Experiência do usuário em Portais Corporativos

1,938 views

Published on

Palestra realizada por Paulo Floriano, co-founder da Neue Labs, sobre estratégias para atender as expectativas do usuário, e como aplicá-las ao longo das etapas de projetos e iniciativas de portais corporativos.

Todo material é livre para download, cópia e alteração

Experiência do usuário em Portais Corporativos

  1. 1. Estratégias para atender àsexpectativas dos usuários emrelação à estrutura e conteúdoPaulo Roberto Floriano14ª Conferência de Portais Corporativos
  2. 2. Sobre a NeueUma empresa focada emprojetos de diagnóstico,estratégia e planejamento paraprodutos e serviços digitais.http://neue.st  
  3. 3. Nossa visãoAliar nossa visão de negócios e focoem resultados a disciplinas comodesign, usabilidade, arquitetura deinformação e marketing, para entregarprodutos inovadores e aderentes àsnecessidades organizacionais e deseus usuários.Nosso grande objetivo é trazer o design deexperiência para um nível de discussãoestratégico, e não apenas como parte opcional emprodutos e projetos.
  4. 4. Esta apresentação está dividida em duas partes1. O que é experiência do usuário e porque é importante2. Como aplicá-la ao longo das etapasde projetos e iniciativas de portaiscorporativos
  5. 5. Situando as intranetsno mundo corporativo (uma percepção)
  6. 6. Vocês  possuem  um  guia  de  identidade  visual  da  intranet?  
  7. 7. Vocês  possuem  um  guia  de  identidade  visual  da   Não,  mas  vocês  podem  intranet?   usar  o  que  9izemos   para  o  site.  
  8. 8. Podemos  conversar  com  alguém  de  infraestrutura?  
  9. 9. Podemos  conversar   Desculpe,  mas  a  equipe  com  alguém  de   está  toda  alocada  em  infraestrutura?   um  projeto  mais   importante.  
  10. 10. Quem  produzirá  o  conteúdo  institucional  da  intranet?  
  11. 11. Quem  produzirá  o  conteúdo  institucional   É  só  pegar  o  texto  de  da  intranet?   “Quem  somos”,  que  está   no  site!  
  12. 12. Se os veículos web fossem músicos
  13. 13. Se os veículos web fossem músicos Super popular, ouvimos falar dela a toda hora Recebe toda a atenção da mídia e do público geral Ninguém sabe se é bom ou se vai durar por muito tempo Lady GagaMídias sociais
  14. 14. Se os veículos web fossem músicos Já fez sucesso, mas hoje não se fala tanto De vez em quando volta e vende bem Parece que está por um fio; mas não sabemos até quando vai durar Lady Gaga Rolling StonesMídias sociais Hotsite
  15. 15. Se os veículos web fossem músicos Antes só se ouvia falar dele, mas hoje muita gente nem sabe quem é Mesmo assim, ninguém Lady Gagaousa questionarStones Rolling sua BeatlesMídias sociais Hotsite importância para o Site institucional cenário atual
  16. 16. Se os veículos web fossem músicos Sempre perseguindo o sucesso, mas poucas vezes emplaca Não ganha muita atenção de ninguém Muda de roupa e corte de cabelo, mas no fundo Lady Gaga Rolling Stonescontinua a mesma coisa Beatles LatinoMídias sociais Hotsite Site institucional Intranet
  17. 17. Para os usuários, ocontexto parece serbem parecido
  18. 18. Fora da empresa...
  19. 19. No trabalho.
  20. 20. No trabalho.40% dos universitários nos EUA aceitariamempregos com menor salário se pudessemter controle sobre suas plataformas detrabalho (computador, smartphone).Cisco, 2011
  21. 21. Por que as intranets não são “populares”?  Foco em obrigações (políticas, normas, manuais) e questões transacionais (formulários, sistemas)  Sistemas e conteúdos legados  Mais (!) sistemas e conteúdos legados  Falta de flexibilidade de plataformas de portal – ou falta de recursos ou expertise para customizá-las  Não são prioridade dentro da agenda organizacional
  22. 22. Mas também...Porque não há umcuidado adequado emrelação à experiênciade uso quando se tratado público interno
  23. 23. “Nossa intranet é tão ruim que a minhaequipe criou sua própria versão, hospedadafora do firewall. E ela é ótima.” Fonte: Intranet Secrets
  24. 24. Apesar disso, háluz no fim dotúnel
  25. 25. “Eu realmente tenho acesso à intranet pelomeu celular. Acho que estou apaixonada.” Fonte: Intranet Secrets
  26. 26. Como fazer osusuários ♥ aintranet?
  27. 27. Simples de usarAgradável de usarCom conteúdo relevante eatualizadoFerramenta de trabalho
  28. 28. }de usarel de usar Experiênciateúdo relevante e do usuárioonta de trabalho
