VIII Conferência Estadual de Assistência Social Recife-Pernambuco -  27 de outubro de 2009 Paulo Rubem Santiago Deputado F...
A luta histórica pela cidadania <ul><li>“ O século XX (...) deixou o saldo positivo da conquista dos direitos sociais. Ess...
As políticas sociais e as elites no País <ul><li>“  O Brasil nunca teve um estado essencialmente provedor da educação, saú...
Cada ente da federação tem receitas específicas : Você as conhece ? <ul><li>União  – Impostos e contribuições federais </l...
Como os entes planejam suas ações (  Os projetos de lei do ciclo orçamentário  ) <ul><li>PL  do Plano Plurianual – PPA – P...
A crise dos anos de  1980  forçou a criação do novo sistema em direção à  CF  1988 <ul><li>1. A previdência isolada basead...
Bases para o debate da Seguridade Social no Brasil  ( 1 ) <ul><li>1. Seguridade Social : Conjunto de ações destinadas a as...
Orçamento da Seguridade Social <ul><li>4.  Artigo 195, III, p. 2º . :  </li></ul><ul><li>A proposta de  orçamento da segur...
As manobras orçamentário-fiscais e a supremacia do mercado  ( 1 ) <ul><li>1. O governo não elabora três orçamentos (art.16...
A falsa crise  x  o Superávit da Seguridade Social <ul><li>1. O superávit da seguridade social é superior aos gastos em sa...
Os riscos da reforma tributária <ul><li>Encerra a  CSLL  e a transfere para o IR Pessoa Jurídica </li></ul><ul><li>Carrega...
    A falsa crise do sistema de seguridade social no Brasil Denise Gentil Tese de Doutorado-UFRJ-2006  <ul><li>“  É necess...
1988 : Novo sistema, novas fontes de financiamento <ul><li>1. Contribuições sociais sobre faturamento, o lucro, a apuração...
É a luta de interesses/classes que vai definir como serão divididos os recursos(PLOA 2010)
Projeto de Lei para o Orçamento de 2010
Síndrome de Carolina <ul><li>“  O tempo passou na janela e só Carolina não viu...” </li></ul><ul><li>Chico Buarque de Hola...
Uma preliminar  : Os tempos mudaram ( para não cairmos na ingenuidade ) <ul><li>De 1945 até 1973   </li></ul><ul><li>A eco...
Carga Tributária  e Gastos com Juros x  Investimentos Sociais <ul><li>&quot; A carga tributária  no Brasil cresceu na últi...
Enfrentando o Debate p/ não cairmos em armadilhas   <ul><li>1.  Constantes afirmações de que  a previdência social é defic...
Os interesses envolvidos na privatização e na redução de gastos sociais <ul><li>1. Os bancos poderiam se aproveitar de  no...
Desigualdade de Renda e Riqueza  Comunicado da Presidência No. 14 do IPEA <ul><li>Entre  2000 e 2007  foram gastos pelo te...
A falsa crise ...  <ul><li>Políticas para uma  República Federativa  com melhor e maior financiamento e cobertura  : </li>...
 
Obrigado <ul><li>[email_address] </li></ul><ul><li>www.paulorubem.com.br </li></ul><ul><li>www.ipea.gov.br </li></ul><ul><...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

A Seguridade Social Como Politica De Estado

2,706 views

Published on

Slide apresentado pelo deputado Paulo Rubem na na VII Conferência Estadual de Assistência Social, no Centro de Convenções de Pernambuco

Published in: News & Politics, Business
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
2,706
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
42
Actions
Shares
0
Downloads
34
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

