Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Ensino remoto desafios para EMRC

450 views

Published on

Momento de partilha e reflexão sobre propostas e desafios para o novo ano letivo, na reunião do Departamento de EMRC do Secretariado Nacional da Educação Cristã ( SNEC) com os responsáveis diocesanos da disciplina de Educação Moral e Religiosa Católica.

Published in: Education
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Ensino remoto desafios para EMRC

  1. 1. ENSINO A DISTÂNCIA / REMOTO – DAS MODALIDADES AOS DESAFIOS PARA A DISCIPLINA DE EMRC
  2. 2. NUNO RICARDO OLIVEIRA Project Manager & Instructional Designer of Department Educational Technology Professor Adjunto Coordenador Learning Innov@tion Studio Investigador Integrado LICENCIADO EM TEOLOGIA MESTRE EM EDUCAÇÃO E COMUNICAÇÃO MULTIMÉDIA DOUTORADO EM EDUCAÇÃO ESPECIALIDADE EM EDUCAÇÃO A DISTÃNCIA E ELEARNING Professor de EMRC de 1998 a 2016 • Diocese de Lisboa • Diocese de Santarem
  3. 3. AULAS REMOTAS VS ENSINO A DISTÂNCIA Contacto sistemático no processo de ensino /aprendizagem com um horário específico - primazia de um ensino síncrono Planificação e estruturação por uma equipa multidisciplinar Adaptação rápida com os meios ao alcance de cada professor Os professores e alunos estão separados fisicamente e dá-se primazia a um processo de ensino mais assíncrono Adaptação dos materiais de ensino presencial para um contexto online Materiais pedagógicos construídos apropriados para um contexto online Ensino mediado pela tecnologia Transmissão do conhecimento e cumprimento de um programa Tutoria atemporal, distribuida por vários recursos de forma assíncrona e síncrona Utilização de muitas ferramentas (novas) Utilização de ferramentas adequadas à pedagogia e metodologia planeada Com regulamentação para o ensino básico e secundário e Ensino SuperiorSem regulamentação - calendário letivo Portaria n.º 359/2019 de 8 de outubro regulamenta a modalidade de ensino a distância, prevista na alínea a) do n.º 1 do artigo 8.º do Decreto-Lei n.º 55/2018, de 6 de julho para o Ensino básico e secundário Decreto-Lei n.º 133/2019 de 3 de setembro aprova o regime jurídico do ensino superior a distância
  4. 4. Portaria n.º 359/2019 de 8 de outubro Regulamentação da modalidade de ensino a distância, prevista na alínea a) do n.º 1 do artigo 8.º do Decreto-Lei n.º 55/2018 Artigo 3.º Destinatários a) Filhos ou educandos de profissionais itinerantes, dada a constante mobilidade geográfica das famílias; b) b) Alunos -atletas a frequentar a modalidade de ensino a distância na rede de escolas com Unidades de Apoio de Alto Rendimento na Escola (UAARE); c) Alunos que, por razões de saúde ou outras consideradas relevantes, não possam frequentar presencialmente a escola por um período superior a dois meses e tenham obtido parecer favorável da DGEstE, em articulação com a DGE e, no caso dos cursos profissionais, com a ANQEP, I. P.; d) Alunos que se encontram integrados em entidades ou em instituições públicas, particulares e cooperativas que estabeleçam acordos de cooperação com uma escola E@D, com vista a assegurar o cumprimento da escolaridade obrigatória. Definições claras
  5. 5. Portaria n.º 359/2019 de 8 de outubro Regulamentação da modalidade de ensino a distância, prevista na alínea a) do n.º 1 do artigo 8.º do Decreto-Lei n.º 55/2018 Artigo 8.º Modelo pedagógico 2 — A definição do modelo pedagógico tem por objetivo estabelecer o referencial para a ação educativa e formativa a distância da escola E@D, contendo, em função dos seus destinatários e do contexto específico, as orientações pedagógicas fundamentais para o ensino e a aprendizagem, centrado no aluno e na valorização dos seus percursos, da inclusão e da participação digitais. 3 — Na elaboração do modelo pedagógico deve ser privilegiado: a) A valorização das dinâmicas de trabalho pedagógico de natureza interdisciplinar e de articulação disciplinar, operacionalizado por equipas educativas E@D em interação com os alunos, com vista a dar resposta às especificidades de cada um deles; b) A flexibilização do acesso, contextualizada na forma de organização dos alunos e do trabalho e na gestão do currículo em ambiente virtual, utilizando os métodos, as abordagens e os procedimentos que se revelem mais adequados; c) A adequação da gestão e do planeamento curricular aos processos colaborativos e de participação nas comunidades virtuais, integrador e inclusivo, que agregue as atividades e projetos da escola, assumindo -os como fonte de aprendizagem e potenciadores da diferenciação pedagógica e da promoção do sucesso escolar; d) A monitorização das interações estabelecidas no processo de ensino e aprendizagem de forma a sustentar estratégias de ensino, adotando medidas pedagógicas adequadas às características dos alunos e às aprendizagens a desenvolver em ambientes virtuais, com vista à promoção do sucesso educativo de todos os alunos; e) O envolvimento dos alunos e encarregados de educação na identificação das opções curriculares da escola.
  6. 6. Competências digitais DIFICULDADES Acessos / equipamento Ferramentas digitais Organização / planificação Perfil do aluno Avaliação
  7. 7. QUAIS OS DESAFIOS?
  8. 8. O papel do pedagogo deixou de ser aquele que só transmite o conhecimento como um dogma e o detentor máximo do saber... com uma postura expositiva e uma assembleia como meros ouvintes passivos...
  9. 9. Hoje o papel do professor passa por ser aquele que motiva, impulsiona, cativa e provoca a curiosidade do querer saber...
  10. 10. EMRC é uma missão
  11. 11. Competências Relacionais Cientificas Socioculturais PedagógicasCurriculares Digitais Religiosas
  12. 12. Espaço
  13. 13. Pedagogia EspaçoTecnologia Religião
  14. 14. 1. Mobilizar para a mudança 2. Comunicar em rede 3. Decidir o modelo de E@D 4. Colaborar e articular 5. Metodologias de Ensino 6. Selecionar os meios tecnológicos de E@D 7. Cuidar da comunidade escolar 8. Acompanhar e monitorizar
  15. 15. 1 – Analise e escolha as melhores ferramentas 2 – Assegure-se de que os programas são inclusivos 3 – Atento para a segurança e a proteção de dados 4 – Dê prioridade a desafios psicossociais, antes de problemas educacionais 5 – Organização do calendário
  16. 16. 6 – Apoie no uso de tecnologias digitais 7 – Mescle diferentes abordagens e limite o número de aplicações 8 – Crie regras e avalie a aprendizagem dos alunos 9 – Defina a duração das unidades com base na capacidade dos alunos 10 – Crie comunidades de aprendizagem e aumente a ligação
  17. 17. Como da duvida surge as ideias, do desconhecido surge a vontade de saber e conhecer…
  18. 18. ENSINO A DISTÂNCIA / REMOTO – DAS MODALIDADES AOS DESAFIOS PARA A DISCIPLINA DE EMRC NUNO RICARDO OLIVEIRA NRLOLIVEIRA@GMAIL.COM Obrigado pela vossa atenção! Cuidem-se…

×