Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Clipping cnc 27042016 versão de impressão

159 views

Published on

café, estoques privados, Brasil, internet, Epamig, agricultura familiar, CAR, cafeicultura familiar, Observatório do Café, Rondônia, Cacoal, colheita mecanizada, inclusão tecnológica, assistência técnica, São Paulo, Câmara Setorial de Café, mestrado internacional, Itália, illy, Universidade do Café, tour da tocha, garoa

Published in: News & Politics
  • Login to see the comments

  • Be the first to like this

Clipping cnc 27042016 versão de impressão

  1. 1. Conselho Nacional do Café – CNC SCN Quadra 01, Bl. “C”, Ed. Brasília Trade Center, 11º andar, sala 1.101 - CEP 70711-902 – Brasília (DF) Assessoria de Comunicação: (61) 3226-2269 / 8114-6632 E-mail: imprensa@cncafe.com.br / www.twitter.com/pauloandreck CLIPPING – 27/04/2016 Acesse: www.cncafe.com.br Prorrogado prazo da pesquisa de estoques privados de café Conab - Gerência de Imprensa 27/04/2016 Produtores de café de todo o país têm até o dia 6 de maio para enviarem dados referentes aos seus estoques à Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). As informações integrarão o levantamento de estoques privados de café 2016. Os dados, referentes à 31/03, podem ser informados nos questionários enviados pela Conab ou por meio do Sistema de Pesquisa de Estoques Privados (Sipesp), que encaminhou os e-mails com os códigos de acesso aos endereços eletrônicos já cadastrados. No Sipesp é possível visualizar os dados cadastrais dos armazéns vinculados ao CNPJ da empresa, a atualização do seu endereço de correspondência e conhecimento do respectivo histórico dos estoques informados em pesquisas anteriores. Só o próprio armazenador ou o responsável pela unidade armazenadora ou depósito tem acesso às informações. A pesquisa de estoques privados é realizada anualmente pela Companhia, por delegação do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) e é um importante instrumento para o conhecimento do quadro de oferta e demanda do café no país e para a elaboração de políticas públicas para o setor cafeeiro. Cafeicultores familiares aprendem acessar a internet em aulas gratuitas de informática Ascom Emater-MG 27/04/2016 Sebastião Avelar Cafeicultores familiares de Minas Gerais estão aprendendo a utilizar o computador para gerenciar as atividades no campo, enviar e-mails e acessar informações de mercado. Uma parceria entre a Emater-MG, Conselho dos Exportadores de Café do Brasil (Cecafé) e a Iniciativa do Comércio Sustentável está oferecendo aos produtores cursos gratuitos sobre sustentabilidade na cafeicultura e informática. Os cursos são realizados em 14 municípios, nas regiões produtoras do Sul de Minas, Zona da Mata e Vale do Jequitinhonha. São eles: Lajinha, Alfenas, Poço Fundo, Três Pontas, Ouro Fino, Conceição das Pedras, São Gonçalo do Sapucaí, Pedralva, Muzambinho, Juruaia, Guaxupé, São Pedro da União, Carangola e Capelinha. Para o primeiro semestre deste ano foram formadas 14 turmas com uma média de 12 alunos cada uma. Os cursos têm duração de três meses, com uma aula por semana. Na parte de informática, os produtores têm aulas sobre Word, Excel, acesso à internet e também aprendem como criar um e-mail. Segundo o coordenador estadual de Cafeicultura da Emater-MG, Bernardino Cangussú Guimarães, o mercado do café é muito dinâmico e os cafeicultores precisam de informações de qualidade para evitar prejuízos. “Muitas vezes essas informações, que agregam valor à
