Marketing Digital - Publicação e Encontrabilidade

1,309 views

Published on

Aula sobre 4º P (publicação) do ciclo do marketing digital .

Published in: Education
0 Comments
1 Like
Statistics
Notes
  • Be the first to comment

No Downloads
Views
Total views
1,309
On SlideShare
0
From Embeds
0
Number of Embeds
614
Actions
Shares
0
Downloads
8
Comments
0
Likes
1
Embeds 0
No embeds

No notes for slide

Marketing Digital - Publicação e Encontrabilidade

  1. 1. GERAÇÃO DE CONTEÚDO 4º P - Publicação
  2. 2. BUSCANDO POR SOLUÇÕES  Busca genérica  Forneça artigos sobre problemas e artigos encaminhando para uma solução sugerida. (palavras- chave genéricas)  Busca específica  Forneça descrições detalhadas de produtos, linguagem acessível, usabilidade, amostras. (palavras-chave específicas)
  3. 3. OFERECER COMPARAÇÃO DE OPÇÕES  Comparador de produtos  Sugestão de melhor solução  Impressão e envio por e-mail  Dúvidas frequentes  Muitas fotos e textos com detalhes
  4. 4. AVALIANDO A EXPERIÊNCIA COMPRA  Pesquisa de satisfação via e-mail  Sugestão de produtos e serviços complementares  Programa de fidelização  Estimular o marketing boca-a-boca positivo e monitorar opiniões em redes sociais
  5. 5. AUMENTO DE CREDIBILIDADE
  6. 6. VENDABILIDADE Vendabilidade Reciprocid ade Prova Social Comprom etimento Afinidade Números Autoridade
  7. 7. GERAÇÃO DE CONTEÚDO  Responda às perguntas dos clientes  Às vezes se torna difícil entender a opinião do cliente se não estamos em contato direto com ele, por isso, tente conversar com o time de vendas e suporte para descobrir quais são as dúvidas comuns dos clientes.  Transformar as dúvidas deles em posts pode ser bastante valioso.  Reúna informações do setor  Junte gráficos, estatísticas e outras informações do seu setor de atuação em um único post e torne o acesso mais fácil. Esse tipo de conteúdo também costuma receber muitos links, ajudando sua página a se posicionar melhor no Google.  Vá além dos textos  Um post não é, necessariamente, um texto, incremente com vídeos, imagens, áudios, ou até mesmo SlideShare.
  8. 8. GERAÇÃO DE CONTEÚDO  Peça a opinião de outros autores sobre o assunto  Pessoas que não trabalham com você podem ter uma visão diferente e observar pontos que você ainda não pensou. Convide alguém para escrever no seu blog e deixe a criatividade por conta dele.  Faça listas de assuntos  Crie listas do tipo “os melhores conteúdos”, “novidades” ou “como fazer” para facilitar o seu trabalho. É uma questão de organizar melhor os temas e começar a pesquisar um pouco, assim as ideias começam a borbulhar.  Publique notícias  Existem notícias que são importantes para o mercado. O lançamento de um novo serviço ou produto, ou uma nova lei podem mudar muita coisa no seu negócio.  Estar entre os primeiros que falam sobre o assunto é um diferencial para você.
  9. 9. GERAÇÃO DE CONTEÚDO  Entreviste alguém  A vantagem da entrevista é que o foco do assunto é transferido para outra pessoa. Entrevistas com experts sempre chamam a atenção e são interessantes aos olhos dos consumidores. Hoje com as facilidades de e-mail, skype, as entrevistas ficam bem simples de serem feitas.  “Ressuscite” posts antigos  Seus posts antigos sempre podem ser melhorados, por mais sucesso que eles tenham feito. Use o post antigo como base e depois, através de novos aprendizados e maturidade no mercado, complemente-o com o que for relevante.  Olhe seu pacote de Web Analytics  O pacote de Web Analytics pode indicar a localização geográfica dos seus leitores, as páginas mais visitadas e outras informações que vão te ajudar orientar melhor o conteúdo a ser escrito. Vale a pena consultar essa ferramenta e ter em mãos informações relevantes sobre quem mais acessa o seu blog.
  10. 10. CRIAÇÃO DE POSTS Preparação para o post  Escolha a ideia principal  Para criar o post você precisa de um assunto. Para encontrá- lo, tenha sempre uma lista de ideias interessantes que mantenham o blog andando e ajudem a evitar que você pare a geração de conteúdo. Mantenha sua lista atualizada, anotando sempre que tiver um insight e procure encontrar nessa lista a ideia do post a ser escrito.
