Diario de bordo sociologia

7,665 views

Published on

0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
7,665
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1,352
Actions
Shares
0
Downloads
59
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Diario de bordo sociologia

  1. 1. INSTITUTO FRANCISCANO DE EDUCAÇÃOSUPERIOR FÁTIMADiário de BordoNazinete dos Santos SilvaCurso: PedagogiaSemestre: PrimeiroTurma: Ped1Disciplina: SociologiaProfessora: Virgínia
  2. 2. Criado por: Nazinete dos Santos SilvaInstituto Franciscano de Educação Superior FátimaSGAS 906 Bloco F – Asa Sul – Brasília/DFINTRODUÇÃOEste Diário foi desenvolvido durante o 1º período do curso superiorde Pedagogia pelo Instituto Superior Fátima, na disciplina de Sociologia.Nele, procurei inserir todo o conteúdo que aprendi durante o período.Embora não conhecesse a fundo sobre alguns assuntos abordados,procurei abranger, na medida do possível, todos os tópicos exigidos pelaprofessora Virgínia para realização deste diário.
  3. 3. Criado por: Nazinete dos Santos Silva Página 2Instituto Franciscano de Educação Superior FátimaSGAS 906 Bloco F – Asa Sul – Brasília/DFNazinete dos Santos Silva“Diário de Bordo”1ª aula: 05 de agosto de 2010.No dia 05 de agosto de 2010, foi dado início ao curso de Pedagogiano Instituto Franciscano de Educação Superior Fátima, esse dia foi muitolegal, pois conhecemos a professora Virginia que ministraria a disciplina deSociologia. Ela chegou bastante entusiasmada para dividir seusconhecimentos sobre o meio social em que vivemos. Nossa primeiraatividade foi responder a uma pergunta. O que é sociologia? Foi entreguepara cada aluno uma apostila sobre o assunto, fizemos a leitura da primeiraparte do texto e o debatemos e chegamos a um acordo para responder apergunta.Em outro momento, ela nos passou uma atividade para serapresentada no decorrer do semestre, cada aluno teria que preparar um“flash” sobre a educação nas escolas, expressando suas críticas e sugestões.Em seguida, a turma foi dividida em vários grupos para debater eapresentar de forma criativa sobre a sociedade de hoje, e a sociedade ideal.O meu grupo se apresentou da seguinte forma: desenhamos em umacartolina o globo terrestre dividido em vários pontos, mostrando asociedade de Hoje, não muito boa, desenhamos sobre o globo a letra “S”no meio, na qual expressamos muita divisão, discriminação e desigualdade.Para a sociedade Ideal, usamos outra letra “S”, onde expressamos umasociedade sem discriminação, desigualdade e divisão social.2ª aula: 12 de agosto de 2010.Nesta aula foi apresentado um flash com o tema: “Educar as crianças- interação social”. Em seguida a professora apresentou um slide. Foi feitatambém uma dinâmica chamada, “O menino chamado amor”, a dinâmicafoi a seguinte: Bom dia: “bater palmas, paz, abraço, amor, traçar de lugar,sorriso, aperto demão, corra, gargalhada”.
  4. 4. Criado por: Nazinete dos Santos Silva Página 3Instituto Franciscano de Educação Superior FátimaSGAS 906 Bloco F – Asa Sul – Brasília/DFEssa é uma brincadeira que a professora fez com a turma parainteragir uns com os outros. Sociologia da educação necessária, que dirãoas suas colocações sob idealismo, e propondo a andarmos juntos com umsó objetivo, lutar pela educação interativa fazendo assim o mundo real davida. No final, lemos a apostila e terminamos de apresentar o trabalho daaula passada.3ª aula: 19 de agosto de 2010.Neste dia, foram apresentados quatro fleches com temas diferentes,porém um deles foi bastante interessante e causou uma certa polemica, oassunto abordado foi sobre o implantação do período integral nas escolaspúblicas. Houve uma divisão de opiniões, alguns achavam que as criançasficariam muito tempo na escola, sendo que a maioria do tempo não teriamatividades suficiente para realizarem, ou até mesmo por falta de recurso oupreparo adequado dos professores.Em seguida assistimos o filme “O enigma de Kaspar Houser”, ofilme foi uma ótima referência para refletirmos sobre a sociedade em quevivemos, mudou bastante nosso modo de pensar, agir e falar.Kaspar se tornou uma pessoa sem qualquer noção de vida, não sabiabem distinguir o certo do errado, não conhecia o medo, o prazer e nemconhecia outras pessoas, animais, objetos além de um homem que lhemanteve sempre num regime de vida isolado de tudo e de todos.4ª aula: 26 de agosto de 2010.Neste dia, estávamos na a semana pedagógica, assistimos umapalestra bastante interessante sobre “A Tecnologia na Educação”. Opalestrante Luís nos falou da importância da informática nas aulas. Nestapalestra, conhecemos vários recursos tecnológicos para tornar a aula maisatraente. O palestrante nos apresentou um software que auxilia nodesenvolvimento e na coordenação motora da criança, trata-se de joguinhose programas educativos. A tecnologia nos oferece cada vez mais facilidadepara ajudar na educação da criança, porém é preciso saber usar commoderação, nunca esquecendo o modelo convencional.Esta palestra foi de grande valia para nós, pois hoje em dia, temosque acompanhar a evolução e saber usufruir destes recursos.
