Mobilidade numacidade verde<br />Nuno Quental<br />(Doutorando no Instituto Superior Técnico ecolaborador da Escola Superi...
R - Respostas<br /><ul><li>Ruas pedonais
Eliminação de barreiras à circulação a pé
Ciclovias
Sinalização das vias
Corredores bus
Campanhas de sensibilização e acesso à informação
Oferta e qualidade do transporte público
Intermodalidade
“Taxas verdes”, estrutura dos financiamentos, política de preços
Bilhética
Coordenação e planeamento regionais</li></ul>D - Forças motrizes<br /><ul><li>Dinâmicas populacionais
Dinâmica económica
Expansão e dispersão urbanas
Condições socioeconómicas
Estilos de vida
Motorização e consumo de combustíveis
Movimentos pendulares e tempos de viagem
Repartição modal
Eficiência económica</li></ul>I - Impactes<br /><ul><li>Doenças respiratórias
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Livro verde da mobilidade urbana

1,076 views

Published on

Published in: Technology, Business
0 Comments
0 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

No Downloads
Views
Total views
1,076
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1
Actions
Shares
0
Downloads
19
Comments
0
Likes
0
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Livro verde da mobilidade urbana

  1. 1. Mobilidade numacidade verde<br />Nuno Quental<br />(Doutorando no Instituto Superior Técnico ecolaborador da Escola Superior de Biotecnologia)<br />
  2. 2. R - Respostas<br /><ul><li>Ruas pedonais
  3. 3. Eliminação de barreiras à circulação a pé
  4. 4. Ciclovias
  5. 5. Sinalização das vias
  6. 6. Corredores bus
  7. 7. Campanhas de sensibilização e acesso à informação
  8. 8. Oferta e qualidade do transporte público
  9. 9. Intermodalidade
  10. 10. “Taxas verdes”, estrutura dos financiamentos, política de preços
  11. 11. Bilhética
  12. 12. Coordenação e planeamento regionais</li></ul>D - Forças motrizes<br /><ul><li>Dinâmicas populacionais
  13. 13. Dinâmica económica
  14. 14. Expansão e dispersão urbanas
  15. 15. Condições socioeconómicas
  16. 16. Estilos de vida
  17. 17. Motorização e consumo de combustíveis
  18. 18. Movimentos pendulares e tempos de viagem
  19. 19. Repartição modal
  20. 20. Eficiência económica</li></ul>I - Impactes<br /><ul><li>Doenças respiratórias
  21. 21. Stress
  22. 22. Mortos e feridos (acidentes)</li></ul>P - Pressões<br /><ul><li>Emissões atmosféricas
  23. 23. Consumo energético
  24. 24. Usos do solo
  25. 25. Ruído
  26. 26. Intrusão visual</li></ul>S - Estado<br /><ul><li>Qualidade do ar
  27. 27. Concentração de GEE (alterações climáticas)
  28. 28. Temperatura do ar (efeito de ilha de calor)</li></li></ul><li>Os problemas avolumam-se<br />Emissões poluentes(dos transportes terrestres)<br />Representam 21% das emissõestotais de GEE (UE) /23% em Portugal<br />Desde 1990, as emissões de GEE cresceram 23% (UE)<br />Representam 31% do consumo de energia final (UE, incluindo aviação)<br />Portugal <br />
  29. 29. Os problemas avolumam-se<br />Emissões poluentes(dos transportes terrestres)<br />Emissão de partículas e depercursores do ozonoprovenientes dos transportesdiminuíram de 30 a 40% entre1990 e 2003 (países da AEA)<br />Aglomeração do Porto Litoral <br />
  30. 30. Os problemas avolumam-se<br />Impactes na saúde<br />370 000 mortes prematuras devido à diminuição da qualidade do ar (UE)<br />1,64 milhões de mortes em acidentes desde 1970 (Europa)<br />Mais de 40 000 mortes em 2000 (UE)<br />1094 mortes em 2005 (Portugal)<br />Impactes nos ecossistemas<br />Fragmentação dos habitats<br />Impermeabilização do solo<br />Custos externos<br />Equivalentes a 7% do PIB(UE + Suiça + Noruega)<br />
  31. 31. Um contexto favorável<br />Carta de Leipzig sobre as Cidades Europeias Sustentáveis<br />Necessitamos cada vez mais de estratégias globais e da acção concertada de todas as pessoas e instituições que participam no processo de desenvolvimento urbano, mesmo para além dos limites da cidade.<br />Deve ser, por isso, incrementada a interacção entre a arquitectura, o planeamento das infra-estruturas e o ordenamento urbano de modo a criar espaços públicos atraentes, construídos em função das necessidades dos seus utilizadores e um ambiente de vida de nível elevado, uma cultura arquitectural.<br />Livro verde dos transportes urbanos<br />Negociações no âmbito das alterações climáticas<br />Planos e programas de acção para a melhoria da qualidade do ar<br />
  32. 32. Um contexto favorável<br />
  33. 33. Um contexto favorável<br />Automóveis mais limpos<br />Eficiência dos automóveis ligeiros permitirá reduzir o seu consumo de energia em 2,1% ao longo da próxima década<br />Normas EURO para automóveis ligeiros (g/km)<br />
  34. 34. O desafio<br />Recuperar a relevância do transporte público<br />
  35. 35. O desafio<br />
  36. 36. O desafio<br />Eliminar barreiras à circulação...<br />
  37. 37. O desafio<br />... favorecendo os meios amigos do ambiente<br />
  38. 38.
  39. 39. O desafio<br />Criar espaços públicos atractivos...<br />Copenhaga: mais de 96000 m2 de zonas pedestres<br />Gent: enorme zona pedestre no centro<br />Oxford: novas zonas pedestresreduziram tráfego no centro em 20%<br />
  40. 40.
  41. 41.
  42. 42. O desafio<br />... ajudando o comércio local<br />
  43. 43. O desafio<br />Valorizar o verde que ainda resta criando uma rede de corredores<br />
  44. 44.
  45. 45. Comentários finais<br />Alguns desafios fundamentais para se estabelecer uma nova cultura de mobilidade urbana:<br />Resolver os estrangulamentos institucionais (a sempre adiada AMT...)<br />Estudar e concretizar mecanismos de incentivo e desincentivo económicos<br />Concertar as políticas de ordenamento com as de transportes (transitorienteddevelopment, novo urbanismo...)<br />Reinvestir fortemente na qualidade do espaço público<br />Criar uma rede de ciclovias e de corredores verdes<br />Continuar a apostar numa política de frotas mais amigas do ambiente<br />Melhorar a comunicação e a informação<br />

×