Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Exame físico abdome I

6,761 views

Published on

exame físico abdome

Published in: Health & Medicine

Exame físico abdome I

  1. 1. Exame Físico do Abdome DISCIPLINA DE PROPEDÊUTICA
  2. 2. Anamnese • Disfagia • Odinofagia • Pirose • Dor abdominal • Anorexia • Náuseas/Vômitos • Perda de peso • Constipação/Diarréia Hematêmese/Melena Enteorragia Hematoquezia Icterícia Polaciúria Poliúria Nictúria Incontinência Urinária Oligúria/Anúria ...
  3. 3. Anatomia
  4. 4. Anatomia
  5. 5. Anatomia
  6. 6. Anatomia
  7. 7. Inspeção • Estática • Alterações de forma • Abaulamentos, retrações, cicatrizes • Pele e anexos • Dilatações venosas • Dinâmica • Tipo respiratório • Movimentos peristálticos • Pulsações • *Hérnias
  8. 8. Inspeção – Alterações de forma • Abdome plano
  9. 9. Inspeção – Alterações de forma • Abdome globoso • Aumentado de forma uniforme • Ântero-posterior > transversal • Causas – Obesidade, pneumoperitônio, ascite
  10. 10. Inspeção – Alterações de forma • Abdome pendular ou “em avental” • Porção inferior da parede abdominal protusa • Ex: Obesidade de longa duração
  11. 11. Inspeção – Alterações de forma • Abdome em batráquio • Transversal > ântero-posterior • Ascite de longa duração
  12. 12. Inspeção – Alterações de forma • Abdome escavado
  13. 13. Inspeção- Alterações localizadas • Hérnias e eventrações • Tumores intra-cavitários
  14. 14. Inspeção – Alterações de pele • Hérpes Zoster • Fístulas • Cicatrizes • Circulação colateral • Equimose • Cullen • Gray Turner
  15. 15. Inspeção dinâmica • Movimentos peristálticos • Podem ser visualizados em indivíduos muito magros, porém geralmente indicam obstrução com hiperperistaltismo • Pulsações • Hérnias
  16. 16. Ausculta • Após a inspeção e antes da percussão e palpação • Objetivos • Avaliar o estado de motilidade intestinal • Pesquisa de sopros vasculares na aorta e seus ramos
  17. 17. Ausculta • Normal • Ruído hidroaéreo • Estalidos e gorgolejos (sons de água) • Frequência – 5 a 34 por minuto • 1-2 pontos de pesquisa em ambos hemiabdomes, por 1 minutos
  18. 18. Ausculta • Patológicos • Exacerbação • Diarréia, obstrução intestinal (inicialmente) • Redução • Íleo paralítico, obstrução (fases finais) • Borborigmo • Gorgolejo alto e prolongado • Aumento da motilidade intestinal • Gargarejo • Exacerbação do borborigmo (bolhas grossas)
  19. 19. Ausculta • Sopros abdominais • Estreitamento da luz ou fístulas arteriovenosas • Seguir trajeto da aorta e seus ramos
  20. 20. Percussão • Técnica habitual (dígito-digital) • Identificar presença de líquido ascítico, massas sólidas, aumento exagerado de ar nas alças intestinas ou fora delas, determinação do tamanho do fígado e baço • Na ausência de suspeita de alterações significativas – pesquisar 4 quadrantes, fígado e baço
  21. 21. Percussão • Normal • Timpanismo • Exceção – Hipocôndrio direito • Hipertimpanismo – Extasia gástrica, obstrução intestinal, pneumoperitônio
  22. 22. Palpação • Superficial x Profunda • Objetivos • Avaliar o grau de resistência da parede abdominal • Estabelecer as condições físicas das vísceras • Explorar a sensibilidade dolorosa do abdome • Paciente em decúbito dorsal, confortável, com pernas e braços extendidos
  23. 23. Palpação • Estruturas que podem ser palpadas: • Borda inferior do fígado • Grande curvatura do estômago • Sigmóide • Ceco • Cólon ascendente • Partes do cólon transverso e descendente • Aorta • Pólo inferior do rim direito • Palpáveis em situações patológicas • Duodeno • Baço • Vesícula biliar • Apêndice • Delgado • *Bexiga *Útero, ovários e trompas -Palpação abdominovaginal
  24. 24. Palpação superficial • Destinada à superfície cutânea da parede abdominal • Mão direita espalmada, com movimentos rápidos e rotativos • Reconhecer: • Hiperestesia cutânea • Hipertonicidade muscular- “defesa” muscular
  25. 25. Palpação profunda • Para toda víscera avaliar forma, consistência, limites, mobilidades, sensibilidade • Ruídos produzidos na palpação • Roncos • Borborigmos • Gargarejo • Vascolejo • Patinhação
  26. 26. Palpação profunda • Estômago • Palpação difícil • Grande curvatura – mãos oblíquas com dedos convergentes – percepção de degrau acima da cicatriz umbilical • Na estase gástrica pode ser percebido o vascolejo e a patinhação
  27. 27. Palpação profunda • Ceco • Fossa ilíaca direita • Mãos oblíquas, em forma de arco, utilizando borda ulnar • Consistência elástica e piriforme • Cólon ascendente • Cordão cilíndrico (especialmente se dilatado)
  28. 28. Palpação profunda • Cólon descendente • Examinador à esquerda • Principalmente em pacientes com obstipação • Sigmóide • Mais fácil de palpar • Mãos em arco, de cima para baixo • Cordão móvel
  29. 29. Palpação profunda • Músculo Psoas • Entre a coluna lombar e trocanter menor do fêmur • Na suspeita de inflamação, pesquisar sinal do psoas (mão sobre o joelho e paciente tenta elevar a coxa; em seguida erguer a coxa sobre o quadril = dor) • Depois palpar, de cima para baixo, em zigue-zague
  30. 30. Palpação profunda • Tumores abdominais • Verificar se é tumor de parede abdominal ou não – flexão do tronco • Massas abdominais – avaliar localização, forma, tamanho, superfície, consistência, mobilidade e pulsatilidade • Tumores fixos – Geralmente retroperitoneais • Aneurismas – Pulsação percebida em todos os sentidos e com intensidade igual

×