Sustentabilidade noGrande Porto<br />Onde estamos, e para onde vamos?<br />Nuno Quental<br />
Sumário<br />Introdução ao desenvolvimento sustentável e sustentabilidade urbana<br />Resultados científicos<br />Densidad...
Desenvolvimento Sustentável<br />Algumas referências<br />Aldo Leopold (1887 – 1948): “Sand County Almanac” (1949) (traduz...
Desenvolvimento Sustentável<br />Algumas referências<br />Nicholas Georgescu Roegen: “The Entropy Law and the Economic Pro...
Desenvolvimento Sustentável<br />Algumas referências<br />Economia de estado estacionário<br />John Stuart Mill (século XI...
Desenvolvimento Sustentável<br />Algumas referências<br />Relatório Brundtland (1987)<br />Desenvolvimento sustentável é o...
Desenvolvimento Sustentável<br />Algumas referências<br />National Research Council: “Our common journey” (1999)<br />A tr...
Desenvolvimento Sustentável<br />Algumas referências<br />Panarquia, resiliência e ciclos adaptativos<br />Holling (2001)<...
Sustentabilidade Urbana<br />Algumas referências<br />Nijkamp and Opschoor, 1995<br />“A sustainable city is a city in whi...
Sustentabilidade Urbana<br />Algumas referências<br />Campbell, 1996<br />“The role of planners is therefore to engage the...
Sustentabilidade Urbana<br />Algumas referências<br />Girardet, 1999<br />“A sustainable city is organized so as to enable...
Sustentabilidade Urbana<br />Algumas referências<br />Næss, 2001<br />“In order for the development of land use, patterns ...
Densidade Populacional<br />
Expansão Urbana<br />
Acessibilidade<br />
Níveis de Sustentabilidade<br />
Níveis de Sustentabilidade<br />
Mobilidade<br />As capacidades humanas explicam a maior parte da variabilidade, e produzem o efeito mais pronunciado sobre...
Mobilidade<br />A forma urbana aparece consistentemente como um factor promotor da mobilidade sustentável. A mistura de us...
Automóvel<br />
Transportes Públicos<br />
Andar a Pé<br />
O desafio<br />Eliminar barreiras à circulação...<br />
O desafio<br /><ul><li>... favorecendo os meios amigos do ambiente</li></li></ul><li>
O desafio<br />Criar espaços públicos atractivos...<br />Copenhaga: mais de 96000 m2 de zonas pedestres<br />Gent: enorme ...
O desafio<br />Valorizar a estrutura ecológica<br />
Mensagem Principal<br />As cidades existem e vão continuar a existir. São espaços de consumo e de estilos de vida intensos...
Obrigado!<br />Nuno Quental<br />quental.nuno@gmail.com<br />
Sustentabilidade no Grande Porto
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Sustentabilidade no Grande Porto

631 views

Published on

Published in: Technology
  • Pelos vistos o Aldo Leopold também é um dos cientistas mais visado por um certo amigo seu Bernardino Guimarães: parece que quem passa pela Campo Aberto fica fã de Aldo Leopold! Do Porto que se há-de fazer....!
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here

