Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Vygostky ...

817 views

Published on

  • Be the first to comment

Vygostky ...

  1. 1. AS RAÍZES HISTÓRICO - SOCIAIS DO DESENVOLVIMENTO HUMANO E A QUESTÃO DA MEDIAÇÃO SIMBÓLICA. Mediação caracteriza a relação do homem com o mundo e com os outros homens. É através desse processo que as funções psicológicas superiores, especificamente humanas se desenvolvem. Dois elementos básicos responsáveis pela mediação: Instrumento - que tem a função de regular as ações sobre os objetos Signo – que revela as ações sobre o psiquismo das pessoas (objeto, figura, forma, fenômeno, gesto ou som – representa algo diferente de si mesmo) Ex: no código de trânsito a cor vermelha significa parar... Vygotsky, profundamente influenciado pelos postulados marxistas, afirma que a origem das atividades psicológicas devem ser procuradas nas relações sociais do indivíduo com o meio externo. 1
  2. 2. De acordo com Marx, o desenvolvimento de habilidades e funções específicas do homem, assim como a origem da sociedade humana são resultados do surgimento do trabalho. É através do trabalho que o homem, ao mesmo tempo que transforma a natureza (com o objetivo de satisfazer suas necessidades) se transforma. Isto quer dizer que as relações dos homens entre si são mediadas pelo trabalho. Para compreender as formas especificamente humanas é necessário descobrir a relação entre a dimensão biológica - os processos naturais maturação física e os mecanismos sensoriais - e a cultural - mecanismos gerais através do qual a sociedade e a história moldam a estrutura humana. 2
  3. 3. Mediação Entende que o ser humano não é um produto de seu contexto social, mas também um agente ativo da criação desse contexto. Os instrumentos (mediadores) são elaborados para a realização da atividade humana. O homem produz seus instrumentos para realização de tarefas específicas, são capazes de conservá-los para uso posterior, de preservar e transmitir sua função aos membros de seu grupo, de aperfeiçoar antigos instrumentos e de criar novos. Signos – Instrumentos psicológicos – têm a função de auxiliar o homem nas suas atividades psíquicas. Com o auxílio dos signos, o homem pode controlar voluntariamente sua atividade psicológica e ampliar sua capacidade de atenção, memória e acúmulo de informações como, exemplo, pode se anotar uma entrevista na agenda para não esquecer, consultar um atlas para localizar um país. 3
  4. 4. A questão da linguagem – A linguagem é entendida como um sistema simbólico fundamental em todos os grupos humanos, elaborado no curso da história social, que organiza os signos em estruturas complexas e desempenha um papel imprescindível na formação das características psicológicas humanas. Linguagem – designa os objetos do mundo externo ( Ex.faca designa um utensílio usado na alimentação...), ações (como cortar, ferver, andar), qualidades do objeto (afiado, áspero) e as se referem às relações entre objetos ( tais como abaixo, acima, próximo). 4
  5. 5. O surgimento da linguagem imprime três mudanças essenciais: 1ª A linguagem permite lidar com os objetos do mundo exterior mesmo quando eles estão ausentes. 2ª Processo de abstração e generalização – é possível analisar, abstrair e generalizar as características dos objetos, eventos e situações presentes na realidade. A linguagem não só designa os elementos presentes na realidade mas também fornece conceitos e modos de ordenar o real em categorias conceituais. 3ª Função de comunicação entre os homens garante como conseqüência, a preservação, transmissão e assimilação de informações e experiências acumuladas pela humanidade ao longo da história. A linguagem é um sistema de signos que possibilita o intercâmbio social entre indivíduos 5 que compartilhem desse sistema de
  6. 6. Os sistemas simbólicos Os sistemas simbólicos (entendidos como sistemas de representação da realidade), especialmente a linguagem, funcionam como elementos mediadores que permitem a comunicação entre indivíduos, o estabelecimento de significados compartilhados por determinado grupo cultural, a percepção e interpretação dos objetos, eventos e situações do mundo circundante. Os processos de funcionamento mental do homem são fornecidos pela cultura, através da mediação simbólica. 6
  7. 7. Criança A criança incorpora ativamente as formas de comportamento já consolidadas na experiência humana, à partir de sua inserção num dado contexto cultural, de sua interação com membros de seu grupo e de sua participação em práticas historicamente construídas. É importante assinalar que a cultura não é um sistema estático ao qual o indivíduo se submete, mas como uma espécie de “palco de negociações”, em que seus membros estão num constante movimento de recriação e reinterpretação de informações, conceitos e significados. 7
  8. 8. Desenvolvimento infantil Vygotsky atribui enorme importância ao papel da interação social no desenvolvimento do ser humano. Ele critica a idéia que a “mente da criança contém todos os estágios do futuro desenvolvimento intelectual: eles existem já na sua forma completa, esperando o momento adequado para emergir”. A maturação biológica é um fator secundário no desenvolvimento das formas complexas do comportamento humano, pois essas dependem da interação da criança com a cultura. 8
  9. 9. Desenvolvimento infantil A estrutura fisiológica humana, aquilo que é inato, não é suficiente para produzir o indivíduo humano, na ausência do ambiente social. As características individuais (modo de agir, de pensar, de sentir, valores, conhecimentos, visão de mundo...) dependem da interação do ser humano com o meio físico e social. O indivíduo para se humanizar precisa crescer num ambiente social e interagir com outras pessoas.Quando isolado, privado do contato com outros seres, entregue apenas a suas próprias condições e a favor dos recursos da natureza, o homem é indefeso e despreparado para lidar com os desafios de seu meio. 9
