Alguns poemas dispersos e uma                                              parede só para mim                             ...
Ficha TécnicaMuseu de Arte Contemporânea - Fortaleza de São TiagoRegião Autónoma da MadeiraSecretaria Regional da Educação...
Agradecimentos:Isabel Santa Clara, Graça Berimbau, Domingas Pita,Teresa Mafalda Gonçalves, Nazaré Gonçalves
1981 – “Exposição Colectiva de Pintura e Escultura”, Ilhatur, Rua da       Carreira, Funchal.     –“Encontro Funchal em Li...
Alguns poemas dispersos e uma                       – “Artistas Madeirenses em Coimbra”, Galeria Cinco, Coimbra           ...
1996 – Co-organização e participação em “Ilhas de Babel”, Galeria da                      O jogo com o espaço, com a matér...
2000 - “20 Anos de Artes Plásticas na Madeira”, MAC, Casa da Cultura                                                      ...
2007 –“Semear ainda Compensa?”, exposição com Domingas Pita, Casa              Assim, temos a instalação Poema, aqui prese...
Teresa Jardim                                                          Teresa Maria Gonçalves Jardim é licenciada em Artes...
As palavras caem do céu                                                                     Não dei a volta               ...
Sais de prataRede de malhafina espessura de palavras, o espelhoredondo, o jarrão de floreso sorriso de sais de prata ensai...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Alguns poemas dispersos e uma parede só para mim...

2,974 views

Published on

Published in: Travel, Entertainment & Humor
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
2,974
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
1,150
Actions
Shares
0
Downloads
8
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Alguns poemas dispersos e uma parede só para mim...

  1. 1. Alguns poemas dispersos e uma parede só para mim Intervenção nos espaços do Museu de Arte Contemporânea do Funchal em diálogo com a exposição rotativaMUSEU DE ARTE COMTEMPORÂNEAFORTALEZA DE SÃO TIAGO - FUNCHALdesign gráfico: Márcia de Sousa
  2. 2. Ficha TécnicaMuseu de Arte Contemporânea - Fortaleza de São TiagoRegião Autónoma da MadeiraSecretaria Regional da Educação e CulturaDirecção Regional dos Assuntos CulturaisDirecção: José Manuel de Freitas Sainz- TruevaTexto: Isabel Santa ClaraSecretariado: Inácia Vanda Rodrigues / Márcia de SousaMontagem: Teresa Jardim, Graça Berimbau, Domingas Pita, Teresa Jardim 11Teresa Mafalda GonçalvesApoio à montagem: Agostinho de Andrade /ReginaldoGonçalves / Idalina Silva / Candida Pinto Museu de Arte Contemporânea do FunchalMAC Fortaleza de São TiagoRua do Portão de São Tiago, 2050-260 FunchalTel: +351 291 213340 / Fax: +351 291 213348e-mail: mac.funchal@sapo.pt ou mac.funchal@gmail.comhttp://www.culturede.com/pt/museus/arte_contemporanea/li 18 de Maio de 2011 Dia Internacional dos Museussta.aspxhttp://www.macfunchal.blogspot.com Funchal, 18 de Maio de 2011
  3. 3. Agradecimentos:Isabel Santa Clara, Graça Berimbau, Domingas Pita,Teresa Mafalda Gonçalves, Nazaré Gonçalves
  4. 4. 1981 – “Exposição Colectiva de Pintura e Escultura”, Ilhatur, Rua da Carreira, Funchal. –“Encontro Funchal em Lisboa”, Lisboa. –“Estudio Experimental de Desenho” (orientação do Professor Lagoa Henriques), Museu de Arte Sacra, Funchal. –“ 2ª Exposição Escolar ”, Galeria do ISAPM, Funchal.1976 –“Poesia 76”, exposição de poesia ilustrada, átrio da CMF, Funchal.Em poesia, entre outras participações, faz parte do CD editado pela RádioTSF, O canto dos poetas madeirenses; editou Anjos de Areia, DRAC, Funchal,1993 e Jogos Radicais, Assírio e Alvim, Lisboa, 2010 Eu vivo aqui no desenho mais alto da Ilha; continua a dar- me em cada manhã a revelação das mãos (excertos do livro Jogos Radicais. Desenho a grafite sobre madeira; espelho e 44 resmas de papel A4; vinil sobre parede). Pormenor da montagem