  5. 5. Criado por: Nazinete dos Santos Silva Página 4Instituto Franciscano de Educação Superior FátimaSGAS 906 Bloco F – Asa Sul – Brasília/DF5ª aula: 02 de setembro de 2010.Nesta aula, entregamos o questionário sobre o filme “O enigma deKaspar Houser. Também fizemos cartazes sobre a doação de sangue, essafoi uma forma de incentivar todos a doar.Em seguida houve a apresentação de mais alguns fleche s sobre aeducação de crianças. Logo depois dividimos a turma em grupos parapreparar apresentações de seminários sobre alguns filósofos como:• Jean-Jacques Rousseau• Auguste Conte• Karl Marx• Emile Durkhein• Max Weber• Paulo Freire6ª aula: 09 de setembro de 2010.Nesta aula, continuamos a debater sobre um tema extremamenteimportante para nossa sociedade, trata-se da doação de sangue.O Hemocentro de Brasília elaborou uma campanha com o tema:“Hemocentro nas Escolas”. A campanha tem o objetivo de esclarecer asdúvidas de crianças, jovens e adultos, com o intuito de aumentar aquantidade nos bancos de sangue.Foram distribuídos também alguns encartes do Hemocentro,esclarecendo as condições que o doador deve ter para doar, osimpedimentos, intervalos para doação, enfim, orientações em geral para umdoador de sangue.A professora Virginia dividiu a turma em grupos, e, nesses gruposela pediu que fizessem cartazes criativos, uma espécie de marketing. Oscartazes foram pregados nos corredores da faculdade, houve muitadiversidade e criatividade.
  6. 6. Criado por: Nazinete dos Santos Silva Página 5Instituto Franciscano de Educação Superior FátimaSGAS 906 Bloco F – Asa Sul – Brasília/DFEm seguida a professora comentou a respeito da apresentação doseminário sobre os filósofos que fizeram parte da educação na escola. Omeu grupo ficou responsável para apresentar sobre o pensador Jean-JaquesRousseau.
  7. 7. Criado por: Nazinete dos Santos Silva Página 6Instituto Franciscano de Educação Superior FátimaSGAS 906 Bloco F – Asa Sul – Brasília/DF7ª aula: 16 de setembro de 2010.Jean-Jaques RousseauNeste dia, meu grupo fez a apresentação sobre o pensador Jean-Jaques Rousseau, montamos um slide e nossa colega Ravana se vestiucomo o filosofo e assim, fizemos a apresentação com muito entusiasmo,criatividade e também uma dinâmica. No final da apresentação, fizemosalgumas perguntas à turma para que todos pudessem participar ativamenteda aula.O princípio fundamental de toda a obra de Rousseau, pelo qual ela édefinida até os dias atuais, é que o homem é bom por natureza mas estásubmetido à influência corruptora da sociedade. O pensamento deRousseau pode ser tomado como uma doutrina individualista ou uma
  8. 8. Criado por: Nazinete dos Santos Silva Página 7Instituto Franciscano de Educação Superior FátimaSGAS 906 Bloco F – Asa Sul – Brasília/DFdenúncia da falência da civilização, mas não é bem isso. O mito criado pelofilósofo em torno da figura do bom selvagem – deve ser entendido comouma idealização teórica. Além disso, a obra de Rousseau não pretendenegar os ganhos da civilização, mas sugerir caminhos para reconduzir aespécie humana à felicidade.Não basta a via individual. Como a vida em sociedade é inevitável, amelhor maneira de garantir o máximo possível de liberdade para cada um éa democracia, concebida como um regime em que todos se submetem à lei,porque ela foi elaborada de acordo com a vontade geral. Não foi por acasoque Rousseau escolheu publicar simultaneamente, em 1762, suas duasobras principais, Do Contrato Social – em que expõe sua concepção deordem política. Observe abaixo a obra intitulada como “Bom selvagem”.Principais obras de Rousseau:DO CONTRATO SOCIAL – Que expõe sua concepção de ordem política;EMÍLIO – Minucioso tratado sobre educação, prescrevendo o passo a passode um jovem fictício, do nascimento aos 25 anos.
