Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
13º Congresso Brasileiro de Geologia deEngenharia e Ambiental                                                Situação dos ...
13º Congresso Brasileiro de Geologia de     Engenharia e Ambiental                                               RESUMOPol...
13º Congresso Brasileiro de Geologia de      Engenharia e Ambiental                                                       ...
13º Congresso Brasileiro de Geologia de        Engenharia e Ambiental                      CONTEXTUALIZAÇÃO – Políticas pú...
13º Congresso Brasileiro de Geologia de        Engenharia e Ambiental                      CONTEXTUALIZAÇÃO – Políticas pú...
13º Congresso Brasileiro de Geologia de       Engenharia e Ambiental            INDICADORES DE DESASTRES NO ESTADO DE     ...
13º Congresso Brasileiro de Geologia de      Engenharia e Ambiental                      INDICADOR – “NÚMERO DE ACIDENTES”...
13º Congresso Brasileiro de Geologia de      Engenharia e Ambiental                      INDICADOR – “NÚMERO DE ACIDENTES”...
13º Congresso Brasileiro de Geologia de      Engenharia e Ambiental                      INDICADOR – “NÚMERO DE ACIDENTES”...
13º Congresso Brasileiro de Geologia de      Engenharia e Ambiental                      INDICADOR – “NÚMERO DE ACIDENTES”...
13º Congresso Brasileiro de Geologia de       Distribuição dos acidentes e consequências relacionados aEngenharia e Ambien...
13º Congresso Brasileiro de Geologia de            Distribuição dos acidentes e consequências relacionados a     Engenhari...
13º Congresso Brasileiro de Geologia deEngenharia e Ambiental                                             Atendimentos    ...
13º Congresso Brasileiro de Geologia deEngenharia e Ambiental                                           Atendimentos      ...
13º Congresso Brasileiro de Geologia deEngenharia e Ambiental                                            Atendimentos     ...
13º Congresso Brasileiro de Geologia deEngenharia e Ambiental                                           Atendimentos      ...
13º Congresso Brasileiro de Geologia de                 Consequências de desastres no Estado de São Paulo, nos         Eng...
13º Congresso Brasileiro de Geologia de     Engenharia e Ambiental     INDICADOR – “PORCENTAGEM DE MUNICÍPIOS       COM IN...
13º Congresso Brasileiro de Geologia de             Engenharia e Ambiental                                      Instrument...
13º Congresso Brasileiro de Geologia deEngenharia e Ambiental            PLANOS PREVENTIVOS DE DEFESA CIVIL (PPDC)        ...
13º Congresso Brasileiro de Geologia de   MUNICÍPIOS COM MAPEAMENTO DE ÁREAS DE RISCOEngenharia e Ambiental               ...
13º Congresso Brasileiro de Geologia deEngenharia e Ambiental                                          CONSIDERAÇÕES FINAI...
13º Congresso Brasileiro de Geologia de     Engenharia e Ambiental                                               CONSIDERA...
13º Congresso Brasileiro de Geologia de    Engenharia e Ambiental                                               CONSIDERAÇ...
13º Congresso Brasileiro de Geologia de           Engenharia e Ambiental               Política Pública de Prevenção de De...
13º Congresso Brasileiro de Geologia de           Engenharia e Ambiental               Política Pública de Prevenção de De...
13º Congresso Brasileiro de Geologia de           Engenharia e Ambiental               Política Pública de Prevenção de De...
13º Congresso Brasileiro de Geologia de           Engenharia e Ambiental               Política Pública de Prevenção de De...
13º Congresso Brasileiro de Geologia de           Engenharia e Ambiental               Política Pública de Prevenção de De...
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

Situação dos desastres e riscos no estado de São Paulo e instrumentos de gerenciamento

539 views

Published on

Apesar de algumas políticas públicas para enfrentar as situações de risco já estarem implantadas há mais de 25 anos, os eventos relacionados a desastres e suas consequências danosas continuam ocorrendo. O panorama atual da situação de desastres naturais no Estado de São Paulo mostra que nos últimos onze anos foram registrados números superiores a 2.500 acidentes, mais de 300 óbitos, além de mais de 100 mil pessoas afetadas em dezenas de eventos de escorregamentos, inundações, tempestades, raios, erosão e subsidência do solo. Este trabalho discute como o problema vem sendo enfrentado pelo Poder Público por meio de instrumentos de gestão e gerenciamento.