  2. 2. Conselho Nacional do Café – CNC SCN Quadra 01, Bl. “C”, Ed. Brasília Trade Center, 11º andar, sala 1.101 - CEP 70711-902 – Brasília (DF) Assessoria de Comunicação: (61) 3226-2269 / 8114-6632 E-mail: imprensa@cncafe.com.br / www.twitter.com/pauloandreck produção, estão disponíveis em sites. Se o produtor não consegue acessá-las, ele perde dinheiro e oportunidade de conhecimento”, afirma. O produtor de café e leite Mário Aparecido de Abreu, do município de Ouro Fino, é um dos mais animados do curso. “Tem ajudado muito. Sabendo utilizar o computador, eu consigo ver preços do café e leite. Isso é importante para eu vender o meu produto por um preço adequado”, diz. Sustentabilidade – Outro eixo trabalhado nos cursos é a sustentabilidade na cafeicultura. Nas aulas são abordadas questões sobre o manejo da água na lavoura, conservação do solo, controle de doenças e pragas. Bernardino Cangussú lembra que a intervenção humana no meio ambiente gera danos e que é preciso adotar práticas para a recuperação e conservação do ambiente. “Esse tema sustentabilidade discute como vamos utilizar essa terra e deixá-la igual ou melhor do que a forma que a recebemos de nossos pais. O que a gente vê é uma preocupação grande dos produtores com essa questão. E o que nós fazemos é levar a eles tecnologias para que consigam a melhoria desse ambiente”, diz Cangussú. Odair Barbosa, outro produtor do município de Ouro Fino, sabe da importância da sustentabilidade na cafeicultura. Desde 2009 a propriedade dele é certificada pelo Certifica Minas Café. O programa estadual prepara o produtor para atender exigências do mercado internacional, seguindo padrões de sustentabilidade, melhorando a forma de atuar na propriedade. Segundo Odair, o curso ministrado pela Emater-MG sobre sustentabilidade está ampliando os seus conhecimentos. “A gente quer sempre aprender mais. É preciso melhorar. E o curso tem nos ajudado”, relata. O tema sustentabilidade na cafeicultura é trabalhado nas aulas por técnicos da Emater-MG. A parte de informática fica sob responsabilidade de um profissional da área contratado para os cursos. A empresa também é a responsável pela mobilização e organização dos produtores interessados a participar das aulas. No segundo semestre, a partir de agosto, serão oferecidos os mesmos cursos em municípios a serem definidos. Os interessados devem procurar o escritório da Emater-MG para fazer a inscrição, assim que as turmas forem anunciadas. Epamig lança publicação que orienta agricultores familiares a se inscreverem no CAR Embrapa Café 27/04/2016 Jamilsen Santos e Lucas Tadeu Ferreira O Cadastro Ambiental Rural – CAR foi criado com a finalidade de "integrar as informações ambientais das propriedades e posses rurais, compondo base de dados para controle, monitoramento, planejamento ambiental e econômico e combate ao desmatamento" pela Lei nº 12.651, de 25 de maio de 2012. Nessa Lei ficou estabelecido que a pequena propriedade ou posse rural familiar observará procedimento simplificado para inscrição no CAR.
  3. 3. Conselho Nacional do Café – CNC SCN Quadra 01, Bl. “C”, Ed. Brasília Trade Center, 11º andar, sala 1.101 - CEP 70711-902 – Brasília (DF) Assessoria de Comunicação: (61) 3226-2269 / 8114-6632 E-mail: imprensa@cncafe.com.br / www.twitter.com/pauloandreck Nesse sentido, a Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais – Epamig, instituição integrante do Consórcio Pesquisa Café, publicou a Circular Técnica n. 238 – abril 2016 – (acesse em: http://www.sapc.embrapa.br/arquivos/consorcio/circulartecnica/ct-238.pdf) Cadastro Ambiental Rural para a agricultura familiar com o objetivo de "informar ao agricultor familiar sobre: definições, documentações, etapas para inscrição no CAR em regime simplificado, prazos, vantagens e desvantagens". Essa Circular Técnica, disponível no site da Epamig e no Observatório do Café, trata da obrigatoriedade do CAR, do regime simplificado para inscrição da agricultura familiar no CAR, requisitos para se cadastrar no CAR, consequências ao omitir a inscrição no CAR, vantagens da inscrição no CAR e apoio técnico para inscrições em cotas de reserva ambiental. Cafeicultura familiar – De acordo com o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE (Censo Agropecuário 2006), nesse ano o Brasil possuía mais de 285 mil estabelecimentos rurais de café e aproximadamente 80% deles poderiam ser considerados de agricultura familiar. Referidos estabelecimentos empregavam em torno de 1,8 milhão de trabalhadores por ano e eram responsáveis por 38% do café produzido no Brasil. A área de cultivo correspondia a aproximadamente 44% da área de café no