  9. 9. Criado por: Nazinete dos Santos Silva Página 8Instituto Franciscano de Educação Superior FátimaSGAS 906 Bloco F – Asa Sul – Brasília/DFA Pedagogia de Rousseau“O homem e a sociedade modificam-se, e a educação é fundamental para anecessária adaptação a essas modificações”.“O homem nasce bom e a sociedade o corrompe”.Os pressupostos básicos de Rousseau a respeito da educação eram acrença na bondade natural do homem, e atribuir à civilização aresponsabilidade pela origem do mal. A educação deveria levar o homem aagir por interesses naturais e não por imposição de Rousseau, a partir daquestão acima, propõe rever a contradição existente entre o homem e ocidadão, pois, segundo ele, não é possível a existência de um homem e umcidadão, pois nestas duas pessoas, existem contrapontos, sendo tiposopostos e excludentes.A educação aceita a natureza, mas não a toma como suficiente e boaem princípio. Se tomasse não seria necessária.Método Montessori - Liberdade para aprenderAssim como Rousseau, a médica italiana Maria Montessori (1870-1952), também defende a liberdade para que a criança aprenda comnaturalidade. Outro ponto em comum entre os dois estudiosos é que, para
  10. 10. Criado por: Nazinete dos Santos Silva Página 9Instituto Franciscano de Educação Superior FátimaSGAS 906 Bloco F – Asa Sul – Brasília/DFeles “a criança não é um ser humano incompleto, ou seja, desde o seunascimento, já é um ser humano integral”.O método montessoriano consiste em deixar a criança livre dentro dasala de aula, sendo assim, pode sentar-se na cadeira, no chão, sozinha, emgrupos, como quiser. Com material pedagógico em abundância, o pequenopode escolher o de sua preferência. Montessori dizia que, “nas salas de aulatradicionais, as crianças ficavam iguais uma coleção de borboletas, cadauma presa em seu lugar”.BiografiaJean-Jaques Rousseau nasceu em Genebra, Suíça, em 1712. Sua mãemorreu no parto. Viveu primeiro com o pai, depois com parentes da mãe eaos 16 anos partiu para uma vida de aventureiro. Em 1745, conheceu alavadeira Thérèse Levasseur, com que teria cinco filhos, todos entregues aadoção – os remorsos decorrentes marcariam grande parte de sua obra. Em1756, já famoso por seus ensaios, Rousseau recolheu-se ao campo, até1762.Rousseau morreu em 1778 no interior da França. Durante aRevolução Francesa, 11 anos depois, foi homenageado com o translado deseus ossos para o Panteão de Paris.
  11. 11. Criado por: Nazinete dos Santos Silva Página 10Instituto Franciscano de Educação Superior FátimaSGAS 906 Bloco F – Asa Sul – Brasília/DF8ª aula: 23 de setembro de 2010.Auguste Comte
  12. 12. Criado por: Nazinete dos Santos Silva Página 11Instituto Franciscano de Educação Superior FátimaSGAS 906 Bloco F – Asa Sul – Brasília/DFBiografiaAuguste Comte nasceu em Montpellier, França, a 19 de janeiro de1798, filho de um fiscal de impostos. Suas relações com a família foramsempre tempestuosas e contêm elementos explicativos do desenvolvimentode sua vida e talvez até mesmo de certas orientações dadas às suas obras,sobretudo em seus últimos anos. Freqüentemente, Comte acusava osfamiliares (à exceção de um irmão) de avareza, culpando-os por suaprecária situação econômica. O pai e a irmã, ambos de saúde muito frágil,viviam reclamando maior participação de Auguste em seus problemas. Amãe apegou-se a ele de forma extremada, solicitando sua atenção “damesma maneira que um mendigo implora um pedaço de pão” parasobreviver, como diz ela em carta ao filho já adulto. Tão complexos laçosfamiliares foram afinal rompidos por Comte, mas deixaram-lhe marcas pro-fundas.Com a idade de dezesseis anos, em 1814, Comte ingressou na EscolaPolitécnica de Paris, fato que teria significativa influência na orientaçãoposterior de seu pensamento. Em carta de 1842 a John Stuart Mill (1806-1873), Comte fala da Politécnica como a primeira comunidadeverdadeiramente científica, que deveria servir como modelo de todaeducação superior. A Escola