Unitização de carga

26,620 views

Published on

Published in: Business

Unitização de carga

  1. 1. MURILO TOLEDO UNITIZAÇÃO DE CARGAS
  2. 2. CONCEITOS A unitização consiste na operação de união de mercadorias de peso, tamanho e formato distintos em cargas de volumes unitários, possibilitando uma racionalização do espaço útil e maior agilidade e segurança em processos de desembarque e embarque. As cargas unitárias devem possuir o maior tamanho possível, desde que este tamanho seja compatível com os equipamentos de movimentação.
  3. 3. UNITIZAÇÃO Peças individuais agrupadas em unidades maiores para tornar mais rápida a movimentação da carga em transbordos redução do tempo total de viagem, da mão-de-obra, dos custos de estocagem
  4. 4. VANTAGENS DA UNITIZAÇÃO  Minimização do custo hora/homem;  Menores custos de manutenção do inventário, e melhor controle do mesmo;  Rapidez na estocagem;  Racionalização do espaço de armazenagem, com melhor aproveitamento vertical da área de estocagem;  Diminuição das operações de movimentação
  5. 5. VANTAGENS DA UNITIZAÇÃO  Redução de acidentes pessoais;  Economia de até 50% no custo da movimentação;  Diminuição de danos aos produtos;  Redução do tempo de rotulagem;  Melhor aproveitamento dos equipamentos de movimentação;  Uniformização do local de estocagem;  Redução de perdas e roubos.
  6. 6. DESVANTAGENS  Alto grau de padronização;  Espaços vazios;  Equipamentos e treinamentos.
  7. 7. DISPOSITIVO DE UNITIZAÇÃO DE CARGA Reúne certa quantidade de embalagens de transporte em uma única unidade, cuja movimentação é feita de forma mecanizada.
  8. 8. Como os DUC’s são movimentados de forma mecanizada, suas características físicas têm de ser tais que haja compatibilidade entre um DUC e os equipamentos utilizados na sua movimentação. Além disto, os DUC’s também devem ser compatíveis com os dispositivos usados para sua fixação nos veículos. Estas exigências de compatibilidade resultam em uma grande variedade de DUC’s. DISPOSITIVO DE UNITIZAÇÃO DE CARGA
  9. 9. A intensificação do uso de DUCs nos transportes ferroviários e hidroviários está associada ao desenvolvimento de formas mecânicas para transportá- los, o que se concretizou com o advento, no início do século XX, da empilhadeira, um trator, equipado com um garfo, capaz de movimentar estrados de carga. DISPOSITIVO DE UNITIZAÇÃO DE CARGA
  10. 10. A grande proliferação de uso de DUCs nos transportes, entretanto, ocorreu na 2ª Guerra Mundial, quando o Exército dos Estados Unidos, por problemas logísticos, decidiu transportar cargas em grandes cofres metálicos, denominados contêineres. Os contêineres podiam ser transportados por via rodoviária, ferroviária e marítima, por terem dimensões e dispositivos de fixação padronizados. Os objetivos da introdução do uso dos contêineres eram dois: proteger a carga contra violações e furto nos transbordos e protegê-la de deterioração causada pelo processo de transporte. DISPOSITIVO DE UNITIZAÇÃO DE CARGA
  11. 11. A classificação do Manual de Unitização de Cargas para Exportação, com pequenas modificações. Considera três tipos de DUC's:  Paletes ou estrados de carga;  Contêineres ou cofres de carga;  Lingas DISPOSITIVO DE UNITIZAÇÃO DE CARGA
  12. 12. PALETE Um palete é uma plataforma de madeira, metal, plástico ou material composto, destinada ao acondicionamento de cargas unitárias ou agrupamento de embalagens de transporte. Comprimento (m) Largura (m) ISO 1,20 1,00 EURO 1,20 0,80 USA / JAPAN 1,10 1,10 PBR 1,20 1,00
  13. 13. PALETE (PBR) O Palete Padrão Brasil (PBR) é modelo nacional padrão para a movimentação, armazenagem e distribuição de mercadorias. Entre 1988 e 1990, um grupo de profissionais ligados aos setores supermercadista e atacadista aprofundou os estudos sobre o palete e criou a metodologia de trabalho. Foram criados protótipos para se definir o palete padrão. Sob a supervisão do Instituto de Pesquisas Tecnológicas (IPT), testes de campo foram realizados nas empresas Nestlé, Gessy Lever, Pão de Açúcar e Transportadora Dom Vital com protótipos. Com a definição do modelo considerado ideal (1,00 x 1,20m, face dupla não reversível e quatro entradas, entre outras especificações), pôde-se, afinal, em agosto de 1990, dar início à segunda fase do projeto, a de implantação.
  14. 14. PALETE Em muitos casos, a unitização sobre paletes exige um processo de fixação das cargas por meio de cintas e/ou filmes plásticos, ou ainda outras formas.