Brasil. Não existem dados oficiais mais atualizados a esse respeito. Com base nesses dados do IBGE, aproximadamente, de cada 10 cafeicultores 8 são da agricultura familiar. E esta Circular Técnica traz informações relevantes no sentido de orientar os cafeicultores familiares a fazerem o Cadastro Ambiental Rural – CAR com base na Lei 12.651/2012. A publicação é de autoria de pesquisadores e técnicos da Epamig (Margarete Marin Lordelo Volpato), Universidade Federal de Lavras – UFLA (Tiago Henrique da Silva, Luís Antônio Coimbra Borges e Maria das Graças Paula) e Embrapa Café (Helena Maria Ramos Alves). Observatório do Café – Divulga, além desta Circular Técnica da Epamig, publicações das instituições integrantes e parceiras do Consórcio Pesquisa Café contendo dados, análises e informações sobre: Relatório sobre o mercado de Café, da OIC, Informe Estatístico do Café e Valor Bruto da Produção, do Mapa, Resumo das Exportações Brasileiras de Café, do CeCafé, Relatório Internacional de Tendências do Café, do Bureau de Inteligência Competitiva do Café, Levantamento da Safra de Café, portfólio de tecnologias desenvolvidas pelo Consórcio, publicações técnicas e dados completos sobre Safras e Estoques; Consumos e Tendências; Estatísticas, Cotações e Análises; Clipping mensal de notícias veiculadas na mídia; Imagens; Vídeos e Áudios; Rede Social do Café; Relatórios de Atividades; e Sistema Brasileiro de Informação do Café – SBICafé, entre outros. RO: Cacoal inova na produção do café com colheita mecanizada Ascom Emater-RO 27/04/2016 Wania Ressutti Os cafeicultores de Cacoal mostram-se cada vez mais satisfeitos com o desenvolvimento de suas produções. A inclusão de tecnologia e de assistência técnica focada na potencialidade do município tem proporcionado melhoria na qualidade dos grãos e mudas produzidas e maior rentabilidade aos agricultores. O resultado das ações nessa e em outras cidades levou Rondônia ocupar o 5º lugar no ranking brasileiro dos maiores estados produtores de café.
  4. 4. Conselho Nacional do Café – CNC SCN Quadra 01, Bl. “C”, Ed. Brasília Trade Center, 11º andar, sala 1.101 - CEP 70711-902 – Brasília (DF) Assessoria de Comunicação: (61) 3226-2269 / 8114-6632 E-mail: imprensa@cncafe.com.br / www.twitter.com/pauloandreck A cafeicultura de Rondônia recebeu, nos últimos anos, atenção especial do governo estadual, por meio de ações da Secretaria de Estado da Agricultura (Seagri) e da Emater-RO. Incentivos visando à melhoria da qualidade e produtividade do café no estado como o programa de revitalização da cafeicultura, a distribuição de mudas de café clonal qualificadas e a tecnificação da produção foram essenciais para que a produção de café em Rondônia chegasse ao número de 1,678 milhões de sacas, segundo a Secretaria de Política Agrícola (SPA), estimadas para 2016. Em Cacoal, município que leva o título de capital estadual do café, os resultados são mais aparentes. Segundo o extensionista da Emater-RO, Wesley Gama, o preço da saca do café melhorou e está sendo vendido à R$ 320,00. “A implantação de um pacote tecnológico para a cultura do café trouxe mais confiança para os cafeicultores”, afirma o extensionista. INCLUSÃO TECNOLÓGICA Cacoal vem inovando na cafeicultura e com a inclusão tecnológica nos últimos anos tem passado por mudanças favoráveis aos agricultores e ao estado. A colheita mecanizada, que antes parecia distante, hoje é realidade, inclusive com produtores já trabalhando com modelos recém lançados para o café Conillon/Robusta. A colheita mecanizada tem oferecido para a unidade familiar uma rapidez na colheita, deixando mais tempo livre para que o produtor possa exercer outras atividades, se assim o desejar. “Tenho gasto apenas 40% do tempo que eu gastava para colher a mesma área em comparação a colheita manual, além de a quantidade de sacos colhidos ser muito maior neste mesmo um hectare”, afirma o jovem agricultor Arthur Kippert, filho do casal de cafeicultores Azilda Rossw Kippert e Almerindo Kippert. Moradores da Linha eletrônica lote 84-a gleba 13, a propriedade da família