Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Mecanização: As organizações vistas como máquinas

3,132 views

Published on

  • Be the first to comment

Mecanização: As organizações vistas como máquinas

  1. 1. Mecanicismo
  2. 2. Máquinas, Pensamentos mecânico e o surgimento da organização burocrática
  3. 3. Máquinas, Pensamentos mecânico e o surgimento da organização burocrática Muitos de nós somos aprisionados em padrões de pensamentos mecanicistas, onde as máquinas hoje influenciam virtualmente cada aspecto de nossa existência. O uso de máquinas transformou radicalmente a natureza da atividade produtiva e deixou sua marca na imaginação, nos pensamentos e nos sentimentos humanos através dos tempos. Onde em nenhum lugar isto é mais evidente do que na organização moderna.Muitas vezes, o trabalho é bastante mecânico e repetitivo. Qualquer um que tenha observado o trabalho na fábrica de produção em massa ou em qualquer grande escritório-fabrica que processa formulários de papel, como reclamações de seguro, declarações de imposto de renda ou cheques bancários, terá notado a maneira mecânica como essas organizações operam. Elas são concebidas como máquinas e seus empregados basicamente devem comportar-se como se fossem peças da máquina.
  4. 4. Máquinas, Pensamentos mecânico e o surgimento da organização burocrática Neste capítulo podemos dar o exemplo de uma lista de verificação usada pela administração de uma famosa lanchonete para monitorar o desempenho dos empregados indicando o grau em que uma simples tarefa pode ser mecanizada, observada e avaliada de maneira mecânica. Exemplos: O empregado sorri; O empregado conhece bem o cardápio; Pedidos pequenos não precisam ser escritos; Pedido é preparado na sequência correta; Pedido é embrulhado corretamente; Troco contado em voz alta;
  5. 5. Máquinas, Pensamentos mecânico e o surgimento da organização burocrática As organizações que são planejadas e operadas como se fossem máquinas são geralmente chamadas de organizações burocráticas. Falamos de organizações como se elas fossem máquinas e, consequentemente, tendemos a esperar que funcionem como máquinas: de maneira rotineira eficiente confiável previsível
  6. 6. As forças armadas e a automação Humana Frederico, O grande, para tornar seu exército em um Instrumento confiável, adotou as seguintes reformas: A introdução de escalões A extensão e padronização de regulamentos Aumento da especialização de tarefas Uso de equipamento padronizado Criação de linguagem e comando Treinamento sistemático de que envolvia exercícios de guerra. Frederico, O grande, da Prússsia.
  7. 7. A burocracia de Weber Weber foi um dos primeiros teóricos organizacionais a observar os paralelos entre a mecanização da industria e as formas burocráticas de organização.As primeiras definições abrangentes de burocracia: Precisão Velocidade Confiabilidade eficiência Regularidade Clareza
  8. 8. Administração Clássica e princípios mecanicistas da organização Henry Fayol Lydall Urwick F.W. Mooney Todos estavam interessados nos problemas da administração prática e procuraram codificar sua experiência de organização bem-sucedida para que outros a seguissem.
  9. 9. Administração Clássica e princípios mecanicistas da organização Os princípios básicos de seu pensamento são:
  10. 10. A organização torna-se uma forma de engenharia Assim como um engenheiro projeta uma máquina, sua tarefa é definir uma rede de partes interdependentes arranjadas numa sequencia especifica e ancoradas por pontos de resistência ou regidos precisamente definidos, os teóricos clássicos tentaram chegar a um projeto semelhante: Eles criam uma organização como uma rede de partes = Divide em departamentos Eles planejam a estrutura organizacional tão precisamente = Uso de organogramas e hierarquias
  11. 11. Criando flexibilidade limitada através da descentralização Os princípios da administração clássica são básicos tanto para a burocracia centralizada quanto para sua variante encontrada nas formas de organizações de matriz e divisões, em que várias unidades são autorizadas a funcionar de maneira semi-autonoma. Assim, os teóricos da administração clássica viram a necessidade de conciliar requisitos contraditórios de centralização e descentralização para preservar uma flexibilidade adequada a cada organização. centralização A centralização é a maneira na qual a localização da tomada de decisão está próxima do topo hierárquico da organização. Descentralização Já a descentralização pressiona os níveis hierárquicos mais baixos a tomarem decisões.
  12. 12. Alcançando Metas através dos sistemas de controle de cima para baixo Formas de MBO’s (Management By Objectives: Gestão por objetivos) são frequetemente usadas para impor um sistema mecanicista de metas e objetivos a uma organização. Ex.: Através do desenvolvimento de metas de desempenho consistentes com esse objetivos e vários sistemas orçamentários. Exemplos: Lojas
  13. 13. Desumanizando os trabalhadores para atingir os objetivos da organização Os teóricos Clássicos deram pouca tenção aos aspectos humanos. Por isso foram muito criticados por terem negligenciado o lado humano da organização. Eles usaram o principio de Frederico, o grande, ao extremo. Mas Frederick Taylor as desenvolveu a um extremo lógico.
  14. 14. Aumentando a eficiência pela divisão do trabalho em suas menores partes A administração científica de Taylor pode ser resumida em cinco princípios básicos: 1) Transfira toda a responsabilidade da organização do trabalho do trabalhador para o gerente; os gerentes devem pensar a respeito de tudo o que se relaciona com o planejamento e a organização do trabalho, deixando aos trabalhadores a tarefa de implementar isso na prática; 2) Use métodos científicos para determinar a forma mais eficiente de fazer o trabalho; planeje a tarefa do trabalhador de maneira correta, especificando com precisão a forma pela qual o trabalho deva ser feito; 3) Selecione a melhor pessoa para desempenhar o cargo, assim especificado; 4) Treine o trabalhador para fazer o trabalho eficientemente; 5) Fiscalize o desempenho do trabalhador para assegurar que os procedimentos apropriados de trabalho sejam seguidos e que os resultados adequados sejam atingidos.
  15. 15. A organização racional do trabalho assenta em dois aspectos fundamentais Estudo dos tempos e dos movimentos. A organização científica do trabalho baseia-se na decomposição das tarefas, as tarefas são de tal forma simplificadas que podem ser aprendidas por mão-de-obra não qualificada. Tem por objetivo determinar o tempo médio que um operário normal demora a realizar a tarefa obtendo assim o tempo padrão que consideram como um instrumento básico de racionalização do trabalho.
  16. 16. Vantagens e Limitações da metáfora da máquina Vantagens: Abordagens mecanicistas da organização funcionam bem sob as condições em que as máquinas funcionam bem. Permite eliminar movimentos inúteis e o desperdício de esforço humano Torna a seleção do pessoal mais racional Estabelecimento de normas bem delimitadas Permite maior especialização e aumento da eficácia do operário. Taylor gostava de dizer a seus empregados: “ Você não tem que pensar aqui, há outras pessoas que são pagas para pensar.” Os trabalhadores de Taylor deviam ser tão confiáveis, previsíveis e eficientes quanto os robôs que hoje em dia os substituem.
  17. 17. Vantagens e Limitações da metáfora da máquina Limitações: Abordagens mecanicistas criam formas organizacionais que tem dificuldade de se adaptar a mudança. Abordagens mecanicistas podem resultar em um tipo de burocracia insensível e desprovida de bom-senso.
  18. 18. Bibliografia

×