Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Estágio nos anos iniciais

1,099 views

Published on

Relatório de Prática Docente I apresentado ao Curso de Licenciatura em Pedagogia- UFPel/UAB, como requisito à conclusão do Estágio Supervisionado de 2013

Published in: Education
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Estágio nos anos iniciais

  1. 1. UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS – UFPEL LICENCIATURA EM PEDAGOGIA A DISTANCIA - EaD CENTRO DE EDUCAÇÃO A DISTANCIA VALE DO JACUÍ – CEAD PÓLO CACHOEIRA DO SUL – RS RELATÓRIO DE ESTÁGIO ESTÁGIO NOS ANOS INICIAIS MARISA QUADRO FOLGEARINI Cachoeira do Sul, 2013.
  2. 2. MARISA QUADRO FOLGEARINI ESTÁGIO NOS ANOS INICIAIS Relatório de Prática Docente I apresentado ao Curso de Licenciatura em Pedagogia- UFPel/UAB, como requisito à conclusão do Estágio Supervisionado de 2013 Supervisor do Estágio CLPD : Lilian Lorenzato Supervisor do Estágio Escola: Josie Melo da Rosa Cachoeira do Sul, 2013.
  3. 3. EQUIPE DOCENTE RESPONSÁVEL: PROFESSORES A DISTÂNCIA: Raquel de Oliveira e Suzana Mattos da Rosa PROFESSORES PRESENCIAIS: Edeni Aparecida Leal Silveira eFernanda Rosa Da Silva PROFESSOR FORMADOR: MárciaBerenice Pereira André
  4. 4. Resumo O presente relatório tem como objetivo não somente relatar,mas refletir sobre as experiências realizadas durante o estágio dos anos iniciais. Estágio esse realizado com a turma do 3º anodo Ensino Fundamental da E.M.E.F. Nossa Senhora Medianeira localizada na Vila Jardim Todesmade- Cordilheira - Cachoeira do Sul – RS.A turma do 3º ano possui oito alunos sendo três meninas e cinco meninos com faixa etária de nove anos. O trabalho foi realizado de forma bem tranquila, pois os alunos são calmos e vivem a realidade do meio rural.O relatório trata das reflexões sobre a forma como os conteúdos do estágio foram ensinados aos alunos; como se desenvolveu e foi percebida a aprendizagem das crianças, o que mudou na prática docente após o estágio; da importância de conhecer a realidade dos alunos e o quanto é essencial à realização de atividades práticas, pesquisas e jogos para o aluno construir o próprio conhecimento. PALAVRAS-CHAVE: Conteúdo –Prática –Aprendizagem
  5. 5. SUMÁRIO 1. Apresentação..................................................................................................5 2.Desenvolvimento..............................................................................................6 2.1. Etapa de Ensino...........................................................................................6 2.2. Processo de Ensino.....................................................................................6 2.3. Aprendizagem dos Alunos............................................................................7 2.4. Trabalho Docente.........................................................................................8 CONCLUSÃO....................................................................................................10 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS..................................................................11
  6. 6. 5 1. Apresentação A experiência do estágio é fundamental a formação de todo o profissional. É a partir da conclusão do estágio que estamos, de vista institucional, aptos a exercer a docência. É um momento único na vida do acadêmico, porque possibilita colocar teorias estudadas no curso em prática, afinal o que mais aprendemos é o que vivenciamos na prática. Segundo Paulo Freire “A teoria sem a prática é puro verbalismo inoperante, a prática sem teoria é um ativismo cego”. (Nina C – 2009) O presente relatório de estágio supervisionado nos anos iniciais com a turma do 3º ano realizado na E.M.E.F. Nossa Senhora Medianeira tem como objetivo não simplesmente relatar, mas refletir sobre os acontecimentos, experiências e aprendizagens realizados na prática docente. Trata de um registro das características e elementos específicos da etapa de ensino em que foi realizado o estágio. Apresenta reflexões sobre como o processo de ensino se desenvolveu, como aconteceu a aprendizagem dos alunos e a prática docente, tudo com embasamento teórico fundamentado nos estudos de Jean Piaget, Emilia Ferreiro e Vygotscky