  5. 5. Alguns poemas dispersos e uma – “Artistas Madeirenses em Coimbra”, Galeria Cinco, Coimbra parede só para mim 1987 – “dezassete Graus Oeste”, Galeria Altamira, Lisboa e, Galeria Quetzal - “Marca-Madeira 87”, Funchal. Toda esta exposição de Teresa Jardim se organiza em torno do diálogo com –Co-coordenação e participação na “I Mostra da Circul´Arte - Associação de Artistas Plásticos da Madeira, mostra integrada napeças da colecção do Museu de Arte Contemporânea do Funchal, seleccionadas e Marca-Madeira 87”, Teatro Municipal Baltazar Dias, Funchal.expostas segundo critérios dos próprios responsáveis pelo Museu. Por outras palavras, –“III Prémio Vespeira”, Montijo.as suas peças partem de um facto consumado, interferindo e dialogando com ele. 1986– “Nove Novos”, Galeria da SRTC, Machico, Madeira.Se algumas delas são recuperadas de anteriores mostras, outras foram especificamente –“Semana da Madeira em Coimbra”, Coimbra. 1985 –“II Prémio Vespeira”, Montijo.(apetece dizer site-specificamente) criadas para esta circunstância, ou surgem –“Seis Novos Artistas Plásticos”, Galeria da SRTC, Funchal.espacializadas de outro modo, como acontece com os poemas. Estamos, pois, perante –“Encontro Madeira-Açores”, org. DRAC/Madeira e ISAPM,uma leitura muito pessoal tanto do espaço do Museu como das obras expostas, feita Academia das Artes, Ponta Delgada, Açores. –“I Bienal dos Açores e Atlântico”, Ponta Delgada, Açores.por alguém que tem vindo a trabalhar, de diversas maneiras, a transversalidade entre –“Fotografia & Design”, Galeria do ISAPM, Funchal.palavras e imagens. –“Panorâmica”, Galeria do Casino Estoril. A poesia escapa ao livro e corre pelas paredes, num outro face a face com o 1983 –“24 Artistas Madeirenses nos Açores”, Ponta Delgada, Açores.leitor. Assim exposto, destituído da protecção da página e da capa, o texto adquire –“Exposição 83”, Galeria do Museu de Arte Sacra, Funchal. 1982 –“Salão de Artes Plásticas”, Dia da Cidade do Funchal, Teatrouma força interpelativa. São vários os processos utilizados para escrever o texto, ora Baltazar Dias, Funchal.os caracteres emergem como um intervalo nos gestos do desenho, ora são escritos –“Exposição Colectiva de Artes Plásticas”, org. Ilhatur, Pátio daa cheio. São as palavras em néon, no entanto, que exploram de modo ainda mais Rua da Carreira, Funchal.evidente essa flutuação entre legibilidade e a visibilidade das palavras.
  6. 6. 1996 – Co-organização e participação em “Ilhas de Babel”, Galeria da O jogo com o espaço, com a matéria, com as coisas, é por vezes SRTC, Funchal. desconcertante, como acontece na zona da capela em que, ao mar desmaterializado1993 – Organização e participação em “Escada de Jacob”, com Lígia do andar de baixo, corresponde um céu inscrito no cimento tangível e opaco. Uma Gontardo, Domingas Pita e Eduardo de Freitas, Casa Museu Frederico de Freitas, Funchal. substância feita para a imobilidade e a sedentarização, vertida na portabilidade de1991 –“Olhares Atlânticos”, Bi blioteca Nacional, Lisboa. uma mala. É a mesma atitude, afinal, com que nos deparamos muitas vezes nos –“Diálogos”, colectiva com Guilhermina da Luz, Graça Berimbau, poemas, já desde os Anjos de Areia: o oxímoro, a transfiguração do literal, a ironia Domingas Pita, Filipa Venâncio, e Mafalda Gonçalves, Galeria da CMPS, Porto Santo. acre. Para além da mala, a tábua de engomar e as cadeiras são objectos desviados1990 –Co-coordenação