Defesa

1,824 views

Published on

0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,824
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
2
Actions
Shares
0
Downloads
33
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Defesa

  1. 1. Gestão da Inovação: análise do grau de maturidade em empresas de TI do estado de Minas Gerais <ul><li>Paulo Nascimento </li></ul><ul><li>Orientadora: Prof. Dra. Maria Celeste R. L. Vasconcelos </li></ul><ul><li>2009 </li></ul>
  2. 2. Gestão da Inovação: análise do grau de maturidade em empresas de TI do estado de Minas Gerais <ul><li>Paulo Nascimento </li></ul><ul><li>Orientadora: Prof. Dra. Maria Celeste R. L. Vasconcelos </li></ul><ul><li>2009 </li></ul>INTRODUÇÃO
  3. 3. Introdução <ul><li>TI = Inovação </li></ul><ul><li>Lei de Moore: capacidade de processamento dobra a cada 18 meses (Moore, 1965) </li></ul><ul><li>KIBS - Knowledge Intensity Business Services (Miozzo e Soete, 2001) são facilitadoras de inovação. </li></ul><ul><li>TI em MG: crescimento de 280% em 8 anos. (Ranking ASSESPRO) </li></ul>
  4. 4. Problema <ul><li>PINTEC: </li></ul><ul><ul><ul><li>34% das empresas do BR investem em inovação; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>50% das empresas TIC do BR investem em inovação. </li></ul></ul></ul><ul><li>Mas somente investimentos não caracterizam uma empresa como inovadora. (Barbieri, 2004) </li></ul><ul><li>Problema: não haver, até o momento, um estudo formal sobre o grau de inovação em empresas de TI de MG. </li></ul>
  5. 5. Pergunta e Objetivos <ul><li>Pergunta: qual o grau de maturidade em gestão da inovação das empresas de TI de Minas Gerais? </li></ul><ul><li>Objetivo principal: </li></ul><ul><ul><ul><li>identificar e analisar o grau de maturidade de gestão da inovação das empresas de TI de Minas Gerais. </li></ul></ul></ul><ul><li>Objetivos específicos: </li></ul><ul><ul><ul><li>Identificar, na literatura, as principais dimensões da GI; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Identificar modelos de análise do grau de maturidade em inovação; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Avaliar como os recursos disponíveis no orçamento da empresa são alocados para atividades de P&D; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Analisar os resultados obtidos através do processo de GI nas empresas avaliadas; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Analisar como o processo de inovação ocorre dentro das empresas de TI de Minas Gerais; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Identificar, dentre as empresas estudadas, como se dá a relação com os principais stakeholders do processo de inovação; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Verificar quais os resultados que o processo de inovação apresenta para as empresas. </li></ul></ul></ul>
  6. 6. Justificativa / Relevância <ul><li>Pouco conhecimento, até o momento, sobre o assunto inovação no Brasil; </li></ul><ul><li>Escassez de estudos para respondem às empresas de TI se elas estão preparadas para inovar; </li></ul><ul><li>Auxiliar as empresas à </li></ul><ul><ul><li>Elaborar e rever sua estratégia de inovação; </li></ul></ul><ul><ul><li>identificar os dificultadores para implantar um ambiente inovador; </li></ul></ul><ul><ul><li>Elaborar uma estratégia para mensurar o retorno da inovação; </li></ul></ul><ul><ul><li>Avaliar o atual grau de maturidade em inovação da empresa. </li></ul></ul><ul><li>Relevância para o autor </li></ul>
