Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

2016 3 TRI LIÇÃO 5 - A EVANGELIZAÇÃO URBANA E SUAS ESTRATÉGIAS

3,053 views

Published on

Subsídios elaborados pelo Pr. Natalino das Neves (Pastor auxiliar na IEADC-Sede)
Acesse demais vídeos e respectivos arquivos de slides com comentários no blog:
http://goo.gl/PPDRnr

Published in: Education

2016 3 TRI LIÇÃO 5 - A EVANGELIZAÇÃO URBANA E SUAS ESTRATÉGIAS

  1. 1. TEXTO AÚREO "E aconteceu que, acabando Jesus de dar instruções aos seus doze discípulos, partiu dali a ensinar e a pregar nas cidades deles." (Mt 11.1)
  2. 2. VERDADE PRÁTICA A evangelização urbana é o primeiro desafio missionário da igreja e o estágio inicial para se alcançar os confins da terra.
  3. 3. LEITURA BÍBLICA Atos 2.1-12
  4. 4. 1 - Cumprindo-se o dia de Pentecostes, estavam todos reunidos no mesmo lugar; 2 - e, de repente, veio do céu um som, como de um vento veemente e impetuoso, e encheu toda a casa em que estavam assentados. 3 - E foram vistas por eles línguas repartidas, como que de fogo, as quais pousaram sobre cada um deles. 4 - E todos foram cheios do Espírito Santo e começaram a falar em outras línguas, conforme o Espírito Santo lhes concedia que falassem. 5 - E em Jerusalém estavam habitando judeus, varões religiosos, de todas as nações que estão debaixo do céu. 6 - E, correndo aquela voz, ajuntou-se uma multidão e estava confusa, porque cada um os ouvia falar na sua própria língua. 7 - E todos pasmavam e se maravilhavam, dizendo uns aos outros: Pois quê! Não são galileus todos esses homens que estão falando? 8 - Como pois os ouvimos, cada um, na nossa própria língua em que somos nascidos? 9 - Partos e medos, elamitas e os que habitam na Mesopotâmia, e Judeia, e Capadócia, e Ponto, e Ásia, 10 - e Frígia, e Panfília, Egito e partes da Líbia, junto a Cirene, e forasteiros romanos (tanto judeus como prosélitos), 11 - e cretenses, e árabes, todos os temos ouvido em nossas próprias línguas falar das grandezas de Deus. 12 - E todos se maravilhavam e estavam suspensos, dizendo uns para os outros: Que quer isto dizer?
  5. 5. INTRODUÇÃO
  6. 6. INTRODUÇÃO • Evangelizar os centros urbanos é um dos maiores desafios da Igreja no século 21. Segundo a ONU, 54% da população mundial vive nas grandes cidades) • Nesta lição, veremos algumas estratégias a serem usadas na evangelização para superação dos desafios urbanos. • A evangelização deve ser precedida por um bom planejamento estratégico.
  7. 7. PONTO CENTRAL Alcançar os grandes centros urbanos com o evangelho é um dos maiores desafios da Igreja.
  8. 8. I - ESTRATÉGIAS URBANAS DE EVANGELISMO
  9. 9. 1. A estratégia de Jonas • O profeta não dispunha de tempo para percorrer toda Nínive para anunciar o juízo de Deus. Ele usou as vias principais da capital assíria e a mensagem não demorou a chegar ao rei (Jn 3.4-6). • Na evangelização de uma área urbana, escolha pontos estratégicos: avenidas, praças, terminais de ônibus, trens e metrôs. • Se possível, também faça uso de outdoors, programas de rádio e serviço de som para anunciar a Cristo. Atenção para as questões legais.
  10. 10. 2. A estratégia do Pentecostes • Não foi sem motivo que Deus escolheu o Pentecostes para “fundar” a sua Igreja. • No dia de Pentecostes estavam em Jerusalém israelitas de todas as partes do mundo (At 2.1-12). Após o evento, aqueles que foram justificados ao retornarem às suas origens anunciaram o acontecido. • Eventos que agregam um grande público são excelentes oportunidades para evangelização, inclusive os que envolvem pessoas de outros países como os jogos olímpicos “RIO-2016”. AP - XX