Politécnica tinha sido fundada em 1794, comofruto da Revolução Francesa e do desenvolvimento da ciência e da técnica,resultante da Revolução Industrial. Embora permanecesse por apenas doisanos nessa escola, Comte ali recebeu a influência do trabalho intelectual decientistas como o físico Sadi Carnot, (1796-1832), o matemático Lagrange(1736 -1813) e o astrônomo Pierre Simon de Laplace (1749-1827).Especialmente importante foi a influência exercida pela MecânicaAnalítica de Lagrange: nela Comte teria se inspirado para vir a abordar osprincípios de cada ciência segundo uma perspectiva histórica.Em 1816, a onda reacionária que se apoderou de toda a Europa, depois daderrota de Napoleão e da Santa Aliança, repercutiu na Escola Politécnica.Os adeptos da restauração da Casa Real dos Bourbon conseguiram ofechamento temporário da Escola, acusando-a de jacobinismo Comtedeixou a Politécnica e, apesar dos apelos insistentes da família, resolveucontinuar em Paris. Nesse período sofreu as influências dos chamados“ideólogos”: Destutt de Tracy (1754 – 1836), Cabanis (1757 -1808) eVolney (1757 - 1820). Leu também os teóricos da economia política, comoAdam Smith (1723 - 1790) e Jean-Baptiste Say (1767 - 1832), filósofos ehistoriadores como David Hume (1711 - 177 6) e W William Robertson(1721 - 1793). O fator mais decisivo para sua formação foi, porém, oestudo do Esboço o de um Quadro Histórico dos Progressos do Espírito
  13. 13. Criado por: Nazinete dos Santos Silva Página 12Instituto Franciscano de Educação Superior FátimaSGAS 906 Bloco F – Asa Sul – Brasília/DFHumano, de Condorcet (1743 - 1794), ao qual se referiria, mais tarde,como "meu imediato predecessor". A obra de Condorcet traça um quadrodo desenvolvimento da humanidade, no qual os descobrimentos einvenções da ciência e da tecnologia desempenham papel preponderante,fazendo o homem caminhar para uma era em que a organização social epolítica seria produto das luzes da razão: Essa idéia tornar-se-ia um dospontos fundamentais da filosofia de Comte.O filósofo e sua musaUm ano depois de sair da Escola Politécnica, em 1817, Comtetornou-se secretário de Saint-Simon (1760 - 1825), do qual receberiaprofunda influência. Em carta de 1818, Comte declara, sobre suas relaçõescom Saint-Simon: "Pela cooperação e amizade com um desses homens quevêem longe nos domínios da filosofia política, aprendi uma multidão decoisas, que em vão procuraria nos livros; e no meio ano durante o qualestive associado a ele meu espírito fez maiores progressos do que faria emtrês anos, se eu estivesse sozinho; o trabalho desses seis meses desenvolveuminha concepção das ciências políticas e, indiretamente, tornou maissólidas minhas idéias sobre as demais ciências...”.Os três temas básicosO núcleo da filosofia de Comte radica na idéia de que a sociedade sópode ser convenientemente reorganizada através de uma completa reformaintelectual do homem. Com isso, distingue-se de outros filósofos de suaépoca como Saint-Simon e Fourier, preocupados também com a reformadas instituições, mas que prescreviam modos mais diretos para efetivá-la.Enquanto esses pensadores pregavam a ação prática imediata, Comteachava que antes disso seria necessário fornecer aos homens novos hábitosde pensar de acordo com o estado das ciências de seu tempo. Por essarazão, o sistema comteano estruturou-se em torno de três temas básicos.Em primeiro lugar, uma filosofia da história com o objetivo demostrar as razões pelas quais uma certa maneira de pensar (chamada porele filosofia positiva ou pensamento positivo) deve imperar entre oshomens. Em segundo lugar, uma fundamentação e classificação dasciências baseadas na filosofia positiva. Finalmente, uma sociologia que,determinando a estrutura e os processos de modificação da sociedadepermitisse a reforma prática das instituições. A esse deve-se acrescentar aforma religiosa assumida pelo plano de renovação social, proposto porComte nos seus últimos anos de vida.
