Perda auditiva induzida_por_ruido_-_pair

5,759 views

Published on

Perda auditiva induzida_por_ruido_-_pair

  1. 1. Camila H. Alfredocamilahelaehil@gmail.com
  2. 2.  Agente físico Caracterizado por uma variação sonora sob a forma de ondas mecânicas que se propaga em um meio elástico compreensivel
  3. 3.  Som ◦ Intensidade para o ouvido humano ◦ Frequência – 16-2000 Hz (agudo e grave) ◦ Amplitude – 0 – 140 dB ◦ Faixa mais sensível – 1000 Hz
  4. 4.  Orelha: Órgão vestibulococlear ◦ Equilíbrio ◦ Audição
  5. 5.  Orelha Externa ◦ Conduz o som em direção aos componentes da orelha média e interna ◦ Protege essas porções de lesão externa ◦ Captar e canalizar as ondas sonoras do ambiente
  6. 6.  Orelha Média ◦ Membrana timpânica ◦ Transforma as vibrações sonoras em vibrações mecânicas intensificadas nos ossículos do ouvido ( martelo, bigorna e estribo) ◦ Papel de transformador de energia
  7. 7.  Orelha Interna ◦ Cóclea – responsável pela audição  Órgão de Corti  Células ciliadas – sinapse com as terminações do nervo coclear  VIII par craniano  Tronco encefálico inferior ◦ Vestíbulo – responsável pelo equilíbrio
  8. 8.  Perda provocada pela exposição por tempo prolongado ao ruído Configura-se como uma perda auditiva do tipo neurossensorial geralmente bilateral irreversível progressiva com o tempo de exposição ao ruído ( 6 a 10 anos)
  9. 9.  25% da população trabalhadora exposta seja portadora de PAIR em algum grau. Nos trabalhadores de industria brasileira prevalência 15,9-49% 28,3% industria têxtil 15,9-21% metalúrgica BERGSTRÖM;NYSTRÖM, 1986; CARNICELLI, 1988; MORATA, 1990; PRÓSPERO,1999
  10. 10.  Degeneração das células ciliadas do órgão de Corti Desencadeamento de lesões e de apoptose celular em decorrência da oxidação provocada pelo excesso de estimulação sonora ou pela exposição a determinados agentes químicos (agentes ototóxicos)
  11. 11.  O risco de Pair aumenta muito quando a média da exposição está acima de 85dB(A) por oito horas diárias. As exposições contínuas são piores do que as intermitentes, porém, curtas exposições a ruído intenso também podem desencadear perdas auditivas. O American College of Occupational and Environmental Medicine (Acoem),2003
  12. 12.  Ser sempre neurossensorial. Ser geralmente bilateral, com padrões similares. Geralmente, não produzir perda maior que 40dB(NA) nas freqüências baixas e que 75dB(NA) nas altas. A sua progressão cessa com o fim da exposição ao ruído intenso. A perda tem seu início e predomínio nas freqüências de 3, 4 ou 6 kHz, progredindo, posteriormente, para 8, 2, 1, 0,5 e 0,25 kHz. Comitê Nacional de Ruído e Conservação Auditiva, 1998
  13. 13.  Em condições estáveis de exposição, as perdas em 3, 4 ou 6 kHz, geralmente atingirão um nível máximo, em cerca de 10 a 15 anos. intolerância a sons intensos, Zumbido diminuição de inteligibilidade da fala, com prejuízo da comunicação oral. Comitê Nacional de Ruído e Conservação Auditiva, 1998
  14. 14. Auditivos Perda auditiva Zumbido é o sintoma mais comum* ◦ Prevalência de 49,8% ◦ Principal sintoma em 29,2% dos casos As dificuldades de compreensão de fala ◦ cujo padrão de fala poderá sofrer alterações,de acordo com o grau de perda auditiva. Vertigem * Mc Shane, Hyde Alberti (1988)
  15. 15. Não Auditivos nervosismo irritabilidade cefaléia insônia alterações circulatórias, alteração de visão alterações gastrointestinais
  16. 16. Não Auditivos Fadiga Dificuldade nas relações familiares Isolamento Social Auto imagem negativa – passa a se ver como surdo
  17. 17.  Conhecimento do ambiente de trabalho Queixas Avaliação audiológica ◦ Audiometria tonal por via aérea ◦ Audiometria tonal por via óssea ◦ Logoaudiometria ◦ Imitanciometria
  18. 18.  Norma regulamentadora 7 ◦ Utilização de cabina acústica. ◦ Utilização de equipamento calibrado. ◦ Repouso acústico de 14 horas. ◦ Profissional qualificado para a realização do exame (médico ou fonoaudiólogo).
