da Madeira
  5. 5.  Em 2009, o índice de cobertura de Portugal com sistemas de drenagem foi de 81% (um acréscimo de 3 pontos relativamente ao ano de 2008). O PEAASAR II prevê para 2013: 90% da população nacional servida com drenagem e tratamento de águas residuais. Em Portugal Continental, cinco RH estão longe deste objetivo, colocando o índice nos 83% (mais 3% do que em 2008).
  6. 6.  Em 2009 a RH de Portugal Continental com índice de cobertura de drenagem mais baixo foi a RH do Minho e Lima com 54%, sendo a RH do Guadiana a que apresentou o índice mais elevado, 94%. A RH do Cavado, Ave e Leca e a RH do Vouga, Mondego, Lis e Ribeiras do Oeste foram as que registaram uma maior subida: 6 e 5 pontos percentuais. De referir que a RH do Tejo, a RH do Sado e Mira e a RH do Guadiana já atingiram a meta referida no PEASAAR II (90%). Por concelho, 41% dos concelhos com valor de índice atribuído (259) já atingiram esta meta, dos quais 38% possuem mesmo 100% da população coberta por redes de drenagem. Mas 59% dos concelhos ainda estão abaixo da meta recomendada.
  7. 7.  As Regiões Autónomas, (em 2009) o índice de cobertura de drenagem nos Açores situou-se nos 36% (igual a 2008) e muito abaixo do índice estimado no PRAA, 85% para 2011. Na Madeira, o índice de cobertura de drenagem foi de 59% (mais 2% do que em 2008). No entanto, este valor situa-se muito abaixo da meta prevista no PRAM, 75% para 2012. O índice de atendimento da população com sistemas de drenagem, apresentou valores (77% em Portugal Continental, 32% nos Açores e 59% na Madeira), inferiores aos do índice de cobertura, sendo a diferença entre índices maior nas RH situadas a norte do pais. Quanto ao tratamento de águas residuais, constatou-se que para Portugal Continental, a população atendida foi de 72% (18% abaixo da meta prevista no PEAASAR II), dos quais 96% em estacões de tratamento de águas residuais e 4% em fossa séptica coletiva, verificando-se uma diferença entre os índices de tratamento das RH situadas a sul do Tejo e os das regiões situadas a norte que registaram os valores percentuais mais baixos. Como exemplo destacaram-se a RH do Minho e Lima com 50% e a RH do Sado e Mira com 83%.
  8. 8.  Em Portugal continental, em 2009, cerca de 73% dos concelhos que dispõem de dados (270) apresentaram um índice de tratamento abaixo dos 90% e cerca de 27% dos concelhos observaram-se com índices acima deste valor. Verificou-se ainda que 74 concelhos tinham menos de 50% de população servida por sistemas de tratamento de aguas residuais. No mesmo ano, nos Açores o índice de tratamento manteve-se baixo, rondou os 28%, o que corresponde a cerca de 69 000 habitantes servidos por sistemas de tratamento de aguas residuais, muito abaixo do estimado no PRAA para 2011 (95%). Na Madeira o índice de atendimento com tratamento de águas residuais foi de 57%, estando também muito abaixo da meta de 75% estabelecida no PRAM para 2012.
  9. 9.  Concluímos que grande parte da população da Região Autónoma dos Açores, não tem sistemas públicos de drenagem e Tratamento de Águas Residuais. E ainda que na Região Autónoma da Madeira não se atingiu nenhuma meta prevista.
  10. 10. Trabalho elaborado por:• Daniel Almeida Nº4 10ºTTAR• Joana Carvalho Nº11 10ºTTAR

×