Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Osteoartrite 2017

830 views

Published on

Artrose

Published in: Health & Medicine
  • Be the first to comment

Osteoartrite 2017

  1. 1. Alambert, PA DISCIPLINA DE REUMATOLOGIA 2017 ARTROSE
  2. 2. SINONÍMIASINONÍMIA  Os termos osteoartrose ouOs termos osteoartrose ou osteoartrite (OA) sãoosteoartrite (OA) são empregados como sinônimosempregados como sinônimos de artrosede artrose..
  3. 3. OSTEOARTRITEOSTEOARTRITE DEFINIDEFINIÇÇÃOÃO
  4. 4. DEFINIÇÃODEFINIÇÃO “Um grupo heterogêneo de condições que determinam sintomas e sinais articulares que se associam a defeitos da integridade da cartilagem articular, além de modificações no osso subjacente e nas margens articulares”. (ACR) Colégio Americano de Reumatologia
  5. 5. DEFINIÇÃO A descrição da OA como doença articular exclusivamente degenerativa constitui um equívoco, pois OA não é simplesmente um processo de desgaste, mas sim de remodelação anormal dos tecidos articulares impulsionada por uma série de mediadores inflamatórios na articulação afetada. 04/09/17
  6. 6. DEFINIÇÃO • Quadro reumático mais comum, caracterizado pela perda quantitativa e qualitativa da cartilagem articular com conseqüente remodelação óssea hipertrófica local e uma inflamação secundária.
  7. 7. “O processo de doença não afeta apenas a cartilagem articular, mas envolve toda a articulação incluindo osso subcondral, ligamentos,cápsula, membrana sinovial e músculos periarticulares. Finalmente, a cartilagem articular se degenera com fibrilação, fissuras, ulcerações e afinamento total da superfície articular” CONCEITO ATUALCONCEITO ATUAL
  8. 8. DE MODO MAIS SIMPLES:DE MODO MAIS SIMPLES: “ A osteoartrose é uma insuficiência qualitativa e quantitativa da cartilagem articular associada a alterações típicas do osso subcondral “
  9. 9. EPIDEMIOLOGIA A osteoartrite (OA) é a principal causa de dor e incapacidade em adultos mais velhos e a segunda causa de consulta médica dentre as doenças crônicas em nosso meio.
  10. 10. EPIDEMIOLOGIA Portanto, OA constitui um grave problema de saúde pública. Sua prevalência está crescendo nos países desenvolvidos, devido ao envelhecimento da população e a outros fatores tais como lesões adquiridas biomecânicas e obesidade.
  11. 11. EPIDEMIOLOGIA A osteoartriteosteoartrite afeta todas as raças e grupos étnicos em todo o mundo Segundo a OMS, 10% da população com mais de 60 anos tem osteoartrose sintomática A prevalência aumenta dramaticamente com a idade,e sua piora é esperada à medida que a população envelhece
  12. 12. PREVALÊNCIA
  13. 13. ETIOLOGIA • Na etiologia da OA, a resposta da cartilagem articular à injúria ou degeneração artrósica é de reparação ineficiente. • As propriedades bioquímicas e mecânicas do novo tecido diferem da cartilagem original e resultam numa função articular inadequada ou alterada. 04/09/17
  14. 14. FISIOPATOLOGIA OSTEOARTRITE
  15. 15. FISIOPATOLOGIA •O melhor conhecimento da fisiopatologia inflamatória da OA provavelmente determinará novas abordagens para retardar alterações destrutivas na articulação e evitar o comprometimento funcional permanente. 04/09/17
  16. 16. PONTOS-CHAVE • As três principais estruturas envolvidas na evolução e progressão da O A são cartilagem, membrana sinovial e ossocartilagem, membrana sinovial e osso subcondral.subcondral. • Trauma articular ou envelhecimento podem induzir à estimulação de condrócitoscondrócitos dentro da cartilagem. • A estimulação de condrócitoscondrócitos pode perturbar o equilíbrio entre a síntese e a degradação da cartilagem , levando a O A • O aumento da produção de mediadores inflamatórios e enzimasmediadores inflamatórios e enzimas proteolíticasproteolíticas conduz à degeneração da cartilagem na O A.
  17. 17. ESTRUTURAS ENVOLVIDAS NA OA • A) Cartilagem • B) Membrana sinovial • C) Osso subcondral
  18. 18. CARTILAGEM
  19. 19. CARTILAGEM NORMAL • A composição e a complexa organização estrutural entre o colágeno e os proteoglicanos garantem as propriedades inerentes à cartilagem articular, como resistência, elasticidade e compressibilidade, necessárias para dissipar e amortecer as forças, além de reduzir a fricção, sem muito gasto de energia, a qual as articulações diartrodiais estão sujeitas 04/09/17
  20. 20. COMPOSIÇÃO DA CARTILAGEM Tecido Conjuntivo Denso
  21. 21. CARTILAGEM NORMAL
  22. 22. 04/09/17 CONDRÓCITOS