e participação em “Ideias & Argumentos”, Colectiva da quotidiana banalidade, da domesticidade, apresentados em situação de tensão da Circul´Arte - Associação de Artistas Plásticos da Madeira, Funchal. com a palavra. A cor, usada com parcimónia, também participa desta estratégia –“Formação Designer”, org. Instituto Superior de Artes Plásticas da desviante, como mostram os rostos obsessivamente repetidos e padronizados que Madeira, Galeria SRTC, Funchal.1989 – “WOAUH”, Galeria da SRTC, Funchal. revestem as peças Pele e Amor, lembrando que nem sempre o cor-de-rosa é o que –Co-coordenação e participação na “II Mostra da Circul´Arte - parece. Associação de Artistas Plásticos da Madeira”, Teatro Municipal Uma outra atitude recorrente em Teresa Jardim é o desnudar do acto criativo, Baltazar Dias, Funchal. –“II Mostra de Poesia Ilustrada”, Teatro Municipal Baltazar Dias, neste caso é conseguido pelo work in progress a que se pode assistir, já que a Funchal elaboração de uma das peças se vai desenrolando já na presença dos visitantes. De1988 –Co-coordenação e participação na representação de artistas no certo modo, esta atitude complementa outras achegas anteriores, que falam stand da Circul´Arte, Fórum de Arte Contemporânea, Lisboa. bastidores do poema, e da sua gestação. – “Insinuações & Propostas”, Colectiva da Circul’Arte, Teatro Baltazar Dias, Funchal.
  7. 7. 2000 - “20 Anos de Artes Plásticas na Madeira”, MAC, Casa da Cultura de Santa Cruz, Madeira - “Marca Madeira /2000”, pela Galeria da SRTC, Madeira Tecnopolo, Funchal 1999 –“1º Concurso Regional de Artes Plásticas, Casa das Mudas onde obteve Menção Honrosa. –“Um Retrato para Fernando Pessoa”, org. Associação Fernando Pessoa, Porto. –“20 Anos de Artes Plásticas na Madeira, Museu de Arte Contemporânea, Funchal. –“O Lugar da Ilha”, Museu de Arte Contemporânea, Funchal. –“Ao Largo das Ilhas”, Galeria Arco 8, parceria da DRAC/Circul´Arte, Ponta Delgada, Açores. 1998 –Co-realização e participação em “Os Passos do Tempo”, Casa das Mudas, Calheta. – “Primeiro Prémio do Concurso de pintura e Escultura”, Galeria Inquisição. 1997 – “A Casa, a Terra, o Céu - Lisboa Contemporânea”, Galeria Altamira, Lisboa. –“FAC 97 - Feira de Arte Contemporânea”, Fil, Lisboa. –“Acreditar”, Exposição Colectiva de Artes Plásticas, Galeria da SRTC, FunchalPoema (tecitura com livros de poesia; luz de néon).Pormenor da montagem –“Marca-Madeira 97”, participação pela Galeria Edicarte e Galeria da SRTC, Funchal.
  8. 8. 2007 –“Semear ainda Compensa?”, exposição com Domingas Pita, Casa Assim, temos a instalação Poema, aqui presente, em que a palavra escrita a néon se da Cultura de Câmara de Lobos, Câmara de Lobos, Madeira. ergue, como um título, sobre livros atados sinapticamente uns os outros construindo – Natal Ilha, Casa da Cultura de Câmara de Lobos, Câmara de Lobos, 1 uma paisagem mental para as palavras ; mais virada para o tempo de pousio, lembremos Madeira2006 - “Stock Paiting” Casa Museu Universo de Memórias, Funchal a performance durante a inauguração de Hortus Deliciarum, em que Teresa Jardim2005 - “casas próximas”, exposição com Domingas Pita e Miguel Ângelo ficou em repouso sobre o piano, com folhas em branco espalhadas em volta, num Martins, Espaço Magnólia, Funchal. sono/ sonho que marca o tempo de intervalo entre duas fases de laboração. 