Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

2016 aulas 19 a 21 - progressao ext noite

260 views

Published on

Propriedades Coligativas

Published in: Education
  • Be the first to comment

2016 aulas 19 a 21 - progressao ext noite

  1. 1. QuímicaQuímica Frente IIFrente II SoluçõesSoluções
  2. 2. Estudo das SoluçõesEstudo das Soluções  Classificação das Soluções  Curvas de Solubilidade  Concentração das Soluções  Titulação ácido/base  Propriedades Coligativas das Soluções
  3. 3. Estudo das SoluçõesEstudo das Soluções  Classificação das Soluções  Curvas de Solubilidade  Concentração das Soluções  Titulação ácido/base  Propriedades Coligativas das Soluções
  4. 4. Propriedades ColigativasPropriedades Coligativas Aulas 19, 20 e 21 – Cad. III pág. 194 SãoSão propriedadespropriedades que surgem pela presença deque surgem pela presença de umum solutosoluto e dependem única e exclusivamentee dependem única e exclusivamente dodo númeronúmero de partículas que estão dispersas nade partículas que estão dispersas na solução, não dependendo da natureza dosolução, não dependendo da natureza do soluto.soluto.
  5. 5. Propriedades ColigativasPropriedades Coligativas
  6. 6. Propriedades ColigativasPropriedades Coligativas Abaixamento da pressão de vapor: TONOSCOPIA + soluto não volátil AUMENTO da temperatura de ebulição: EBULIOSCOPIA Abaixamento da pressão de vapor: TONOSCOPIA Abaixamento da temp. congelamento: CRIOSCOPIA AUMENTO da pressão osmótica: OSMOSCOPIA
  7. 7. PRESSÃO DE VAPORPRESSÃO DE VAPOR É a pressão exercida pelos vapores de um líquido quando estes saturam o ar atmosférico a uma dada temperatura. Ex.: No nível do mar, a 100ºC a pressão máxima de vapor iguala-se a pressão atmosférica, ou seja: Pvapor = 1 atm
  8. 8. Pressão de vaporPressão de vapor A pressão de vapor é uma medida da tendência deA pressão de vapor é uma medida da tendência de evaporação de um líquido.evaporação de um líquido. Quanto maior for aQuanto maior for a sua pressão de vapor,sua pressão de vapor, maismais volátilvolátil será oserá o líquido.líquido. + volátil + volátil
  9. 9. TONOSCOPIATONOSCOPIA Abaixamento da pressão de vapor de um líquidoAbaixamento da pressão de vapor de um líquido em função do aumento de soluto na solução.em função do aumento de soluto na solução. Pº P
  10. 10. EBULIOSCOPIAEBULIOSCOPIA Aumento da temperatura de ebulição de umAumento da temperatura de ebulição de um líquido em função do aumento de soluto nalíquido em função do aumento de soluto na solução.solução. Tº T Patm
  11. 11. CRIOSCOPIACRIOSCOPIA Diminuição da temperatura de congelamento deDiminuição da temperatura de congelamento de um líquido em função do aumento de soluto naum líquido em função do aumento de soluto na solução.solução.
  12. 12. OSMOSEOSMOSE Fenômeno que permite a passagem do solvente do meio mais diluído para o meio mais concentrado.
  13. 13. PRESSÃO OSMÓTICAPRESSÃO OSMÓTICA É a mínima pressão exercida para impedir aÉ a mínima pressão exercida para impedir a osmose.osmose.  – pressão osmótica
  14. 14. PRESSÃO OSMÓTICAPRESSÃO OSMÓTICA Dissolução isotônica (mesma  que os fluidos intracelulares dos glóbulos) Dissolucão hipotônica (menor  (entra água e pode causar ruptura celular: hemólisis) Dissolução hipertônica (maior  (sai água causando desidratação)
  15. 15. Efeitos das soluções iônicasEfeitos das soluções iônicas 1 C6H12O6(s) 1C6H12O6(s) H2O 1 mol de glicose 1 mol de partículas dissolvidas 1NaCl(s) 1Na+ + 1Cl- H2O 1 mol de NaCl 2 mols de partículas dissolvidas 1CaCl2(s) 1Ca2+ + 2Cl- H2O 1 mol de NaCl 3 mols de partículas dissolvidas