  14. 14. Criado por: Nazinete dos Santos Silva Página 13Instituto Franciscano de Educação Superior FátimaSGAS 906 Bloco F – Asa Sul – Brasília/DFO progresso do espíritoA filosofia da historia – primeiro tema da filosofia de Comte – podeser sintetizada na sua célebre lei dos três estados: todas as ciências e oespírito humano como um todo desenvolvem-se através de três fasesdistintas: a teológica, a metafísica e a positiva.No estado teológico, pensa Comte, o número de observações dosfenômenos reduz-se a poucos casos e, por isso, a imaginação desempenhapapel de primeiro plano. Diante da diversidade da natureza, o homem sóconsegue explicar mediante a crença na intervenção de seres pessoais esobrenaturais. O mundo torna-se compreensível somente através das idéiasde deuses e espíritos. Segundo Comte, a mentalidade teológica visa a umtipo de compreensão absoluta; o homem, nesse estágio de desenvolvi-mento, acredita ter posse absoluta do conhecimento. Para além dos limitesdos seres sobrenaturais, o homem não coloca qualquer problema, sentindo-se satisfeito na medida em que a possibilidade de recorrer à intervenção dasdivindades fornece um quadro para compreensão dos fenômenos queocorrem ao seu redor.O pensamento positivoO estado positivo caracteriza-se, segundo Comte, pela subordinaçãoda imaginação e da amamentação à observação. Cada proposiçãoenunciada de maneira positiva deve corresponder a um fato, seja particular,seja universal. Isso não significa, porém, que Comte defenda um empirismopuro, ou seja, a redução de todo conhecimento à apreensão exclusiva defatos isolados. A visão positiva dos fatos abandona a consideração dascausas dos fenômenos (procedimento teológico ou metafísico) e torna-sepesquisa de suas leis entendidos como relações constantes entre fenômenosobserváveis.Quando procura conhecer fenômenos psicológicos, o espíritopositivo deve visar às relações imutáveis presentes neles - como quandotrata de fenômenos físicos, como o movimento ou a massa; só assimconseguiria realmente explicá-los. Segundo Comte, a procura de leisimutáveis ocorreu pela primeira vez na história quando os antros gregoscriaram a astronomia matemática. Na época moderna, o mesmoprocedimento invento reaparece em Bacon (1561 - 1626), Galileu (1564 -1642) e René Descartes (1596 - 1650), os fundadores da filosofia positiva,para Comte.
  15. 15. Criado por: Nazinete dos Santos Silva Página 14Instituto Franciscano de Educação Superior FátimaSGAS 906 Bloco F – Asa Sul – Brasília/DFDo simples ao complexoA classificação das ciências – segundo tema básico da filosofiacomteana – vincula-se à filosofia da história. Ao traçar o mapa dodesenvolvimento histórico do espírito, em sua caminhada para a apreensãoda realidade, Comte mostra que a evolução de cada ciência obedece àperiodização dos três estados, mas que essa periodização não se faz aomesmo tempo em todos os domínios: o estado metafísico de uma ciênciacomo a física, por exemplo, não é contemporâneo do estado metafísico dabiologia. Por outro lado, o desenvolvimento das ciências é assintótico, istoé, elas jamais atingem a compreensão absoluta dos seus objetosrespectivos.Segundo Comte, as ciências classificam-se de acordo com a maior oumenor simplicidade de seus objetos respectivos. A complexidade crescentepermite estabelecer a seqüência: matemáticas, astronomia, física, química,biologia e sociologia.Uma nova religiãoA reforma das instituições – terceiro tema básico da filosofia deComte – tem seus fundamentos teóricos na sociologia que ele concebeu. Asociologia conduziria à política, cumprindo-se, assim, o desígnio queComte sempre se propôs de fazer da filosofia positivista um instrumentopara a reforma intelectual do homem e, através desta, a reorganização detoda a sociedade. No seu modo de ver, a Revolução Francesa destruiu asinstituições sociais do homem europeu impunha-se, conseqüentemente,estabelecer uma nova ordem. A Revolução fora necessária, pensava Comte,porque as antigas instituições sociais e políticas eram ainda teológicas, nãocorrespondendo, portanto, ao estado de desenvolvimento das ciências daépoca.A Revolução não ofereceu, porém, fundamentos para areorganização da sociedade, por ter sido negativa e metafísica em seuspressupostos. A tarefa a ser cumprida deveria portanto ser a instauração doespírito positivo - na organização das estruturas sociais e políticas. Paraisso, sacia necessária uma nova elite científico-industrial, capar de formularos fundamentos positivos da sociedade é desenvolver as atividades técnicascorrespondentes a cada uma das ciências, tornando-as bem comum.