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

Situação dos desastres e riscos no estado de São Paulo e instrumentos de gerenciamento

  1. 1. 13º Congresso Brasileiro de Geologia deEngenharia e Ambiental Situação dos desastres e riscos no estado de São Paulo e instrumentos de gerenciamento Maria José Brollo; Cláudio José Ferreira; Lídia Keiko Tominaga; Ricardo Vedovello; Paulo César Fernandes da
  2. 2. 13º Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia e Ambiental RESUMOPolíticas públicasno Estado de São Paulopara enfrentar assituações de risco implantadas há mais de 25 anosos eventos relacionados a desastres e suasconsequências danosas continuam ocorrendo.
  3. 3. 13º Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia e Ambiental RESUMO-panorama atual da Este trabalho discute como osituação de desastres problema vem sendo enfrentadonaturais no Estado deSão Paulo mostra que pelo Poder Público por meio denos últimos 11 anos: instrumentos de gestão e gerenciamento. > 2.500 acidentes, > 300 óbitos, > 100 mil pessoas afetadasem dezenas de eventosde escorregamentos,inundações,tempestades, raios,erosão e subsidênciado solo.
  4. 4. 13º Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia e Ambiental CONTEXTUALIZAÇÃO – Políticas públicas estaduais1988 - Planos Preventivos deDefesa Civil (PPDC) e Planos Casa Militar - Coordenadoria IG – órgão dede Contingência apoio técnico Estadual de2004 – Mapeamento de áreas Defesa Civilde risco em municípios doEstado2009 – Política Estadual de Secretaria Estadual de MeioMudanças Climáticas Ambiente – apoio técnico ao(Lei nº 13.798, de 09/12/2009) Comitê Gestor estabelece os princípios e os instrumentos a serem adotados pelo Governo Estadual Zoneamentos IG como forma de garantir o desenvolvimento Econômico-Ecológicos sustentável, devidamente orientado por Mapeamentos de CPLA critérios ambientais, e implementados por Risco meio de dois instrumentos principais: CEDEC
  5. 5. 13º Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia e Ambiental CONTEXTUALIZAÇÃO – Políticas públicas SEÇÃO V estaduais Plano Estratégico para Ações Emergenciais e Mapeamento das1988 - Planos Preventivos de Áreas de RiscoDefesa Civil (PPDC) e Planos Casa Militar - Coordenadoria IG – órgão de Artigo 43 - Fica a Defesa Civil do Estado responsável por elaborar o Plano Estratégico para Ações Emergenciais, com ade Contingência apoio técnico apresentação de estratégias, mecanismos e instrumentos para Estadual de sua execução.2004 – Mapeamento de áreas Defesa Civil - O Plano a que se refere o “caput” deste Parágrafo únicode risco em municípios do artigo deverá ser apresentado ao Conselho Estadual de Mudanças Climáticas até dezembro de 2010.Estado Artigo 44 - A Defesa Civil do Estado e a Secretaria do Meio Ambiente, ouvido o Comitê Gestor, deverão elaborar o2009 – Política Estadual de Secretaria Estadual de Meio Mapeamento das Áreas de Risco do Estado de São Paulo.Mudanças Climáticas Ambiente- – Mapa a quetécnico“caput” deste Paragrafo1º O apoio se refere o ao artigo fará parte integrante do Plano Estratégico de(Lei nº 13.798, de 09/12/2009) Comitê Gestor e deverá ser atualizado a cada 5 Ações Emergenciais (cinco) anos, bem como as propostas de ação deverão estabelece os princípios e os instrumentos a ser apresentados ao Conselho Estadual de Mudanças serem adotados pelo Governo Estadual Zoneamentosaté dezembro de 2011. Climáticas IG como forma de garantir o desenvolvimento Econômico-Ecológicos Parágrafo 2º - Caberá aos municípios colaborarem, por sustentável, devidamente orientado por CPLA Mapeamentos Defesa Civil Municipal, na elaboração do meio da de critérios ambientais, e implementados por Risco Mapeamento das Áreas de Risco do Estado de São meio de dois instrumentos principais: Paulo. CEDEC
  6. 6. 13º Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia e Ambiental INDICADORES DE DESASTRES NO ESTADO DE SÃO PAULO-- Não há um registro sistemático das ocorrências de desastres noEstado de São Paulo, que retratem a extensão dos problemas e suasconsequências, o que auxiliaria na eficácia da gestão deste tipo desituação.-- INDICADORES estabelecidos por Brollo & Ferreira (2009): “Número de acidentes” “Porcentagem de municípios com instrumentos de gestão de risco” -- cadastro de vistorias e atendimentos produzido pela Coordenadoria Estadual de Defesa Civil (CEDEC). -- Termos de cooperação e contratos da CEDEC ; informações do Ministério das Cidades