  10. 10. DESEMVOLVIMENTO INFANTIL No processo de constituição humana é possível distinguir duas linhas qualitativamente diferentes de desenvolvimento, diferindo quanto a origem: de um lado, os processos elementares, que são de origem biológica; de outro, as funções psicológicas superiores de origem sócio-cultural.A história do comportamento da criança nasce do entrelaçamento dessas duas linhas. 10
  11. 11. Concepções do desenvolvimento: Quatro entradas de desenvolvimento abordagem genética: Genética – procura compreender a gênese, isto é, a origem e o desenvolvimento dos processos psicológicos. Filogênese – desenvolvimento da espécie humana ex: coisas que somos capazes de fazer. Pegar em pinça, andamos, mas não voamos. Ontogênese - história de ser, desenvolvimento do ser, do indivíduo.. O sujeito nasce, cresce, reproduz, morre. O plano ontogenético do ser: a criança quando pequena fica deitada, depois sentada, depois em pé... a seqüência de seu desenvolvimento. Sociogênese – história dos grupos sociais. Terceiro plano genético, história da cultura, onde o sujeito está inserido.Ex: Puberdade – há mudanças biológicas, que são compreendidas de forma diferente em cada cultura. 3ª idade – categoria criada nos últimos tempos, claramente social. Microgênese – desenvolvimento de aspectos específicos do repertório psicológico dos sujeitos.Diz respeito ao fato de que cada fenômeno psicológico tem uma história.Ex: saber algo e não saber algo como amarrar o sapato, antes o sujeito não sabia como fazê-lo, depois ele aprende (algo aconteceu). A história de como aprendeu a amarrar o 11 sapato é a microgênese.
  12. 12. Signos Signos construídos socialmente: Língua – representação simbólica ▼ Fala , discurso A fala, entendida como instrumento ou signo, tem um papel fundamental de organizadora da atividade prática e das funções psicológicas humanas. Segundo Vygotsky, a verdadeira essência do comportamento humano complexo se dá a partir da unidade dialética da atividade simbólica – a fala – e a atividade prática. 12
  13. 13. Na perspectiva vygotskiana O desenvolvimento das funções intelectuais especificamente humanas é mediado socialmente pelos signos e pelo outro. Ao internalizar as experiências fornecidas pela cultura, a criança reconstrói individualmente os modos de ação realizados externamente e aprende a organizar os próprios processos mentais. O indivíduo deixa , portanto, de se basear em signos externos e começa a se apoiar em recursos internalizados, tais como: imagens, representações mentais, conceitos... 13
  14. 14. Relação entre pensamento e linguagem - 1 Função básica da linguagem : Comunicação – intercâmbio social estabelecimento de contato com outras pessoas. Ex: resolução de problema,como pegar o brigadeiro em cima do armário, a criança faz apelos verbais ao adulto. Neste estágio a fala é global, não é utilizada como instrumento do pensamento, não servem como planejamento de seqüências de atividades. Aos poucos, a fala socializada, que antes era dirigida ao adulto para resolver um problema, é internalizada, ou seja, a criança passa a apelar a si mesma para a solucionar uma questão: é o chamado discurso interior. 14
  15. 15. Relação entre pensamento e -2 linguagem Função planejadora – a criança estabelece um diálogo com ela mesma, sem vocalização, com vistas a encontrar uma forma de solucionar um problema. Ex: fala para ela mesma - preciso arrumar um jeito de pegar o brigadeiro...posso usar aquele banquinho ... A fala passa a preceder a ação e funcionar como auxílio de um plano já concebido, mas não executado. Nesse momento a criança passa a poder prever, comparar, deduzir... A criança consegue ir além das impressões imediatas, planejar uma ação futura. 15
  16. 16. Bibliografia: REGO, Teresa C. Vygotsky: uma perspectiva histórico-cultural da educação.Petrópolis, RJ: Vozes,1995. VIGOTSKI, L. S. A formação social da mente. São Paulo: Martins Fontes, 2000. 16
  17. 17. Vygotsky Profundamente influenciado pelos postulados marxistas, afirma que a origem das atividades psicológicas devem ser procuradas nas relações sociais do indivíduo com o meio externo. Entende que o ser humano não é um produto de seu contexto social, mas também um agente ativo da criação desse contexto. Para compreender as formas especificamente humanas é necessário descobrir a relação entre a dimensão biológica - os processos naturais maturação física e os mecanismos sensoriais - e a cultural - mecanismos gerais através do qual a sociedade e a história moldam a estrutura humana. 17
  18. 18. PIAGET X VYGOTSKY Piaget não aceita em suas provas "ajudas externas", por considerá-las inviáveis para detectar e possibilitar a evolução mental do sujeito. Vygotsky não só as aceita, como as considera fundamentais para o processo evolutivo. 18
  19. 19. PIAGET X VYGOTSKY Um dos pontos divergentes entre Piaget e Vygotsky está centrado na concepção de desenvolvimento. A teoria piagetiana considera o desenvolvimento em sua forma retrospectiva, isto é, o nível mental atingido determina o que o sujeito pode fazer. A teoria vygotskyana, considera desenvolvimento na dimensão prospectiva, ou seja, enfatiza que o processo em formação pode ser concluído através da ajuda oferecida ao sujeito na realização de uma tarefa. 19
  20. 20. Piaget X Vygotsky Piaget leva em conta o desenvolvimento como um limite para adequar o tipo de conteúdo de ensino a um nível evolutivo do aluno. Vygotsky tem estabelecido que o conteúdo é uma seqüência que permite o progresso de forma adequada, impulsionando ao longo de novas aquisições, sem esperar a maturação "mecânica" e com isso  evitando que possa pressupor dificuldades para prosperar por não gerar um desequilíbrio adequado. É desta concepção que Vygotsky afirma que a aprendizagem vai à frente do desenvolvimento. 20

×