Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Antropometria

13,215 views

Published on

conforto ambiental

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Antropometria

  1. 2. ANTROPOMETRIA <ul><li>Trata das medidas físicas do ser humano </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>       A partir da década de 40: </li></ul><ul><li> Necessidade de medidas cada vez mais confiáveis. </li></ul><ul><li>    Desenvolvimento da produção em massa. </li></ul><ul><li> Aumento considerável nos custos de produção (dimensões desnecessárias). </li></ul><ul><li>    Atualmente, com a crescente globalização da economia, necessidade de estabelecer padrões mundiais e levar em consideração variáveis como etnias, regiões e culturas. </li></ul>
  2. 3. Diferenças Individuais
  3. 4.      Sexo - Homens e Mulheres apresentam diferenças significativas. Ex.: estatura, comprimento dos braços e pernas, proporções corporais, etc. Idade - Corpo com diferentes proporções: cada parte do corpo tem velocidade diferente de crescimento; diferenças individuais de crescimento; após os 30/35 inicia-se o envelhecimento afetando estatura/postura. Época – Ao longo da história o homem tem aumentado sua estatura. Clima – povos de clima quente  formas lineares povos de clima frio  formas esféricas Fatores de Variação
  4. 5. Etnias e Evolução <ul><li>  </li></ul><ul><li>       Etnias – Influencia na estatura e nas proporções. Ex.: África temos os pigmeus ( H 143,8 cm e M 137,2 cm) e os negros nilóticos (Sudão) (H 182,9 cm e M 168,9 cm) </li></ul><ul><li>  </li></ul><ul><li>       Variações Extremas: </li></ul><ul><li>-- Diferenças entre os homens mais altos (97,5%) e as mulheres mais baixas (2,5%) oscilam muito, entre 188,0 cm e 149,1 cm. </li></ul><ul><li>-- O homem é cerca de 10 cm em média mais alto que a mulher. </li></ul><ul><li>-- Dimensões laterais distintas. (Ex. Gravidez + 80%). </li></ul>
  5. 8. Realização de Medidas Antropométricas   1º - Selecionar amostra significativa de sujeitos que serão usuários ou consumidores do sistema, produto ou objeto. 2º - Definir onde ou para que serão usadas as medidas. Definir as medidas. 3º - Escolher o método de medida (diretos ou indiretos). 4º - Realizar medições com pessoal treinado. 5º - Executar análise estatística das medidas. Em antropometria as medidas seguem uma distribuição normal ou de Gauss (calcular média e desvio-padrão). 6º - Calcular o intervalo de confiança para os percentis desejados.
  6. 11. Exemplo: Variável Antropométrica e Variável de Projeto.       Medidas Críticas:   a)    Altura Lombar: encosto da cadeira. b)         Altura Poplítea: do assento. c)         Altura do cotovelo: da mesa. d)        Altura da coxa: espaço entre assento e mesa. e)   Altura dos olhos: posicionamento do monitor. f)         Outros: altura do teclado; suporte para o texto, suporte para braços, etc.
  7. 12. Antropometria Estática
  8. 14. Métodos diretos de Medidas Envolvem leituras de instrumentos que entram em contato direto, físico, com o organismo. Usam-se réguas, trenas, fitas métricas, esquadros, paquímetros, transferidores, balanças, dinamômetros, goniômetros, etc.
  9. 15. Norma DIN 3402
  10. 20. Antropometria Dinâmica e Funcional
  11. 25. Exercício <ul><li>Verfifique a adequação do seu posto de trabalho, realizando medidas antropométricas e do projeto para percentis de 5%, 50% e 95%, nas seguidas medidas: </li></ul><ul><li>Altura Lombar: encosto da cadeira. </li></ul><ul><li>Altura Poplítea: do assento. </li></ul><ul><li>Altura da coxa: espaço entre assento e mesa. </li></ul>
  12. 26. ANTROPOMETRIA Aplicações
  13. 27. CRITÉRIOS (PRINCÍPIOS) PARA APLICAÇÃO DE DADOS ANTROPOMÉTRICOS <ul><ul><li>1º Princípio – PROJETOS PARA O TIPO MÉDIO: </li></ul></ul><ul><ul><li>         A pessoa média é uma abstração matemática. </li></ul></ul><ul><ul><li>Ex.: Banco de jardim. </li></ul></ul><ul><ul><li>  </li></ul></ul><ul><ul><li>2º Princípio – PROJETO PARA INDIVÍDUOS EXTREMOS: </li></ul></ul><ul><ul><li>         Quando existem fatores limitantes no projeto. </li></ul></ul><ul><ul><li>         É necessário determinar qual é a variável limitante. </li></ul></ul><ul><ul><li>Ex.: Saída de emergência, roleta do ônibus. </li></ul></ul><ul><ul><li>  </li></ul></ul><ul><ul><li>3º Princípio – PROJETOS PARA FAIXAS DA POPULAÇÃO: </li></ul></ul><ul><ul><li>         Medidas ajustáveis para acomodar melhor seus usuários. </li></ul></ul><ul><ul><li>Ex.: Equipamentos escolares, confecções em geral, sapatos, etc. </li></ul></ul><ul><ul><li>  </li></ul></ul><ul><ul><li>4º Princípio – PROJETO PARA O INDIVÍDUO: </li></ul></ul><ul><ul><li>         Para indivíduos que se situam além dos extremos. </li></ul></ul><ul><ul><li>Ex.: Aparelhos ortopédicos, roupas para obesos, etc. </li></ul></ul>
  14. 28. O espaço de trabalho <ul><li>Fatores a serem considerados no dimensionamento do espaço de trabalho: </li></ul><ul><li>- Postura </li></ul><ul><li>- Tipo de atividade manual </li></ul><ul><li>- Vestuário </li></ul>
  15. 29. O espaço de trabalho
  16. 34. Princípios gerais dos assentos <ul><li>Existe um assento adequado para cada função. </li></ul><ul><li>As dimensões dos assentos devem ser adequadas aos usuários. </li></ul><ul><li>O assento deve permitir variações de posturas. </li></ul><ul><li>O encosto deve ajudar no relaxamento. </li></ul><ul><li>O assento e mesa formam um conjunto integrado. </li></ul>
  17. 37. Ergonomia e Terminal de Vídeo

×