  16. 16. Criado por: Nazinete dos Santos Silva Página 15Instituto Franciscano de Educação Superior FátimaSGAS 906 Bloco F – Asa Sul – Brasília/DF9ª aula: 30 de setembro de 2010.Karl Marx
  17. 17. Criado por: Nazinete dos Santos Silva Página 16Instituto Franciscano de Educação Superior FátimaSGAS 906 Bloco F – Asa Sul – Brasília/DFNesta aula tivemos a apresentação do terceiro grupo, que falou sobreo pensador Karl Marx. A princípio o grupo apresentou um vídeo dos anos80 com a banda RPM, que cantou a música “Alvorada voraz”, neste vídeoo cantor destaca dois personagens que fez parte do meio artístico. Emseguida apresentou o grande filósofo de forma concreta, uma aluna secaracterizou como se fosse o filósofo Karl Marx e outra aluna caracterizadacomo repórter o fez uma entrevista.Em entrevista exclusiva com o “pensador”, ela fez algumasperguntas sobre o poder econômico, também fez algumas perguntas de suabiografia, depois foi apresentado um slide.O filósofo, economista e socialista alemão Karl Marx, nasceu emTrier na Alemanha em 5 de maio de 1818, morreu em Londres em 14 demarço de 1883. Estudou na universidade de Berlin, principalmente afilosofia Hegeliana, e formou-se em Lena em 1841 com a tese sobre asdiferenças da filosofia da natureza de Demócrito e de Epicuro.No final houve a introdução de suas obras, seus ideais, foramdebatidos também a contribuição para crítica da economia política,manifesto comunista, assistimos também um trecho do filme do Batman,explicando melhor o capitalismo e o socialismo, e assim se encerrou a aula.
  18. 18. Criado por: Nazinete dos Santos Silva Página 17Instituto Franciscano de Educação Superior FátimaSGAS 906 Bloco F – Asa Sul – Brasília/DF10ª aula: 07 de outubro de 2010.Max Weber
  19. 19. Criado por: Nazinete dos Santos Silva Página 18Instituto Franciscano de Educação Superior FátimaSGAS 906 Bloco F – Asa Sul – Brasília/DFNeste dia o 4º grupo exibiu um vídeo sobre o filósofo Max Weber,em seguida apresentou um pouco sobre alguns itens de sua vida:• Principais obras• Biografia• Ação social• Classe social e suas divisões• Educação e seus valosMax Weber, sociólogo alemão, nasceu em Erfurt, na Turíngia, a 21de abril de 1864. Foi professor de Economia nas universidades de Freiburge Heidelberg. Após 1897 teve de interromper o exercício do magistério,devido a uma grave enfermidade psíquica. Participou da comissão queredigiu a Constituição da República de Weimar. Foi por muito tempodiretor da importante revista Arquivo de Ciências Sociais e Política Sociale colaborador do Jornal de Frankfurt.Ardente nacionalista alemão. Weber é considerado um dos maisimportantes pensadores modernos. Fundou a disciplina Sociologia daReligião, fazendo estudo comparado da História da Economia e da Históriadas Doutrinas Religiosas.Para Weber o objeto da Sociologia é o sentido da ação humanaindividual que deve ser buscado pelo método da compreensão.As teorias de Weber exerceram uma grande influência sobre as CiênciasSociais a partir da década de 20. São famosas suas teses a respeito darelações do capitalismo como protestatismo. Weber procurou investigar ainfluência das doutrinas religiosas no campo econômico e, em particular,na formação do espírito capitalista.Suas obras principais são: A ética protestante e o espírito docapitalismo (1905) e Economia e sociedade (publicada postumamente em1922). Max morreu em Muníque a 14 de junho de 1920.