  23. 23. CONDRÓCITOS São responsáveis pela síntese e degradação de todos os componentesSão responsáveis pela síntese e degradação de todos os componentes da cartilagem, mantendo um estado de equilíbrio entre eles. Na O A oda cartilagem, mantendo um estado de equilíbrio entre eles. Na O A o metabolismo estará negativo pois os mecanismos envolvidos na de-metabolismo estará negativo pois os mecanismos envolvidos na de- gradação são predominantes.gradação são predominantes.
  24. 24. INTERAÇÃO CARTILAGEM-MEMBRANA SINOVIAL
  25. 25. INTERAÇÃO CARTILAGEM-OSSO SUBCONDRAL
  26. 26. INTERAÇÃO CARTILAGEM-OSSO SUBCONDRAL • A degradação da cartilagem seria estimulada porA degradação da cartilagem seria estimulada por citocinas e fatores de crescimento (IL-1 beta,IL-6)citocinas e fatores de crescimento (IL-1 beta,IL-6) produzidos localmente por osteoblastos dentro doproduzidos localmente por osteoblastos dentro do osso subcondral sob tensão mecânica.osso subcondral sob tensão mecânica. • O IGF-1 promove a proliferação e a remodelaçãoO IGF-1 promove a proliferação e a remodelação óssea ,levando a uma maior rigidez do osso e áóssea ,levando a uma maior rigidez do osso e á esclerose subcondral do osso.esclerose subcondral do osso.
  27. 27. OSTEOARTRITE INICIAL
  28. 28. OSTEOARTRITE TERMINAL
  29. 29. CARACTERIZAÇÃO CLÍNICA •A osteoartrose caracteriza-se por dor e disfunção articular. Em estágios mais avançados da doença ,também envolve rigidez articular,atrofia muscular e deformidade dos membros. 04/09/17
  30. 30. 04/09/17 ARTICULAÇÕES ACOMETIDAS
  31. 31. ClassificaçãoClassificação
  32. 32. FATORES DE RISCO A O A tem etiologia multifatorial e pode ser considerada produto da interação entre fatores sistêmicos que aumentam a suscetibilidade global de degeneração articular e fatores biomecânicos locais que prejudicam o funcionamento ideal de uma articulação. 04/09/17
  33. 33. FATORES DE RISCO
  34. 34. PATOLOGIA As alterações patológicas presentes nas articulações com osteoartrite incluem a degradação da cartilagem articular, o espessamento do osso subcondral, a formação de osteófitos, graus variáveis de inflamação sinovial, degeneração de ligamentos no joelho, meniscos e hipertrofia da cápsula articular.
  35. 35. 04/09/17
  36. 36. CARTILAGEM FISSURADA
  37. 37. CARTILAGEM FISSURADA
  38. 38. SULCOS v o l t a r a v a n ç a ri n í c i o 13/9/2005 Menisco medial Superfície articular com sulcos
  39. 39. HISTOLOGIA NORMAL DA CARTILAGEM
  40. 40. O vermelho indica síntese de proteoglicanos
  41. 41. DIAGNÓSTICO • Histórico clínico (anamnese) • Exame Físico • Exames de laboratório • Estudos radiográficos
  42. 42. ANAMNESE • Dor em uma ou poucas articulações • Rigidez matinal com menos de 30 minutos de duração • Crepitação por perda da cartilagem ou irregularidades nas superfícies articulares • Limitação do movimento
  43. 43. EXAME FÍSICO
  44. 44. osteoartrose
  45. 45. LABORATÓRIO NormalExame geral de urina NegativoFator reumatóide Cor palha e viscosidade adequada, o número de leucócitos < 2.000 Líquido sinovial Normal Velocidade de hemossedimentação
  46. 46. RADIOLOGIA No início da doença não se observam anormalidades. Com seu desenvolvimento, observam-se: • Diminuição do espaço intra-articular • Esclerose subcondral (eburnação) • Osteófitos; • Erosão e anquilose óssea (pseudocistos ósseos).
  47. 47. 04/09/17
  48. 48. TRATAMENTO • Os objetivos a atingir com o tratamento são: • 1.Aliviar a dor • 2.Manter a funcionalidade articular • 3.Educar o paciente e sua familia • 4.Alterar o proceso da doença e suas consequencias
  49. 49. TRATAMENTO • Tratamento Físico • Tratamento Farmacológico • Tratamento Cirúrgico
  50. 50. TRATAMENTO FÍSICO • Diminuição de peso • Realizar programas de exercícios para manter a força muscular, a flexibilidade das articulações e evitar deformidades • Terapia ocupacional
  51. 51. TRATAMENTO FARMACOLÓGICOTRATAMENTO FARMACOLÓGICO Ação lenta SYSADOA AGENTES Ação rápida
  52. 52. AÇÃO RÁPIDA • Analgésicos • AINHs • Miorrelaxantes • Corticosteróide intra-articular • Colchicina
  53. 53. AÇÃO LENTA • Glicosamina • Condroitina • Diacereína • Extratos insaponificados de soja e abacate • Ácido hialurõnico • Cloroquina • Necessitam mais estudos Sintomáticos Modificadores de doença
  54. 54. TRATAMENTO CIRÚRGICOTRATAMENTO CIRÚRGICO •As técnicas cirúrgicas empregadas na osteoartrite são artrodese, artroplastias, osteotomias, desbridamento articular, liberação de nervos periféricos, etc.
  55. 55. CONCLUSÃO • Osteoartrite NÃO é sinônimo de “envelhecimento”. • Freqüentemente, o paciente com osteoartrite procura primeiro o clínico geral. Por isso, é importante conhecê-la. • Se houver dúvidas ou complicações, deve-se consultar o reumatologista.
  56. 56. 04/09/17

×