2 – Concertos de Primavera, Jardim Botânico e Museu da O título Alguns poemas dispersos e uma parede só para mim aponta uma Electricidade - Casa da Luz, Funchal.2004 –“Lonarte – Arte na rua”, projecto de poesia de Teresa Jardim dicotomia esclarecedora, a da dispersão/concentração que atravessa, em jeito de intitulada “Jardins do Mar Suspensos”, com ilustrações de Domingas pulsação, este e outros momentos do trabalho de Teresa Jardim. Nessa parede só Pita e Teresa Jardim impressas em faixas de lona; promoção da para ela (qual o indispensável room of one’s own) há uma paisagem escrita devagar, Casa das Mudas - Casa da Cultura da Calheta, Calheta, Madeira. que me lembra a reflexão de Perejaume, no seu livro La obra y el miedo: as formas –“20 Olhares sobre o corpo em movimento”, Museu da Electricidade - Casa da Luz, Funchal. actuais de paisagismo parecem ter incorporado o tempo como mais um elemento –“Ilustração da Obra de John dos Passos”, Centro Cultural John dos territorial. Por outras palavras, não se trata já de representar uma paisagem vista, Passos, Ponta do Sol, Madeira. mas de evocar uma paisagem vivida. E de um tempo, pessoal e intransmissível, mas – II Feira Transregional de Economia Solidária, Las Palmas, Canárias2002 – Co-organização e participação em “Duas Dúzias e Meia de Postais nem por isso menos partilhável, dão conta os gestos e os percursos que invadiram (um olhar feminino em torno do Natal)”, Atelier de artistas, Funchal. a paisagem física e mental deste Museu.2001 – Co-organização e participação em “Galeria em Grande – Exposição Colectiva de Pequeno Formato”, Galeria da SRTC, Funchal. Isabel Santa Clara 1-Apresentada pela primeira vez em 2007, na Casa da Cultura de Câmara de Lobos, integrada na exposição Semear ainda compensa?. 2 - Hortus Deliciarum, Salão Nobre do Teatro Municipal do Funchal, Abril de 2010.
  9. 9. Teresa Jardim Teresa Maria Gonçalves Jardim é licenciada em Artes Plásticas/Pintura e em Design de Projectação Gráfica. É professora de Artes Visuais, da Escola Secundária de Francisco Franco. Exposições individuais: 2001 – “eu vivo aqui”, Galeria da SRTC, Funchal. 1997 – “Jogos de Adivinhação”, Galeria da SRTC, Funchal. 1984 – “porque te amo”, Galeria do ISAPM, Funchal. Co-organizou e/ou participou, desde 1976, em mais de meia centena de exposições colectivas, das quais destaca: 2010 – “Hortus Deliciarum”, com Alice Sousa, Carmen e J. Manuel Gomes, Teatro Municipal Baltazar Dias, Funchal. 2009 – “Viagem ao Coração dos Pássaros”, Casa da Cultura de Câmara de Lobos, Câmara de Lobos, Madeira. – “Conceito Estreito 2”, Centro Cívico do Estreito de Câmara de Lobos, Câmara de Lobos. 2008 –“Horizonte Móvel – Artes Plásticas na Madeira 1960-2008”, Museu de Arte Contemporânea, Fortaleza de São Tiago, Funchal. –“Conceito Estreito”, Casa da Cultura de Câmara de Lobos, Câmara de Lobos, Madeira. – “Omeninodasuamãe”, Casa da Cultura de Câmara de Lobos, Câmara de Lobos, MadeiraMemória (luz de néon, espelho e fotografia sobre tela).
  10. 10. As palavras caem do céu Não dei a volta Não dei a volta à chaveA explicação o poema abriué simples: as palavras caem do céuda boca o nosso quartopequenos milagres escuro, o osso da cabeçaque esqueço nas escarpas durada pelese escrevo rumores, a sombra projectada palavras em peledo sangue e osso. A pele (pintura a acrílico e luz de néon sobre tela; O céu e o mar (objecto/mala e palavra sulcada em poema recortado em vinil – As palavras caem do céu). cimento).
  11. 11. Sais de prataRede de malhafina espessura de palavras, o espelhoredondo, o jarrão de floreso sorriso de sais de prata ensaiadovezes sem conta, nas fotografias demoradasno estúdio da Photographia Vicenteso tempo distendido das Ilhas, diz-sebraço de anzóisque mais tarde ou mais cedo descobrirássobre os meus ombros poemas: Sais de prata, Biografia adiada, (tapume com sacos de plástico e papel amachucado dentro; poemas recortados em vinil).

×