Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Definição de uma estrutura ecológica para o municipio de São João da Madeira

957 views

Published on

Published in: Travel, Technology
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Definição de uma estrutura ecológica para o municipio de São João da Madeira

  1. 1. Definição de uma estrutura ecológica para o município de São João da Madeira Nuno Quental, Rita Albergaria, Ramon Requena, Pedro Santos, Margarida Silva Grupo de Estudos Ambientais Escola Superior de Biotecnologia Universidade Católica Portuguesa
  2. 2. Contexto <ul><li>O tema “espaços verdes e rio Ul” foi um dos oito seleccionados pelos sanjoanenses no âmbito da Agenda 21 Local </li></ul><ul><li>Alguns problemas referidos pelos sanjoanenses: </li></ul><ul><ul><li>Falta de espaços verdes </li></ul></ul><ul><ul><li>Insuficiente manutenção dos espaços verdes existentes </li></ul></ul><ul><ul><li>Excessiva pressão imobiliária </li></ul></ul><ul><li>O Art. 85º do DL 380/99 prevê a definição das estruturas ecológicas municipais nos PDM, correspondendo à “definição dos sistemas de protecção de valores e recursos naturais, culturais, agrícolas e florestais” </li></ul>
  3. 3. Metodologia <ul><li>Divisão da cidade em diferentes formas urbanas típicas (“Ordenar a Cidade”, de Jorge Carvalho) </li></ul><ul><li>Análise mais aprofundada das áreas verdes públicas e das áreas rurais e seminaturais </li></ul><ul><li>Descrição de elementos paisagísticos relevantes como pequenas praças arborizadas, jardins privados, maciços arbóreos e árvores isoladas, entre outros </li></ul><ul><li>Promoveu-se, assim, uma análise e abordagem integradas. </li></ul>
  4. 4. <ul><li>Cidade clássica </li></ul><ul><li>Zona mais “citadina” da cidade, coexistindo usos habitacional, comercial e de serviços </li></ul><ul><li>Edifícios em banda ao longo de ruas em malha geométrica, formando os tradicionais quarteirões </li></ul><ul><li>Cidade jardim </li></ul><ul><li>Áreas de baixa ou média densidade e malha urbana planeada destinadas à habitação </li></ul><ul><li>Edifícios unifamiliares isolados, sobretudo moradias, e logradouros ajardinados </li></ul><ul><li>Cidade modernista </li></ul><ul><li>Edifícios de habitação colectiva soltos (vulgo “torres”) envolvidos por espaço público </li></ul><ul><li>Usos habitacionais com alguns cafés associados </li></ul><ul><li>Áreas industriais </li></ul>Formas urbanas
  5. 5. <ul><li>Áreas verdes públicas </li></ul><ul><li>Espaços verdes de usufruto público (excluindo as pequenas praças ajardinadas e maciços arbóreos) </li></ul><ul><li>Áreas florestais </li></ul><ul><li>Monoculturas de eucalipto e pinheiro, pontualmente com presença de carvalhos e sobreiros </li></ul><ul><li>Áreas rurais e seminaturais </li></ul><ul><li>Áreas rurais e agrícolas e zonas seminaturais associadas ao Vale do Rio Ul e da Ribeira da Buciqueira </li></ul><ul><li>Povoamento disperso, ruas e calçadas mais antigas de traçado sinuoso, abundando os campos de cultivo </li></ul>Formas urbanas
  6. 6. Cidade clássica
  7. 7. Cidade jardim
  8. 8. Cidade modernista
  9. 9. Áreas verdes públicas
  10. 10. Áreas rurais e seminaturais
  11. 11. Formas Urbanas
  12. 12. <ul><li>Áreas a integrar </li></ul><ul><li>Áreas verdes públicas e propostas </li></ul><ul><li>Áreas a preservar: áreas florestais, rurais e seminaturais </li></ul><ul><li>Elementos paisagísticos (praças, maciços arbóreos, jardins privados e árvores isoladas) </li></ul><ul><li>Árvores dos arruamentos </li></ul><ul><li>Corredores ecológicos </li></ul><ul><li>Logradouros ajardinados </li></ul>Estrutura ecológica
  13. 13. Estrutura ecológica <ul><li>Princípios orientadores </li></ul><ul><li>Conservar os espaços naturais e florestais de uma forma integrada </li></ul><ul><li>Reservar, em quantidade suficiente, bons solos cultiváveis para a agricultura </li></ul><ul><li>Manter livres as margens dos rios no sentido de assegurar o acesso e circulação públicos </li></ul><ul><li>Manter e criar caminhos para peões e ciclovias para ciclistas </li></ul><ul><li>Facilitar o acesso da população a espaços verdes, equipamentos colectivos e serviços públicos </li></ul>
  14. 15. Indicadores  4,5 % Percentagem da área do município natural  25 % Percentagem da área do município protegida (após Plano de Acção)  15 % Percentagem da área do município protegida  70 hab. / ha Número de habitantes por área urbanizada  37 % Percentagem da área do concelho urbanizada  9,8 % Percentagem da área urbanizada destinada a áreas verdes públicas  7,2 % Percentagem da área do concelho destinada a áreas verdes públicas (após Plano de Acção)  3,6 % Percentagem da área do concelho destinada a áreas verdes públicas   100% Acessibilidade dos cidadãos às áreas verdes públicas com mais de 1000 m 2  60 % Acessibilidade dos cidadãos às áreas verdes públicas com mais de 1000 m 2  28 m 2 / hab. Áreas verdes por habitante (após Plano de Acção)  14 m 2 / hab. Áreas verdes por habitante Avaliação Valor Indicador
  15. 16. Obrigado pela vossa atenção www.agenda21sjm.org

×