Plano De Contingencia 2009

1,005 views

Published on

Published in: Education, Health & Medicine
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,005
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
6
Actions
Shares
0
Downloads
27
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Plano De Contingencia 2009

  1. 1. ESCOLA SECUNDÁRIA D. INÊS DE CASTRO - ALCOBAÇAPLANO DE CONTINGÊNCIAGRIPE A - VÍRUS H1N1Dada a natureza pandémica da Gripe A – e a necessidade de, técnica e pedagogicamente, se encontrar uma resposta eficaz, e serena, para o problema - definem-se aqui uma série de procedimentos a adoptar, em caso de necessidade, por esta comunidade educativa. Agosto de 2009<br />PLANO DE CONTINGÊNCIA<br />GRIPE A - VÍRUS H1N1<br />RAZÃO DE SER<br />Enquanto lugares de grande concentração e circulação de pessoas, as escolas assumem, também, e sobretudo, num cenário pandémico, uma importância crucial na implementação de estratégias limitativas da possibilidade de contágio e da rápida propagação da doença.<br />Para além desta importância clínica – que deve ter sempre como horizonte estratégico assegurar que a entidade possa prosseguir com a sua actividade principal – o Plano de Contingência justificar-se-ia sempre pela sua dimensão pedagógica, ao sensibilizar a comunidade escolar / educativa para a necessidade de adoptar os procedimentos adequados<br />Este Plano de Contingência será, assim, um conjunto de medidas, tidas, neste momento, como adequadas para que, dentro de cenários razoáveis, a escola possa continuar a exercer a sua função, sem correr riscos, mas evitando, no limite do possível , o patrocínio de alarmismos desnecessários.<br />Pretende-se que ele seja útil para que todos os membros da comunidade – alunos, professores, pessoal não docente e encarregados de educação – saibam quais os procedimentos mais adequados a cada situação que, neste momento, é possível configurar.<br />O facto de a Escola ser intervencionada, durante este ano lectivo, no âmbito do Plano de Requalificação das Escolas Secundárias (programa do ME / Parque-Escolar), não interferiu na elaboração deste Plano, uma vez que se pretende assegurar uma estanquicidade entre a actividade escolar e actividade construtiva. No entanto, no âmbito das reuniões de coordenação a haver entre a Escola e a fiscalização da obra, não deixarão de ser analisados todos os dados que se julgarem convenientes às finalidades deste Plano de Contingência. <br />Este Plano tem a estrutura definida pelo documento publicado pela Direcção Geral de Saúde e acessível em www.dgs.pt <br />COORDENAÇÃO E EQUIPA OPERATIVA.<br />A Coordenação do Plano é assegurada pela Direcção da Escola, à frente de uma Equipa para a Operativa (adiante designada por EqOp)<br />COORDENADOR – Vítor Xavier Ramos Pires, Adjunto da Direcção.<br />EqOp: Esta equipa tem uma composição tripartida, envolvendo a Equipa para a Promoção da Educação para a Saúde em Meio Escolar (PESME), a Associação de Pais e Encarregados de Educação (APEDICA) e a Comissão do Pessoal Não Docente (CPND).<br />PESME:<br />Ana Luísa Pinto Bernardo (Coord.)966 336 652<br />Ana Sofia Franco Gabriel961 210 932<br />José Manuel Domingues Nogueira967 981 924<br />Paula Cristina Gonçalves Patrício969 078 660<br />APEDICA:<br />membros a designar, em Setembro, pela associação de pais.<br />CPND:<br />Maria de Fátima Calçada Santos Crespo – 968 063 216<br />Rosalina Oliveira Martins Correia914 706 460<br />Ana Margarida Machado918 075 840<br />DEFINIÇÃO DA CADEIA DE “COMANDO E CONTROLO”<br />COORDENADOR:Vítor José Xavier Ramos Pires(Adjunto da Direcção)<br />ENTIDADES EXTERNASLinha de Saúde 808 24 24 24Centro de Saúde262 590 510C.M. Alcobaça / Protecção Civil800 206 419B. V. Alcobaça 262 505 300 INEM112CHON / Hospital– 964 454 543Rodoviária do Tejo262 582 221EQOP:PESMEAPEDICACPND<br />O primeiro passo consistirá na consulta da linha Saúde 24 (808 24 24 24) que, em função do diagnóstico efectuado, aconselhará os passos subsequentes;<br />Será, no entanto, de contactar sempre os serviços de saúde pública (Centro de Saúde, Protecção Civil, Hospital…) para articular as respostas que se afigurem mais adequadas.<br />Internamente, as respostas serão centralizadas no Coordenador e operacionalizadas pela EQOP que executará os contactos que se impuserem com as entidades externas.