  7. 7. 6 2. Desenvolvimento 2.1. ETAPA DE ENSINO O estágio nos anos iniciais foi realizado com o 3º ano, uma turma de oito alunos calmos e contidos que vivem a realidade do meio rural sendo essa realidade que a caracteriza e a diferencia das turmas das outras escolas tendo como base o conhecimento que temos em quatro anos de trabalho com essa realidade. A rotina é da seguinte forma: os alunos entram às 7h50m, o recreio é às 10h e o lanche às 10h 15me a saída às 11h 50m. Trata-se de uma turma que possui um nível de aprendizagem bem parelha,praticamente iniciam e terminam as atividades ao mesmo tempo. Os espaços que a escola Nossa Senhora Medianeira oferece são bem amplos apesar da escola ser bem pequena, apenas três salas de aula, possui um pátio e um pavilhão bem grandes onde são realizadas atividades extraclasses. No pavilhão fica a TV com vídeo onde os alunos assistem a filmes educativos. Também podem estudar e pesquisar no LABIM, são espaços que favorecem a aprendizagem dos alunos O planejamento precisa ser de acordo com o nível da criança, respeitando seu tempo e espaços, realidade, potencialidades e suas dificuldades. O planejamento deve ser flexível, para que preciso for poder ser adequado ao interesse do aluno. O professor precisa estar atento e interado de todas essas questões para que possa adequar seu planejamento e assim a aprendizagem dos alunos fluir com mais facilidade e ser mais interessante para os mesmos. 2.2. PROCESSO DE ENSINO Os conteúdos do estágio foram desenvolvidos na forma de um projeto e como todo o projeto deve ser realizado após ser detectado um problema, para que o projeto venha solucionar ou pelo menos amenizar o mesmo. Observou-se que os alunos traziam para o lanche sempre bolachas recheadas, salgadinhos e refrigerante notou-se a necessidade de trabalhar
  8. 8. 7 sobre alimentação saudável, então os conteúdos de todos os planejamentos, inclusive os das demais disciplinas foram integrados, visando sempre trabalhar sobre a importância de hábitos alimentares saudáveis. A preocupação com a realidade dos alunos, com a forma errada com que eles estavam alimentando-se fez toda a diferença, os conteúdos foram trabalhados visando à mudança em suas vidas de forma significativa e positiva. Durante os estudos no CLPD aprendemos que o processo de aprendizagem não se efetua da mesma forma de criança para criança dependendo dos processos sócio-culturais, neurológicos, psicológicos, emocionais e cognitivos. Sendo assim durante as aulas do estágio todas as experiências, diversidades, necessidades, habilidades de cada aluno foram respeitadas. Também as estratégias e atividades foram todas pensadas para que a turma construísse o próprio conhecimento de acordo com o tempo de cada um. Os alunos, durante o estágio, foram avaliados pela participação em aula Interesse, cuidado com caderno, realização das atividades propostas. 2.3. APRENDIZAGEM DOS ALUNOS Os alunos do 3º ano apresentaram, durante o ano, falta de atenção e concentração, dificuldades essas que foram detectadas durante a realização de atividades que eles já haviam feito antes e que erravam por pura falta de atenção e concentração. Pelo fato da turma de modo geral apresentar essas dificuldades concluiu-se que deveria durante o estágio fazer atividades mais práticas que despertassem o interesse e os instigassem neles o desejo de fazer descobertas e não simplesmente receber o conteúdo pronto. A intenção em desenvolver aulas mais práticas, com pesquisas, jogos, confecção de livrinhos e receitas feitas por eles na cozinha, era exatamente desenvolver a atenção que lhes faltava. Segundo Jean Piaget: “Não se aprende a experimentar simplesmente vendo o professor experimentar, ou dedicando-se a exercícios já previamente organizados: Só se aprende a experimentar, tateando, por si mesmo,
