Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Geologia 11 ocupação antrópica e problemas de ordenamento - zonas costeiras

12,514 views

Published on

Published in: Education
  • Be the first to comment

Geologia 11 ocupação antrópica e problemas de ordenamento - zonas costeiras

  1. 1. Geologia11Ocupação antrópica e problemas de ordenamento –Zonas Costeiras
  2. 2. Nuno Correia 2012 - 2013 2A ocupação antrópica levou a grandes alteraçõespaisagísticas, o que tem levado à deterioraçãoambiental.
  3. 3. Nuno Correia 2012 - 2013 3A ocupação antrópica levou a grandes alteraçõespaisagísticas, o que tem levado à deterioraçãoambiental.
  4. 4. Nuno Correia 2012 - 2013 4
  5. 5. Ação do marNuno Correia 2012 - 2013 5 Erosão Transporte Deposição
  6. 6. ErosãoDesgasteprovocado peloimpacto da águaAbrasão marinha.Nuno Correia 2012 - 2013 6
  7. 7. Plataforma de abrasãoNuno Correia 2012 - 2013 7
  8. 8. Nuno Correia 2012 - 2013 8
  9. 9. Nuno Correia 2012 - 2013 9Lavadores – Gaia
  10. 10. Nuno Correia 2012 - 2013 10Lavadores – Gaia
  11. 11. Nuno Correia 2012 - 2013 11Lavadores – Gaia
  12. 12. Tipos de LitoralNuno Correia 2012 - 2013 12Falésia ou arribasPraias
  13. 13. Nuno Correia 2012 - 2013 13
  14. 14. Erosão depende da natureza dasrochasNuno Correia 2012 - 2013 14Praia da Falésia -AçoteiasArenito
  15. 15. Nuno Correia 2012 - 2013 15Leça de Palmeira - Matosinhos Granitos e Gnaisses
  16. 16. Nuno Correia 2012 - 2013 16
  17. 17. Estrutura GeológicaNuno Correia 2012 - 2013 17A estrutura geológica(orientação dos planosde estratificação)favorece ainstabilidade da arriba.São Pedro de Moel
  18. 18. Nuno Correia 2012 - 2013 18
  19. 19. Nuno Correia 2012 - 2013 19
  20. 20. Nuno Correia 2012 - 2013 20Erosão LitoralArenoso RochosoRecuo das arribasFactores condicionantesTipos de Rochas Grau de meteorização Estrutura Geológica
  21. 21. TransporteNuno Correia 2012 - 2013 21
  22. 22. Nuno Correia 2012 - 2013 22
  23. 23. Nuno Correia 2012 - 2013 23
  24. 24. Nuno Correia 2012 - 2013 24
  25. 25. Nuno Correia 2012 - 2013 25
  26. 26. Formas de deposiçãoNuno Correia 2012 - 2013 26
  27. 27. Nuno Correia 2012 - 2013 27
  28. 28. Nuno Correia 2012 - 2013 28
  29. 29. RestingaNuno Correia 2012 - 2013 29
  30. 30. TômboloNuno Correia 2012 - 2013 30Ilha do Baleal - Peniche
  31. 31. Nuno Correia 2012 - 2013 31
  32. 32. Nuno Correia 2012 - 2013 32
  33. 33. Nuno Correia 2012 - 2013 33Rudistas
  34. 34. Nuno Correia 2012 - 2013 34
  35. 35. Transgressões e regressõesNuno Correia 2012 - 2013 35Terraços marinhos – Lavadores
  36. 36. Questão de aulaNuno Correia 2012 - 2013 36"Durante uma transgressão ocorre umaumento da biodiversidade."Comente a afirmação.
  37. 37. Erosão Costeira – riscos associadosampliados pela ação humanaNuno Correia 2012 - 2013 37Esposende
  38. 38. Nuno Correia 2012 - 2013 38http://sol.sapo.pt/inicio/galerias/infografias.aspx?content_id=55013
  39. 39. Zonas de maior riscoNuno Correia 2012 - 2013 39Causas da erosãocosteiraSubida donível do marRetenção desedimentosnas baciashidrográficasGlobal Pontual
  40. 40. Nuno Correia 2012 - 2013 40O litoral é uma zona dinâmica que evoluinaturalmente, modificando-se.Queda da Falésia em Albufeira - 2009
  41. 41. Causas antrópicas Ocupação da faixa litoral com construções. Diminuição da quantidade de sedimentos. Destruição de defesas naturais.Nuno Correia 2012 - 2013 41
  42. 42. Ocupação da faixa litoralNuno Correia 2012 - 2013 42Azenhas do Mar
  43. 43. Diminuição da quantidade desedimentoNuno Correia 2012 - 2013 43
  44. 44. Destruição de defesas naturaisNuno Correia 2012 - 2013 44Uma praia de areiadeu lugar a uma praiade calhaus.São Bartolomeu do Mar –Esposende
  45. 45. Medidas de prevenção Obras de engenharia Retirada estratégica Estabilização de arribas Alimentação artificial das praias cominertes Recuperação das dunasNuno Correia 2012 - 2013 45
  46. 46. Obras de engenharia Paredões Esporões Quebra-maresNuno Correia 2012 - 2013 46
  47. 47. Esporões ou MolhesNuno Correia 2012 - 2013 47
  48. 48. Retirada estratégica Desocupar a faixa costeira que previsivelmente virá aser perturbada nas próximas décadas, transferindopara local seguro as construções mais importantes edestruindo as menos importantes.Nuno Correia 2012 - 2013 48
  49. 49. Retirada estratégica Do ponto de vista ambiental é, talvez, asolução mais correcta, pois deixa a Naturezafuncionar naturalmente.Nuno Correia 2012 - 2013 49
  50. 50. Estabilização de arribasNuno Correia 2012 - 2013 50
  51. 51. Nuno Correia 2012 - 2013 51
  52. 52. Nuno Correia 2012 - 2013 52
  53. 53. Nuno Correia 2012 - 2013 53
  54. 54. Alimentação com inertesNuno Correia 2012 - 2013 54
  55. 55. Recuperação das DunasNuno Correia 2012 - 2013 55
  56. 56. Nuno Correia 2012 - 2013 56Os sistemas dunares são formaçõesFITOGEODINÂMICAS em permanente equilíbrio dinâmico,intimamente dependente do coberto vegetal vivo, implica quequalquer fator externo ao sistema terá consequênciasdesequilibrantes e dificilmente compensáveis (pisoteio,vegetação infestante, obras de engenharia costeira, etc.).Caso a vegetação fixadora das dunas seja degradada edestruída, todo o sistema dunar será afectado negativamente.A areia nua facilmente será arrastada para o interior doterritório, podendo invadir e mesmo cobrir terrenos agrícolas,explorações, habitações e caminhos.Em épocas de tempestade podem mesmo ocorrer catástrofesem que o mar não encontrando obstáculos ao seu avanço,destrói culturas e construções que antes estavam protegidas dasdunas.
  57. 57. Nuno Correia 2012 - 2013 57

×