<br />ACTIVIDADES ESSENCIAIS E PRIORITÁRIAS.<br />Num cenário de elevado absentismo, decorrente da actividade gripal, importa assegurar as condições mínimas de funcionamento da escola. Considera-se que estão reunidas as condições mínimas de funcionamento se estiverem disponíveis os seguintes efectivos:<br />ServiçoNº de colaboradoresBufete1Manutenção das instalações / apoio actividades lectivas6Serviços Administrativos1Cumprimentos do Plano de Emergência e EvacuaçãoTodos os elementos presentes na Escola <br /> NB - Dada a situação de contingência para que este Plano aponta, serão feitas as substituições que se revelarem adequadas para assegurar o funcionamento mais satisfatório dos serviços e da escola.<br />Num cenário de forte incidência gripal, os fornecedores de bens e serviços deverão usar máscara, a ser disponibilizada na Portaria da Escola.<br />O encerramento da Escola deverá ocorrer, como medida de recurso, na sequência de determinação do Delegado de Saúde, em função da avaliação epidemiológica efectuada.<br />Neste cenário, a Escola deverá manter em funcionamento os seguintes serviços, com os seguintes efectivos:<br />ServiçoNº de colaboradoresDirecção1Portaria 1Telefone1Serviços Administrativos1<br />Os pais devem ser informados do período de encerramento e das medidas de vigilância a efectuar. Estas medidas serão divulgadas, preferencialmente, através da página Web da Escola: www.esdica.pt<br /> <br />A ACTIVIDADE ESCOLAR EM TEMPO DE CRISE.<br />Prevendo uma incidência moderada, que permita a manutenção da actividade normal da Escola, adoptar-se-ão os seguintes procedimentos:<br />Substituição de docentes em falta, recorrendo à bolsa de substituição;<br />Recorrer ao teletrabalho, através do e-mail ou da plataforma MODDLE, com a colaboração dos encarregados de educação;<br />Constituição de uma base de dados, geral e por turma, com todos os endereços de mail disponíveis.<br />Manter as reservas de água e aumentar as reservas de produtos de limpeza e de higiene, nomeadamente, água, sabão, soluções de base alcoólica.<br />MEDIDAS DE PREVENÇÃO E CONTROLO DA GRIPE<br />A Escola Secundária D. Inês de Castro – Alcobaça, em consonâncias com as autoridades sanitárias, a DRELVT e a DGS, julga importante a implementação das seguintes medidas:<br />INFORMAÇÃO E CAPACITAÇÃO.<br />Sujeitas ainda a confirmação, impossível de obter à data da elaboração deste Plano, serão promovidas, no início de Setembro, e de acordo com o Cronograma a seguir indicado, as seguintes acções de sensibilização:<br />CRONOGRAMA DAS ACÇÕESPESSOAL DOCENTE E NÃO DOCENTE1 a 10 de Setembro PAIS E ENCARREGADOS DE EDUCAÇÃOSETEMBRO: Início - nas reuniões de recepção aos alunos a promover pela Direcção; Durante o mês – nas reuniões a promover pelos Directores de Turma.ALUNOSSETEMBRO e durante o tempo subsequente: a cargo do Director de Turma<br />Para além da informação oficial, será disponibilizada a informação que for julgada necessária e suficiente através da afixação de cartazes, distribuição de panfletos, bem como da publicação de materiais na página Web da escola.<br />Aconselha-se igualmente a consulta sistemática da página da DGS ( www.dgs.pt ou do “microsite da gripe”: http://www.dgs.pt/ms/2/default.aspx?pl=&id=5509&acess=0&cpp=1 <br />MEDIDAS DE HIGIENE DO AMBIENTE ESCOLAR<br />Para além dos cuidados habituais promovidos pela Escola em tempo normal, serão adoptados os seguintes procedimentos de contingência<br />Uso obrigatório de lenços de papel;<br />Aconselhamento à aquisição e uso individual de SABA (solução anti-séptica de base alcoólica);<br />Disponibilização em todos os blocos da Escola de soluções de limpeza de mãos à base de álcool, bem como toalhas de papel;<br />Nas casas de banho haverá dispositivos para secagem de mãos, bem como sabonete líquido;<br />Colocação de cartazes informativos, por todo o espaço escolar, mas com maior incidência junto dos locais de lavagem de mãos, sobre os procedimentos a adoptar;<br />Sensibilização dos alunos para a necessidade de respeitarem todos os equipamentos de limpeza e de desinfecção, ainda mais neste cenário epidémico;<br />Divulgação das regras de “Etiqueta Respiratória”:<br />Quando respirar ou tossir, cobrir a boca e o nariz, utilizando um lenço de papel. No caso de não ter lenço, utilizar o braço (flexura do cotovelo – ver gravura)<br />Nunca espirrar para as mãos.