  15. 15. VANTAGENS DOS PALETES  Redução de perdas, roubos e avarias à carga;  Redução de rotulagem e marcação dos embarques, pois não é necessário realizar as operações para cada item;  Possíveis reduções de utilização de mão-de-obra na movimentação da carga;  Aumento da capacidade das instalações de estocagem;  Maior rapidez nas operações de carregamento e descarregamento;  Possibilidade de aplicação do conceito de "sistema global de transportes", no qual a carga se movimenta na forma unitizada desde as dependências do produtor até a loja de varejo, onde a mercadoria pode ser vendida diretamente do pallet.
  16. 16. DESVANTAGENS DOS PALETES  Espaços perdidos dentro da unidade de carga;  Investimentos na aquisição de pallets, acessórios para a fixação da mercadoria à plataforma e equipamentos para a movimentação das unidades de carga (sensivelmente menores que os necessários para a movimentação de contêineres);  O peso próprio da plataforma e o volume da mesma podem aumentar o valor do frete;  Eventual exigência de modificações nos lay-outs das instalações.
  17. 17. ARRANJOS
  18. 18. CONTÊINER Um contêiner é um receptáculo de carga, feito de metal, madeira, borracha sintética, elastômeros, tecidos de poliéster e outros materiais compostos ou combinações desses, que possui abertura(s) em uma ou mais faces, para a acomodação da carga no seu interior.
  19. 19. CONTÊINER Existe uma grande variedade de tipos de contêineres, dependendo do tipo de produto a ser transportado e da modalidade de transporte utilizada.
  20. 20. CONTÊINER
  21. 21. VANTAGENS DOS CONTEINERES  Redução de perdas, roubos e avarias à carga;  Possíveis reduções de custos de rotulagem e embalagem;  Possíveis reduções de utilização de mão-de-obra na movimentação da carga;  Estocagem de mercadoria em áreas descobertas;  Maior rapidez nas operações de carregamento e descarregamento de veículos e embarcações;  Carregamentos e descarregamentos de veículos e embarcações sob condições climáticas adversas;  Possíveis reduções dos tempos totais de viagem.
  22. 22. DESVANTAGENS DOS CONTEINERES  Espaços perdidos dentro da unidade de carga;  Exigência de equipamentos de alto investimento para a movimentação da unidade de carga nos locais de expedição e recebimento e nos pontos de transferência de veículo de transporte;  Transporte do contêiner vazio para o local onde se faz a estufagem do mesmo;  A incorporação da tara do contêiner pode acarretar acréscimos no valor do frete rodoviário;  Custos de reparos, reposição e retorno dos contêineres.
  23. 23. CÓDIGOS DOS CONTÊINERES É composto de 14 caracteres, distribuídos da seguinte maneira:  3 letras do alfabeto latino para o código da nacionalidade do container. A sigla oficial do Brasil, padronizada pelo BIC, é BRX.  4 letras, para a identificação do proprietário, sendo a última dessas letras sempre o "U", que tem a finalidade de indicar que o container é registrado pelo BIC. Ex. INTU (container pertencente à Interpool), SCIU (Sea Container Inc.), ICSU (Integrated Container Service Inc.).  7 dígitos para indicar a numeração e série do container. http://www.bic-code.org/
  24. 24. LINGA Uma linga é um dispositivo feito de correntes, cabos ou fitas de tecido resistente, usado para amarrar cargas que se quer içar. Apesar do baixo custo e da baixa tara desse DUC, ele sofre cada vez mais a concorrência de contêineres que, além de proteger melhor a carga, têm maior capacidade de aglomeração de cargas a granel, comum a consequente redução de tempos de transbordo em terminais.
  25. 25. VANTAGENS DAS LINGAS  Redução de perdas, roubos e avarias à carga;  Possíveis reduções de utilização de mão-de-obra na movimentação da carga, nas dependências da empresa exportadora;  Maior rapidez nas operações de carregamento e descarregamento de veículos e embarcações;  Tara.
  26. 26. DESVANTAGENS DAS LINGAS  Investimentos na aquisição de lingas e equipamentos para movimentação das unidades de carga;  Custos de reposição e retorno das lingas, caso não sejam descartáveis (em princípio, esses custos são sensivelmente menores do que os pertinentes ao contêiner e ao pallet).
