Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Biografias ditadores século XX

233 views

Published on

Published in: Education
  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Biografias ditadores século XX

  1. 1. Trabalho de História Biografias de António Salazar e de Benito Mussolini
  2. 2. António de Oliveira Salazar  António de Oliveira Salazar foi um político português que nasceu a 28 de Abril de 1889 em Vimieiro, Santa Comba Dão e faleceu em 27 de Julho de 1970 em Lisboa. Salazar estudou na Faculdade de Direito de Coimbra onde iniciou a carreira de professor universitário.
  3. 3.  Em 1921 foi eleito deputado pelo Centro Católico, mas um dia depois renunciou ao mandato. Após a revolução de 28 de Maio de 1926, acabou por regressar ao Parlamento.  Em Maio de 1928, publicou a reforma orçamental e foi o grande obreiro no que diz respeito ao ano económico de 1928-1929 que registou saldo positivo, o que veio a contribuir para o seu prestígio junto dos representantes da ditadura militar.
  4. 4. Em apenas dois anos de administração, tornou-se o homem -chave do regime.  Em 1932, chegou a Presidente do Conselho, cargo em que se manteve até ao derrame cerebral que o afectaria irremediavelmente. (Em 1968 encerrou sua actividade política.)  Em 1933, fez aprovar em plebiscito uma nova Constituição que consagrava o Estado autoritário e corporativo, com a recusa da luta de classes, do individualismo liberal, do socialismo e do parlamentarismo.  Defendia a estabilidade da vida nacional e temia que a turbulência vinda de Espanha , devido à Guerra Civil pudesse afectar Portugal.  Em 1933 reforça a censura e intensifica a acção da polícia política (PIDE) 
  5. 5.  A questão da indemnização da Igreja Católica pela nacionalização dos seus bens durante a 1ª República é desconsiderada por Salazar. Apesar da sua acção no Centro Católico e de ser ele mesmo profundamente católico, a separação de poderes entre o Estado e a Igreja é uma afirmação clara do salazarismo.  Oliveira Salazar assumira a pasta dos negócios estrangeiros desde a guerra civil espanhola. Com a segunda guerra mundial o imperativo do governo de Salazar é manter a neutralidade. Próximo ideologicamente do Eixo, o regime português escuda-se nisso e também na aliança com a Inglaterra para manter uma política de neutralidade. Esta assentava num esforço de não afrontamento a qualquer dos lados em beligerância.
  6. 6.   O declínio político de Salazar acelerou-se rapidamente a partir de 1961 e coincide com o alastramento da guerra e o surto de emigração, com destino sobretudo para a França e a Alemanha, além de um crescimento capitalista de controle muito mais difícil. Foi defensor de uma política colonialista alimentando as fileiras da guerra colonial com o propósito da manutenção da unidade territorial dos territórios ultramarinos sob a bandeira portuguesa. Pratica uma política de isolacionismo internacional sob o lema Orgulhosamente sós, quando a comunidade internacional promove a agenda da descolonização em África, levando Portugal a um menor avanço cultural e económico
  7. 7. Vitimado por um acidente doméstico incapacitante (Salazar tombou acidentalmente de uma cadeira), é afastado do Governo em 1968, sendo substituído por Marcelo Caetano. Até morrer, em 1970, aqueles que com ele lidavam diariamente fizeram crer a Salazar que ainda continuava a governar o país, mesmo já depois de Marcello Caetano ter assumido o Governo.   Salazar morreu em 1970, deixando Portugal como um país anacrónico. Último império colonial do mundo ocidental, travava uma guerra em três frentes africanas solidamente apoiadas pelo Terceiro Mundo e fazia face a sucessivas condenações nas Nações Unidas e à incomodidade dos seus tradicionais aliados.
  8. 8.  Para os jovens de hoje será talvez difícil imaginar o que era viver neste Portugal, onde era rara a família que não tinha alguém a combater em África, o serviço militar durava quatro anos, a expressão pública de opiniões contra o regime e contra a guerra era severamente reprimida pelos aparelhos censório e policial, os partidos e movimentos políticos estavam proibidos, as prisões políticas cheias, os líderes oposicionistas exilados, os sindicatos fortemente controlados, a greve interdita, o despedimento facilitado, a vida cultural apertadamente vigiada.
  9. 9.  A anestesia a que o povo português esteve sujeito décadas a fio, mau grado os esforços das elites oposicionistas, a par das injustiças sociais agravadas e do persistente atraso económico e cultural, num contexto que contribuía para a identificação entre o regime ditatorial e o próprio modelo de desenvolvimento capitalista, são em grande parte responsáveis pela euforia revolucionária que se viveu a seguir ao 25 de Abril de 1974, em que finalmente se pôs cobro ao Estado Novo.
