Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
LIÇÕES BÍBLICAS - CPAD
3º TRIMESTRE DE 2013
Lição 1
07 de Julho de 2013
Paulo e a igreja em Filipos
Prof. Ms. Natalino das...
REFERÊNCIA TEXTO/TEMA
Texto áureo
(Lições bíblicas do professor, p. 03)
“E peço isto: que o vosso amor aumente
mais e mais...
OBJETIVOS PROPOSTOS*
Após esta aula, o aluno deverá estar apto a:
1. Introduzir a Epístola aos Filipenses destacando a cid...
ACESSE O VÍDEO COM OS COMENTÁRIOS
REFERENTE A ESTE ARQUIVO EM UM DOS
ENDEREÇOS ABAIXO:
www.redemaoamiga.com.br
www.natalin...
INTRODUÇÃO
• Palavras-chave: alegria, gratidão, serviço, conflito,
sofrimento dos santos.
• Declaração de amor e gratidão ...
ESBOÇO DA EPÍSTOLA AOS FILIPENSES
Tema: Alegria de viver por Cristo.
Propósitos: Agradecer aos filipenses por suas ofertas...
I. INTRODUÇÃO À EPÍSTOLA
I. INTRODUÇÃO À EPÍSTOLA
1. A cidade de Filipos.
• Localizada no norte da Grécia e fundada por Filipe II,
rei da Macedônia...
I. INTRODUÇÃO À EPÍSTOLA
2. O Evangelho chega à Filipos.
• A comunidade cristã de Filipos foi fundada pelo
Apóstolo Paulo ...
I. INTRODUÇÃO À EPÍSTOLA
2. O Evangelho chega à Filipos.
• Paulo inicia sua primeira pregação na Europa e dentre
seus frut...
I. INTRODUÇÃO À EPÍSTOLA
2. O Evangelho chega à Filipos.
• Paulo e Silas oravam e cantavam – terremoto e
abertura das port...
I. INTRODUÇÃO À EPÍSTOLA
3. Data e local da autoria.
• Carta escrita entre 60 a 63, enquanto Paulo estava
preso em Roma (L...
I. INTRODUÇÃO À EPÍSTOLA
3. Data e local da autoria.
• Paulo no final do seu ministério estava mais
preocupado em levar o ...
I. INTRODUÇÃO À EPÍSTOLA
3. Data e local da autoria.
• Hipóteses de ser duas cartas (WEINGÄRTNER, 1992, p.
11) ou três car...
II. AUTORIA E DESTINATÁRIOS
II. AUTORIA E DESTINATÁRIOS
1. Paulo e Timóteo.
• O versículo 1 identifica Paulo e Timóteo (costume
tanto do mundo grego c...
II. AUTORIA E DESTINATÁRIOS
2. Os destinatários da carta: "todos os santos".
• Os cristãos de Filipos são chamados de “san...
II. AUTORIA E DESTINATÁRIOS
3. Alguns destinatários distintos: "bispos e diáconos".
• Bispos e diáconos – preocupação com ...
III. AÇÃO DE GRAÇAS E PETIÇÃO PELA IGREJA DE
FILIPOS (1.3-11)
III. AÇÃO DE GRAÇAS E PETIÇÃO PELA IGREJA DE FILIPOS
(1.3-11)
1. As razões pela ação de graças.
• O evangelho criou um rel...
III. AÇÃO DE GRAÇAS E PETIÇÃO PELA IGREJA DE FILIPOS
(1.3-11)
1. As razões pela ação de graças.
• Agradece a Deus por tudo...
III. AÇÃO DE GRAÇAS E PETIÇÃO PELA IGREJA DE FILIPOS
(1.3-11)
1. As razões pela ação de graças.
• Quem quer cooperar com o...
III. AÇÃO DE GRAÇAS E PETIÇÃO PELA IGREJA DE FILIPOS
(1.3-11)
2. Uma oração de gratidão (vv.3-8).
• Reconhecimento pela co...
III. AÇÃO DE GRAÇAS E PETIÇÃO PELA IGREJA DE FILIPOS
(1.3-11)
2. Uma oração de gratidão (vv.3-8).
• Afeição do apóstolo pe...