Kippert trabalha apenas com mão de obra familiar e, devido à grande produtividade da lavoura, chega a produzir 90 sacas/ha. “Com o aumento da área plantada em oito hectares foi feito a aquisição da colheitadeira”, conta o extensionista Wesley. ASSISTÊNCIA TÉCNICA A assistência técnica contínua que a Emater-RO vem dando aos produtores é outro fator que garante a melhoria da cultura. São ações que visam, além do aumento da produtividade e produção, melhoria da área plantada e melhor qualidade dos grãos e das mudas, proporcionar ao agricultor familiar uma melhoria na qualidade de vida. Aliadas às boas práticas de manejo. a inserção tecnológica na cafeicultura coloca o café rondoniense em competitividade no mercado nacional e é isso que se busca com a introdução da colheita mecanizada em Cacoal. Para o extensionista Fernando Almeida, da Emater-RO, “a colheita mecanizada na cafeicultura cacoalense ao longo dos anos apontará para uma cafeicultura mais moderna e rentável”. Para apresentar a outros produtores os resultados obtidos com a tecnologia, a Emater estará realizando um dia de campo na propriedade da família Kippert. O evento será realizado no dia 29 de abril, a partir das 13 horas, onde serão abordados temas como: adubação, custo de produção, café sustentável e demonstração da colheitadeira em funcionamento. “O dia de campo mostrará que essa tecnologia aliada a outras, com uma gestão bem feita, proporcionará resultados econômicos bem animadores aos agricultores”, afirma Wesley Gama, da Emater- RO.
  5. 5. Conselho Nacional do Café – CNC SCN Quadra 01, Bl. “C”, Ed. Brasília Trade Center, 11º andar, sala 1.101 - CEP 70711-902 – Brasília (DF) Assessoria de Comunicação: (61) 3226-2269 / 8114-6632 E-mail: imprensa@cncafe.com.br / www.twitter.com/pauloandreck SP: Câmara Setorial de Café discute ações voltadas para o setor em próxima reunião Ascom SAA/SP 27/04/2016 Leonardo Zamperlin A Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo realizará a reunião da Câmara Setorial de Café, no dia 11 de maio de 2016. O encontro ocorrerá às 9h30, no Auditório do Instituto Agronômico (IAC), em Campinas, onde serão postos em pauta as ações da Câmara programadas para este ano e voltadas para o setor. Serão tratados assuntos como o evento Sabor da Colheita, Campanha de Qualidade do Café, Concurso Estadual de Qualidade do Café de São Paulo e a Edição dos Melhores Cafés de São Paulo 2016. Ainda será feito um balanço sobre as ações do grupo em 2015. Para participar da reunião que é aberta ao público interessado, solicita-se enviar confirmação de presença pelo e-mail camaras.setoriais@codeagro.sp.gov.br. Mais informações podem ser adquiridas pelos telefones (11) 5067-0377/0378. Mestrado internacional em café oferece bolsa de estudos para estudantes Revista Globo Rural 27/04/2016 Estudantes brasileiros podem concorrer a uma bolsa de estudos integral na cidade italiana de Trieste para participar do Mestrado Internacional em Economia e Ciência do Café (International Masters in Coffee Economics and Science Ernesto Illy). O curso é resultado de uma parceria entre instituições como a Fundação Ernesto Illy, Università del Caffè da illycaffè e universidades parceiras italianas. As inscrições vão até o dia 15 de junho. O curso, que tem como objetivo central oferecer formação multidisciplinar sobre o mundo do café,é direcionado a profissionais graduados em economia, administração, engenharia, engenharia agronômica ou ciências. Para realizar a inscrição, os interessados devem enviar um e-mail para pensa@pensa.org.br, com currículo resumido em até 3 páginas e carta de apresentação (explicitando interesse e motivação para realizar o curso), ambos em inglês. Bom desempenho acadêmico, envolvimento com atividades cafeeiras e fluência na língua inglesa são diferenciais considerados na avaliação da UDC. Serviço As inscrições para alunos pagantes vão até 1º de outubro, diretamente com a Fundação Ernesto Illy. Mais informações podem ser adquiridas através dos e-mails master@illy.com ou pensa@pensa.org.br e do telefone (11) 3818-4005.
