Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Paraná

4,948 views

Published on

Published in: Education
  • Recomendo esse excelente site paranavagas.blogspot.com.br
       Reply 
    Are you sure you want to  Yes  No
    Your message goes here

Paraná

  1. 2. pa'ra = "mar“ + nã = "semelhante, parecido". PARANÁ = Parecido com o Mar, Mar grande... Paranaense; Pé vermelho
  2. 3. O território é povoado desde +ou- 10 mil anos a.e.c. Diversas localizações no estado do PR têm pinturas rupestres (Ex.: Tibagi – Cânion Guartelá) Carijós, Jês, Tupis e Caingangues são algumas das etnias indígenas que ocupavam a região na chegada dos europeus. Os carijós habitavam o litoral paranaense, e assim, acabaram sendo um dos primeiros povos a se encontrarem com os invasores
  3. 4. PRIMEIROS HABITANTES -   SEC. XVI  Em 1554 é criada a primeira povoação européia em território paranaense, a vila de Ontiveros, às margens do rio Paraná, perto da foz do rio Ivaí. Dois anos depois, o povoamento se transfere para perto da foz do rio Piquiri, recebendo o nome de Cuidad Real del Guairá - hoje município de Terra Roxa.
  4. 5. PRIMEIROS HABITANTES -   SEC. XVI  POVOAMENTO - PORTUGUESES NO LITORAL E ESPANHÓIS COM AS MISSÕES JESUÍTICAS (ALDEAMENTOS) NAS MARGENS DO RIO PARANAPANEMA REGIÃO DESPERTAVA POUCO INTERESSE AO IMPÉRIO PORTUGUÊS TERRITÓRIO PARANAENSE FICOU DIVIDIDO ENTRE DUAS CAPITANIAS HEREDITÁRIAS: AS PERTENCENTES A MARTIN AFONSO DE SOUZA E A PERO LOPES DE SOUZA. 
  5. 6. Ocupação <ul><li>Curitiba começou a ser povoada (por não indígenas) em 1630 com habitantes vindos de Paranaguá  (litoral - primeiro centro administrativo do Paraná ), onde havia sido descoberto o ouro.  </li></ul><ul><li>Foi elevada a Vila de Curitiba em 1693, já  com 1.400 habitantes. </li></ul><ul><li>Tornou-se importante, no início do século XVIII , com a passagem de CARAVANAS DE  TROPEIROS que transportavam o gado desde o Rio Grande do Sul, até a baixada paulista e os campos de Minas Gerais.   </li></ul>
  6. 7. Ocupação <ul><li>Antonina, (também litoral), tem suas origens nas FAISQUEIRAS DE OURO do século XVII. Morretes foi desmembrado e elevado a categoria de município em 1841. No século XVII a exploração de ouro foi uma importante atividade econômica que atraiu bandeirantes e fez surgir povoados e vilas.    (SÉC. XVII = OURO)   </li></ul>
  7. 10. PERÍODO COLONIAL - SEC. XVII  EXPEDIÇÕES BANDEIRANTES COMEÇAM A CRUZAR A REGIÃO DO PARANÁ  RUMO AO SUL DESCOBERTA DE OURO EM PARANAGUÁ, por Gabriel de Lara em 1646. POVOAMENTO SE INTENSIFICA OESTE = espanhóis em busca de madeira e índios LITORAL = fundação da capital Paranaguá (ouro) Nesta época muitos moradores abandonaram a lida com a terra para procurar ouro. Isso provocou uma situação de extrema pobreza em toda a região persistindo apenas a lavoura de subsistência.
  8. 11. PERÍODO COLONIAL - SEC. XVII  O gênero de subsistência manteve um fraco comércio em Paranaguá. A produção e o comércio de farinha de mandioca possibilitou a importação de produtos básicos como o sal, ferragens e peças de algodão vindos da sede da Capitania. Ainda no século XVII iniciou-se no litoral outra atividade produtiva como o plantio de arroz e cana-de-açúcar; este último com a finalidade de produzir aguardente e açúcar.
  9. 12. Com a abertura do caminho de Viamão, em 1731, a criação e a invernagem de gado dá-se início a principal atividade econômica paranaense do século XVIII, o tropeirismo. Ao longo do caminho do Viamão, ou caminho das tropas organizaram-se pousos, invernadas e freguesias, como as de Sant’Ana do Iapó e de Santo Antônio da Lapa. Ajudou na origem de vilas e futuras cidades do Paraná Tradicional. Com base nessa atividade foram ocupados os Campos de Curitiba, os Campos Gerais. CURITIBA (1693) SE TORNOU UMA IMPORTANTE PARADA COMERCIAL COM A ABERTURA DA ESTRADA TROPEIRA ENTRE SOROCABA E VIAMÃO. PERÍODO COLONIAL - SEC. XVIII 
