Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Fonologia 1º ano Ensino Médio

15,034 views

Published on

Estudo dos fonemas

Published in: Education

Fonologia 1º ano Ensino Médio

  1. 1. ESTUDO DOS FONEMAS
  2. 2. • É o ramo da Linguística que estuda o sistema sonoro de um idioma. Ao estudar a maneira como os fones (sons) se organizam dentro de uma língua, classifica-os em unidades capazes de distinguir significados, chamadas fonemas. FONOLOGIA
  3. 3. FONEMA Fonemas são as entidades capazes de estabelecer distinção entre as palavras. Exemplos: casa/capa, muro/mudo, dia/tia A troca de um único fonema determina o surgimento de outra palavra ou um som sem sentido. O fonema se manifesta no som produzido, sendo registrado pela letra e representado graficamente por ela. Atenção: Os fonemas são representados entre barras. Exemplos: /m/, /o/.
  4. 4. FONEMA E LETRA Às vezes, o mesmo fonema pode ser representado por mais de uma letra do alfabeto. É o caso do fonema /z/, que pode ser representado pelas letras z, s, x: Exemplos: zebra casamento exílio
  5. 5. FONEMA E LETRA Em alguns casos, a mesma letra pode representar mais de um fonema. A letra x, por exemplo, pode representar: o fonema sê: texto o fonema zê: exibir o fonema chê: enxame o grupo de sons ks: táxi
  6. 6. FONEMA E LETRA O número de letras nem sempre coincide com o número de fonemas. Exemplos: fonemas: /t/ó/k/s/i/c/o/ Tóxico 1 2 3 4 5 6 7 letras: t ó x i c o 12 34 5 6 fonemas: /g/a/l/h/o/ galho 1 2 3 4 5 letras: g a l h o 1 2 3 4 5
  7. 7. FONEMA E LETRA As letras m e n, em determinadas palavras, não representam fonemas. Observe os exemplos: compra conta Nessas palavras, m e n indicam a nasalização das vogais que as antecedem. Veja ainda: nave: o /n/ é um fonema; dança: o n não é um fonema; o fonema é /ã/, representado na escrita pelas letras a e n.
  8. 8. FONEMA E LETRA A letra h, ao iniciar uma palavra, não representa fonema. Exemplos: fonemas: / ho / j / e / hoje 1 2 3 letras: h o j e 1 2 3 4
  9. 9. CLASSIFICAÇÃO DOS FONEMAS Os fonemas da língua portuguesa são classificados em:
  10. 10. VOGAIS São os fonemas sonoros produzidos por uma corrente de ar que passa livremente pela boca. Em nossa língua, desempenham o papel de núcleo das sílabas. Isso significa que em toda sílaba há necessariamente uma única vogal. Na produção de vogais, a boca fica aberta ou entreaberta.
  11. 11. As vogais podem ser: Orais: quando o ar sai apenas pela boca. Por Exemplo: /a/, /e/, /i/, /o/, /u/. Nasais: quando o ar sai pela boca e pelas fossas nasais. Por Exemplo: /ã/:fã, canto, tampa / /: dente, tempero / /: lindo, mim; /õ/: bonde, tombo / / nunca, algum
  12. 12. As vogais podem ser: Átonas: pronunciadas com menor intensidade. Por Exemplo: até, bola Tônicas: pronunciadas com maior intensidade. Por Exemplo: até, bola
  13. 13. SEMIVOGAIS Semivogais são fonemas que se apoiam em uma vogal para formar sílaba. Em síntese: a semivogal está sempre ao lado da vogal na mesma sílaba, formando ditongo ou tritongo. Na escrita, as semivogais são: e, i, o e u. Na pronúncia, as semivogais são: /y/ e /w/. a. Letra e = mãe (/mãy/), bem (/b y/), também (/tãb y/). b. Letra i = pai (/pay/), feito (/feytu/), peito (/peytu/). c. Letra o = nódoa (/nodwa/), mágoa (/magwa/). d. Letra u = pau (/paw/), mingau (/mgaw/).
  14. 14. CONSOANTES As consoantes são fonemas que não podem sozinhos formar sílabas, ou seja, eles são fonemas que não podem agir sozinhos, diferentemente das vogais, que podem formar sílabas. Exemplos: /b/, /t/, /d/, /v/, /l/, /m/, etc.
  15. 15. DÍGRAFOS
  16. 16. dígrafo É a união de duas letras representando um só fonema. Observe que no caso dos dígrafos não há correspondência direta entre o número de letras e o número de fonemas. Dígrafos que desempenham a função de consoantes: ch (chuva), lh (molho), nh (unha), rr (carro) e outros. Dígrafos que desempenham a função de vogais nasais: am (campo), en (bento), om (tombo) e outros.
  17. 17. ENCONTROS VOCÁLICOS E CONSONANTAIS
  18. 18. Encontros consonantais Quando existe uma sequência de duas ou mais consoantes em uma mesma palavra, denominamos essa sequência de encontro consonantal. O encontro pode ocorrer: - na mesma sílaba: cla-ri-da-de, fri-tu-ra, am-plo - em sílabas diferentes: af-ta, com-pul-só-rio
  19. 19. ENCONTROS VOCÁLICOS Há três tipos de encontros vocálicos: ditongo, hiato e tritongo. Ditongo: é a junção de uma vogal + uma semivogal (ditongo decrescente), ou vice-versa (ditongo crescente), na mesma sílaba. Ex.: noite (ditongo decrescente), quase (ditongo crescente). Hiato: é a junção de duas vogais pronunciadas separadamente, formando sílabas distintas. Ex.: saída, coelho Tritongo: é a junção de semivogal + vogal + semivogal, formando uma só sílaba. Ex.: Paraguai, arguiu. ATENÇÃO: Não se esqueça de que só as vogais /i/ e /u/ podem funcionar como semivogais. Quando semivogais, serão representadas por /y/ e /w/, respectivamente.

×