  7. 7. Referencial Teórico <ul><li>Inovação vs Invenção </li></ul><ul><ul><li>Invenção = nova idéia com potencial comercial </li></ul></ul><ul><ul><li>Inovação = nova idéia quando explorada comercialmente </li></ul></ul><ul><ul><li>Schumpeter (1988) </li></ul></ul><ul><li>Inovação vs Inovação tecnológica </li></ul><ul><ul><li>Inovação tecnológica = novos produtos ou processos com bases científicas, tecnológicas, financeiras, etc. </li></ul></ul><ul><ul><li>Manual de Oslo - OECD (2004) </li></ul></ul>
  8. 8. Importância da Inovação <ul><li>A inovação está no cerne da economia, permitindo que uma empresa obtenha vantagens perante os concorrentes. (Manual de Oslo, OECD, 2004) </li></ul><ul><li>A inovação permite que a empresa renove o que tem a oferecer (Tidd et al, 1997) </li></ul><ul><li>Empresas inovadoras ganham em vantagens em relação à reputação, posicionamento, curva de aprendizagem, acesso a recursos, etc. (Porter, 1989) </li></ul>
  9. 9. Obstáculos à Inovação <ul><li>Podem impedir o processo de inovação, atrasá-lo ou torná-lo mais caro; </li></ul><ul><li>Alguns fatores dificultadores: </li></ul><ul><ul><li>Expertise: especialização maior que o necessário; </li></ul></ul><ul><ul><li>Processos: valorização excessiva do processo atual; </li></ul></ul><ul><ul><li>Recursos: falta de; </li></ul></ul><ul><ul><li>Leis e normas: regulamentações podem impedir alterações; </li></ul></ul>
  10. 10. Inovação em TI <ul><li>Até os anos 80 os avanços tecnológicos eram lentos. (Rivard, 2004) </li></ul><ul><li>Após 80 a globalização trouxe o aumento da produtividade, juntamente com avanços tecnológicos. (Mytelka, 1993) </li></ul><ul><li>As redes de empresas também fomentaram a inovação pelo intercâmbio tecnológico. (Nadvi, 1995) </li></ul><ul><li>A introdução de novos sistemas de informação cria um ciclo de inovação recursivo. (Pennings, 1998) </li></ul>
  11. 11. Inovação em Produtos e Processos <ul><li>Inovação em produto = criação de um produto inovador possui características tecnológicas ou a forma como é utilizado diferente das versões anteriormente produzidas; </li></ul><ul><li>Inovação em processos = melhoria nos meios de produção existentes ou adoção de meios de produção nunca utilizados nas empresas </li></ul><ul><li>(Manual de Oslo, OECD, 2004) </li></ul>
  12. 12. Indicadores de Inovação Indicadores de Entrada Indicadores de Entrada <ul><li>Possibilitam medir a quantidade de recursos (humanos, econômicos, infra) ligados ao processo de inovação. </li></ul><ul><li>Medem a importância dada ao setor, pela empresa. </li></ul><ul><li>Há uma relação direta entre os recursos despendidos com inovação e lucratividade. (Morbey, 1989) </li></ul><ul><li>Os principais recursos determinantes de uma empresa inovadora são os humanos. (Andreassi, 2002) </li></ul>
  13. 13. Indicadores de Inovação Indicadores de saída e impactos da inovação Indicadores de saída e impactos da inovação <ul><li>Medem os resultados do processo de inovação; </li></ul><ul><li>Um dos principais resultados esperados é o aumento do faturamento. (Neely e Hill, 1998) </li></ul><ul><li>Outra resultado importante é a redução de custos, eliminando tarefas onerosas. (Davenport, 1994) </li></ul>
  14. 14. Indicadores de Inovação Formas de Inovação Formas de Inovação <ul><li>Analisam como ocorre o processo de inovação dentro das empresas. </li></ul><ul><li>Inovação radical: </li></ul><ul><ul><li>Normalmente projetos de longo prazo (5, 10 anos); </li></ul></ul><ul><ul><li>Caminho descontinuado com pausas e interações esporádicas; </li></ul></ul><ul><ul><li>O reconhecimento de idéias inovadoras acontece esporadicamente; </li></ul></ul><ul><ul><li>Só há formalização do processo de inovação nas fases finais; </li></ul></ul><ul><ul><li>Há tendência de formações de grupos informais; </li></ul></ul><ul><ul><li>Projeto normalmente focado na área de P&D. </li></ul></ul><ul><li>Inovação Incremental: </li></ul><ul><ul><li>Projetos curtos (6 meses a 2 anos); </li></ul></ul><ul><ul><li>Caminho linear e contínuo com passos bem definidos; </li></ul></ul><ul><ul><li>Reconhecimento contínuo de idéias inovadoras; </li></ul></ul><ul><ul><li>Processo formal: geração da idéia > desenvolvimento > comercialização; </li></ul></ul><ul><ul><li>Papéis e atribuições muito bem definidos; </li></ul></ul><ul><ul><li>Projeto em uma área de negócio, mas com participação de toda a empresa. </li></ul></ul>