  16. 16. Efeitos das soluções iônicasEfeitos das soluções iônicas Para soluções iônicas, os efeitos coligativosPara soluções iônicas, os efeitos coligativos devem ser multiplicados pelo fator i:devem ser multiplicados pelo fator i: i = 1 +i = 1 + (q-1)(q-1) Grau de ionização Quantidade de íons
  17. 17. EBULIOSCOPIA/CRIOSCOPIAEBULIOSCOPIA/CRIOSCOPIA
  18. 18. EXERCÍCIOSEXERCÍCIOS Pág. 195
  19. 19. Exerc. 1 – Aula 19 – pág. 195Exerc. 1 – Aula 19 – pág. 195 A figura a seguir apresenta as curvas de pressão de vapor de três líquidos puros, 1, 2 e 3, em função da temperatura. Considere que os líquidos estão submetidos à mesma pressão e analise as seguintes afirmações: I. Quando os líquidos estão em suas respectivas temperatura de ebulição, a pressão de vapor do líq. 1 é maior que dos líq. 2 e 3 II. Quando se adiciona um soluto não volátil ao líq.2, observa-se um aumento no seu ponto de ebulição. III. Na temperatura ambiente, o líq.3 é o mais volátil. IV. A maior intensidade das forças intermoleculares no líq.3 é uma explicação possível para o comportamento observado. Está correto o que se afirma em: Resp.: d) II e IV
  20. 20. Exerc. 2 – Aula 19 – pág. 195Exerc. 2 – Aula 19 – pág. 195 As substâncias puras tetracloreto de carbono, n-octano, n-hexano e isopropanol encontram-se em frascos identificados por A, B, C e D. Para descobrir as substâncias contidas nos frascos, foram realizados dois experimentos: I. Adicionou-se um certa quantidade de água nos frascos A e B, observando-se o comportamento mostrado na figura 1. II. Determinou-se que a substância C foi aquela que apresentou menor pressão de vapor à temperatura ambiente. Usando conceitos de polaridade das moléculas e as propriedades da tabela, identifique os compostos A, B, C e D Resp.: A = hexano, B = isopropanol C = octano e D = CCl4
  21. 21. Exerc. 3 – Aula 19 – pág. 196Exerc. 3 – Aula 19 – pág. 196 Muito se ouve dizer sobre ações em que se utilizam bombas improvisadas. Nos casos que envolvem caixas eletrônico, geralmente as bombas são feitas com dinamite (TNT-trinitrotolueno), mas nos atentados terroristas geralmente são utilizados explosivos plásticos, que não liberam odores. Cães farejadores detectam o TNT em razão da presença de resíduos de DNT, uma impureza do TNT que tem origem na nitração incompleta do tolueno. Se os cães conseguem farejar com mais facilidade o DNT, isso significa que, numa mesma temperatura, esse composto deve ser: a) menos volátil que o TNT, e portanto tem menor pressão de vapor b) mais volátil que o TNT, e portanto tem menor pressão de vapor c) menos volátil que o TNT, e portanto tem maior pressão de vapor d) mais volátil que o TNT, e portanto tem maior pressão de vapor 
  22. 22. + EXERCÍCIOS+ EXERCÍCIOS Pág. 197
  23. 23. Exerc. 1 – Aula 20/21 – pág. 197Exerc. 1 – Aula 20/21 – pág. 197 O gráfico a seguir representa os diagramas de fases da água pura e de uma solução aquosa de soluto não volátil. Considere as seguintes afirmações a respeito do gráfico. I. As curvas tracejadas referem-se ao comportamento observado para a solução aquosa. II. Para uma dada temperatura, a pressão de vapor do líquido é maior que a da solução aquosa. III. A temperatura de congelação da solução é menor que a do líquido puro. IV. A 0,010ºC e 4,58 mmHg, o gelo, a água líquida e o vapor de água podem coexistir. V. A temperatura de congelação da solução aquosa é de 0ºC Resp.: d) Apenas I, II, III e IV Quais estão corretas?