  6. 6. Conselho Nacional do Café – CNC SCN Quadra 01, Bl. “C”, Ed. Brasília Trade Center, 11º andar, sala 1.101 - CEP 70711-902 – Brasília (DF) Assessoria de Comunicação: (61) 3226-2269 / 8114-6632 E-mail: imprensa@cncafe.com.br / www.twitter.com/pauloandreck O tour da tocha na terra do café e da garoa Ascom Mtur 27/04/2016 Geraldo Gurgel O estado mais rico do país, São Paulo, será a penúltima unidade da federação a receber a Tocha Olímpica. A visita será dividida em duas etapas, nos meses de junho e julho. A primeira será logo após o fogo olímpico deixar o Mato Grosso do Sul, em 27 de junho, passando por quatro municípios, para pernoitar em Presidente Prudente. A segunda, de 16 a 27 de julho, quando o símbolo dos jogos olímpicos percorrerá mais 43 cidades paulistas, antes de partir para o Rio de Janeiro. No primeiro roteiro, além de Presidente Prudente, maior cidade do oeste paulista, estão incluídas Paraguaçu Paulista, Marília e Assis. Depois, o revezamento é retomado em Itararé, no dia 16 de julho, com pernoites previstos em Itapetininga, e no dia seguinte, em Bauru. Em mais um trecho de grandes cidades do interior de São Paulo, a tocha subirá até Ribeirão Preto e vai descer por Franca e Campinas em direção a capital. Osasco, São Bernardo do Campo e Santos, no litoral paulista, são as próximas paradas com pernoite da chama olímpica. O dia 24 de julho vai ser exclusivo para os paulistanos recepcionarem a tocha olímpica. No dia 25, a tocha olímpica segue até Ilhabela, um dos principais destinos do litoral paulista. No dia seguinte, parte para seu último pernoite em território paulista, em São José dos Campos. Depois, desce a Serra do Mar se despedindo de São Paulo pelas cidades de São Luiz do Paraitinga e Ubatuba, no litoral. O Ministério do Turismo já investiu R$ 1,1 bilhão em obras de infraestrutura turística no estado. São 2.669 obras de infraestrutura e apoio ao turismo regional. Entre as obras estão melhorias no complexo do Anhembi e a sinalização turística da capital. Confira alguns atrativos dos destinos turísticos onde a tocha vai pernoitar em São Paulo: Presidente Prudente – O Museu e Arquivo Histórico destacam-se entre os atrativos turísticos. Os visitantes podem conhecer a história e a cultura do município. Fundado em 1957, o Museu ocupa as instalações do antigo Matadouro Municipal de Presidente Prudente, construído em 1929, e possui, em seu acervo, documentos que retratam o desenvolvimento da cidade desde a sua fundação, em 1921, até a década de 1980. Itapetininga – A exemplo de muitas cidades da região, Itapetininga também foi ponto de descanso dos tropeiros. Os visitantes podem conhecer o Centro Cultural e Histórico, que concentra o Memorial Júlio Prestes. A cidade abriga a Catedral Nossa Senhora dos Prazeres, uma das maiores do estado, construída em 1771 em estilo romano, em forma de uma cruz latina. Bauru – No município, vale a pena visitar o Zoológico, o Museu Ferroviário Regional e o Jardim Botânico. Em razão de o município abrigar escolas, universidades, institutos e hospitais, o