<br />Se isso acontecer inadvertidamente (é sempre melhor do que espirrar para o ar), lavar imediatamente as mãos com todo o cuidado;<br />Lavagem das mãos sempre que tossir, espirrar ou assoar.<br />Uma vez utilizado, o lenço de papel deve ser colocado no lixo.<br />Limpar superfícies sujeitas a contacto manual frequente (maçanetas das portas, corrimãos, telefones, computadores…) com um produto de limpeza comum, três vezes ao dia.<br />Elaboração de um documento de monitorização da manutenção, limpeza e desinfecção das instalações;<br />O Professor será a pessoa responsável por deixar as janelas abertas durante os intervalos.<br />Os balneários do pavilhão gimnodesportivo devem ser limpos de 90 em 90 minutos pelos assistentes operacionais respectivos.<br />Criação de pacotes de livros e de outros documentos em diferentes suportes, seleccionados por temas, disciplinas, anos de escolaridade, etc., para empréstimo domiciliário, sob condições de higiene controladas, aos alunos da escola e do agrupamento.<br />Divulgação de listas da documentação seleccionada, em espaços específicos da biblioteca, na sala de professores das diferentes escolas do agrupamento, e ainda através do sítio e blogue da escola/agrupamento e da biblioteca.<br />Disponibilização no sítio e blogue da escola/agrupamento e da biblioteca, em lugar de destaque, de documentos de apoio à pesquisa de informação e à elaboração de trabalhos escolares, para acesso dos alunos a partir de casa.<br />Organização e divulgação, através da internet, de propostas de trabalho curricular no âmbito das diferentes disciplinas/anos, a realizar a distância e/ou presencialmente.<br />Organização de maletas pedagógicas com materiais diversos, destinadas a empréstimo para as salas de aula das diferentes escolas do agrupamento.<br />Apresentação em estantes/expositores visivelmente assinalados, de livros, documentação temática e novidades, seleccionados de modo a motivar e facilitar a sua consulta.<br />Selecção e divulgação de listas de livros adequados para empréstimo domiciliário a professores e a funcionários. <br />Elaboração e divulgação de propostas de leituras, filmes e sítios a explorar pelos alunos em casa, com a família e com os amigos.<br />Activação de meios de contacto e interacção a distância com a comunidade escolar, para além do correio electrónico e plataforma moodle, tais como: página web, blogue, twitter, facebook, hi5 e outros.<br />MEDIDAS DE ISOLAMENTO E DISTANCIAMENTO SOCIAL<br />É rigorosamente vedado o acesso à escola a todos os jovens, adultos ou profissionais que manifestem quaisquer dos sintomas gripais (febre, tosse , dores no corpo, dores de garganta, arrepios, fadiga) sem que esteja descartada a hipótese de se tratar de Gripe A.<br />Compete à EqOp a iniciativa de, em casos de dúvida, contactar a Linha de Saúde 24, o Delegado de Saúde e/ou o Centro de Saúde (Unidade Local de Saúde Pública).<br />Até serem confiadas aos cuidados dos Encarregados de Educação, as pessoas suspeitas de infecção serão encaminhadas para a Sala Anexa aos Directores de Turma que funcionará como SALA DE ISOLAMENTO.<br />Esta sala funcionará apenas para este fim. A porta deve estar sempre fechada, deve ser feito o arejamento regular do espaço e deve estar equipada com um “Kit” que contenha:<br />1 dispensador de solução anti-séptica de base alcoólica (SABA);<br />1 Termómetro<br />1 pacote de máscaras.<br />Luvas<br />Medidas a adoptar na Sala de Isolamento:<br />Colocar uma máscara ao suspeito de infecção;<br />Proceder a um simples questionário;<br />Verificar a temperatura corporal;<br />Na sequência do contacto com a Linha de Saúde 24¸seguir as instruções recolhidas.<br />PLANO DE COMUNICAÇÃO<br />Na Portaria da Escola / Telefone, deverá haver uma lista de todos os contactos necessários para o tratamento das emergências, nomeadamente:<br />Coordenador,<br />EqOp<br />Entidades Externas<br />tal como estão identificadas em “Cadeia de Comando e Controlo”.<br />DIVULGAÇÃO<br />O conhecimento e divulgação deste Plano é de interesse fundamental para que possam ser alcançados os efeitos desejados. Deverá, por isso mesmo, ser divulgado junto da comunidade educativa. Deste modo, para além do seu envio para as entidades competentes, nomeadamente DRELVT e entidades externas definidas em 3., será publicitado na página Web da Escola, bem como dado a conhecer a Alunos, Professores, Pessoal Não Docente e Encarregados de Educação em todas as reuniões de preparação do ano lectivo 2009-2010.