  15. 15. Indicadores de Inovação Fontes de Inovação Fontes de Inovação <ul><li>Indicam os stakeholders da inovação; </li></ul><ul><li>Fontes externas: </li></ul><ul><ul><li>Clientes, concorrentes, fornecedores, universidades, etc. (Rosenthal, 1995) </li></ul></ul><ul><ul><li>Normalmente tem maior relevância para PMEs. (Quadros, 2001) </li></ul></ul><ul><li>Fontes Internas: </li></ul><ul><ul><li>Experiência dos funcionários, qualificação profissional, etc. (Rosenthal, 1995) </li></ul></ul><ul><ul><li>Setores de P&D internos estão mais presentes em grandes empresas. (Quadro, 2001) </li></ul></ul>
  16. 16. Avaliação da Inovação <ul><li>Vários modelos de avaliação são propostos. </li></ul><ul><li>INEI, 2009 - baseado na aplicação de um software Q.D.I. </li></ul><ul><li>Griliches, 1990 - avalia o grau de inovação pelo número de patentes publicadas. </li></ul><ul><li>Bachmann e Destefani, 2009 - avaliação da inovação através das 12 dimensões da inovação de Sawhney </li></ul>
  17. 17. Avaliação da Inovação <ul><li>Silva, Hartmann e Reis, 2006 - avaliação da inovação através de 5 grupos de indicadores: </li></ul><ul><ul><li>Indicadores de entrada: </li></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Possibilitam medir a quantidade de recursos (humanos, econômicos, infra) ligados ao processo de inovação. Medem a importância dada ao setor, pela empresa. </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><li>Indicadores de saída: </li></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Medem os resultados do processo de inovação </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><li>Formas de inovação: </li></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Analisam como ocorre o processo de inovação dentro das empresas. </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><li>Fontes de inovação: </li></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Indicam os stakeholders da inovação Impactos da inovação. </li></ul></ul></ul></ul><ul><ul><li>Impactos da Inovação </li></ul></ul><ul><ul><ul><ul><li>Indicam o que muda na empresa após o processo de inovação. </li></ul></ul></ul></ul>
  18. 18. Gestão da Inovação: análise do grau de maturidade em empresas de TI do estado de Minas Gerais <ul><li>Paulo Nascimento </li></ul><ul><li>Orientadora: Prof. Dra. Maria Celeste R. L. Vasconcelos </li></ul><ul><li>2009 </li></ul>ABORDAGEM METODOLÓGICA
  19. 19. Abordagem Metodológica <ul><li>Etapa 1: Pesquisa bibliográfica: </li></ul><ul><li>Etapa 2: </li></ul><ul><ul><li>Estratégia: survey ou levantamento - pesquisa quantitativa; </li></ul></ul><ul><ul><li>Fins: pesquisa descritiva - descobrir as características da população pesquisada </li></ul></ul><ul><ul><li>Universo: empresas de TI de Minas Gerais </li></ul></ul><ul><ul><li>População: 158 questionários enviados (SUCESU-MG e pessoal) dos quais 53 foram respondidos </li></ul></ul><ul><ul><li>Sujeitos: Gestores das empresas. </li></ul></ul><ul><ul><li>Instrumento: Questionário de 30 questões, com 6 opções de resposta. </li></ul></ul><ul><ul><li>Forma de aplicação: Sistema web. </li></ul></ul>identificar, na literatura, as principais dimensões da Gestão da Inovação.
