Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Arqueologia da persuasão

124 views

Published on

Freguesia de Santa Rita: história, arquitetura, semiótica

Published in: Education
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Arqueologia da persuasão

  1. 1. Arqueologia da persuasãoO simbolismo rococó da matriz de santa rita
  2. 2. Vamos começar agora Bem-vindos a esta apresentação Aqui está o fruto de dois anos de pesquisa sobre a freguesia de Santa Rita, terceira paróquia urbana do Rio de Janeiro. Durante esse tempo, procurei estabelecer um diálogo entre a Arquitetura, a Arte, a Arqueologia e a História, à medida que me debruçava sobre o tema que viria a se tornar para mim um case, um portal histórico que oferece um acesso privilegiado ao Rio de Janeiro setecentista. Mergulhei em Santa Rita em três etapas, como um observador que aperta os olhos para ver melhor: seu tempo, sua igreja, seu simbolismo.
  3. 3. StoryBoard Abovegroun dPotencial simbólico da arte e do estilo Introduç ão História Rita de Cássia: sua Matriz e Freguesia ❶ Arquitetura Arqueotectura: Arquitetura como metáfora arqueológica ❷ semiótica Simbolismo: iconografia e iconologia ❸ undergroun dTraços da diáspora africana conclus ão
  4. 4. HistoriaSanta rita, suas crônicas e fragmentos
  5. 5. Margherita Lotti Mãe, viúva, Mística, taumaturga Amado Jesus, fazei-me participante de algo das dores de vossa Paixão.
  6. 6. Histórias cruzadas 1697 1751 Casam ento novena orago doação Alfânde ga Invasõe s cemitéri o paróqui a
  7. 7. Privilégio de padroado Pretenso PadroeiroDom Manoel era fidalgo, Cavaleiro da Ordem de Cristo. alimentação Em caso de indigência. Havendo rendas sobrantes. Honrarias Posto na igreja. Precedência em procissões. apresentação controle das nomeações eclesiásticas.
  8. 8. Cemitério de pretos novos Alfândega, engorda, lazareto, cemitério Os negros, é claro, não se enterravam envolvidos em sedas e flores, nem dentro das igrejas. Enrolavam-se seus cadáveres em esteiras. (FREYRE, Casa-grande e senzala)
  9. 9. decoração rococó
  10. 10. Questões candentesConceitos para discutir
  11. 11. Hipertrofia do espaço Leibniz Espaço é a ordem que torna os corpos situáveis filósofo Soja Híbrido da experiência do espaço real com as expectativas do espaço concebido geógrafo lefebvre A primazia econômica implica a supremacia do espaço sobre o tempo sociólogo francisco Pecado político é “privilegiar os espaços de poder em vez dos tempos dos processos” teólogo
  12. 12. Rococó & Decoro Rodrigo almeida Bastos O decoro representou, desde a antiguidade até o advento do chamado “romantismo” um dos preceitos mais importantes não apenas da arquitetura, mas de todas as artes, as belas letras, poesia e retórica, pintura, escultura, música, teatro, etc. Myriam andrade de oliveira O rococó é ainda um estilo pouco conhecido em seus aspectos teóricos e especificidades formais face ao barroco. O que explica o fato de persistirem na historiografia artística brasileira interpretações de cunho nacionalista e regionalista para defini-lo, como as que estiveram na base da criação de conceitos como o de “barroco mineiro”.
  13. 13. Pretos novosConceito elástico
  14. 14. verdadeiros Motivos Caridade A caridade é a alma da santidade (CCE 826) Devoção Apego sincero e fervoroso a Deus ou aos santos, sob uma forma litúrgica ou por práticas regulares privadas esmola Dai o que tendes em esmola, e tudo ficará puro para vós (Lc 11,41).Dai o que tendes em esmola, e tudo ficará puro para vós (Lc 11,41).Dai o que tendes em esmola, e tudo ficará puro para vós (Lc 11,41). Dai o que tendes em esmola, e tudo ficará puro para vós (Lc 11,41)
  15. 15. Interesses & dons Michel Foucault Estratégia de poder Marcel Mauss Ensaio sobre a dádiva
  16. 16. Análise semióticaDa Iconografia À iconologia
  17. 17. Gramática visual Símbolo ambivalência Metáforas sólidas contrastes Âmbito de relações eloquência Experiência metaempírica do divino apofatismo Figuras insuficientes audiência Comportada, promovida, sensibilizada Deus Silêncio místico
  18. 18. o símbolo tem função mais dispositiva do que comunicativa O símbolo diz justamente porque não consegue dizer, assim como a audiência ouve justamente porque o símbolo não consegue falar. A comunicação que ocorre é apofática. Quanto mais despojado for o símbolo, quanto menos retiver em si a atenção, melhor desempenhará o seu papel.
  19. 19. Spin-offs
  20. 20. Modelagem 3d documentação produção georradar campo laboratório financiamento escavaçã oCemitério de Pretos Novos
  21. 21. Obrigado! perguntas?

×