  11. 11. CRIAÇÃO DE POSTS Preparação para o post  Pesquisa de palavras-chave  Escreva o post já pensando em quais palavras-chave irá utilizar, ou seja, quais são as palavras que as pessoas mais utilizam para buscar a informação que estará contida no blog.  É importante que você escreva ou adapte o conteúdo do seu post para algo que as pessoas buscam de fato.
  12. 12. CRIAÇÃO DE POSTS Preparação para o post  Frequência de publicações  Mantenha uma frequência de postagens no blog.  Planeje com antecedência os dias em que cada post irá ao ar para evitar a distribuição irregular das publicações.  Não se preocupe em gerar posts diariamente (finais de semana, por exemplo, não costumam ter muitos acessos), mas gere um conteúdo simples e dinâmico, e escolha os melhores dias para divulgá-los.
  13. 13. CRIAÇÃO DE POSTS No momento da publicação  Título do post  Dependendo da forma como o site foi programado, mas na maioria das vezes, é o heading (cabeçalho) mais importante da página, o H1.  É extremamente recomendado que a palavra foco determinada esteja no título.  URL  O endereço precisa ser descritivo e conter as palavras-chave relevantes. Evite URLs muito grandes;
  14. 14. CRIAÇÃO DE POSTS No momento da publicação  Imagens  As imagens chamam a atenção para o post e quebram o texto, ajudando ele a ficar mais atrativo.  Para que a imagem aumente a quantidade de acessos ao post, lembre-se de preencher o texto alternativo, ele irá aparecer mesmo que a imagem não possa ser carregada.
  15. 15. CRIAÇÃO DE POSTS No momento da publicação  Categorias  Separar os posts em diferentes categorias torna mais fácil a navegação.  O usuário pode então escolher por um tema específico.  Fazendo isso, você pode tornar as páginas mais próximas da Home e mais fortes, aumentando assim a chance de se posicionar melhor no Google.
  16. 16. CRIAÇÃO DE POSTS No momento da publicação  Corrija a gramática e revise o texto  Antes de apertar o botão publicar, faça uma revisão do texto para evitar erros e corrigir os existentes.  A falha gramatical, de concordância, ou mesmo um link quebrado podem ser bastante prejudiciais e podem fazer com que as pessoas lembrem disso sempre que forem acessar outro conteúdo.  Para solucionar esse problema, peça a outra pessoa da empresa ler o post, já que normalmente é comum não percebermos erros simples quando estamos envolvidos com a escrita do texto.
  17. 17. CRIAÇÃO DE POSTS Após a publicação  Compartilhe em mídias sociais  Os canais de mídias sociais são excelentes para compartilhar o conteúdo que sua empresa possui e garantir o acesso a ele. Lembre-se da sua página no Facebook, Twitter, LinkedIn, Google+ e qualquer outra que se adapte a sua necessidade.  É importante compartilhar o post em outros blogs também, de conteúdo relacionado, ou mesmo em fóruns de redes sociais como o Linkedin.
  18. 18. CRIAÇÃO DE POSTS Após a publicação  Acompanhar comentários  Acompanhar os comentários do seu post é essencial para tirar dúvidas ou responder a críticas e elogios sobre o seu conteúdo.  É importante acompanhar a repercussão do post, já que a conversa continua e precisa ser acompanhada.
  19. 19. ENCONTRABILIDADE
  20. 20. SEM (SEARCH ENGINE MACHINE)  Técnicas aplicadas à encontrabilidade do site;  Divide-se em:  Links pagos/patrocinados;  SEO (Search Engine Optimization);
  21. 21. LINKS PAGOS/PATROCINADOS
  22. 22. LINKS PAGOS/PATROCINADOS  Conhecidos também por listas pagas, complementam a estratégia de otimização para busca em que não é possível comprar posições ou palavras-chave.  Identificar os links patrocinados é muito fácil. Na busca orgânica, eles aparecem na página de resultados do lado direito com uma cor de fundo diferente da página. Algumas vezes aparecem no topo de resultado, mas com cor de fundo diferente também. Já nos sites que vendem publicidade, eles vêem com um texto informando que é publicidade, como “anúncios Google”.  A maior vantagem dos links patrocinados é a relevância, pois os links que aparecem dependem da palavra-chave procurada ou do texto da página em que a publicidade é mostrada. Outra vantagem é que mesmo que o seu site não retorne no resultado de uma busca de determinada palavra-chave, você pode comprá-la e expor o seu site aos clientes em potencial.
