Relações Públicas 2.0

2,338 views

Published on

Apresentação criada pela professora Mestre Carolina Frazon Terra, também diretora de mídias sociais da Agência Ideal, para sua palestra no Encontro ABRP Comunicação Digital realizado no dia 12 de setembro de 2009 no auditório da FECAP.

Published in: Education, Business, Technology
0 Comments
3 Likes
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
2,338
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
6
Actions
Shares
0
Downloads
125
Comments
0
Likes
3
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Relações Públicas 2.0

  1. 1. Relações Públicas 2.0 Carol Terra www.meadiciona.com/carolterra carolinaterra@uol.com.br Grupo de Pesquisa em Comunicação, Jornalismo e Mídias Digitais Associação Brasileira de Pesquisadores de Comunicação Organizacional e Relações Públicas
  2. 2. Cenário
  3. 3. Relações Públicas 2.0 – Defren também define as RP 2.0 como um novo tipo que tem como premissas a interação com os consumidores e transparência corporativa. – Defren bem ilustra a sua posição: • “(...) no mundo online, a marca está exposta. Suas ações, interações e reações (para não dizer também as faltas de ações) estão sendo assistidas, criticadas – e catalogadas para sempre pelo Google”.
  4. 4. Comunicação organizacional digital “Alguém está falando mal de sua empresa neste momento. Em segundos, essa pessoa vai mandar o comentário para outra, que vai inseri-lo num blog e, em pouco tempo, surgirá uma comunidade no Orkut a respeito desse mesmo tema. Em minutos, a reputação de sua marca, na lista dos dez mais clicados do Google estará ameaçada para todo o sempre”. (MAIA, 2008, p. 1)
  5. 5. Comunicação organizacional digital Mudança da tradicional pirâmide de influência (de cima para baixo) para um paradigma mais fluido, colaborativo e horizontal em que as reputações são construídas engajando-se múltiplos stakeholders por meio do diálogo contínuo.
  6. 6. Os 10 níveis de intimidade da comunicação hoje Essa ilustração feita por Ji Lee, mostra de forma objetiva como o poder de se comunicar mudou. O interessante é que ele coloca o Twitter na primeira posição.
  7. 7. Usuário-Mídia
  8. 8. Usuário-Mídia
  9. 9. Usuário-Mídia
  10. 10. Usuário-Mídia
  11. 11. Usuário-Mídia Como lidar com sites produzidos por consumidores que afetam a organização?
  12. 12. O Papa é Pop!
  13. 13. MyStarbucksIdea Para se valer das idéias dos seus consumidores em relação aos produtos, instalações e serviços, a StarBucks criou uma rede social que permite interação entre usuários e votação das melhores iniciativas.
  14. 14. IdeaStorm Depois de sofrer com um blogueiro que reclamava do serviço de pós-vendas da empresa, a Dell resolveu criar uma iniciativa que conta com a participação dos usuários para modificar processos, produtos, serviços, etc.
  15. 15. Barack yourself
  16. 16. Rede Social MyBarackObama.com Interatividade/ Participação, Inteligência Coletiva
  17. 17. Valorização da Pluralidade, Individualidade Comunidades Virtuais: MySpace, Twitter, LinkedIn, Flickr, Digg, Eventful, Eons, BlackPlanet, AsianAve, MiGente, MyBatanga, GLEE, Faithbase
  18. 18. • Canal de Obama no YouTube Transparência, Proximidade, Individualidade, Inovação • Obama Mobile • Envio de Mensagens para Telefones Celulares (SMS)
  19. 19. Inovação, Informação, Entretenimento • Site VoteForChange • Anúncios em jogos online (“Burnout paradise” e “Madden 09”)
  20. 20. Change.gov > Whitehouse.gov Transparência, Participação/Interatividade
  21. 21. Repercussão Resultado: ações espontâneas http://www.youtube.com/watch?v=jjXyqcx-mYY
  22. 22. Case polêmico (Puma e compra de blogueiros)
  23. 23. Case polêmico (Puma e compra de blogueiros)
  24. 24. Case polêmico (Marcelo Tas e Telefônica)
  25. 25. Case polêmico (Marcelo Tas e Telefônica)
  26. 26. Case polêmico (BestShopTv)