III. AÇÃO DE GRAÇAS E PETIÇÃO PELA IGREJA DE FILIPOS
(1.3-11)
3. Uma oração de petição (vv.9-11).
• Intercede que o amor d...
III. AÇÃO DE GRAÇAS E PETIÇÃO PELA IGREJA DE FILIPOS
(1.3-11)
3. Uma oração de petição (vv.9-11).
• Que fossem cheios de f...
CONSIDERAÇÕES FINAIS
CONSIDERAÇÕES FINAIS
• Nesta lição aprendemos que:
1. O amor refletido pela ajuda e cooperação eleva o
conhecimento de Cri...
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS
ARRINGTON, French L.; STRONSTAD, Roger (Eds.). Comentário Bíblico
Pentecostal: Novo Testamento....
IEADSJP – Igreja Evangélica Assembleia de
Deus de São José dos Pinhais
www.adsaojosedospinhais.com.br
www.redemaoamiga.com...
BAIXE ESTE ARQUIVO,
CLICANDO NO ÍCONE SUPERIOR:
“SAVE” ou “DOWNLOAD”
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

2013_3 tri_Lição 1 - Paulo e a igreja de filipos

7,385 views

Published on

Aula ministrada pelo Ev. Natalino das Neves - Programa IEADSJP_EBDTV
IEADSJP - Igreja Evangélica Assembleia de Deus de São José dos Pinhais
Pr. Presidente: Ival Teodoro da Silva
Pr. Vice-Presidente: Eurico Deraldo Santana
Co-Pastor da Sede: Josué Barros Abreu
Sup. EBD-Sede: Ev. Ismael Nascimento de Oliveira

Published in: Lifestyle

2013_3 tri_Lição 1 - Paulo e a igreja de filipos

  1. 1. LIÇÕES BÍBLICAS - CPAD 3º TRIMESTRE DE 2013 Lição 1 07 de Julho de 2013 Paulo e a igreja em Filipos Prof. Ms. Natalino das Neves www.natalinodasneves.blogspot.com.br IEADSJP_EBDTV
  2. 2. REFERÊNCIA TEXTO/TEMA Texto áureo (Lições bíblicas do professor, p. 03) “E peço isto: que o vosso amor aumente mais e mais em ciência e em todo conhecimento" (Fp 1:9). Verdade prática (Lições bíblicas do professor, p. 03) Paulo tinha uma grande afeição pelos irmãos de Filipos; por isso suas orações e ações de graças por essa igreja eram constantes.
  3. 3. OBJETIVOS PROPOSTOS* Após esta aula, o aluno deverá estar apto a: 1. Introduzir a Epístola aos Filipenses destacando a cidade, a data e o local da autoria.* 2. Explicar o propósito, a autoria e os destinatários da epístola.* 3. Compreender os atos de oração e ação de graças do apóstolo Paulo.* 4. Aplicar na sua prática diária o conteúdo aprendido. * Objetivos propostos na revista Lições Bíblicas da CPAD.
  4. 4. ACESSE O VÍDEO COM OS COMENTÁRIOS REFERENTE A ESTE ARQUIVO EM UM DOS ENDEREÇOS ABAIXO: www.redemaoamiga.com.br www.natalinodasneves.blogspot.com.br
  5. 5. INTRODUÇÃO • Palavras-chave: alegria, gratidão, serviço, conflito, sofrimento dos santos. • Declaração de amor e gratidão do apóstolo aos filipenses, pela cooperação e amor demonstrado com ele. • Epístola que nos encoraja a enfrentar as dificuldades com confiança e com a alegria do Espírito.