  19. 19. No caso do uso de cores:a) a cor vermelha deve ser usada para os símbolos referentes à orelha direita;b) a cor azul deve ser usada para os símbolos referentes à orelha esquerda
  20. 20. Orelha direita Orelha esquerda 250 500 750 1k 1,5k 2k 3k 4k 6k 8k 250 500 750 1k 1,5k 2k 3k 4k 6k 8k -10 -10 0 0 10 10 20 20 30 30 40 40 50 50 60 60 70 70 80 80 90 90 100 100 110 110 IPRF: mono100% intensidade: 45 dBNA IPRF: mono 100% intensidade: 45 dBNA diss --- mascaramento: --- diss --- mascaramento: --- triss --- triss --- LRF: 05 dBNA LRF: 05 dBNAObservações: examinadorAula PAIR – Osmar Mesquita de Souza Neto
  21. 21. Orelha direita Orelha esquerda 250 500 750 1k 1,5k 2k 3k 4k 6k 8k 250 500 750 1k 1,5k 2k 3k 4k 6k 8k -10 -10 0 0 10 10 20 20 30 30 40 40 50 50 60 60 70 70 80 80 90 90 100 100 110 110 IPRF: mono100% intensidade: 50 dBNA IPRF: mono 100% intensidade: 50 dBNA diss --- mascaramento: --- diss --- mascaramento: --- triss --- triss --- LRF: 10 dBNA LRF: 10 dBNAObservações: examinadorAula PAIR – Osmar Mesquita de Souza Neto
  22. 22. Orelha direita Orelha esquerda 250 500 750 1k 1,5k 2k 3k 4k 6k 8k 250 500 750 1k 1,5k 2k 3k 4k 6k 8k -10 -10 0 0 10 10 20 20 30 30 40 40 50 50 60 60 70 70 80 80 90 90 100 100 110 110 IPRF: mono100% intensidade: 50 dBNA IPRF: mono 100% intensidade: 50 dBNA diss --- mascaramento: --- diss --- mascaramento: --- triss --- triss --- LRF: 10 dBNA LRF: 10 dBNAObservações: examinadorAula PAIR – Osmar Mesquita de Souza Neto
  23. 23. Orelha direita Orelha esquerda 250 500 750 1k 1,5k 2k 3k 4k 6k 8k 250 500 750 1k 1,5k 2k 3k 4k 6k 8k -10 -10 0 0 10 10 20 20 30 30 40 40 50 50 60 60 70 70 80 80 90 90 100 100 110 110 IPRF: mono 96% intensidade: 50 dBNA IPRF: mono 96% intensidade: 50 dBNA diss --- mascaramento: --- diss --- mascaramento: --- triss --- triss --- LRF: 10 dBNA LRF: 10 dBNAObservações: examinadorAula PAIR – Osmar Mesquita de Souza Neto
  24. 24. Orelha direita Orelha esquerda 250 500 750 1k 1,5k 2k 3k 4k 6k 8k 250 500 750 1k 1,5k 2k 3k 4k 6k 8k -10 -10 0 0 10 10 20 20 30 30 40 40 50 50 60 60 70 70 80 80 90 90 100 100 110 110 IPRF: mono 92% intensidade: 50 dBNA IPRF: mono 92% intensidade: 50 dBNA diss --- mascaramento: --- diss --- mascaramento: --- triss --- triss --- LRF: 15 dBNA LRF: 15 dBNAObservações: examinadorAula PAIR – Osmar Mesquita de Souza Neto
  25. 25. Orelha direita Orelha esquerda 250 500 750 1k 1,5k 2k 3k 4k 6k 8k 250 500 750 1k 1,5k 2k 3k 4k 6k 8k -10 -10 0 0 10 10 20 20 30 30 40 40 50 50 60 60 70 70 80 80 90 90 100 100 110 110 IPRF: mono 92% intensidade: 55 dBNA IPRF: mono 92% intensidade: 55 dBNA diss --- mascaramento: --- diss --- mascaramento: --- triss --- triss --- LRF: 15 dBNA LRF: 15 dBNAObservações: examinadorAula PAIR – Osmar Mesquita de Souza Neto
  26. 26. Orelha direita Orelha esquerda 250 500 750 1k 1,5k 2k 3k 4k 6k 8k 250 500 750 1k 1,5k 2k 3k 4k 6k 8k -10 -10 0 0 10 10 20 20 30 30 40 40 50 50 60 60 70 70 80 80 90 90 100 100 110 110 IPRF: mono 92% intensidade: 60 dBNA IPRF: mono 92% intensidade: 60 dBNA diss --- mascaramento: --- diss --- mascaramento: --- triss --- triss --- LRF: 25 dBNA LRF: 25 dBNAObservações: examinadorAula PAIR – Osmar Mesquita de Souza Neto
  27. 27.  São as medidas de controle da exposição na fonte na trajetória no indivíduo
  28. 28.  Prevenir o desencadeamento e o agravamento da perda auditiva Mapeamento ruido Indicação das áreas de risco Controle de ruído Proteçao da audiometria Educação Treinamento Programa de testes audiométricos
  29. 29.  Todo caso de Perda Auditiva Induzida por Ruído é passível de notificação compulsória pelo SUS, segundo parâmetro da Portaria GM/MS/ N.º 777, de 28 de abril de 2004.
  30. 30.  Perda Auditiva Induzida pelo Ruído (PAIR). Ministerio da Saúde. Normas e Manuais Tecnicos 5. Brasilia, 2006

×