  29. 29. O que é experiência do usuário [UX]É a soma das interações– positivas ou negativas –percebidas por umusuário ou consumidorde um produto, serviçoou marca.
  30. 30. Explicando um poucomelhor (o que é e oque não é UX)
  31. 31. Experiência do usuárionão é apenas interface
  32. 32. Interface UX
  33. 33. “As  pessoas  olham  para  a  experiência  do  usuário  como  uma  etapa  especí9ica  de  um  projeto,  que  irá  resolver  todos  os  problemas  do  produto.”   m  Portal  Corpora0vo?  O  que  é  u Dan  Brown  
  34. 34. Fonte: Elements of user experience – Jesse James Garrett
  35. 35. Experiência do usuárionão é apenas usabilidade
  36. 36. Fonte: User experience honeycomb – Peter Morville
  37. 37. Experiência do usuárionão quer dizer foco total no usuário
  38. 38. tecnologia usuários objetivos organizacionais Experiência do usuário
  39. 39. Experiência do usuário não custa caro
  40. 40. Experiência do usuário não custa caro, mas custa tempo
  41. 41. Experiência do usuário não custa caro, mas custa tempo ?
  42. 42. tempo deelaboração dedocumentaçõescomplexas
  43. 43. tempo deelaboração dedocumentaçõescomplexastempo dedesenvolvimento
  44. 44. tempo deelaboração dedocumentaçõescomplexastempo dedesenvolvimentorefações
  45. 45. tempo deelaboração dedocumentaçõescomplexastempo dedesenvolvimentorefaçõestempo de teste
  46. 46. tempo deelaboração dedocumentaçõescomplexastempo dedesenvolvimentorefaçõestempo de testetreinamento
  47. 47. tempo deelaboração dedocumentaçõescomplexastempo dedesenvolvimentorefaçõestempo de testetreinamentosuporte
  48. 48. Experiência do usuário estános pequenos detalhes
  49. 49. Fonte: www.littlebigdetails.com
  50. 50. Experiência do usuário vai além do digital
  51. 51. Virgin Airlines Bank of AmericaFonte: http://www.uxmatters.com/mt/archives/2011/10/the-rise-of-cross-channel-ux-design.php
  52. 52. Experiência do usuárioé mais do queuma área ou disciplina
  53. 53. processo &cultura
  54. 54. Processo de desenvolvimento (típico) de portais corporativosDiagnóstico e Estratégia Planejamento Implementaçãoentendimento Testes
  55. 55. Processo de desenvolvimento (típico) de portais corporativosDiagnóstico e Estratégia Planejamento Implementaçãoentendimento Testes
  56. 56. Processo de desenvolvimento (típico) de portais corporativosDiagnóstico e Estratégia Planejamento Implementaçãoentendimento UX Testes
  57. 57. Entrevistas
  58. 58. Entrevistas ou conversas informais " Grupos focaissão ferramentas poderosas
  59. 59. QuestionáriosEntrevistas ou conversas informais " Grupos focais atingem um númerosão ferramentas poderosas maior de pessoas mais rapidamente
  60. 60. Entrevistas com stakeholders
  61. 61. Testes de usabilidade
  62. 62. Para ser bem sucedido, o diagnósticoprecisa levantar ideias e histórias
  63. 63. Para ser bem sucedido, o diagnósticoprecisa levantar ideias e históriasdepois tudo será priorizado – não é hora de julgar
  64. 64. Para ser bem sucedido, o diagnósticoprecisa levantar ideias e históriashistórias são um bom jeito de mostrar o valor do projeto (e conseguir $)
  65. 65. Converse com as pessoas sobre otrabalho delas e não sobre o portal
  66. 66. Saiba separar necessidade deexpectativa ou frustração
  67. 67. Processo de desenvolvimento (típico) de portais corporativosDiagnóstico e Estratégia Planejamento Implementaçãoentendimento UX UX Testes
  68. 68. Tabulando os resultados do diagnóstico Fonte: http://www.slideshare.net/lrosenfeld/adaptable-ia-presentation
  69. 69. Objetivo Proposta de Necessidade Featureestratégico valor Todos os Reduzir o uso Serviços online serviços online de papel Diminuir Informações Brochura de número de sobre produtos produtos online errosRedução decustosoperacionais Localização Diminuir Páginas fácil de pessoas tempo de início amarelas e especialistas de projetos Diminuir Agilidade na Instant ligações comunicação Messaging telefônicas
  70. 70. Lembram disso? tecnologia usuários objetivos organizacionais
  71. 71. Maturidade Facilidade de Relevância organizacional implementação estratégicaServiços onlineBrochura de produtos onlinePáginas amarelasInstant Messaging
  72. 72. Para priorizar precisamos da ajuda dos stakeholders
  73. 73. Dinâmica de priorização  Representantes de áreas e necessidades " (a presença de TI e tomadores de decisão é fundamental)  Processo de discussão, não apenas votação  Cria-se uma visão compartilhada do projeto  Decisões tomadas em conjunto (e o entendimento compartilhado) evita regressos ou discussões desnecessárias em fases posteriores