  9. 9. 8 trabalhando ativamente, ou seja, em liberdade e dispondo de todo tempo necessário. (Jean Piaget, 1944, p. 39) Piaget também fala da importância dos jogos no processo da aquisição da aprendizagem: O jogo é sob as suas duas formas essenciais de exercício sensório motor, e de simbolismo, uma assimilação do real a atividade própria, fornecendo a esta seu alimento necessário e transformando-o o real em função de das necessidades do eu. Por isso os métodos ativos de educação da criança exigem que se forneça às crianças todo um material conveniente a fim de que, jogando, elas cheguem a assimilar as realidades intelectuais que, sem isso, permanecem exteriores á inteligência infantil. (Jean Piaget 1939,p37) Na prática foi como percebeu-se a aprendizagem dos alunos, porque notou-se que aos poucos eles foram mudando seus hábitos alimentares: Traziam para o lanche mais bolos,sucos naturais e frutas. Comentavam quando a merenda servida pela escola apresentava alimentos saudáveis, que eles eram bons à saúde e para que eles ficassem fortes. Nesses momentos aproveitava-se para retomar o conteúdo estudado. Foi gratificante constatar esse resultado positivo durante o estágio, porque, é importante que as aulas conscientizem os alunos para mudanças positivas em suas vidas. Também a alegria e o entusiasmo deles durante as aulas práticas, jogos e passeios. Foi muito bom sentir esse retorno e comprovar que realmente o aluno aprende mais quando brinca e pratica o que foi ensinado. Conforme Vygotsky “é no brinquedo que a criança aprende a agir numa esfera cognitiva, ao invés de uma esfera visual externa, dependendo das motivações e tendências internas, e não pelo dos incentivos fornecidos pelos objetos externos” (Vygotsky 1998, p. 126) 2.4. TRABALHO DOCENTE O professor precisa ter pleno domínio dos conteúdos, mas não deve transmiti-los pronto aos alunos. O educador deve ser um mediador entre o
  10. 10. 9 conteúdo e o aluno, auxiliando-o a aprender, mostrando o caminho que deve ser trilhado pelo aluno na direção à aquisição do conhecimento. Segundo Emilia Ferreiro “Em vez de dar o conteúdo, numa aula meramente expositiva, o professor organiza o trabalho didático-pedagógico do modo que o aluno seja co-piloto de sua própria aprendizagem. A professora fica na posição de mediadora ou facilitadora desse processo”. A sala de aula deve ser organizada de forma rica em materiais que estimulem a aprendizagem dos alunos e materiais concretos, jogos, livros devem estar à disposição das crianças. A sala precisa ser alegre e bem decorada para que possa transmitir ao aluno a sensação de aconchego e bem estar. A proposta pedagógica deve ser de acordo com a realidade dos alunos é algo fundamental para que a aprendizagem dos mesmos seja significativa e eficaz que o professor e todos da direção conheçam a realidade, cultura e toda bagagem trazida por seus alunos. Somente assim o professor terá condições de adequar seus planejamentos e a maneira de transmitir seus conteúdos de uma forma interessante e que desperte a curiosidade da turma, respeitando o tempo, espaço, problemas, fragilidades e dificuldades de cada um.
  11. 11. 10 Conclusão O estágio é uma etapa fundamental para formação docente, porque aproxima o aluno da prática pedagógica proporcionando-lhe a oportunidade de aprender a teoria e prática simultaneamente. A experiência do estágio nos anos iniciais foi muito importante e ao mesmo tempo gratificante, porque me proporcionou realizar atividades mais dinâmicas, aulas práticas e passeios, atividades essas que antes não eram realizadas com frequência. Após constatar que as crianças estavam felizes ao aprender de maneira diferente passei a refletir sobre minha prática em sala de aula e sobre o que a partir dali necessitava ser mudado chegando a conclusão que é essencial continuar com as mesmas estratégias de ensino usadas durante o estágio, pois nesse período ficou, para mim, comprovado que os alunos aprendem melhor quando brincam. Devido ao nível de aprendizagem que meus alunos atingiram no período de estágio é que constato a relevância da experiência do mesmo tanto para vida deles como para a continuidade da minha vida profissional.
  12. 12. 11 Referências Bibliográficas MUNARI, Alberto, Jean Piaget. Coleção Educadores MEC, Fundação Joaquim Nabuco. Editora Massangana, FNDE. 2010. FERREIRO,Emilia- TABEROSKY,Ana.Psicogenese da Língua Escrita.Artmed Editora. Porto Alegre. 1999. VYGOTSKY, Lev Semenovich. A formação social da mente. 6. ed. São Paulo: Martins Fontes, 1998. Disponível no sete http://brincarbrincando.pbworks.com/f/brincar%2B_vygotsky.pdf, Acesso em 14/12/13. PAULO, Freire Frases, Nina C, Petrópolis/RJ – Brasil, 2009, Disponível em WWW.recantodasletras.com.br/frases/1811795, Acesso em 08/12/13.

×