  27. 27. DUCs ESPECIAIS Os DUCs usados no transporte aéreo têm formas especiais que se adaptam à seção transversal do avião, para melhor preencher os espaços com a carga. No transporte aéreo onde o custo do transporte de peso morto é mais acentuado, investe-se em DUCs de tara relativamente baixa, mesmo isto implicando em custos consideráveis dos dispositivos de movimentação dos DUCs nos terminais e dentro dos veículos.
  28. 28. EQUIPAMENTOS PARA MOVIMENTAÇÃO DOS DUC’S
  29. 29. 1. Unitizar em paletes, óleo de soja embalado em latas de 900 ml, acondicionadas em caixas de papelão com 20 latas cada. As dimensões da caixa são: 39 cm de comprimento, 32 cm de largura e 20 cm de altura. Os paletes escolhidos têm as dimensões: 1,20 m de comprimento, 1,00 m de largura e 0,15 m de altura. Pergunta-se: a) Quantas caixas, no máximo, podem ser acomodadas em cada palete que, unitizado (incluindo o palete de madeira), mede no máximo 1,95 m de altura ? b) Qual o volume (cubagem ou metragem cúbica) de cada caixa ? c) Qual a metragem cúbica de cada palete unitizado ? d) Com a resposta da pergunta “a”, quantas caixas teremos em 120 paletes ?
  30. 30. 1,0m 1,0m 1,20 m 1,20 m 0,32m 0,39m 0,32m 0,39m 1,2m / 0,32m = 3,75 = 3 1,0m / 0,39m = 2,56 = 2 3 X 2 = 6 1,2m / 0,39m = 3,07 = 3 1,0m / 0,32m = 3,125 = 3 3 X 3 = 9
  31. 31. 15 cm ou 0,15 m Altura máxima = 1,95 m Altura do palete = 0,15 m Altura livre para colocar as caixas = 1,80 m Altura de cada caixa = 0,20 m Total de caixas empilhadas = 1,80 m / 0,20 m 20 cm ou 0,2 m Resposta: 9 caixas.
  32. 32. Resposta do Exercício 1 a) 9 caixas por fiada X 9 fiadas = 81 caixas por palete. b) Volume = comprimento X largura X altura Volume da cx = 0,39 m X 0,32 m X 0,2 m = 0,0250 m³ c) Volume de cada palete = 1,20m x 1,00m x 1,95m = 2,34m³ d) 120 paletes X 81 cx = 9.720 caixas 24960 cm³
  33. 33. 2. Unitizar em paletes, cerveja embalada em latas de 350 ml, acondicionadas em caixas de papelão com 12 latas cada. As dimensões da caixa são: 26 cm de comprimento, 20 cm de largura e 12,5 cm de altura. Os paletes escolhidos têm as dimensões: 1,20 m de comprimento, 0,80 m de largura e 0,15 m de altura. Pergunta-se: a) Quantas caixas, no máximo, podem ser acomodadas em cada palete que, unitizado (incluindo o palete de madeira), mede no máximo 2,15 m de altura? b) Qual o volume (cubagem ou metragem cúbica) de cada caixa ? c) Qual a metragem cúbica de cada palete unitizado ? d) Com a resposta da pergunta “a”, quantas caixas teremos em 90 paletes ?
  34. 34. 1,20m / 0,20m = 6 0,80m / 0,26m = 3 6 X 3 = 18 1,20m 1,20m 0,8m 0,8m 0,26m 0,26m 0,20m 0,20m 1,20m / 0,26m = 4,615 0,80m / 0,20m = 4 4 X 4 = 16
  35. 35. 15 cm ou 0,15 m Altura máxima = 2,15 m Altura do palete = 0,15 m Altura livre para colocar as caixas = 2,0 m Altura de cada caixa = 0,125 m Total de caixas empilhadas = 2,0 m / 0,125 m 12,5 cm ou 0,125 m Resposta: 16 caixas.
  36. 36. Resposta do Exercício 2 a) 18 caixas por fiada X 16 fiadas = 288 caixas por palete. b) Volume = comprimento X largura X altura Volume da cx = 0,26 m X 0,20 m X 0,125 m = 0,0065 m³ c) Volume de cada palete = 1,20m x 0,80m x 2,15m = 2,064m³ d) 90 paletes X 288 cx = 25.920 caixas
  37. 37. 3. Unitizar em carretas rodoviárias, computadores paletizados. As dimensões da carga paletizada são: 1,20 m de comprimento, 0,80 m de largura e 1,10 m de altura. As carretas rodoviárias têm as seguintes dimensões internas: 12,21 m de comprimento, 2,44 m de largura e 2,39 m de altura. Pergunta-se: a) Quantos paletes, no máximo, podem ser colocados nesta carreta ? b) Qual a metragem cúbica de cada palete ? c) Qual a metragem cúbica total da unidade de transporte ? d) Quantas unidades de transporte como essa seriam necessárias para 1.778 paletes ?
  38. 38. 12,21m / 1,20m = 10 2,44m / 0,80m = 3 10 X 3 = 30 paletes por fiada 2,39m / 1,10m = 2,1727 2 paletes 12,21m 2,44m 2,44m 2,39m 1,2m 1,2m 0,8m 1,1m
  39. 39. Resposta do Exercício 2 a) 60 paletes. b) Volume = comprimento X largura X altura Volume do palete = 1,20m x 00,80m x 1,10m = 1,056m³ c) Volume de cada carreta = 12,21m x 2,44m x 2,39m = 71,20m³ d) 1.778 paletes / 60 paletes por carreta = 30 carretas
  40. 40. 4. Unitizar em paletes de 1,2 x 1,0 metros, caixas com as medidas de 58,8 x 18,6 x 12,8 cm. Considere que o palete tem 15 cm de altura e o empilhamento máximo é de 10 caixas. Pergunta-se: a) Quantas caixas poderão ser acondicionadas por palete? b) Faça um croqui deste arranjo.
  41. 41. 1,2 / 0,588 = 2,04 = 2 1,0 / 0,186 = 5,38 = 5 2 X 5 = 10 caixas por fiada 10 (caixas por fiada) X 10 (fiadas) 100 (caixas por palete)

×