Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Arquiteturas concretas de agentes inteligentes - bdi agents

859 views

Published on

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Arquiteturas concretas de agentes inteligentes - bdi agents

  1. 1. Arquiteturas concretas deAgentes Inteligentes: BDI agents Nécio de Lima Veras
  2. 2. Classificação de Wooldridge● Logic Based Agents – As decisões sobre as ações a serem executadas são tomadas com base em raciocínio lógico (no Russel: agentes baseados em objetivos e utilidades).● Reactive Agents – Não reconhece o ambiente e nem usa o raciocínio lógico. As decisões sobre as ações a serem executadas são tomadas por meio de um mapeamento direto entre estado e ação (no Russel: agentes reflexivos).● Belief-Desire-Intention Agents Detalharemos● Layered Architectures à frente – As decisões sobre a ação a ser executada são tomadas em vários níveis de abstração e divididos em camadas, onde cada camada raciocina sobre o ambiente (também chamado de arquitetura híbrida).
  3. 3. Belief-Desire-Intention Agents● A arquitetura está relacionada com o entendimento do raciocínio prático;● O raciocínio prático envolve dois importantes processos: – Decidir qual objetivo queremos atingir (deliberação); e – Como iremos atingir esse objetivo (means-ends).● Exemplo...
  4. 4. Exemplo de raciocínio lógicoO que fazer depois de ter terminado um curso superior? Quais opções tenho em função do conhecimento que possuo? Deve-se tentar entender as opções disponíveis em função do conhecimento. Podemos chamar isso de CRENÇA.
  5. 5. Exemplo de raciocínio lógicoExistirão grupos de alternativas (estados domundo) que irão Motivar o agente.Chamamos isso de DESEJOS.
  6. 6. Exemplo de raciocínio lógico● Dados os grupos de opções (desejos) então deve-se optar por uma e se comprometer por ela, ou seja, será transformado em intenção. – Elas alimentarão o raciocínio lógico futuro do agente. – O agente deverá designar tempo e esforço para realizar a sua intenção.● Exemplo de intenção: Ingressar na academia. Possíveis ações: – Inscrever-se em programas de mestrado; – Persistir! – Detectadas falhas (não aceitação em várias universidades) então seria racional aumentar as horas de estudo; – No entanto, persistir em muitas falhas é irracional.● Assim, uma intenção está relacionada com crenças sobre o futuro.
  7. 7. Intenções e o raciocínio prático● Intenções guiam como o raciocínio será atingido (means-ends) – “Tentar entrar em um programa de mestrado e, caso não consiga, tentar em outra universidade”;● Intenções restringem deliberações futuras – “Ações conflitantes com minha intenção não devem ser investidas, como por exemplo, ser rico e ser universitário”;● Intenções persistem – “Não se pode desistir de uma intenção sem uma boa razão para isso. Caso contrário, jamais uma intenção será atingida”;● Intenções influenciam crenças sobre as quais os futuros raciocínios práticos serão baseados – “Se a intenção é tornar-se um acadêmico, então deve-se acreditar que em breve isso será verdade. Se, simultaneamente, acredita-se que nunca será um acadêmico então o agente está sendo irracional”.
  8. 8. Dilema de um agente BDI● O problema chave do desenho de um raciocínio prático está no balanceamento pró-ativo entre parar para reconsiderar suas intenções ou não (de tempos em tempos);● Dilema: – Não parar para reconsiderar suas intenções (bold agents): ● Poderá gerar trabalho inútil, pois ele tentará atingir algo que talvez nunca possa ser atingido; – Parar constantemente para reconsiderar suas intenções (cautious agents): ● Poderá fazer com que ele jamais atinga uma intenção (por conta do tempo que seria insuficiente);● Isso será um tradeoff entre grau de comprometimento e reconsideração do trabalho;
  9. 9. λ = Taxa de evolução do mundo● λ baixo (ambiente não muda rapidamente) – Os agentes corajosos são mais eficientes, pois eles estarão sempre ocupados trabalhando nos seus objetivos (e atingindo suas intenções)● λ alto (ambientes mudam frequentemente) – Os agentes cautelosos são normalmente melhores, pois eles são capazes de reconhecer quando uma intenção está condenada. ● Podem também tirar vantagens de situações casuais e de novas oportunidades.● Lição: diferentes tipos de ambientes requerem diferentes tipos de estratégias de decisão. Commitment and effectiveness of situated agents, Kinny e Georgeff (1991)
  10. 10. Belief-Desire-Intention Agents● Dessa forma, esta arquitetura está inspirada em três estados mentais dos seres humanos: – Crenças (belief) ● O conhecimento do agente sobre seu ambiente; – Desejos (desire) ● O estado motivacional do sistema; – Intenções (intention) ● São as ações que o agente têm realizado em prol das crenças e desejos.
  11. 11. Arquitetura BDI Revisor de crenças:Pode determinar um novo conjunto de crençasDetermina o conjunto de opções disponíveis para os desejos do agente Representa o processo de deliberação O conjunto de intenções determina o foco principal do agente Diagrama esquemático da arquitetura BDI
  12. 12. Definição formal● O estado de um agente BDI em um dado momento é representado pela tripla: (B, D, I) onde Bel = conjunto de todas as possíveis crenças Des = conjunto de todos os possíveis desejos Int = conjunto de todas as possíveis intenções● Função de revisão de crença onde: P = Percepção atual das propriedades do ambiente.
  13. 13. Definição formal● A função geradora de opções: – É responsável pelo processo de decisão de como atingir as intenções (means-ends); – Deve ser: ● Consistente: qualquer opção gerada deve ser consistente tanto com a crença atual quanto com a intenção do momento; ● Oportunista: reconhece vantajosas mudanças circunstâncias no ambiente que ajudam a encontrar novos meios de atingir as intenções, ou, a possibilidade de atingir intenções que não for inatingível.
  14. 14. Definição formal● Função filter: – Define o processo de deliberação (o que fazer!); – Cumpre duas regras: ● Retirar quaisquer intenções que já não são mais atingíveis ou que o custo esperado para atingi-la ultrapassou o ganho esperado com o sucesso; ● Manter intenções que não foram atingidas e que ainda são esperadas para contribuir positivamente em um contexto global; – Finalmente deve adotar novas intenções, seja para atingir as existentes ou para criar novas oportunidades.
  15. 15. Definição formal● Função filter: – Não deve gerar intenções “do nada”; – Deve satisfazer: – A função execute assume simplesmente: – A função de decisão (ação):
  16. 16. O agente BDI em pseudo-código Pode-se ainda associar prioridade para cada uma das intenções, indicando grau de importância.
  17. 17. Implementações do BDI● IRMA (Intelligent Resource-bounded Machine Architecture) (1988)● PRS (Procedural Reasoning System) (1987)● dMARS (1993) – AgentSpeak(L)
  18. 18. Referência base ● Wooldridge, M . An Introduction to MultiAgent Systems. British: Willey (2002). Professor Michael Wooldridge Professor of Computer Science Senior Research Fellow, Hertford College mjw@cs.ox.ac.uk
  19. 19. Outras referências● Girardi, R. Engenharia de Software baseada em Agentes. Anais do IV Congresso Brasileiro de Computação. São Luís: 2004.● Bordini, R. H., Vieira, R. Linguagens de Programação Orientadas a Agentes: uma introdução baseada em AgentSpeak(L). Revista de informática teórica e aplicada: Porto Alegre. Vol.10, n.1 (2003), p.7-38.

×