  23. 23. LINKS PAGOS/PATROCINADOS  Os links patrocinados são cobrados no sistema Pay Per Click (PPC). Somente quando alguém clica no link é que o anunciante é cobrado. O posicionamento dos links patrocinados é definido no sistema de leilão. Quem paga mais aparece na frente. Mas não é só isto que define a posição. Se um anúncio tiver mais cliques que o outro, o sistema entende que ele possui maior relevância para o usuário. Com isto ele ganha maior visibilidade e melhor posição. A principal fonte de renda dos sites de busca vem dos links patrocinados.  Os principais serviços brasileiros de links patrocinados são Google Adwords, Yahoo! Search Marketing, o UOL Links Patrocinados,  O mais famoso sistema de links patrocinados é o Google Adwords. Ele inclui a busca orgânica e a publicidade em sites. O sistema de publicidade em sites dele é o Google AdSense.  As campanhas de links patrocinados envolvem a compra de palavras- chave, criação de anúncios, também conhecidos como criativos, e a segmentação.
  24. 24. SEO (SEARCH ENGINE OPTIMIZATION)  Técnicas aplicadas em potencializar e melhorar o posicionamento do site nas buscas orgânicas  O termo SEO foi usado pela primeira vez pela empresa Multimedia Marketing Group (MMG), de John Audette, onde o objetivo era realizar métodos que fizessem com que um site conseguisse um posicionamento nos resultados de busca melhor do que os concorrentes.
  25. 25. SEO (SEARCH ENGINE OPTIMIZATION)  Vantagens:  Aumento de tráfego no site;  Aumento na taxa de conversão e no ROI;  Referência da marca na web;  Deve ter:  Briefing  Planejamento  Execução  Relatórios
  26. 26. SEO (SEARCH ENGINE OPTIMIZATION)  Fatores intra site (On-Page)  Títulos das páginas  Meta tags  Heading tags  Atributo alt em imagens  Domínio  URL do arquivo  Conteúdo
  27. 27. SEO (SEARCH ENGINE OPTIMIZATION)  Títulos das Páginas  Title tag é o atributo mais importante para um bom rankeamento no Google;  Mude o nome das páginas de acordo com seu conteúdo;  Não ultrapasse 60~70 caracteres;  Use palavras-chave contextualizadas ou frases relevantes;  Deixe a frase separada do resto do título. Ex: “Marketing Digital | SEO (Search Engine Optimization)”;  Siga sua oferta e procura: informe o que está sendo oferecido na página. Ex: “Marketing Digital | Download Aula 06”  Mantenha um padrão;  Use o Título dentro da página;
  28. 28. SEO (SEARCH ENGINE OPTIMIZATION)  Meta Tags  Indispensáveis:  Title tag (<title></title>);  Meta description;  Meta keywords;  Criar meta tags únicas, criativas e que seu conteúdo seja dedicado (intimamente ligado) ao conteúdo da página em questão;  Gerar meta tags automáticas;  Deve atender a avaliação das pessoas e dos buscadores:  Para uma pessoa, a meta tag precisa ser chamativa, interessante, informativa, curiosa e com um toque de call-for-action.  Para um buscador, a meta tag precisa de uma dose de palavras-chave para que o algoritmo da ferramenta de busca classifique bem a página.
  29. 29. SEO (SEARCH ENGINE OPTIMIZATION)  Meta Tags  Quantidade de caracteres: cada meta informação deve ter até 160 caracteres e ainda passar o recado sobre o conteúdo da página utilizando os termos importantes para a página;  Encontrar o ponto de equilíbrio: sem palavras-chave repetidas;  Contador de caracteres: Word, Notepad, http://www.contadordecaracteres.org/br /
  30. 30. SEO (SEARCH ENGINE OPTIMIZATION)  Heading Tags  As tags heading (h1 – h6) foram criadas com o intuito de marcar pontos em destaque no seu conteúdo, mas nem sempre elas são usadas de forma adequada para fornecer ao usuário uma boa experiência na leitura.  Os mecanismos de busca definiram que as tags heading possuem um grau de importância no rankeamento, obedecendo a mesma filosofia que nós usamos, na leitura dos subtítulos de um texto por exemplo.  A tag <h1> deve um resumo do que o usuário vai encontrar no texto;
  31. 31. SEO (SEARCH ENGINE OPTIMIZATION)  Heading Tags  A tag <h2> deve abordar um conteúdo sub-seqüente do conteúdo da página;  As demais tags obedecem a mesma filosofia.  É importante fixar que cada página deve conter um, e apenas um <h1> e também temos que lembrar que o Webmaster não pode de maneira alguma quebrar a hierarquia de “heading tags”, ou seja, depois de um <h1> implementa-se um <h2> e assim por diante, como no exemplo abaixo:  H1  H2  H2  H3  H4  H4  H3  H2