A Seguridade Social Como Politica De Estado

  1. 1. VIII Conferência Estadual de Assistência Social Recife-Pernambuco - 27 de outubro de 2009 Paulo Rubem Santiago Deputado Federal (PDT-PE)
  2. 2. A luta histórica pela cidadania <ul><li>“ O século XX (...) deixou o saldo positivo da conquista dos direitos sociais. Essa conquista determinou que o reconhecimento do indivíduo como cidadão não mais dependia exclusivamente de sua posição no circuito mercantil . </li></ul><ul><li>O Estado social, construído a ferro e fogo pelos subalternos, impôs o reconhecimento dos direitos do cidadão (...) ” </li></ul><ul><li>Belluzzo – “ O mercado e os direitos sociais ”, Folha de SP , 27/4|/2003, em “ Ensaios sobre o Capitalismo no Século XX ”, </li></ul><ul><li>SP, Editora UNESP, 2005. </li></ul>
  3. 3. As políticas sociais e as elites no País <ul><li>“ O Brasil nunca teve um estado essencialmente provedor da educação, saúde, saneamento básico etc. ” </li></ul><ul><li>Tânia Bacelar </li></ul><ul><li>“ A Máquina da Desigualdade ” </li></ul><ul><li>Le Monde Diplomatique </li></ul><ul><li>BRASIL , No. 04 , Nov. 2007 </li></ul>
  4. 4. Cada ente da federação tem receitas específicas : Você as conhece ? <ul><li>União – Impostos e contribuições federais </li></ul><ul><li>Estados e DF – Impostos, transferências e fundos </li></ul><ul><li>Municípios – Impostos, taxas, transferências e fundos </li></ul>
  5. 5. Como os entes planejam suas ações ( Os projetos de lei do ciclo orçamentário ) <ul><li>PL do Plano Plurianual – PPA – Para quatro anos </li></ul><ul><li>( sempre no 2º. Semestre do 1º. Ano ) </li></ul><ul><li>PL das Diretrizes Orçamentárias – LDO </li></ul><ul><li>Validade anual ( 1º. Semestre ) </li></ul><ul><li>PL do Orçamento Anual – Após a aprovação da LDO </li></ul><ul><li>( 2º. Semestre ) </li></ul>
  6. 6. A crise dos anos de 1980 forçou a criação do novo sistema em direção à CF 1988 <ul><li>1. A previdência isolada baseada apenas nas contribuições sobre a folha de salários foi vítima da crise econômica e do desemprego ; </li></ul><ul><li>2. Benefícios( aposentadorias diversas), pensões diversas, auxílio-doença, auxílio-acidente, salário-família, maternidade e outros não seriam sustentados por uma arrecadação em queda por força da economia em declínio </li></ul>
  7. 7. Bases para o debate da Seguridade Social no Brasil ( 1 ) <ul><li>1. Seguridade Social : Conjunto de ações destinadas a assegurar os direitos relativos à saúde, à previdência e à assistência social ( artigo 194 , CF 1988 ); </li></ul><ul><li>2. Financiamento direto e indireto mediante recursos dos orçamentos da União, Estados, Distrito Federal e Municípios e </li></ul><ul><li>das seguintes contribuições... ( Art. 195, I, da CF 1988 ) </li></ul><ul><li>3. Art. 165, p. 5º . : A lei orçamentária anual compreenderá : </li></ul><ul><li>I – O orçamento fiscal ; II – O orçamento de Investimento das empresas estatais; III – O Orçamento da Seguridade Social </li></ul>
  8. 8. Orçamento da Seguridade Social <ul><li>4. Artigo 195, III, p. 2º . : </li></ul><ul><li>A proposta de orçamento da seguridade social será elaborada de forma integrada pelos órgãos responsáveis pela saúde, previdência social e assistência social, tendo em vista as metas e prioridades estabelecidas na Lei das Diretrizes Orçamentárias, assegurada a cada área a gestão de seus recursos </li></ul>
  9. 9. As manobras orçamentário-fiscais e a supremacia do mercado ( 1 ) <ul><li>1. O governo não elabora três orçamentos (art.165,CF 1988 ), elabora dois , o de investimento das estatais e o fiscal / da seguridade social ; </li></ul><ul><li>2. As receitas da seguridade vão para a conta fiscal , do tesouro nacional, gerida pelo Ministério da Fazenda; </li></ul><ul><li>3. Assim, o superávit da seguridade social é incorporado ao orçamento geral da união na geração dos superávits </li></ul>
  10. 10. A falsa crise x o Superávit da Seguridade Social <ul><li>1. O superávit da seguridade social é superior aos gastos em saúde (2 % em relação a 1,9% do PIB ) </li></ul><ul><li>2. Se esse montante fosse aplicado todo na saúde provocaria uma elevação de 100% dos recursos disponíveis, gerando uma evidente transformação radical na oferta dos serviços de saúde </li></ul>