  6. 6. ESBOÇO DA EPÍSTOLA AOS FILIPENSES Tema: Alegria de viver por Cristo. Propósitos: Agradecer aos filipenses por suas ofertas generosas; informar o seu estado pessoal na prisão; transmitir à congregação a certeza do triunfo do propósito de Deus na sua prisão para levar os membros da igreja de Filipos a se esforçarem em conhecer melhor o Senhor, conservando a unidade, a humildade, a comunhão e a paz. Introdução (1.1-11) • Saudações. • Ação de graças e oração pelos Filipenses. I. As circunstâncias em que Paulo se encontrava (1.12-26) • A prisão de Paulo contribuiu para o avanço do Evangelho. • A proclamação de Cristo de todas as formas. • A disposição de Paulo para viver ou morrer. II. Assuntos de Interesse da Igreja (1.27–4.9) • Exortação de Paulo aos filipenses. • Os mensageiros de Paulo à Igreja. • Advertência de Paulo a respeito de falsos ensinos. • Conselhos finais de Paulo. Conclusão (4.10-23) • Reconhecimento e gratidão pelas ofertas recebidas. • Saudações finais e bênção. Fonte: Lições Bíblicas do Professor, 2013, p. 5 (adaptado)
  7. 7. I. INTRODUÇÃO À EPÍSTOLA
  8. 8. I. INTRODUÇÃO À EPÍSTOLA 1. A cidade de Filipos. • Localizada no norte da Grécia e fundada por Filipe II, rei da Macedônia e pai de Alexandre Magno. • Era uma colônia romana – residência para soldados aposentados como prémio – centro militar (ver sobre conquista por César Augustus, primeiro imperador de Roma e sobrinho de Julius César). • Importante centro comercial, pois estava situada numa estrada muito trafegada, a via Egnatia, que ligava a Itália com a Ásia - cruzamento de rotas comerciais.
  9. 9. I. INTRODUÇÃO À EPÍSTOLA 2. O Evangelho chega à Filipos. • A comunidade cristã de Filipos foi fundada pelo Apóstolo Paulo em sua segunda viagem missionária, auxiliado por Silas e Timóteo (At 15:40; 16:1-40). • “Impedidos” pelo Espírito Santo de ira para a Ásia (atual Turquia), acabam chegando em Filipos (visão em Troade: “passa à Macedônia e ajuda-nos” – 16:9). • Buscando um lugar para oração, a beira do rio Angites, pregam para as mulheres que ali estavam (provavelmente prosélitos da comunidade judaica).
  10. 10. I. INTRODUÇÃO À EPÍSTOLA 2. O Evangelho chega à Filipos. • Paulo inicia sua primeira pregação na Europa e dentre seus frutos, a conversão de Lídia, de Tiatira, comerciante de púrpura (At 16:14). • Igreja formada na casa de Lídia floresce (At 16:15-40). • A libertação da jovem “adivinhadora” e a revolta por interesses financeiros que acaba com açoites e prisão, com os pés atados no tronco (16:16-24).
  11. 11. I. INTRODUÇÃO À EPÍSTOLA 2. O Evangelho chega à Filipos. • Paulo e Silas oravam e cantavam – terremoto e abertura das portas na prisão e o grande milagre da salvação do carcereiro (At 16:25-32). • O carcereiro vira “enfermeiro e servo ” de Paulo e Silas (AT 16:33-34). A despedida (At 16:35-40). • Descobertas arqueológicas de uma carta do imperador Cláudio ao procônsul Gálio, citado em At 18, ajudaram a datar a fundação da igreja em 49 ou 50. • Duas visitas posteriores (1ª - 1 Co 16:5, At 20:14, 2 Co 7:5; 2ª - At 20:6).
  12. 12. I. INTRODUÇÃO À EPÍSTOLA 3. Data e local da autoria. • Carta escrita entre 60 a 63, enquanto Paulo estava preso em Roma (Lições Bíblicas do Professor, 2013, p. 6) – depende da interpretação. • Paulo ficou preso por um período mais prolongado duas vezes: em Cesaréia e em Roma. • Outras prisões além da romana (Rm 16:7; 2 Co 6:5; 11:23). Dificuldades em Éfeso (At 19:21ss; 20:11s). • Roma estava bem distante de Filipos. Uma viagem entre Filipos e Roma levava aprox. 05 semanas.
  13. 13. I. INTRODUÇÃO À EPÍSTOLA 3. Data e local da autoria. • Paulo no final do seu ministério estava mais preocupado em levar o evangelho ao ocidente (Rm 15:22-24). • Várias viagens: Epafrodito, Timóteo e o próprio Paulo. • Cesaréia? Distância? • Éfeso? Viagem em poucos dias, além de muitas comunicações. • Data varia entre 50 a 63.