  11. 11. 3. A estratégia dos pioneiros • Os pioneiros (Daniel Berg e Gunnar Vingren) chegaram em 19/11/2010 na cidade de Belém, no Pará, como ponto de partida para a sua missão no Brasil. • A capital paraense se tornou estratégica para se alcançar o restante do país.
  12. 12. APLICAÇÃO PRÁTICA A liderança da igreja em que você congrega elabora estratégias para evangelização? Existe um departamento organizado para esse fim?
  13. 13. SÍNTESE DO TÓPICO I Na Palavra de Deus encontramos algumas estratégias urbanas de evangelismo.
  14. 14. II - OS DESAFIOS DA EVANGELIZAÇÃO URBANA
  15. 15. 1. Incredulidade e perseguição • Vivemos tempos trabalhosos, em que o título de “pastor” e “evangélico” tem sido banalizado devido aos maus exemplos. • É preciso anunciar a Cristo com sabedoria, poder e eficácia (2 Tm 4.17). • A mensagem da cruz precisa ser pregada com prioridade (1 Co 1.18). • Diante das perseguições, não podemos desistir ou nos calar (Lc 4.28-30).
  16. 16. 2. Enfermos • Como na época de Jesus (Lc 18.35; Lc 7.11-17; entre outras citações), o número de pessoas enfermas é grande. • As igrejas tem ótimas oportunidades por meio da criação de um departamento ou setor que atua na capelania hospitalar. • Toda atividade desenvolvida na igreja deve ser precedida do respectivo treinamento.
  17. 17. 3. Endemoninhados • Quem se dedica à evangelização urbana deve estar preparado, também, para casos difíceis de possessão demoníaca (Mt 8.28-34). • Por isso, o evangelista precisa estar preparado também para essas situações (Mc 9.29). • A prioridade deve ser a libertação e não espetáculos ou “demonstração de poder”.
  18. 18. Atenção para data da fonte: 2005.
  19. 19. SÍNTESE DO TÓPICO I A incredulidade, a perseguição, os enfermos e endemoninhados são alguns dos principais desafios da evangelização urbana.
  20. 20. III - COMO FAZER EVANGELISMO URBANO
  21. 21. A evangelização urbana só será bem-sucedida se tomarmos as seguintes providências: treinamento da equipe, estabelecimento de postos-chave e acompanhamento do trabalho. Lições Bíblicas Adultos - CPAD
  22. 22. 1. Treinamento da equipe • Paulo foi um exemplo de uma pessoa que foi preparada antes de ser enviada para pregar o evangelho (Gl 1.17- 21), • Na igreja primitiva já havia uma atenção para a preparação das pessoas enviadas para a missão e evangelização (At 13.1-3). • Paulo levou consigo pessoas com certa experiência e investiu no treinamento de Silas, Timóteo e Lucas (At 15.40; 16.1,2, 11). • As viagens missionários do apóstolo demonstram que o apóstolo investiu no treinamento de várias pessoas.
  23. 23. 2. Estabelecimento de postos-chave • Sempre que chegava a uma cidade gentia, Paulo buscava uma sinagoga, de onde iniciava a proclamação do Evangelho (At 17.1-3). • Embora o apóstolo, na maioria das vezes, fosse rejeitado pela comunidade judaica, a partir daí expandia sua ação evangelística urbana até alcançar os gentios. • É necessário que sejam encontrados postos principais para a evangelização urbana. • Exemplo das reuniões de estudos nos lares.
  24. 24. 3. Acompanhamento do trabalho • Conforme visto em lição anterior, os novos convertidos precisam de acompanhamento personalizado (At 17.14). • Não descuide do trabalho de discipulado. • Para o êxito na evangelização e discipulado é preciso uma equipe amorosa, competente e disponível.
  25. 25. SÍNTESE DO TÓPICO I Para fazer um evangelismo urbano eficiente precisamos investir no treinamento da equipe, estabelecer postos- chave e acompanhar de perto o trabalho.
  26. 26. CONSIDERAÇÕES FINAIS