  7. 7. Conselho Nacional do Café – CNC SCN Quadra 01, Bl. “C”, Ed. Brasília Trade Center, 11º andar, sala 1.101 - CEP 70711-902 – Brasília (DF) Assessoria de Comunicação: (61) 3226-2269 / 8114-6632 E-mail: imprensa@cncafe.com.br / www.twitter.com/pauloandreck turismo de saúde e científico é um grande atrativo da cidade. Ribeirão Preto – Ribeirão Preto é conhecida pela produção de café. Vale a pena conhecer o Museu do Café, no campus da USP, com uma grande coleção de máquinas de beneficiar o grão, fotos e grandes esculturas. Outro belo cartão postal é o Jardim Japonês, que oferece um cenário composto de lagos, flores, pontes, bancos, quiosques e plantas ornamentais de origem japonesa doadas pela colônia radicada na cidade. Franca – Franca se destaca no cenário econômico em razão do setor calçadista, sendo a maior produtora de calçados do país com mais de mil indústrias. A cidade também é famosa pela alta qualidade do café produzido na região, uma das mais importantes do mundo. Na gastronomia, destaque para o prato Filé à JK – recheado com queijo e presunto, frito à milanesa e levado à mesa com batata frita e arroz especial - e a tradicional pizza de galinha caipira. Campinas – O Parque Portugal é o maior atrativo da cidade e oferece ao visitante atrações como: a réplica da Caravela Anunciação, o bonde elétrico e concha acústica, além de pista para caminhada. No Bosque dos Jequitibás há um mini zoológico com animais selvagens e domesticados. A cidade oferece passeio de Maria Fumaça, que segue até Jaguariúna, passando pelas fazendas de café. Osasco – Próxima a São Paulo, a cidade tem entre as opções de passeio o Borboletário, no Parque Ecológico Ana Luiza Moura Freitas, no Jardim Piratininga. O Parque Ecológico oferece pista de caminhada, playground, riacho e espelho d’água. Outros pontos turísticos são o Parque Chico Mendes, o Museu Histórico Bradesco, a Ponte Metálica e a Catedral Santo Antônio. São Bernardo do Campo – São Bernardo possui como atrações para seus visitantes vários parques, entre eles o Parque de Esportes Radicais, o Parque Rafael Lazzuri e o Parque Salvador Arena. A Capela Nossa Senhora da Boa Viagem junto à antiga estrada que levava a Santos privilegiou o local, que se tornou ponto obrigatório de parada dos viajantes, como Dom Pedro I, para pedir a proteção e a bênção de Nossa Senhora. Santos – Um programa imperdível para quem curte futebol é visitar a sede do Museu Pelé, instalado em um casarão do século XIX. O museu homenageia a vida e a carreira do maior jogador de futebol do País. Para chegar ao local, no bairro do Valongo, é possível embarcar em um passeio de bonde que circula por cerca de 40 pontos de interesse histórico, como o Museu do Café e o Santuário Santo Antônio do Valongo. São Paulo – A maior metrópole do país oferece aos seus moradores e visitantes uma enorme variedade de opções para quem deseja se divertir e conhecer um pouco da cidade da garoa. O Parque do Ibirapuera, a Avenida Paulista, a Catedral da Sé, a Sala São Paulo, o Masp e a Pinacoteca são alguns dos lugares de parada obrigatória na cidade. A vocação gastronômica da cidade também chama a atenção e regiões como a Vila Madalena tratam de manter viva a vocação boêmia de São Paulo. São José dos Campos – O município é um polo aeronáutico e aeroespacial e tem vários institutos de pesquisas e tecnologia. Entre as atrações estão o Memorial Aeroespacial Brasileiro, o Mirante do Banhado e o Museu de Arte Sacra. Os parques Burle Marx, com paisagismo do mesmo e o Santos Dumont também são atrações ao ar livre.

×