Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Uma nova Política Des(emprego) Jovem

2,920 views

Published on

XV - Congresso da Federação Distrital de Santarém
Moção Setorial

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Uma nova Política Des(emprego) Jovem

  1. 1. Uma nova Política Des(emprego) JovemOs congressos (federativos ou nacionais) do Partido Socialista são normalmentepalco de moções setoriais muito importantes para os desafios políticos do futuro,mas por questões várias acabam por nem sempre ser alvo das melhores atenções.Esta moção que a Juventude Socialista do Distrito de Santarém (JS Ribatejo)apresenta em congresso vai ao encontro daquela que é um dos maiores problemasdos nossos tempos, o desemprego, nomeadamente o jovem pelo grupo etário querepresentamos, e pela tragédia dos números.A crise económica, financeira e social é gerida na Europa e nosso país não ligandoao essencial: as pessoas. A visão liberal de resposta à crise, viola igualmente asmais elementares linhas de raciocínio que a História Económica nos dá pararesolver crises.O “custe o que custar” e a lógica da resolução dos problemas no longo prazo,levamnos a indicadores económicos e sociais gritantes.Os últimos dados do INE (Instituto Nacional de Estática) são duros, mas talvez algolonge do verdadeiro drama da situação. Cerca de 35% de Desemprego Jovem (aquicom um método de contabilização discutível) e de 15% na sua globalidade. Osnúmeros “reais” do desemprego em Portugal serão certamente superiores, o quedemonstram uma necessidade clara de respostas políticas. Atrás dos númerosexistem pessoas e a redução nos apoios e subsídios de desemprego são umaagravante nesta situação de crise.O distrito de Santarém, vítima de uma política discriminatória é um distritoparticularmente afectado por estes números. O PS Distrital em conjunto com aJuventude Socialista e com as concelhias tem como obrigação vir para a rua, nocombate a esta insensibilidade social.A geração sub‐35 é a geração mais preparada de sempre do país, mas para as suasqualificações não conseguem encontrar resposta em Portugal, mesmo nas áreasque garantiam 100% emprego, a situação já não é a mesma. Esta situação acabapor levar um desincentivo na formação e na qualificação no nosso país, seja emque nível for, sendo um caso paradigmático, o caso das Novas Oportunidades.Mais problemático é o caso dos jovens que não escolheram ou não tiveram aoportunidade de ter uma qualificação superior. A taxa de desemprego jovem nestescasos, assim como tempo médio até ao encontro de novo emprego é muitosuperior.Arrastando esses jovens para dramas sociais e para emigração sem o mínimo decondições de sucesso.Da parte do governo os jovens ouvem incentivos à emigração, únicos na História donosso povo, atingindo hoje números comparáveis a outras décadas e a outrasrealidades sociais e políticas. Da parte dos sindicatos, a relação é de quase divórciodestes jovens, desiludidos pela incapacidade de respostas. Aqui e neste campo oesforço terá de ser mútuo. 1
  2. 2. Dos partidos políticos esperam respostas. Resposta às suas ansiedades eproblemas, e que não sejam afastados para qualquer cidade europeia, Angola,Brasil ou mesmo Austrália. O Partido Socialista como garante dos valores dasolidariedade e da igualdade, deve estar na primeira linha do campo de batalha.Da parte dos autarcas esperam ouvir soluções. Muitas são as boas práticas deexecutivos camarários liderados pelo Partido Socialista espalhados pelo nosso paíse região. Mas um esforço suplementar pode ainda ser necessário, mesmoconhecendo a situação de “asfixia financeira” das Câmaras Municipais da parte deum governo centralista.Sabemos que pela teoria económica que o problema do desemprego só pode serresolvido pelo crescimento económico, mas outras medidas podem e devem serfeitas.Desta forma a Juventude Socialista Distrital de Santarém (JS Ribatejo)propõe ao Partido Socialista do distrito:‐ Defesa Intransigente de Políticas de Crescimento e Emprego;‐ Exigência de medidas de medidas pró‐activas no combate ao Desemprego Jovem;‐ Reunião com as estruturas sindicais do distrito;‐ Combate à precariedade laboral. Esta é altura óptima do neo‐liberalismo defenderestágios não remunerados e recibos verdes. Essa não pode ser a solução;‐ Defesa da baixa do passe de comboio no Distrito de Santarém. A obrigatoriedadede mobilidade tem custos e hoje são quase insuportáveis.‐ Colocação nos programas autárquicos de 2013 do PS (distrital e locais) medidasproactivas de emprego jovem e apoio à emancipação e investimento jovem.1º Subscritor: Hugo CostaVasco CasimiroNuno FerreiraMara Lagriminha CoelhoLuis PereiraDaniela GermanoRicardo AntunesBruno TomásFilipe HonórioHugo VieiraTiago Preguiça 2

×