  10. 10. Benito Amilcare Andrea Mussolini  Benito Amilcare Andrea Mussolini nasceu em Dovia di Predappio, na província de Forli, em 29 de Julho de 1883.
  11. 11.        O líder ("Duce") do fascismo italiano iniciou sua carreira política no Partido Socialista Italiano (PSI), em 1900. Durante alguns anos, foi professor na Suíça (1902-1904) e funcionário do partido em Trento, na época território austríaco. Em 1902 mudou-se para a Suíça, numa tentativa de escapar do serviço militar, mas as suas actividades esquerdistas acabaram por causar a sua expulsão do país. De volta à Itália, esteve em Trento, então sob o domínio austríaco, onde foi novamente preso e expulso. Nessa época, as suas leituras filosóficas, especialmente as de Nietzsche, haviam afirmado a sua crença na violência como elemento fundamental para a transformação da sociedade. Mussolini fundou em 1909 a revista Lotta di Classe, antes de se tornar chefe de redacção do Avanti!, entre 1912 e 1914, órgão de propaganda do Partido Socialista. Foi também o porta-voz da ala esquerdista do partido. Nas vésperas da Primeira Guerra Mundial, em que defendeu a participação da Itália no conflito com a Áustria, Mussolini afastou-se do PSI.
  12. 12. Em 1914, fundou o diário Popolo d'Italia, destinado à propagação da ideologia socialista. Mais tarde, faria desse jornal o órgão oficial do fascismo. Foi então expulso do PSI.  Depois de sua participação na Primeira Guerra Mundial, constituiu em Milão o primeiro Fasci di Combattimento (Feixes de combate), núcleo do futuro movimento fascista. O seu sinal distintivo era o "fasces" do Império Romano (símbolo do poder dos cônsules da Antiguidade).  Em 1921, fundou o Partito Nazionale Fascista (PNF), a partir das associações fascistas que actuavam contra as organizações de trabalhadores.  Com a "Marcha sobre Roma" (28-10-1922), conseguiu ser nomeado chefe de governo pelo rei Vítor Manuel II e iniciava a construção do primeiro Estado fascista na Europa . 
  13. 13. Através de uma política autoritária de ordem pública e do fortalecimento da economia italiana, debilitada pela guerra, Mussolini viu sua popularidade estender-se a um amplo sector da população no final da década de 1920.  Depois do assassinato do líder da oposição, Giacomo Matteoti, por militantes fascistas, impôs um golpe de estado, em 1925.  Legalizada a nova situação em 1926, governou com poderes ditatoriais, eliminando seus adversários políticos e criando um sistema de partido único baseado no corporativismo. O seu grande sucesso na política interna foi a reconciliação com o papa Pio XII, depois da assinatura dos acordos de Latrão.  A erradicação do desemprego, a secagem de terrenos pantanosos e a repressão à resistência na Tripolitânia fortaleceram a posição política de Mussolini, que se destacava por sua retórica contundente.  A conquista da Etiópia em 1935-1936 representou uma reviravolta na política externa italiana. Convencido, até então, da necessidade de efectuar o rearmamento alemão, o "Duce" iniciou uma aproximação com a Alemanha ao constatar a tímida reacção das potências ocidentais. 
  14. 14. A participação conjunta com os alemães na Guerra Civil Espanhola de 1936 a 1939, a fundação do eixo Roma–Berlim em 1936 e a assinatura do Pacto de Aço em 1939 conduziram Mussolini a uma posição de submissão a Hitler.  Em Setembro de 1938, ainda conseguiu evitar a eclosão da guerra com a sua mediação no Pacto de Munique, mas em 1939 as suas tentativas para manter a paz fracassaram.  Com a entrada da Itália na Segunda Guerra Mundial, em Junho de 1940, Mussolini assumiu pessoalmente o comando das tropas italianas. 
  15. 15. Depois das derrotas na Grécia e na África (perda da Etiópia em 1941 e da Líbia em 1942) e do desembarque dos Aliados na Sicília em 1943, o conselho fascista retirou-lhe o apoio e foi preso por ordem do rei.   Foi ainda libertado por pára-quedistas alemães de sua prisão no Gran Sasso, fundando no norte da Itália a República Soziale Italiana (República de Saló), sob o domínio de Hitler. Mas deu-se a ruptura na frente de combate alemã e o antigo "Duce" foi capturado, mesmo antes do fim da guerra, pelos partisans italianos, quando tentava fugir com a sua amante, Clara Petacci. Foi sumariamente fuzilado, o seu corpo foi exposto publicamente em sinal do ódio da maioria dos italianos. 
  16. 16. Trabalho elaborado por:  Catarina Carvalho nº4/turma:11ºG  Emanuela Silva nº8/turma: 11ºG  Lurdes nº12/turma:11ºG Lopes

×