  32. 32. SEO (SEARCH ENGINE OPTIMIZATION)  Atributo alt em imagens  Tag “alt”  O atributo alt é utilizado para facilitar a leitura de imagens em sites pelo Google, sendo, assim, de vital importância para o rankeamento de seu site no Google Images. A função principal desta tag é fornecer uma descrição alternativa para a imagem e funciona, também, como texto âncora quando a imagem é usada como link;  O alt text é exibido pelos browsers quando eles por algum motivo não mostram as imagens de determinados sites, ou enquanto estas imagens são carregadas ou, até mesmo, por não estarem mais disponíveis, sendo mostrado o texto na tela no lugar de tais imagens desativadas;  Além disso, a tag alt também é utilizada pelos bots do Google que juntamente com a tag title interpreta melhor o significado da imagem e sua relação com a página em questão. Como esse texto alternativo serve para representar uma imagem;  Um ponto que muitos usuários confundem quando se trata da tag “alt”, é atribui-la como a responsável pela exibição do hint ou tooltip (pequena janela geralmente de fundo amarelo que aparece quando se passa o mouse por cima de uma imagem mostrando algum tipo de descrição da mesma).  A tag alt é obrigatória para o uso de imagens de quaisquer naturezas e não deve ser utilizada como spam de palavras-chave;
  33. 33. SEO (SEARCH ENGINE OPTIMIZATION)  Atributo alt em imagens  Tag “longdesc”  Utilizada para descrições mais extensas;  O atributo longdesc fornece ao usuário um campo onde é inserido um link para uma URL com uma descrição mais completa e relevante da imagem;  Tag “title”  Complementa para a tag alt, exibe o hint da imagem e não possui limite de caracteres;
  34. 34. SEO (SEARCH ENGINE OPTIMIZATION)  Atributo alt em imagens  Indexação x Robots.txt  Analise seu robots.txt e confira se os bots estão chegando até suas imagens e se o mesmo não impede de alguma forma a indexação de cada uma delas;  O bot de imagens tem esse comportamento devido ao próprio fato de imagens não serem atualizadas com tanta frequência, logo, não faz sentido ficar solicitando todas imagens do site a cada visita;
  35. 35. SEO (SEARCH ENGINE OPTIMIZATION)  Atributo alt em imagens  Nome da imagem - dê nomes significativos para suas imagens;  Evite cópias - produza suas próprias imagens;  Acesso: tenha cuidado com os acessos diretos nos diretórios de imagens;  Formatos e qualidade padrão - jpg, gif, bmp e png, pense na qualidade mas também no tempo de carregamento da página;
  36. 36. SEO (SEARCH ENGINE OPTIMIZATION)  Domínio  Domínio adequado - da mesma maneira que a url de um post deve descrever o conteúdo do mesmo, o domínio principal deve descrever de maneira sucinta o conteúdo do site – se isso é bom para seus usuários, para as search engines essa afirmação também é válida. Para tanto, utilizar uma keyword, seu sinônimo ou até mesmo uma long-tail é essencial;  Domínio indisponível - domínios com correspondência exata com palavras-chave e pesquisas geralmente não são tão fáceis de encontrar, pois a probabilidade de já terem um dono é grande;
  37. 37. SEO (SEARCH ENGINE OPTIMIZATION)  URL do Arquivo  Descrição do Conteúdo - quando se olha para a barra de endereços do navegador e se consegue saber qual o conteúdo da página, antes mesmo de carregar esse conteúdo;  Use URLs Curtas - quanto mais curta a URL, mais fácil será lembrá-la, copiá-la, passar adiante, usá-la de todas as formas possíveis, facilitando sua divulgação;  URLs Estáticas - alguns motores de busca tratam URLs estáticas e dinâmicas, o que já é motivo suficiente para se ter este cuidado, mas vale ainda citar que URLs estáticas são mais memoráveis;  URLs com palavras no lugar de números - palavras descrevem muito melhor um conteúdo do que números. Atente para os nomes dos diretórios devido a encontrabilidade e manutenção;
  38. 38. SEO (SEARCH ENGINE OPTIMIZATION)  URL do Arquivo  Evite Subdomínios – vai em sentido contrário da premissa de URLs curtas e pode ficar complexo para o usuário;  Pastas – evite subpastas, isso melhora a navegabilidade e leitura dos motores;  Frases na URL – dê preferência a separar a frase por hífen (-);  Padronização – estabeleça um padrão de URL;  Maiúsculas e Minúsculas – use apenas letra minúsculas;
