Successfully reported this slideshow.
Your SlideShare is downloading. ×

13/05/20 Mentoria: Design Estratégico e as Competências do Designer do Futuro

Ad

DESIGN ESTRATÉGICO
E AS COMPETÊNCIAS DO
DESIGNER DO FUTURO
NATALÍ GARCIA

Ad

DA SUPERFÍCIE ATÉ O CORE
O objetivo do Service Design é:
Co-criar valor para importantes
stakeholders (cliente, empresas,
...

Ad

5 PRINCÍPIOS DO SERVICE DESIGN
•  Centrado no cliente | Nosso ponto de partida é a perspectiva do cliente final
•  Holísti...

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Ad

Loading in …3
×

Check these out next

1 of 30 Ad
1 of 30 Ad

More Related Content

13/05/20 Mentoria: Design Estratégico e as Competências do Designer do Futuro

  1. 1. DESIGN ESTRATÉGICO E AS COMPETÊNCIAS DO DESIGNER DO FUTURO NATALÍ GARCIA
  2. 2. DA SUPERFÍCIE ATÉ O CORE O objetivo do Service Design é: Co-criar valor para importantes stakeholders (cliente, empresas, parceiros) ao mesmo tempo em que coreografa e transforma processos e capacidades internas.
  3. 3. 5 PRINCÍPIOS DO SERVICE DESIGN •  Centrado no cliente | Nosso ponto de partida é a perspectiva do cliente final •  Holístico | Nós entendemos o ecossistema e contexto do serviço •  Co-criativo | O trabalho é multi-disciplinar / multi-stakeholder •  Sequencial | Mapeamos e criamos o serviço através de uma série de interações que estão encadeadas •  Evidenciado | Tangibilizamos e tornamos visível o que é imaterial na experiência
  4. 4. NOVOS PRINCÍPIOS DO SERVICE DESIGN •  Centrado nas pessoas | Consideramos a experiência de todas as pessoas afetadas pelo serviço •  Colaborativo | Stakeholders de vários backgrounds e funções deveriam se engajar no processo de service design •  Iterativo | Design de serviço é uma abordagem exploratória, adaptável e experimental, iteramos até a implementação •  Sequencial | O serviço dev ser visualizado e orquestrado como uma sequência de ações interrelacionadas •  Real | Precisamos pesquisa, prototipar na realidade •  Holístico | Serviços devem endereçar as necessidades de todos os stakeholders de forma sustentável, através de todo o serviço e negócio
  5. 5. COMO TRANSFORMAMOS NEGÓCIOS? •  Mapeando e entendendo a empresa e o negócio Para começar precisamos entender os valores e objetivos estratégicos. Precisamos mapear a estrutura e cultura organizacional. •  Apoiando a definição da estratégia Precisamos criar um propósito e objetivo comum. Definir nossos escopos e ponto de partida. •  Definindo e customizando a abordagem Cada empresa pede uma abordagem customizada às suas próprias necessidades. É fundamental planejar de acordo com objetivos e capacidades específicas.
  6. 6. COMO TRANSFORMAMOS NEGÓCIOS? •  Educando e disseminando objetivos, metodologias e ferramentas Para uma mudança sustentável é necessário disseminar nossos objetivos e educar colaboradores para que estes também façam parte dos projetos e da mudança. •  Conduzindo projetos de design estratégico Cada projeto é uma possibilidade de criar valor real para a empresa e iterar a própria metodologia. Um projeto de service design, com todas as suas fases, leva de 8 a 16 semanas. •  Avaliando e evoluindo metodologias, projetos e serviços É importante definir metas e indicadores para acompanhar o que está funcionando e o que precisa ser melhorado.
  7. 7. COMPLICADO COMPLEXO •  A soma das partes não é igual ao todo •  Não é completamente previsível •  Tem muitas variáveis que se interconectam
  8. 8. NÃO LINEARLINEAR
  9. 9. ABORDAGEM INICIAL ENTENDER DEFINIR PROTOTIPAR E TESTAR IMPLEMENTARIDEAR •  Mapa de stakeholders •  Matriz CSD •  Entrevistas •  Diagnósticos •  Pesquisa de observação •  Desk research •  Cenários análogos •  Redes de valor •  Personas •  Jornada de Usuário •  Mapeamento de processos •  Pain points •  Insights e HMW •  JTBDs •  Trend Spotting •  Foresight •  Brainstorming •  Brainwriting / SWAP •  Crazy 8’s •  E se...? •  Proposta de valor •  Visão de solução/ serviço •  Jornada do Usuário •  Blueprint de serviço •  Storyboards •  Protótipos •  Teste e iteração •  Melhorias •  Plano de ação e quick-wins •  Validação executiva •  Mensuração de KPIs •  Retroalimentação: Desenvolvimento e Visão Ampliar possibilidades e obter insights Definir achados e desafios Gerar ideias e soluções Refinar e detalhar Tangibilizar soluções e testar DESAFIO REENQUADRAMENTO DO PROBLEMA SOLUÇÃO