  20. 20. Criado por: Nazinete dos Santos Silva Página 19Instituto Franciscano de Educação Superior FátimaSGAS 906 Bloco F – Asa Sul – Brasília/DF11ª aula: 14 de outubro de 2010.Emile Durkheim
  21. 21. Criado por: Nazinete dos Santos Silva Página 20Instituto Franciscano de Educação Superior FátimaSGAS 906 Bloco F – Asa Sul – Brasília/DFNesta aula, ocorreu mais uma apresentação sobre o filósofo EmileDurkheim, de início, o grupo mostrou um slide que falava de umasociedade cheia de violência e miséria, e quem mandava era quem tinhamais dinheiro.Depois veio a introdução e em seguida a biografia do pensador,falaram sobre a sociedade e suas características, apresentou também suasgrandes obras num trecho do filme “Tropa de elite”, assim toda a turmadebateu sobre o pensador.Emile Durkheim nasceu em Épinal, no dia 15 de abril de 1858 emorreu em Paris, no dia 15 de novembro de 1917) é considerado um dospais da sociologia moderna. Durkheim foi o fundador da escola francesa desociologia, posterior a Marx, que combinava a pesquisa empírica com ateoria sociológica. É amplamente reconhecido como um dos melhoresteóricos do conceito da coesão social.Partindo da afirmação de que "os fatos sociais devem ser tratadoscomo coisas", forneceu uma definição do normal e do patológico aplicada acada sociedade, em que o normal seria aquilo que é ao mesmo tempoobrigatório para o indivíduo e superior a ele, o que significa que asociedade e a consciência coletiva são entidades morais, antes mesmo deterem uma existência tangível. Essa preponderância da sociedade sobre oindivíduo deve permitir a realização desses, desde que consiga integrar-se aessa estrutura.Para que reine certo consenso nessa sociedade, deve-se favorecer oaparecimento de uma solidariedade entre seus membros. Uma vez que asolidariedade varia segundo o grau de modernidade da sociedade, a normamoral tende a tornar-se norma jurídica, pois é preciso definir, numasociedade moderna, regras de cooperação e troca de serviços entre os queparticipam do trabalho coletivo (preponderância progressiva dasolidariedade orgânica).A sociologia fortaleceu-se graças a Durkheim e seus seguidores.Suas principais obras são: Da divisão do trabalho social (1893); Regras dométodo sociológico (1895); O suicídio (1897); As formas elementares devida religiosa (1912). Fundou também a revista LAnnée Sociologique, queafirmou a preeminência durkheimiana no mundo inteiro.
  22. 22. Criado por: Nazinete dos Santos Silva Página 21Instituto Franciscano de Educação Superior FátimaSGAS 906 Bloco F – Asa Sul – Brasília/DF12ª aula: 21 de outubro de 2010.Paulo Freire
  23. 23. Criado por: Nazinete dos Santos Silva Página 22Instituto Franciscano de Educação Superior FátimaSGAS 906 Bloco F – Asa Sul – Brasília/DFNesta aula um grupo apresentou um vídeo com a música “Aquarela”do cantor Toquinho e imagens referentes a letra da música, em seguidaexibiram a biografia de Paulo Freire, o exílio, o método, obras, ideais,modelo filosófico e vários livros do pensador.Paulo Reglus Neves Freire nasceu no dia 19 de setembro de 1921 emRecife, no nordeste do Brasil, e faleceu em 2 de maio de 1997 em SãoPaulo. Como estudioso, ativista social e trabalhador cultural, Freiredesenvolveu, mais do que uma prática de alfabetização, uma pedagogiacrítico liberadora. Em sua proposta, o ato de conhecimento tem comopressuposto fundamental a cultura do educando; não para cristalizá-la, mascomo ”ponto de partida” para que ele avance na leitura do mundo,compreendendo-se como sujeito da história. É através da relação dialógicaque se consolida a educação como prática da liberdade.Em sua primeira experiência, em 1963, Freire ensinou 300 adultos aler e escrever em 45 dias. Esse método foi adotado em Pernambuco, umestado produtor de cana-de-açúcar. O trabalho de Freire com os pobres e,internacionalmente aclamado, teve início no final da década de 40 econtinuou de forma ininterrupta até 1964. Os 16 anos de exílio foramperíodos tumultuados e produtivos: uma estadia de cinco anos no Chilecomo consultor da UNESCO no Instituto de Capacitação e Investigação emReforma Agrária; uma nomeação, em 1969, para trabalhar no Centro paraEstudos de Desenvolvimento e Mudança Social da Universidade deHarvard; uma mudança para Genebra, na Suíça, em 1970, para trabalharcomo consultor do Escritório de Educação do Conselho Mundial de Igrejas,onde desenvolveu programas de alfabetização para a Tanzânia e GuinéBissau, que se concentravam na reafricanização de seus países; odesenvolvimento de programas de alfabetização em algumas ex-colôniasportuguesas pós-revolucionárias como Angola e Moçambique; ajuda aogoverno do Peru e da Nicarágua em suas campanhas de alfabetização...Paulo Freire (1921-1997) representa um dos maiores e mais significanteseducadores do século XX. Sua pedagogia mostra um novo caminho para arelação entre educadores e educandos. Caminho este que, consolida umaproposta políticopedagógica elegendo educador e educando como sujeitosdo processo de construção do conhecimento mediatizados pelo mundo,visando a transformação social e construção de uma sociedade justa,democrática e igualitária.Na América do Sul, Europa, África, América do Norte e Central,suas idéias revolucionaram o pensamento pedagógico universal,estimulando a prática educativa de movimentos e organizações de diversasnaturezas. Três filosofias marcaram sucessivamente a obra de Paulo Freire:o existencialismo, a fenomenologia e o marxismo sem, no entanto adotar