  39. 39. SEO (SEARCH ENGINE OPTIMIZATION)  Conteúdo  Parte da otimização de um site está ligada a maneira como você escreve e dispõe as informações nas páginas do seu site. E isso, por consequência, está ligado à usabilidade do site, que trata de deixar um site amigável aos olhos de qualquer pessoa, trata de deixá-lo fácil de entender;  Dicas de Como Escrever na Web  Título da página claro e destacado;  Valorizar os 2 primeiros parágrafos;  Evite parágrafos introdutórios enrolados;  Escreva parágrafos curtos envoltos por espaço vazio (espaço entre os parágrafos);  Use imagens bem feitas e elucidativas;  Use listas para destacar pontos importantes;  Use subtítulos para especializar o conteúdo;  Use efeitos de texto (negrito e itálico);  Cite referências e faça outros links;  Utilize a gramática corretamente;
  40. 40. SEO (SEARCH ENGINE OPTIMIZATION)  Fatores extra site (Off-Page)  Número de links externos  Qualidade dos links externos  Texto âncora dos links externos  Idade de um domínio
  41. 41. SEO (SEARCH ENGINE OPTIMIZATION)  Número de links externos  Dentre as técnicas de SEO, o Link Building é a principal para se ganhar reputação, reconhecimento dentro do nicho de mercado que você trabalha;  Participação em sua comunidade: se existem blogs que tratam do mesmo assunto que seu negócio, comente, pergunte, elogie, sem fazer propaganda explícita e somente comentários relevantes;  Parcerias e boa vizinhança: ganhe espaço em sites e blogs do mesmo ramo, contudo, seja cuidadoso, pois a Google pune o link farm, pois identifica que é uma mera troca de links e manipulação dos resultados da busca;
  42. 42. SEO (SEARCH ENGINE OPTIMIZATION)  Número de links externos  Como Ganhar Links e Reputação  Conteúdo relevante: se você quer que o seu conteúdo ganhe links, ele obrigatoriamente tem que ser interessante, criativo, possuir algum diferencial e a tática é cobrir alguma área que esteja faltando informação;  Anunciar o conteúdo: você deve identificar o público que precisa da informação e avisá-los que a informação existe e que está no seu site;  Conteúdo Relacionado: consiga links de sites com conteúdo relacionado ao seu;
  43. 43. SEO (SEARCH ENGINE OPTIMIZATION)  Qualidade dos links externos  Link Building é o conjunto de técnicas de SEO e otimização de sites responsável pela arquitetura interna de links de um site e pela conquista de links externos, que são tão importantes quanto os links internos;  Os objetivos de conseguir links com uma campanha de Link Building são, não só conseguir links para aumentar o Page Rank e conquistar um melhor posicionamento do site nas buscas, como também conseguir aumentar as visitas do site;  Mapear seu site: redescobrir cada página existente e qual o assunto tratado em cada página para que sejam definidas as keywords que cada página deve focar e, por consequência, o texto âncora que deve ser usado para linkar para cada página;  Semântica dos links;  Otimização de URL;
  44. 44. SEO (SEARCH ENGINE OPTIMIZATION)  Texto âncora dos links externos  Link: um voto com uma descrição sobre o que a página trata, qual assunto aborda, o que o usuário vai encontrar depois de um clique;  Divide-se em URL Linkada e texto descritivo;  Texto descritivo: é chamado também de texto âncora e esta descrição é quem faz um site posicionar-se bem para uma determinada palavra-chave, sendo que a página em si (ou domínio) sequer possui informação sobre determinada palavra-chave;
  45. 45. SEO (SEARCH ENGINE OPTIMIZATION)  Idade de um domínio  Quanto mais antigo, melhor, pois atualmente a criação de domínios é muito maior e estamos cercados de domínios com conteúdo duplicado, spam, páginas com vírus e voltadas a propaganda extensiva. Existem ainda, aqueles que criam domínios e aplicam técnicas de black hat para conseguir um maior desempenho em pouco tempo.  Compra de domínio: atente para os aspectos:  Quando ele foi registrado?  O domínio teve o seu registrar trocado?  Ele está no archive.org?  Está listado no DMOZ?  Qual era o conteúdo disponibilizado antigamente  Está banido do Google(apresenta resultados no buscador)?  Se todas as respostas forem boas, este é um domínio interessante a ser adquirido!  Domínios Expirados: são aqueles que passam do prazo para renovação e tem seu o PageRank zerado;
  46. 46.  Layout portal

×