  27. 27. CONSIDERAÇÕES FINAIS Nesta lição nós aprendemos que: 1. A evangelização urbana precisa se precedida por estratégias. O planejamento é imprescindível. 2. Na evangelização urbana há desafios e imprevistos que podem ser convertidos em oportunidade. 3. A equipe precisa ser treinada e os resultados monitorados por meio do discipulado.
  28. 28. SUBSÍDIOS BIBLIOGRÁFICOS
  29. 29. "Jonas tinha sido enviado para pregar em Nínive, cidade assíria no início do século VIII a.C., descreveu-a como 'uma grande cidade, de três dias de caminho' (Jn 3.3). Através desta declaração, é provável que o profeta desejasse dizer que seriam necessários três dias para alcançar todas as partes da cidade, em sua missão e pregação. Podemos julgar o tamanho de sua população através da declaração expressa em Jonas 4.11. Alguns entendem que o Senhor Deus, ao se referir à população inocente de Nínive, estaria mencionando todas as crianças demasiadamente pequenas para saberem a diferença que existe entre a mão direita e a esquerda, e que totalizavam 120.000 crianças; isto sugeriria uma população total de aproximadamente 600.000 pessoas. Talvez Jonas estivesse pensando na 'grande Nínive', uma vez que todas as principais cidades frequentemente consistiam de uma fortaleza murada com muitas outras vilas vizinhas estendendo-se por muitos quilômetros, e que, na linguagem hebraica, era chamada de cidade e suas aldeias (Js 15.45,47). Outros, entretanto, consideram essa expressão de Jonas 4.11 como metafórica, e designando toda a população a quem Deus entendia como tendo um conhecimento imperfeito do bem e do mal. Uma população total de 120.000 pessoas está bem de acordo com o número registrado de 69.574 pessoas acomodadas em Calá, uma cidade com uma dimensão que correspondia a menos da metade de Nínive em 879 a.C." (Dicionário Bíblico Wycliffe. 1ed. Rio de Janeiro: CPAD, 2009, pp. 1362,1363).
  30. 30. A respeito da evangelização urbana, responda: 1. Qual a estratégia de Jonas? R) O profeta não dispunha de tempo para percorrer toda Nínive, por isso, traçou uma estratégia simples, porém eficaz: "E começou Jonas a entrar pela cidade caminho de um dia, e pregava, e dizia: Ainda quarenta dias, e Nínive será subvertida" (Jn 3.4). 2. Fale sobre a estratégia do Pentecostes. R) E, quando da descida do Espírito Santo, eles ouviram a mensagem da cruz em sua própria língua. Ao retornarem aos seus lugares de origem, levaram a semente do Evangelho que, mais tarde, germinaria congregações e igrejas. 3. Qual a estratégia adotada por Daniel Berg e Gunnar Vingren? R) Orientados pelo Espírito Santo, Daniel Berg e Gunnar Vingren escolheram a cidade de Belém, no Pará, como ponto de partida para a sua missão no Brasil. 4. Quais os desafios da evangelização urbana? R) Incredulidade, perseguição, enfermos, endemoninhados. 5. Que providências podem tornar bem-sucedida a evangelização urbana? R) Treinamento da equipe, estabelecimento de postos-chave e acompanhamento do trabalho.
  31. 31. REFERÊNCIAS GILBERTO, Antônio. Prática do Evangelismo Pessoal. Rio de Janeiro: CPAD, 1983 HORTON, Stanley M. Teologia Sistemática: Uma Perspectiva Pentecostal. 1ed. Rio de Janeiro: CPAD, 1996. LIÇÕES BÍBLICAS ADULTOS. O desafio da evangelização: obedecendo o ide de Jesus de levar as Boas-Novas a toda criatura. Comentarista Claudionor de Andrade. 3º Trim., Edição Professor, Rio de Janeiro, 2016. PETERS, George W. Teologia Bíblica de Missões. Rio de Janeiro: CPAD, 2000.
  32. 32. Pr. Natalino das Neves www.natalinodasneves.blogspot.com.br Contatos: natalino6612@gmail.com (41) 8409 8094

×