  27. 27. Modelo de RP inicial Modelo emergente Caminhando para o modelo Modelo empurra puxe Mensagens controladas Conversação Voz autoritária e cínica em crises Engajar em níveis múltiplos Empoderar funcionários e Elites são informadas primeiro permitir co-criação dos consumidores Falar para - e não com - a audiência: comunicação de mão- Paradoxo da transparência única Cauda de cachorro: RP é só um Sentar-se sobre a mesa: RP suporte à marketing, administrando como disciplina de as relações com a mídia para que a gerenciamento de construção propaganda realize o seu trabalho. de relacionamentos. Companhia sabe melhor Sabedoria das multidões
  28. 28. Fonte: Tecnologia Terra
  29. 29. Fonte: PEGN
  30. 30. Fonte: IBOPE
  31. 31. “Empresas bisbilhotam blogs e redes sociais para tentar identificar sentimentos coletivos...” “O campo de pesquisas chamado análise de sentimentos busca entender o que usuários de internet querem dizer com tanta informação que colocam on- line”.
  32. 32. Fonte: Pesquisa feita pelo Instituto Nielsen em 50 países e publicada na edição de 13 de Julho de 2009 do Meio & Mensagem O curioso é que anúncios em vídeos online, em banners e em telefones celulares ficaram nas três últimas posições, mostrando que o consumidor prefere outras formas de propaganda.
  33. 33. Comunicação organizacional digital em tempos de redes sociais online
  34. 34. Na era dos usuários-mídia  Boyd (IN MAIA, 2008A, p.3) resumiu em cinco os pontos como conquistar consumidores da era digital: 1. O contato pessoa-a-pessoa é mais eficiente que pessoa-empresa, o que deve levar às organizações a investirem em porta-vozes da marca.
  35. 35. Na era dos usuários-mídia 3. Conheça os perfis e preferências dos consumidores de sua marca, pois quanto mais informações, melhor a interação. 4. Aposte em um nicho de mercado; não envie notícias de um produto para quem não teria interesse em comprá-lo. 5. O boca-a-boca é um instrumento poderoso nas redes. Se alguém começa a falar de você, é bem provável que o comentário se alastre rapidamente.
  36. 36. Como interagir  Dependendo do site de rede social, devem ser oferecidas respostas de maneira particular, não invasivas; em outros, a rapidez e o formato do canal demandam resposta pública.
  37. 37. Quem é o profissional de RP do futuro? Além de ser um profissional extremamente antenado, com bagagem cultural ampla, conhecimento de idiomas, social e ambientalmente responsável, deve se ater para: – Novas tecnologias e redes sociais online – Comunicação sem intermediários – Gerenciamento de conteúdos produzidos pelo consumidor (megafones da era digital) – Harmonizar a comunicação on com a offline – Planejamento – Cultura organizacional – Ser um tradutor da complexidade do mundo para o ambiente corporativo – Engajar e envolver pessoas. Encantá-las. Inspirá-las.
  38. 38. Considerações finais A imagem das organizações é crucial para o processo de faturamento, venda de produtos e serviços e também para o crescimento dos negócios. Atentar-se, portanto, para expressões da marca/produtos/serviços na rede não é mais uma questão de escolha, mas de necessidade. Trata-se de mais um papel a ser assumido pelo comunicador: gestor da imagem nas redes sociais, sendo capaz de avaliar a presença da marca e propor estratégias que deponham a favor das organizações.
  39. 39. Considerações finais Como fazer? – Diagnosticar o estado da marca e de seus principais produtos e serviços nas redes sociais online; – Planejar e propor ações que inspirem os consumidores acerca do universo que envolve a empresa; – Engajar-se em fóruns que permitam a participação de usuários corporativos; estabelecer canais de comunicação sinceros, transparentes e ágeis com os públicos;
  40. 40. Considerações finais Como fazer? – Alterar o paradigma do controle da informação e da marca; – Criar uma cultura interna de participação, colaboração e coletividade a fim de refletir tais princípios externamente; – Entender a dinâmica de funcionamento deste universo e abrir-se para uma via de entendimento com consumidores.
  41. 41. Se até Deus está no Twitter, por que vc ainda não está?

×