  24. 24. Exerc. 2 – Aula 20/21 – pág. 198Exerc. 2 – Aula 20/21 – pág. 198 A respeito das propriedades das soluções, considere as afirmativas a seguir: I. A água do mar ferve a uma temperatura mais baixa que a água pura, ambas ao nível do mar II. A água do mar congela a uma temperatura mais baixa que a água pura, ambas ao nível do mar III. Uma solução aquosa de sacarose ferve a uma temperatura mais alta que a água pura, ambas ao nível do mar IV. Uma solução aquosa de sacarose congela a uma temperatura mais alta que a água pura, ambas ao nível do mar Dentre essa afirmações: a) todas são incorretas b) I e IV são corretas c) I é correta e III é incorreta d) II e III são corretas 
  25. 25. Exerc. 3 – Aula 20/21 – pág. 198Exerc. 3 – Aula 20/21 – pág. 198 A descoberta do fenômeno da osmose foi atribuída a René Joachim Henri Dutrochet (1776-1847), físico e botânico francês, autor do termo osmose. Sua pesquisa teve fundamental importância para explicar o processo de respiração celular. A pressão osmótica utilizada para interromper a osmose de uma determinada solução de glicose (C6 H12 O6 ) contendo 10g/L a 15ºC é: a) 2,62 atm b) 1,83 atm c) 2,92 atm d) 1,31 atm 
  26. 26. Exerc. 4 – Aula 20/21 – pág. 199Exerc. 4 – Aula 20/21 – pág. 199 O cloreto de cálcio tem larga aplicação industrial nos sistemas de refrigeração, na produção de cimento, na coagulação de leite para a fabricação de queijos, e uma excelente utilização como controlador da umidade. Uma solução de cloreto de cálcio utilizada para fins industriais apresenta molalidade 2 e tem ponto de ebulição 103,016ºC sob pressão de 1 atm. Sabendo que a constante ebulioscópica da água é 0,52ºC, o seu grau de dissociação iônica aparente é: a) 80% b) 85% c) 90% d) 95% 
  27. 27. Exerc. 5 – Aula 20/21 – pág. 199Exerc. 5 – Aula 20/21 – pág. 199 Analise as soluções aquosas abaixo. I. solução de glicose (C12 H22 O11 ) 0,1 mol/L II. solução de sulfato de cobre (CuSO4 ) 0,1 mol/L III. solução de cloreto de potássio (Kcl) 0,2 mol/L IV. solução de nitrato de prata (AgNO3 ) 0,5 mol/L Considerando que as espécies iônicas estão 100% ionizadas, assinale a afirmativa INCORRETA. a) o ponto de congelação da solução IV é o mais baixo de todas as soluções dadas b) o ponto de ebulição da solução I é o mais baixo de todas as soluções dadas c) a pressão de vapor da solução II é mais alta que a pressão de vapor da solução I d) a solução III tem ponto de ebulição mais baixo do que o ponto de ebulição da solução IV 
  28. 28. Exerc. 6 – Aula 20/21 – pág. 200Exerc. 6 – Aula 20/21 – pág. 200 A adição de um soluto à água altera a temperatura de ebulição desse solvente. Para quantificar essa variação em função da concentração e da natureza do soluto, foram feitos experimentos, cujos resultados são apresentados abaixo. Analisando a tabela, observa-se que a variação da tempratura de ebulição é função da concentração de moléculas ou íons de soluto dispersos na solução. Dois novos experimentos foram realizados, adicionando-se 1,0 mol de Na2 SO4 a 1L de água (experimento A) e 1,0 mol de glicose a 0,5 L de água (experimento B). Considere que os resultados desses novos experimentos tenham sido consistentes com os experimentos descritos na tabela. Assim sendo, as temperaturas de ebulição da água, em ºC, nas soluções dos experimentos A e B, foram, respectivamente, de: a) 100,25 e 100,25 b) 100,75 e 100,25 c) 100,75 e 100,50 d) 101,50 e 101,00 e) 101,50 e 100,50 
  29. 29. Material em...Material em... http://www.quimica-progressao.blogspot.com.br/
  30. 30. Dúvidas?Dúvidas? quimica.progressao@gmail.com

×