Sustentabilidade no Grande Porto

  1. 1. Sustentabilidade noGrande Porto<br />Onde estamos, e para onde vamos?<br />Nuno Quental<br />
  2. 2. Sumário<br />Introdução ao desenvolvimento sustentável e sustentabilidade urbana<br />Resultados científicos<br />Densidades<br />Expansão urbana<br />Níveis de sustentabilidade<br />Modelação dos padrões de mobilidade ao nível da freguesia<br />Projectos e boas práticas de sustentabilidade urbana<br />
  3. 3. Desenvolvimento Sustentável<br />Algumas referências<br />Aldo Leopold (1887 – 1948): “Sand County Almanac” (1949) (traduzido como “Pensar como uma montanha”, edições Sempre em Pé)<br />Rachel Carson (1907 – 1964): “Silent Spring” (1962) (“Primavera Silenciosa”)<br />Paul Ehrlich: “The population bomb” (1968)<br />Evitar a exaustão dos recursos como resultado do crescimento exponencial da população<br />
  4. 4. Desenvolvimento Sustentável<br />Algumas referências<br />Nicholas Georgescu Roegen: “The Entropy Law and the Economic Process” (1971)<br />Manter o sistema dentro dos seus limites físicos e energéticos<br />Clube de Roma: “Limits to growth” (1972)<br />Não atingir os limites do planeta como resultado do crescimento populacional, da industrialização, da poluição e do consumo de recursos<br />E.F. Schumacher (1911 – 1977): “Small is Beautiful” (1973) <br />
  5. 5. Desenvolvimento Sustentável<br />Algumas referências<br />Economia de estado estacionário<br />John Stuart Mill (século XIX)<br />Herman Daly (1973)<br />Desenvolvimento económico sem crescimento de escala<br />Economia ecológica (anos 80)<br />Integração da economia humana com a economia natural. Manter o capital natural aumentando simultaneamente o capital humano e melhorando a distribuição da riqueza<br />
  6. 6. Desenvolvimento Sustentável<br />Algumas referências<br />Relatório Brundtland (1987)<br />Desenvolvimento sustentável é o desenvolvimento que atende às necessidades presentes sem comprometer a possibilidade de as gerações futuras satisfazerem as suas próprias necessidades<br />Desenvolvimento como liberdade<br />Amartya Sen (1999)<br />Desenvolvendo a liberdade nas suas diversas formas (liberdades políticas, capacidade económica, oportunidades sociais, transparência e segurança)<br />
  7. 7. Desenvolvimento Sustentável<br />Algumas referências<br />National Research Council: “Our common journey” (1999)<br />A transition over the early decades of the 21st century in which a stabilizing world population comes to meet its needs by moving away from action that degrade the planet’s life support systems and living resources, while moving toward those that sustain and restore these systems and resources<br />Objectivos que, se não foram acautelados, colocam em risco a permanência da vida na Terra (em particular a do ser humano).<br />Objectivos que, não colocando em risco a vida a uma escala global, afectam contudo a existência de espécies possivelmente não essenciais, as suas populações e a qualidade de vida dos seres humanos.<br />
  8. 8. Desenvolvimento Sustentável<br />Algumas referências<br />Panarquia, resiliência e ciclos adaptativos<br />Holling (2001)<br />Sustentabilidade é a capacidade de criar, testar e manter capacidade adaptativa. Desenvolvimento é o processo de criar, testar e manter oportunidades.<br />
  9. 9. Sustentabilidade Urbana<br />Algumas referências<br />Nijkamp and Opschoor, 1995<br />“A sustainable city is a city in which agglomeration economies should possibly be associated with positive environmental externalities and social network externalities, and in which at the same time negative effects stemming from the interaction of the three different environments are kept within certain threshold conditions associated with the urban carrying capacity on the urban environmental utilization space”.<br />
  10. 10. Sustentabilidade Urbana<br />Algumas referências<br />Campbell, 1996<br />“The role of planners is therefore to engage the current challenge of sustainable development with a dual, interactive strategy: to manage and resolve conflict; and to promote creative technical, architectural, and institutional solutions. Planners must both negotiate the procedures of the conflict and promote a substantive vision of sustainable development”<br />
  11. 11. Sustentabilidade Urbana<br />Algumas referências<br />Girardet, 1999<br />“A sustainable city is organized so as to enable all its citizens to meet their own needs and to enhance their well-being without damaging the natural world or endangering the living conditions of other people, now or in the future”<br />
  12. 12. Sustentabilidade Urbana<br />Algumas referências<br />Næss, 2001<br />“In order for the development of land use, patterns of built-up land and infrastructure in an area to be characterized as sustainable, it must secure that the inhabitants of the area can have their vital needs met in a way that can be sustained in the future, and is not in conflict with sustainable development at a global level”<br />
  13. 13. Densidade Populacional<br />
  14. 14. Expansão Urbana<br />
  15. 15. Acessibilidade<br />
  16. 16. Níveis de Sustentabilidade<br />
  17. 17. Níveis de Sustentabilidade<br />
  18. 18. Mobilidade<br />As capacidades humanas explicam a maior parte da variabilidade, e produzem o efeito mais pronunciado sobre o uso do automóvel<br />Contudo, a escolha entre o uso de transportes públicos ou o andar a pé é essencialmente determinada pela forma urbana<br />
  19. 19. Mobilidade<br />A forma urbana aparece consistentemente como um factor promotor da mobilidade sustentável. A mistura de usos do solo também tem o mesmo efeito.<br />As mudanças longitudinais na densidade parecem estar associadas a um aumento da dependência do automóvel, mas isso deve-se à deslocação de pessoas que usam o automóvel<br />
  20. 20. Automóvel<br />
  21. 21. Transportes Públicos<br />
  22. 22. Andar a Pé<br />
  23. 23. O desafio<br />Eliminar barreiras à circulação...<br />
  24. 24. O desafio<br /><ul><li>... favorecendo os meios amigos do ambiente</li></li></ul><li>
  25. 25.
  26. 26. O desafio<br />Criar espaços públicos atractivos...<br />Copenhaga: mais de 96000 m2 de zonas pedestres<br />Gent: enorme zona pedestre no centro<br />Oxford: novas zonas pedestresreduziram tráfego no centro em 20%<br />
  27. 27.
  28. 28. O desafio<br />Valorizar a estrutura ecológica<br />
  29. 29.
  30. 30. Mensagem Principal<br />As cidades existem e vão continuar a existir. São espaços de consumo e de estilos de vida intensos<br />Por isso, é preciso fazer o que estiver ao nosso alcance para as tornar mais amigas do ambiente<br />Factores como a densidade, a rede de transportes, a economia local e o desenho urbano são muito importantes para esse efeito<br />As cidades podem e devem ser locais bonitos onde as pessoas gostem de viver<br />
  31. 31. Obrigado!<br />Nuno Quental<br />quental.nuno@gmail.com<br />

×