  10. 13. PERÍODO COLONIAL - SEC. XVIII  EXPLORAÇÃO DO OURO NAS MINAS GERAIS; O OURO DE PARANAGUÁ ENTRA EM DECADÊNCIA; AS FAMÍLIAS RICAS, QUE POSSUÍAM GRANDES EXTENSÕES DE TERRA, PASSARAM A SE DEDICAR À CRIAÇÃO DE GADO CURITIBA (1693) SE TORNOU UMA IMPORTANTE PARADA COMERCIAL COM A ABERTURA DA ESTRADA TROPEIRA ENTRE SOROCABA E VIAMÃO.
  11. 15. SEC. XIX -   Política de &quot;branqueamento&quot; do Brasil Decreto n o 528 de 1890 (Deodoro da Fonseca) restringia a entrada de africanos e asiáticos; ao mesmo tempo potencializava a entrada de europeus. Em 1902 a Itália emite o decreto Prinetti, que proíbe a entrada de italianos no Brasil subsidiada por fazendeiros e governo brasileiros. O Brasil apela para a imigração japonesa. Em 1946 a emenda n o 3165 proposta pelo deputado carioca Miguel Couto Filho que dizia apenas: &quot;É proibida a entrada no país de imigrantes japoneses de qualquer idade e de qualquer procedência&quot; . Na votação final, houve um empate com 99 votos contra e 99 a favor.
  12. 16. Mesmo em crise, o Tropeirismo será responsável, no século XIX, pelo surgimento dos Campos de Guarapuava e Palmas. O Tropeirismo irá se esgotar na década de 1870 pelo aparecimento das estradas de ferro as quais fizeram com que os animais de carga perdessem sua função econômica. SEC. XIX – Crise da Atividade Tropeira
  13. 17. SEC. XIX -   Economia No início do século XIX a erva mate abriu o comércio de exportação para os mercados do Rio da Prata e do Chile. O Paraguai se isola e proíbe a exportação de erva-mate. Isto faz a Argentina e o Uruguai substituírem a erva-mate paraguaia pela brasileira, desenvolvendo o seu cultivo no Paraná e em Santa Catarina, regiões outrora despovoadas. É o chamado Ciclo da Erva-Mate. Esse ciclo vai tornar o Paraná forte o suficiente para se emancipar de SP em 1853. Transformou-se no esteio econômico paranaense até os anos de 1930 quando a concorrência argentina encerrará a predominância da erva-mate paranaense.
  14. 18. Emancipação – PR x SP A indústria madeireira desenvolveu-se com o aparecimento de outras ferrovias, ligando as regiões das Mata de Araucárias aos portos, principalmente de Paranaguá, e à São Paulo. Em 29 de agosto de 1853, foi aprovado o projeto de criação da província do Paraná por força da lei imperial nº 704, assinada por Dom Pedro II.
  15. 19. Erva Mate Até o início da Primeira Guerra Mundial, o mate manteve-se como o esteio econômico do Paraná, sendo após superado pela madeira que assume a condição de principal produto comercializado no Estado. Na época, o Paraná contava com mais de 90 engenhos destinados ao beneficiamento da erva-mate, sendo exportado sobretudo para o mercado platino. Atualmente, o Estado do Paraná apresenta 176 municípios ervateiros, distribuídos em 11 núcleos regionais de administração. São eles: Campo Mourão, Cascavel, Curitiba, Francisco Beltrão, Guarapuava, Irati, Ivaiporã, Pato Branco, Ponta Grossa, Toledo e União da Vitória.
  16. 20. O café entrou no Paraná definitivamente no final do século XIX pelas mãos de migrantes mineiros e paulistas. A ocupação acontece em três zonas sucessivas: OCUPAÇÃO CONTEMPORÂNEA Norte Velho  desde a divisa Nordeste com São Paulo até Cornélio Procópio, colonizada entre 1860 e 1925. Norte Novo  desde Cornélio Procópio até Londrina, prolongando-se até o rio Ivaí, colonizada entre 1920 e 1950 Norte Novíssimo  entre os rios Ivaí e Piquiri, colonizada de 1940 até 1960. Esta última chegando às barrancas do rio Paraná, fronteira com o Estado do Mato Grosso.
  17. 21. Contestado: 1912-1916 A estrada de ferro entre São Paulo e Rio Grande do Sul (Brasil Railway) Os construtores ganharam 15 quilômetros de cada lado da ferrovia para explorar madeira e erva-mate. Muitos moradores foram progressivamente desalojados, à força, durante anos. Paraná ficou com 20 mil quilômetros quadrados da área contestada e Santa Catarina com 28 mil quilômetros quadrados. D urante os quatro anos que durou a Guerra do Contestado morreram cerca de 20 mil pessoas - equivalente a um terço da população de Santa Catarina, à época

×