  20. 20. Abordagem Metodológica Avaliar como os recursos disponíveis no orçamento da empresa são alocados para atividades de P&D Analisar os resultados obtidos através do processo de GI nas empresas avaliadas;
  21. 21. Abordagem Metodológica Analisar como o processo de inovação ocorre dentro das empresas de TI de Minas Gerais Identificar, dentre as empresas estudadas, como se dá a relação com os principais stakeholders do processo de inovação; Verificar quais os resultados que o processo de inovação apresenta para as empresas.
  22. 22. Abordagem Metodológica <ul><li>Análise dos resultados </li></ul><ul><ul><li>Questões de indicadores de saída = peso 4 </li></ul></ul><ul><ul><li>Questões de indicadores de impactos da inovação = peso 3 </li></ul></ul><ul><ul><li>Demais questões = peso 1 </li></ul></ul><ul><ul><li>Pontos das colunas: </li></ul></ul><ul><ul><ul><li>Coluna 1 = 2 pontos </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Coluna 2 = 4 pontos </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Coluna 3 = 6 pontos </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Coluna 4 = 8 pontos </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Coluna 5 = 9 pontos </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Coluna 6 = 10 pontos </li></ul></ul></ul><ul><ul><li>Pontuação máxima para empresa altamente inovadora = 492 pontos </li></ul></ul>
  23. 23. Abordagem Metodológica
  24. 24. Abordagem Metodológica Classificação % em relação aos 492 pontos Numero de pontos (retirados 5% de margem de segurança) Empresa Inovadora (IN) Acima de 80% Acima de 373 pontos Empresa Medianamente Inovadora (MIN) Entre 40% e 79% Entre 187 e 373 pontos Empresa Pouco Inovadora (PIN) Entre 0% e 39% Entre 0 e 186 pontos
  25. 25. Gestão da Inovação: análise do grau de maturidade em empresas de TI do estado de Minas Gerais <ul><li>Paulo Nascimento </li></ul><ul><li>Orientadora: Prof. Dra. Maria Celeste R. L. Vasconcelos </li></ul><ul><li>2009 </li></ul>RESULTADOS
  26. 26. Resultados <ul><li>Indicadores de Entrada </li></ul><ul><ul><ul><li>A maioria das empresas não possui recursos dedicados à P&D (37%), nem espaço físico dedicado para tal (36%); </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>A maioria das empresas investe parte de seu faturamento em inovação, entretanto é grande o número de empresas que não investe nada do seu faturamento em P&D (37%) ; </li></ul></ul></ul>
  27. 27. Resultados <ul><li>Indicadores de Saída </li></ul><ul><ul><ul><li>Boa parte do faturamento das empresas pesquisadas advém de produtos lançados nos últimos anos; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>É pequena a receita advinda de royalties das inovações produzidas; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>A maioria das empresas conseguiu economia de custos com a otimização de processos; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>O registro de patentes é tímido nas empresas pesquisadas. </li></ul></ul></ul>
  28. 28. Resultados <ul><li>Formas de Inovação </li></ul><ul><ul><ul><li>A maior parte das empresas pesquisadas não utiliza ou utiliza muito pouco práticas de inovação radical; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>A inovação incremental é mais presente nestas empresas. Em algumas (10%) todos os processos o produtos foram alterados gradativamente nos últimos 5 anos. </li></ul></ul></ul>