<br />AVALIAÇÃO.<br />Em consonância com os desenvolvimentos do processo, este Projecto deverá ser reavaliado e actualizado sempre que novos dados ou novos conhecimentos o tornem necessário.<br />Uma vez terminada a fase pandémica, a EqOp procederá à sua avaliação, colhendo o parecer da comunidade educativa, de modo a afinar uma resposta válida e ajustada que se imponha como útil em situações futuras.<br />CHECK LIST DA IMPLEMENTAÇÃO DO PLANO DE CONTINGÊNCIA:<br />COORDENAÇÃO E PLANEAMENTONão iniciadoEm cursoExecu-tadoDesignar Coordenador e respectiva EqOpDefinir a cadeia de comando e controloIdentificar as actividades essenciais e prioritáriasPrever o impacte que os diferentes níveis de absentismo terão nas actividades escolares, em particular, nas consideradas essenciais e prioritáriasDefinir os recursos humanos mínimos para cada uma das áreas essenciais e prioritárias, prevendo a sua substituição em caso de necessidadeAssegurar que os responsáveis pelas diferentes tarefas e respectivos substitutos têm a informação necessária para a sua execuçãoPlanear formas de manter as actividades administrativas e de segurança da escola, em caso de elevado absentismo ou de encerramentoIdentificar os bens e serviços essenciais para o funcionamento da escolaVerificar se os fornecedores de bens e serviços considerados essenciais podem garantir a continuidade desses fornecimentosEquacionar soluções alternativas para a manutenção dos fornecimentos essenciaisIdentificar parceiros com os quais deva ser estabelecida uma articulação prioritáriaAssegurar a existência de uma “reserva estratégica” de bens ou produtos cuja falta possa comprometer o exercício de actividades mínimasMANUTENÇÃO DAS ACTIVIDADES ESCOLARESPlanear formas de manter a actividade escolar dos alunosSensibilizar os pais para a necessidade de apoiarem os alunos na realização dos trabalhos escolares, em caso de encerramento da EscolaMEDIDAS DE PREVENÇÃO E CONTROLO DA GRIPEEfectuar sessões de esclarecimento e formação dos profissionais sobre as medidas de prevenção a adoptar, em caso de necessidadeEfectuar sessões de esclarecimento junto dos Pais e Encarregados de EducaçãoInformar os pais de que, na presença da sintomatologia gripal, os alunos não serão admitidas na EscolaDistribuir e afixar materiais informativos sobre medidas de prevenção e controloPrever uma reserva estratégica de materiais de higiene e limpeza e identificar uma bolsa de fornecedoresProceder a um avaliação das instalações e equipamentos de lavagem de mãos e reparar possíveis deficiênciasProceder à instalação de dispositivos de desinfecção das mãos com solução à base de álcool, em locais em que não seja possível a lavagem das mãos (Sala Isolamento, Telefone, Funcionárias de Piso…)Designar um responsável p+ela manutenção destes dispositvosDefinir e implementar regras e rotinas de lavagem de mãos dos alunos e profissionaisDefinir e implementar regras e rotinas de lavagem e higienização das instalações e equipamentosDefinir e implementar regras e rotinas de lavagem de arejamento das instalaçõesImpor a regar de que os alunos e profissionais com sintomas gripais ficam em casa e não frequentam a escolaCriar uma sala de isolamento para alunos que manifestem sintomas gripais, até que os encarregados de educação os retirem da escola.Estabelecer regras de utilização desta salaPLANO DE COMUNICAÇÃODivulgar o Plano de Contingência junto dos profissionais da EscolaDivulgar o Plano de Contingência junto dos pais e encarregado de educaçãoDivulgar o Plano de Contingência junto dos parceiros e restantes membros da comunidade educativaManter uma lista actualizada de contactos de todos os profissionais da escola, pais, encarregados de educação, fornecedores e todos os parceiros da escola, nomeadamente e-mail e telemóvel.Prever e estabelecer formas de comunicação com o Delegado de Saúde e restantes entidades relacionadas com a promoção da saúde pública.xx<br />Alcobaça, 24 de Agosto de 2009<br /> O Director, <br />____________________________________<br /> (Gaspar da Silva Fernandes Vaz)<br />

×