  74. 74. Roadmap (exemplo) Fonte: Enterprise IA Roadmap – Louis Rosenfeld
  75. 75. Processo de desenvolvimento (típico) de portais corporativosDiagnóstico e Estratégia Planejamento Implementaçãoentendimento UX UX UX Testes
  76. 76. Tenha em mente o tempo todo para quem você está planejando
  77. 77. Fonte: http://boagworld.com/usability/an-experience-with-site-personas/
  78. 78. Defina a sequência dasatividades de planejamento
  79. 79. Conteúdo Estrutura Navegação Busca
  80. 80. Conteúdo Estrutura Navegação BuscaO conteúdo não pode ficar por último!
  81. 81. A forma segue a função
  82. 82. 3 síndromes mortais para o conteúdo nas intranets Síndrome do ‘bannerzinho’ na home Síndrome do template coringa Síndrome do iframe
  83. 83. “Não  produzimos  informações   em  excesso.  Apenas   fracassamos  em  9iltrá-­‐las.”  O  que  é  um  Portal  Corpora0vo?   Clay  Shirky  
  84. 84. “Deletei 70 mil páginas da nossa intranet.Ninguém percebeu.” Fonte: Intranet Secrets
  85. 85.  É redundante? Está na linguagem ou padrão corretos? É claro e objetivo? Está atualizado? Está de acordo com a estratégia? Possui valor histórico? Dá pra deletar?
  86. 86. Para o conteúdo que fica, precisamos pensar namelhor formade apresentá-lo ao usuário
  87. 87. Organizar todos estes conteúdos édifícil e subjetivo
  88. 88. Atender a todos ou conseguir consenso é "praticamente impossível
  89. 89. 20 % dos problemas que você resolver atenderá80 % das necessidades dos usuários
  90. 90. Escolha umalógica de navegação que seja mais adequada àmaioria dos usuários prioritários
  91. 91. Temas
  92. 92. Temas
  93. 93. Tipos de conteúdos
  94. 94. Ambientes/localidades
  95. 95. Pequenos elementos de navegação podem fazer uma grande diferença na experiência geral do usuário com o portal
  96. 96. Atalhos
  97. 97. Mega menu
  98. 98. Conteúdo relacionado
  99. 99. Índice de A a Z de páginas
  100. 100. Atividades recentes
  101. 101. Processo de desenvolvimento (típico) de portais corporativosDiagnóstico e Estratégia Planejamento Implementaçãoentendimento UX UX UX UX Testes
  102. 102. Como garantir que o portal entregue seguirá premissas de experiência do usuário definidas no planejamento?
  103. 103. Você não precisa esperar que o desenvolvedor seja um especialista em usabilidade ou UX...
  104. 104. Mas ele precisa pelo menos entendersua importância para o resultado do projeto.
  105. 105. Sensibilizando desenvolvedores  Envolvimento nas etapas iniciais do projeto  Compartilhando a documentação produzida (principalmente as personas)  Compartilhando decisões  Realizando reuniões periódicas de acompanhamento  Incluindo a usabilidade como tema de homologação
  106. 106. Guidelines de identidade visual
  107. 107. Banco de padrões de desenvolvimento
  108. 108. Processo de desenvolvimento (típico) de portais corporativosDiagnóstico e Estratégia Planejamento Implementaçãoentendimento UX UX UX UX Testes UX
  109. 109. Testar com 1 usuário é 100% melhordo que não testar com nenhum.
  110. 110. 5 usuários = 85% dos problemas de usabilidade Fonte: http://www.useit.com/alertbox/20000319.html
  111. 111. Mas os testes de usabilidade nãosão muito caros?
  112. 112. Sim, eles podem ser.
  113. 113. Mas também podem custar muitopouco.
  114. 114. Faça testes antecipados, com as "ideias ainda no papel
  115. 115. Teste também com wireframes ouprotótipos não funcionais
  116. 116. Outras modalidades de teste Teste remoto Teste A/B Auto teste Diário de uso continuado
  117. 117. Obrigado!paulo@neuestudio.com.brtwitter @prflorianohttp://neue.st© Todos os slides desta apresentação possuem direitos reservados
  118. 118. Créditos das imagens e screenshots  Slide 18: bit.ly/HPjWt3   Slide 94: bit.ly/J13gix  Slide 19: bit.ly/HEa37O   Slide 95: bit.ly/IJGEDM  Slide 32: bit.ly/Icf1Ch   Slide 96: bit.ly/IJHmB8  Slide 57: wapo.st/IjGgNm   Slide 98: bit.ly/IGkas9  Slide 58: bit.ly/HMrktt   Slide 99: bit.ly/IA7sY4  Slide 61: bit.ly/HPl3Ju   Slide 100: bit.ly/IA7MWH  Slide 65: bit.ly/HB11Yz   Slide 101: bit.ly/J13gix  Slide 88: bit.ly/J13gix;   Slide 102: bit.ly/IGkas9 bit.ly/IGkas9   Slide 114: bit.ly/IA9hXp  Slide 89: bit.ly/HEv54s   Slide 115: bit.ly/IJJecR  Slide 90: bit.ly/HBBz4N  Slide 93: bit.ly/IGkas9

×