  29. 29. Resultados <ul><li>Fontes de Inovação </li></ul><ul><ul><ul><li>As atividades de P&D são importante fonte de inovação; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>A cooperação com outras empresas é utilizada timidamente pelas empresas pesquisadas. 30% das empresas não utilizam este canal; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>A grande maioria (56%) não utiliza cooperação com universidades ou institutos de pesquisa; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>1/4 das empresas não utiliza os clientes como fonte de inovação; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Os concorrentes são bem utilizados como fonte de inovação; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>A maior parte das empresas não introduzem a inovação através da aquisição de licenças ou patentes; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>A maioria das empresas não utiliza feiras (36%) ou redes (38%) para fomentar a inovação; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Os treinamentos não resultam em inovação para a maioria das empresas (32%) </li></ul></ul></ul>
  30. 30. Resultados <ul><li>Impactos da Inovação </li></ul><ul><ul><ul><li>3/4 da amostra pesquisada perceberam melhoria na qualidade dos produtos, promovida pela inovação; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>O número de produtos ofertados aumentou para a maioria das empresas após adotar a inovação; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>A maioria das empresas (30%) aumentou pelo menos 50% do seu market-share com a inovação de produtos e/ou processos; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Para maior parte das empresas (38%) não houve redução do consumo de matéria prima através da inovação. </li></ul></ul></ul>
  31. 31. Resultados Classificação Total % Empresa Inovadora (IN) 8 15.09% Empresa Medianamente Inovadora (MIN) 38 71.70% Empresa Pouco Inovadora (PIN) 7 13.21%
  32. 32. Resultados Classificação Total % Empresa Inovadora (IN) 8 15.09% Empresa Medianamente Inovadora (MIN) 38 71.70% Empresa Pouco Inovadora (PIN) 7 13.21%
  33. 33. Gestão da Inovação: análise do grau de maturidade em empresas de TI do estado de Minas Gerais <ul><li>Paulo Nascimento </li></ul><ul><li>Orientadora: Prof. Dra. Maria Celeste R. L. Vasconcelos </li></ul><ul><li>2009 </li></ul>CONCLUSÕES
  34. 34. Conclusões <ul><li>A maioria das empresas pesquisadas são Medianamente Inovadoras </li></ul><ul><ul><ul><li>Estas empresas possuem processos já definidos para incentivar, executar e colher os resultados da inovação; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Entretanto ajustes são necessários para maximizar os resultados; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>Os resultados da inovação não são expressivos perante outros resultados; </li></ul></ul></ul><ul><ul><ul><li>O processo de inovação é pouco retro-alimentado. </li></ul></ul></ul>
  35. 35. Conclusões <ul><li>Ainda é necessário: </li></ul><ul><ul><li>Melhorar os investimentos financeiros em inovação; </li></ul></ul><ul><ul><li>Melhorar os investimentos em equipes de inovação; </li></ul></ul><ul><ul><li>Melhorar os investimentos em parcerias com instituições de ensino/pesquisa; </li></ul></ul><ul><ul><li>Melhorar os investimentos em alianças com outras empresas; </li></ul></ul><ul><ul><li>Aprimorar a ouvidoria dos clientes. </li></ul></ul>
  36. 36. Conclusões <ul><li>Sugestões para trabalhos futuros: </li></ul><ul><ul><li>Aplicar esta mesma pesquisa em empresas de TI de portes correlatos; </li></ul></ul><ul><ul><li>Estudo específico com foco em um grupo de indicadores; </li></ul></ul><ul><ul><li>Comparar o resultado desta pesquisa com a pesquisa original dos autores; </li></ul></ul><ul><ul><li>Aplicar outras metodologias no mesmo grupo de empresas e realizar um benchmarking . </li></ul></ul><ul><li>Resultados da pesquisa: </li></ul><ul><ul><li>Contribuição para o desenvolvimento do setor de TI; </li></ul></ul><ul><ul><li>Contribuição para o autor; </li></ul></ul><ul><ul><li>Contribuição para o meio acadêmico. </li></ul></ul>
  37. 37. Obrigado Obrigado <ul><li>Paulo Nascimento </li></ul><ul><li>Orientadora: Prof. Dra. Maria Celeste R. L. Vasconcelos </li></ul><ul><li>2009 </li></ul>

×