  11. 11. Os riscos da reforma tributária <ul><li>Encerra a CSLL e a transfere para o IR Pessoa Jurídica </li></ul><ul><li>Carrega PIS-COFINS para o IVA Federal </li></ul><ul><li>O que hoje é receita carimbada da seguridade passa a ser receita do tesouro </li></ul><ul><li>Não se fala da incidência da DRU sobre as receitas da seguridade social </li></ul>
  12. 12. A falsa crise do sistema de seguridade social no Brasil Denise Gentil Tese de Doutorado-UFRJ-2006 <ul><li>“ É necessário destacar a relação entre a política econômica implementada e seus reflexos sobre a seguridade social” </li></ul>
  13. 13. 1988 : Novo sistema, novas fontes de financiamento <ul><li>1. Contribuições sociais sobre faturamento, o lucro, a apuração das loterias e a movimentação financeira; </li></ul><ul><li>2. Isso fez com que toda a sociedade passasse a contribuir para a manutenção desses direitos da cidadania </li></ul><ul><li>3. Os números apurados mostram que a questão crítica não é a auto-suficiência do sistema mas a destinação que vem sendo dada a esses recursos excedentes pelo governo federal </li></ul>
  14. 14. É a luta de interesses/classes que vai definir como serão divididos os recursos(PLOA 2010)
  15. 15. Projeto de Lei para o Orçamento de 2010
  16. 16. Síndrome de Carolina <ul><li>“ O tempo passou na janela e só Carolina não viu...” </li></ul><ul><li>Chico Buarque de Holanda </li></ul>
  17. 17. Uma preliminar : Os tempos mudaram ( para não cairmos na ingenuidade ) <ul><li>De 1945 até 1973 </li></ul><ul><li>A economia em marcha no mundo era a economia da produção com o estado dando as cartas </li></ul><ul><li>Após 1973 , sobretudo após 1980 , prevalece a economia financeira, da multiplicação das riquezas divorciada da produção </li></ul>
  18. 18. Carga Tributária e Gastos com Juros x Investimentos Sociais <ul><li>&quot; A carga tributária no Brasil cresceu na última década porque as despesas públicas com juros cresceram demasiadamente , apesar das privatizações dos anos 1990, que foram justificadas, porque seriam utilizadas para reduzir a dívida pública .&quot; </li></ul><ul><li>João Sicsu-2006- </li></ul><ul><li>UFRJ-IPEA </li></ul><ul><li>  </li></ul>
  19. 19. Enfrentando o Debate p/ não cairmos em armadilhas <ul><li>1. Constantes afirmações de que a previdência social é deficitária . Por isso... </li></ul><ul><li>2. Impôs-se uma sucessão de políticas governamentais voltadas à redução do pagamento de benefícios, aumento de idade, tempo de contribuição, taxação de inativos ; </li></ul><ul><li>3. Intensa e permanente propaganda pela redução dos gastos do Estado com pessoal ,encargos e benefícios sociais em busca do “ equilíbrio fiscal ” </li></ul>
  20. 20. Os interesses envolvidos na privatização e na redução de gastos sociais <ul><li>1. Os bancos poderiam se aproveitar de novas contas de previdência privada ; </li></ul><ul><li>2.Os grandes proprietários de títulos públicos, que recebem juros altíssimos por eles, querem reduzir os demais gastos do tesouro . Para esses setores os inimigos a vencer são aqueles que disputam as verbas do orçamento público , daí a publicidade agressiva sobre o “mercado” e os deveres do governo para se passar “ credibilidade ” aos investidores; </li></ul>
  21. 21. Desigualdade de Renda e Riqueza Comunicado da Presidência No. 14 do IPEA <ul><li>Entre 2000 e 2007 foram gastos pelo tesouro nacional os seguintes quantitativos : </li></ul><ul><li>Juros – R$ 1,267 trilhão de reais </li></ul><ul><li>Saúde– R$ 315 bilhões </li></ul><ul><li>Educação – R$ 149 bilhões </li></ul><ul><li>Investimentos- R$ 93 bilhões </li></ul>
  22. 22. A falsa crise ... <ul><li>Políticas para uma República Federativa com melhor e maior financiamento e cobertura : </li></ul><ul><li>1. Políticas Econômicas para o pleno emprego, redução + acelerada da taxa de juros, metas sociais na LDO e no OGU , crescimento da economia com produtividade, mais investimentos no OGU , desmonte das armadilhas embutidas no trinômio “ política fiscal + monetária e cambial ” </li></ul><ul><li>2. Orçamento sem contingenciamento p / a seguridade social </li></ul><ul><li>3. Aprovação PLs SUAS + Fundo a Fundo + Piso e Fortalecimento da Gestão Democrática e do Controle Social </li></ul>
  23. 24. Obrigado <ul><li>[email_address] </li></ul><ul><li>www.paulorubem.com.br </li></ul><ul><li>www.ipea.gov.br </li></ul><ul><li>www.centrocelsofurtado.org.br </li></ul><ul><li>www.mds.gov.br </li></ul>

×