  10. 10. Um bom designer é um bom facilitador e mediador1
  11. 11. 1. Um bom designer é um bom facilitador e mediador •  É inclusivo – busca incluir e dar voz a pessoas e áreas com diferentes repertórios e perspectivas. •  Torna reuniões e workshops mais visuais e dinâmicos. •  Promove a imersão dos participantes e o ”flow” dos encontros. •  Tem desenvoltura e ”jogo de cintura” para lidar com o imprevisto. •  É preparado pois conhece uma série de ferramentas e métodos para atender diferentes objetivos em suas sessões com outras pessoas.
  12. 12. Um bom designer é um ótimo contador de histórias2
  13. 13. 2. Um bom designer é um ótimo contador de histórias •  Procura conhecer mais sobre a sua audiência e seus interesses. •  Busca sintetizar e comunicar a mensagem real com o fim de construir sentido para diferentes ações. •  Estuda e desenvolve, éticamente, analogias e metáforas. •  Sensibiliza através das histórias utilizando recursos diversos: exemplos: Storyboard, Jornada do herói, Elevator Pitch. •  Se inspira e introduz Arte no seu trabalho de design.
  14. 14. Um bom designer é empático não só com os clientes finais mas com todas as pessoas 3
  15. 15. 3. Um bom designer é empático •  Procura descobrir e compreender o contexto das pessoas •  Dá voz aos valores e necessidades das pessoas •  É um bom ouvinte •  Não julga •  É empático não só com clientes finais, mas no dia a dia, com colegas de trabalho •  É empático na vida pessoal
  16. 16. Um bom designer é um experimentador4
  17. 17. 4. Um bom designer é um experimentador •  Cria hipóteses •  Valida hipóteses •  Prototipa •  Testa •  É um maker •  É perseverante
  18. 18. Um bom designer é hábil em analisar e fazer sínteses5
  19. 19. 5. Um bom designer é hábil em analisar e fazer sínteses •  Não somente analisa os dados, mas interpreta buscando os reais insights •  Descobre e prioriza os principais problemas •  Reenquadra problemas buscando a quebra do status quo •  Sabe comunicar e sensibilizar
  20. 20. Um bom designer é também um bom líder e coach6
  21. 21. 6. Um bom designer é também um bom líder e coach •  Pensa estrategicamente e direciona ações para atingir resultados relevantes (para empresa e indivíduos). •  Serve ao grupo e time. •  Desenvolve pessoas em uma relação consensual, aberta e horizontal. •  Preza pelos resultados e impactos de um projeto, acompanhando seu desenvolvimento através de indicadores e follow-up no nível micro e macro.
  22. 22. Um bom designer é ético!7
  23. 23. •  Pondera e decide com base nos impactos de suas soluções •  Não concorda em desenvolver e propagar soluções que possam ferir os valores humanos •  Se preocupa com a justiça não só no presente mas também com as futuras gerações 7. Um bom designer é ético!
  24. 24. [Web.br 2019] Design Thinking em tempos de Inteligência Artificial
  25. 25. sustainablebrands.com capracourse.net PROPÓSITO, ÉTICA E FUTURO
  26. 26. •  Possui uma identidade •  É Aberto, porém têm limites estabelecidos •  Estabelece relacionamentos cooperativos e de troca de valor – internamente e externamente •  Possui dinâmica não linear, nem sempre previsível •  Possui Atuação criativa emergente e livre – ainda que regida pelos valores e características identitárias •  É sustentável, auto-organizado, diverso, resiliente e consciente do seu ambiente DESIGNING COMO A VIDA Síntese a partir de “The Systems View Of Life”- Fritjof Capra e Pier Luisi
  27. 27. Extraído do livro “Customer Experiences with Soul: A New Era in Design” – Simon Robinson e Maria Moraes Robinson THE TRINITY OF AUTHENTIC PURPOSE
  28. 28. OBRIGADA ;) /in/nataligarcia/ bit.ly/3fOGent

×