  14. 14. I. INTRODUÇÃO À EPÍSTOLA 3. Data e local da autoria. • Hipóteses de ser duas cartas (WEINGÄRTNER, 1992, p. 11) ou três cartas (COMBLIN, 1992, P. 9-13), e não uma: • Mudança abrupta de estilo e conteúdo entre 3:1 e 3:2; • Perícope de 4:10-20 – nesta parte não há alusão à prisão – “adversários de Paulo" – um agradecimento fora do lugar” • Citação do bispo Policarpo de Esmirna das “cartas” que o apóstolo teria escrito aos filipenses. • Enquanto estava preso, Paulo recebe a visita de Epafrodito, membro da igreja de Filipos, que se torna portador da mensagem do apóstolo para a igreja.
  15. 15. II. AUTORIA E DESTINATÁRIOS
  16. 16. II. AUTORIA E DESTINATÁRIOS 1. Paulo e Timóteo. • O versículo 1 identifica Paulo e Timóteo (costume tanto do mundo grego como no mundo romano). Há controvérsias... • O fato de Timóteo ser citado não significa, necessariamente, que ele seja o coautor da epístola. Exemplos: • Escrita na 1ª pessoa; • Costume de Paulo receber auxilio no seus escritos (Rm 16:22; 1 Co 1:1; Cl 1:1), entre outros. • Não se autodenomina de “apóstolo” (não precisava do título), mas ambos de “Servos de Jesus Cristo” = comunidade amada e bom relacionamento.
  17. 17. II. AUTORIA E DESTINATÁRIOS 2. Os destinatários da carta: "todos os santos". • Os cristãos de Filipos são chamados de “santos” pelo autor (v. 1). Tratamento comum do apóstolo (Rm 1:7; 1 Co 1:2) • “Em Cristo Jesus” – relação de comunhão com Cristo. • “Em Cristo, todos os membros são santos, porque a justiça e a santidade dele lhes vai sendo atribuída” (WEINGÄRTNER, 1992, p. 14). • “No Novo Testamento todos os crentes em Cristo Jesus são chamados de santos” (WEINGÄRTNER, 1992, p. 15). Não há ênfase para um “santo” exclusivo e intercessor.
  18. 18. II. AUTORIA E DESTINATÁRIOS 3. Alguns destinatários distintos: "bispos e diáconos". • Bispos e diáconos – preocupação com a liderança espiritual da igreja. • Entretanto, primeiro o autor menciona os “santos em Cristo Jesus” antes dos seus líderes = função dos líderes a partir do povo de Cristo, não o contrário. Veja exemplo de nossos dias! • “Epíscopo”: o que olha por algo. Líderes olhando pelos membros e ajudando-os a servir a Cristo. AP: Você que é lider é um servidor ou um opressor?
  19. 19. III. AÇÃO DE GRAÇAS E PETIÇÃO PELA IGREJA DE FILIPOS (1.3-11)
  20. 20. III. AÇÃO DE GRAÇAS E PETIÇÃO PELA IGREJA DE FILIPOS (1.3-11) 1. As razões pela ação de graças. • O evangelho criou um relacionamento de amor fraterno entre o apóstolo e a comunidade filipense, um dar e receber contínuo. • Compaixão dos filipenses quando da sua prisão, defesa e confirmação do Evangelho (1:7). • O autor se sentia confortado com a atitude dos filipenses.
  21. 21. III. AÇÃO DE GRAÇAS E PETIÇÃO PELA IGREJA DE FILIPOS (1.3-11) 1. As razões pela ação de graças. • Agradece a Deus por tudo o que aconteceu em Filipos, tanto as coisas desagradáveis como agradáveis – confiança na soberania de Deus. • “Todos vocês” = unidade – citado 03 vezes pelo autor. • INTERESSANTE E IMPORTANTE: ele agradece a Deus pelo que havia feito por meio de seus filhos.
  22. 22. III. AÇÃO DE GRAÇAS E PETIÇÃO PELA IGREJA DE FILIPOS (1.3-11) 1. As razões pela ação de graças. • Quem quer cooperar com o que Deus quer, deve cooperar com os demais irmãos e irmãs, também cooperadores de Deus. Não baseados na simpatia humana, mas nos propósitos eternos de Deus. • A manifestação da graça de Deus mesmo na “desgraça”, no sofrimento, não é exclusividade do apóstolo Paulo. AP: Você tem agradecido a Deus pelo conforto recebido?