  24. 24. Criado por: Nazinete dos Santos Silva Página 23Instituto Franciscano de Educação Superior FátimaSGAS 906 Bloco F – Asa Sul – Brasília/DFuma posição ortodoxa. Seu pensamento rompeu a relação cristalizadora dedominação, buscando pensar a realidade dentro do universo do educando,construindo a prática educacional considerando a linguagem e a história dacoletividade elementos essenciais dessa prática.Em Paulo Freire vida, pensamento e obra se juntam. Pensa arealidade e a ação sobre ela, trabalhando teoricamente a partir dela.Segundo ele, as questões e problemas principais de educação não são sóquestões pedagógicas, ao contrário, são políticas. Sua proposta, apedagogia crítica, como práxis cultural contribui para revelar a ideologiaencoberta na consciência das pessoas Seu trabalho revela dedicação ecoerência aliados a convicção de luta por uma sociedade justa, voltada parao processo permanente de humanização entre as pessoas onde ninguém éexcluído ou posto à margem da vida. Paulo Freire provou que é possíveleducar para responder aos desafios da sociedade, neste sentido a educaçãodeve ser um instrumento de transformação global do homem e dasociedade, tendo como essência a dialogicidade.13ª aula: 28 de outubro de 2010.Neste dia assistimos o filme “Os escritores da liberdade”, o qual nosmostrou a história de uma professora que lutava pela educação, porém nãotinha muitos meios, abriu mão de boa parte de sua vida social para sededicar aos alunos, pouco a pouco os alunos foram abordando a idéia deuma escola melhor e sem violência.
  25. 25. Criado por: Nazinete dos Santos Silva Página 24Instituto Franciscano de Educação Superior FátimaSGAS 906 Bloco F – Asa Sul – Brasília/DFEm meio a este drama, vivido por adolescentes na faixa etária entre14 e 15 anos que Erin Gruwell assume a sala de aula, cansada de sua rotinadiária e desiludida em relação à vida profissional, que ela mudaradicalmente de profissão dedicando-se a educação. A professora chegacheia de expectativas a sala de aula, imaginava que todos os alunos iriamcorresponder ao seu modelo educacional, tornando-se frustrante osprimeiros encontros, as brigas, os desencontros e as insatisfações sãoconstantes nas expressões dos alunos, simplesmente ela é ignorada a pontode ficar sozinha na sala de aula.14ª aula: 04 de novembro de 2010.Começamos a aula assistindo um flash de um assunto polêmico, noqual debatemos durante praticamente a aula inteira. Em seguida, foramdivididos os grupos de estudos dos filósofos novamente, e cada grupoforma uma tabela a respeito do pensador que apresentou.Na tabela, deveria conter as contribuições dos sociólogos para aeducação.• Teóricos• Contexto Histórico• Essência• Principais conceitos• Ações pedagógicas• Relação professor aluno• Principais obras
  26. 26. Criado por: Nazinete dos Santos Silva Página 25Instituto Franciscano de Educação Superior FátimaSGAS 906 Bloco F – Asa Sul – Brasília/DF15ª aula: 11 de novembro de 2010.Neste dia, foram entregues as tabelas sobre os filósofos de cadagrupo, em seguida a professora explicou como seria o andamento dasemana acadêmica, foram divididos grupos de palestras, vídeo, teatro,ornamentação e etc., e assim finalizamos a aula.*Pensamentos:*A crença no valor da verdade científica não procede da natureza, mas sim é produto dedeterminadas culturas. (Max Weber)A sociedade e cada meio social particular determinam o ideal que a educação realiza (EmileDurkheim)De nada valem as idéias sem homens que possam pô-las em prática. (Karl Marx)Caminhar com bom tempo, numa terra bonita, sem pressa, e ter por fim da caminhada umobjetivo agradável: eis, de todas as maneiras de viver, aquela que mais me agrada. (JeanJaques Rousseau)Viver para os outros não é somente a lei do dever, mas também a da felicidade. (AugustComte)Não é possível refazer este país, democratizá-lo, humanizá-lo, torná-lo sério, com adolescentesbrincando de matar gente, ofendendo a vida, destruindo o sonho, inviabilizando o amor. Se aeducação sozinha não transformar a sociedade, sem ela tampouco a sociedade muda. (PauloFreire)
  27. 27. Criado por: Nazinete dos Santos Silva Página 26Instituto Franciscano de Educação Superior FátimaSGAS 906 Bloco F – Asa Sul – Brasília/DFBrasília-DF, 17 de novembro de 2010_______________________________Nazinete dos Santos Silva

×