Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Manoel Bastos Tigre

1,256 views

Published on

Trabalho apresentado por Camila S. Coppola, Eulália Moreno Chaves, Mariana de Paula, Nayabe Rodrigues, Regina Bracco no evento Bibliotecário Nota 10.

Published in: Education
  • Login to see the comments

  • Be the first to like this

Manoel Bastos Tigre

  1. 1. FaBci – 1º Semestre Matutino – 2012Camila S. Coppola, Eulália Moreno Chaves, Mariana de Paula,Nayabe Rodrigues, Regina Bracco MANOEL BASTOS TIGRE 12/03/1882-02/08/1957O intelectualManoel Bastos Tigre teve uma trajetória profissional e intelectual bastantediversificada, que se iniciou em Recife, Pernambuco, onde nasceu, e seconsolidou no Rio de Janeiro, onde viveu a partir de 1899. É de sua autoria umsem-número de trabalhos realizados para várias mídias, da publicidade à música,passando pelo teatro, o rádio, a imprensa, a prosa e a poesia. Embora graduadoem engenharia, optou por ser bibliotecário.Seu talento foi notado e registrado desde muito cedo. Aos 15 anos criou, noSeminário de Olinda, onde estudava, o jornal O Vigia, no qual já se destacavamsuas qualidades humorísticas e críticas. Aos 17, no Rio de Janeiro, publicou seuprimeiro livro, Saguão da Posteridade, e começou a frequentar rodas deintelectuais, das quais participavam, entre outros, Olavo Bilac, Pedro Rabelo eMartins Fontes. Aos 18 anos começou a escrever para a revista humorísticaTagarela e aos 20 ingressou no jornal Correio da Manhã. Como jornalista,colaborou com quase todos os grandes órgãos de imprensa cariocas.Desde essa época era grande o prestígio e a popularidade de Bastos Tigre naimprensa e entre artistas e intelectuais. Em 1906 estreou a revista musicalMaxixe, a primeira de mais de uma dezena de peças que escreveu. No rádio, foium dos precursores do rádio-teatro. Mas foi como publicitário que o humor e aespirituosidade de Bastos Tigre, bem como sua facilidade para criar versos,slogans e trocadilhos, fizeram dele um dos nomes mais importantes dosprimórdios, e da história, da nossa publicidade. Criou o consagrado slogan daempresa Bayer, “Se é Bayer é bom”, utilizado internacionalmente, e o que se
  2. 2. considera o primeiro jingle do Brasil, para a cervejaria Brahma, “Chopp emGarrafa”, em parceria com Ary Barroso.O bibliotecárioEm 1915 candidatou-se ao primeiro concurso para Bibliotecário Arquivista doMuseu Nacional, classificou-se em primeiro lugar, com sua tese sobre a“Classificação Decimal”, baseada no sistema de Melvil Dewey, e se tornou oprimeiro bibliotecário concursado do país. Bastos Tigre conheceu Dewey nosEstados Unidos quando fazia um curso de especialização na área de Engenharia,entre 1906 e 1909. A disseminação desse trabalho foi um marco importante naárea da Biblioteconomia, o que, junto com suas muitas contribuições ao livro e àsbibliotecas, rendeu a Bastos Tigre o título de “Patrono dos BibliotecáriosBrasileiros”.Foi o primeiro diretor da Biblioteca Central da Universidade do Brasil (atualmenteUniversidade Federal do Rio de Janeiro, UFRJ). A partir de 1952, mesmoaposentado e com 70 anos de idade, continuou ativo. Seu trabalho em prol doslivros e da cultura ultrapassava a obrigação profissional, o que o levou a dirigirvoluntariamente outras bibliotecas, como a da Sociedade Brasileira de AutoresTeatrais e a da Associação Brasileira de Imprensa, que hoje leva seu nome.Por seus esforços na divulgação do livro, Bastos Tigre recebeu, em 20 de janeirode 1957, o prêmio Paula Brito, criado pela Biblioteca Municipal do Rio de Janeiro.E em 1958, o prefeito do então Distrito Federal, Francisco Negrão de Lima,instituiu o “Dia do Bibliotecário”, a ser comemorado em 12 de março, data donascimento de Bastos Tigre. Posteriormente, essa comemoração passou a terabrangência nacional.Não se pode contar a história da Biblioteconomia no Brasil sem incluir a atuaçãode Manoel Bastos Tigre. Multifacetado, multimidiático, intelectual fértil, criativo earguto, soube como ninguém usar e moldar a palavra e suas nuances, com todosos recursos e em todos os meios que teve à disposição. Vanguardista, foi umgrande comunicador, sempre antenado com o que havia de mais atual no espaçoe tempo em que construiu a sua história.
  3. 3. Referências BibliográficasBRASIL. Decreto n° 84.631 de 12 de abril de 1980. Dispõe sobre o dia nacionaldo bibliotecário e a semana nacional do livro e da biblioteca. Diário Oficial daUnião, Brasília, 09 de abril de 1980.CERVEJA, Brahma. Brahma Chopp: o primeiro jingle do Brasil. Disponível em<http://www.brahma.com.br/sabor/2011/02/brahma-chopp-o-primeiro-jingle-do-brasil/> Acesso em 04 de março de 2012.CONSELHO REGIONAL DE BIBLIOTECONOMIA 3ª REGIÃO. Fortaleza.Homepage. Disponível em < http://www.crb3.org.br/carreira.php?codigo=13>Acesso em 03 de março de 2012.FERRAZ, Arnaldo. Bastos Tigre: eclética trajetória. Rio de Janeiro. Lado a LadoEditores Associados, 1987.FÓRUM DE CIÊNCIA E CULTURA UFRJ. Rio de Janeiro. Homepage. Disponívelem: <http://www.forumufrj.com.br/biblioteca/?page_id=22 > Acesso em 03 demarço de 2012.TIGRE, Manoel Bastos. Reminiscências: a alegre roda da Colombo e algumasfiguras do tempo de antigamente. Brasília. Thesaurus, 1992.TIGRE, Sylvia Bastos (Coord.). Bastos Tigre: notas biográficas. Brasília, 03 demarço de 1982.

×