  23. 23. III. AÇÃO DE GRAÇAS E PETIÇÃO PELA IGREJA DE FILIPOS (1.3-11) 2. Uma oração de gratidão (vv.3-8). • Reconhecimento pela cooperação no evangelho, bem como no auxílio em sua dificuldades. • Lembrança do sofrimento na primeira visita a Filipos, juntamente com Silas (presos, açoitados e tendo os pés atados no tronco (At 16:19-24; 1 Ts 2:2). • Gratidão pelo livramento de Deus (At 16:27-33).
  24. 24. III. AÇÃO DE GRAÇAS E PETIÇÃO PELA IGREJA DE FILIPOS (1.3-11) 2. Uma oração de gratidão (vv.3-8). • Afeição do apóstolo pelos filipenses, que tanto lhe ajudaram nas suas necessidades (1:8; 4:15-18), embora o breve período de convívio com a comunidade (qualidade x tempo). • Amor com a profunda afeição de Cristo Jesus – não mais o antigo “EU”. • Filipenses = exemplo de uma comunidade missionária. AP: Você tem reconhecido as coisas boas que outras pessoas tem feito por você?
  25. 25. III. AÇÃO DE GRAÇAS E PETIÇÃO PELA IGREJA DE FILIPOS (1.3-11) 3. Uma oração de petição (vv.9-11). • Intercede que o amor dos filipenses crescesse ainda mais para que conhecessem e se aproximassem mais ainda de Cristo (1:9). • Um amor que cresce com o conhecimento! Um conhecimento que não pode ser separado do amor (1 Co 13:1). • Para que estivessem preparados para a Vinda de Jesus (1:9).
  26. 26. III. AÇÃO DE GRAÇAS E PETIÇÃO PELA IGREJA DE FILIPOS (1.3-11) 3. Uma oração de petição (vv.9-11). • Que fossem cheios de fruto de justiça (1:11) – um grande diferencial dos salvos. • A garantia de um final feliz é o amor e fidelidade de Deus, que prometeu a volta de seu filho em glória para colher os frutos de sua obra salvadora. AP: O amor a Cristo tem produzido frutos de justiça em sua vida? O conhecimento adquirido tem aumentado seu amor ao próximo? Você está preparado para a Vinda de Jesus?
  27. 27. CONSIDERAÇÕES FINAIS
  28. 28. CONSIDERAÇÕES FINAIS • Nesta lição aprendemos que: 1. O amor refletido pela ajuda e cooperação eleva o conhecimento de Cristo pelos verdadeiros cristãos. 2. Ações de justiça confortam o coração de quem recebem. 3. Devemos priorizar nossa salvação para estarmos preparado para a Vinda de Jesus.
  29. 29. REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ARRINGTON, French L.; STRONSTAD, Roger (Eds.). Comentário Bíblico Pentecostal: Novo Testamento. 4ª edição. Vol. 2. Rio de Janeiro: CPAD, 2009. BOIYD, Frank M. Comentário Bíblico: Gálatas, Filipenses, 1 e 2 Tessalonicenses e Hebreus. Rio de Janeiro: CPAD, 1996. CALVINO, João. Gálatas, Efésios, Filipenses e Colossenses. São José dos Campos – SP: Editora Fiel, 2010. COMBLIN, José. Epístola aos Filipenses. 2ª edição. Petrópolis – RJ, VOZES/SINODAL, 1992. WEINGÄRTNER, Lindolfo. A Carta de Paulo aos Filipenses. Curitiba e Belo Horizonte: Editora Encontrão e Missão Editora, 1992.
  30. 30. IEADSJP – Igreja Evangélica Assembleia de Deus de São José dos Pinhais www.adsaojosedospinhais.com.br www.redemaoamiga.com.br Pr. Presidente: Ival Teodoro da Silva Pr. Vice-Presidente: Eurico Deraldo Santana Co-pastor da sede: Josué Barros Abreu Sup. da EBD: Ev. Ismael Nascimento Oliveira Comentários: Ev. Natalino das Neves www.natalinodasneves.blogspot.com.br natalino6612@gmail.com (41) 8409 8094 / 3076 3589
  31. 31. BAIXE ESTE ARQUIVO, CLICANDO NO ÍCONE SUPERIOR: “SAVE” ou “DOWNLOAD”

×