  7. 7. 13º Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia e Ambiental INDICADOR – “NÚMERO DE ACIDENTES”De 2000 a 2010 (meses de verão: dezembro a março), tem-seregistros de vistorias e atendimentos emergenciais de acidentesrelacionados a:escorregamentos
  8. 8. 13º Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia e Ambiental INDICADOR – “NÚMERO DE ACIDENTES”De 2000 a 2010 (meses de verão: dezembro a março), tem-seregistros de vistorias e atendimentos emergenciais de acidentesrelacionados a:escorregamentosInundação eprocessos similares(enchentes,alagamentos, etc)
  9. 9. 13º Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia e Ambiental INDICADOR – “NÚMERO DE ACIDENTES”De 2000 a 2010 (meses de verão: dezembro a março), tem-seregistros de vistorias e atendimentos emergenciais de acidentesrelacionados a:escorregamentosInundação eprocessos similares(enchentes,alagamentos, etc)erosão
  10. 10. 13º Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia e Ambiental INDICADOR – “NÚMERO DE ACIDENTES”- De 2000 a 2010 (meses de verão: dezembro a março), tem-seregistros de vistorias e atendimentos emergenciais de acidentesrelacionados a:escorregamentoserosãoinundação (e processossimilares comoenchentes, alagamentos,transbordamentos derios),outros acidentes diversos (raios, chuvasfortes, vendavais, desabamentos, etc)
  11. 11. 13º Congresso Brasileiro de Geologia de Distribuição dos acidentes e consequências relacionados aEngenharia e Ambiental Nº DE ACIDENTES NO ESTADO DE desastres naturais por OPERAÇÃO VERÃO SÃO PAULO – UGRHI (2000 a 2010) ONDE ESTÃO OS PROBLEMAS? QUAL É A DIMENSÃO DOS PROBLEMAS?
  12. 12. 13º Congresso Brasileiro de Geologia de Distribuição dos acidentes e consequências relacionados a Engenharia e Ambiental Nº DE ACIDENTES NO ESTADO DE desastres naturais por OPERAÇÃO VERÃO SÃO PAULO – UGRHI (2000 a 2010) 2569 acidentes 316 óbitos municípios atingidos- 52% inundações - 36% inundações - 235 por inundações (36%)- 19% escorregamentos - 42% escorregam. - 122 por escorregam. (19%)- 1% erosão - 22% outros- 28% outros
  13. 13. 13º Congresso Brasileiro de Geologia deEngenharia e Ambiental Atendimentos emergenciais da Operação Verão relacionados a escorregamentos (2000 a 2010)
  14. 14. 13º Congresso Brasileiro de Geologia deEngenharia e Ambiental Atendimentos emergenciais da Operação Verão relacionados a inundações (2000 a 2010)
  15. 15. 13º Congresso Brasileiro de Geologia deEngenharia e Ambiental Atendimentos emergenciais da Operação Verão e número de pessoas afetadas (2000 a 2010)
  16. 16. 13º Congresso Brasileiro de Geologia deEngenharia e Ambiental Atendimentos emergenciais da Operação Verão e número de óbitos (2000 a 2010)
  17. 17. 13º Congresso Brasileiro de Geologia de Consequências de desastres no Estado de São Paulo, nos Engenharia e Ambiental meses de verão (2000 – 2011)meses de verão (dez-mar)
  18. 18. 13º Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia e Ambiental INDICADOR – “PORCENTAGEM DE MUNICÍPIOS COM INSTRUMENTOS DE GESTÃO DE RISCO ”a) Planos Preventivos de Defesa Civil e Planos de Contingência (desde 1988);b) Mapeamentos de Áreas de Risco a Escorregamentos, Inundações e Erosão (desde 2004);c) Planos Municipais de Redução de Risco.
  19. 19. 13º Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia e Ambiental Instrumentos de gestão de riscos implantados nos municípios do estado de São Paulo até 2010PPDC: número de municípios com PlanosPreventivos de Defesa Civil a Escorregamentos;MAP: número de municípios com Mapeamentode Áreas de Risco;PMRR: número de municípios com PlanosMunicipais de Redução de Risco;TIG: total de municípios com algum instrumentode gestão (PPDC e/ou MAP e/ou PMRR);%TIG: porcentagem de municípios na UGRHI comalgum instrumento de gestão.
  20. 20. 13º Congresso Brasileiro de Geologia deEngenharia e Ambiental PLANOS PREVENTIVOS DE DEFESA CIVIL (PPDC) monitoramento de 114 municípios dos 114 municípios com PPDC, apenas 50 já tem seus mapeamentos realizados, restando outros 64 municípios a serem mapeados quanto ao risco.
  21. 21. 13º Congresso Brasileiro de Geologia de MUNICÍPIOS COM MAPEAMENTO DE ÁREAS DE RISCOEngenharia e Ambiental 65 municípios mapeados até 2010
  22. 22. 13º Congresso Brasileiro de Geologia deEngenharia e Ambiental CONSIDERAÇÕES FINAIS ONDE É QUE ESTAMOS ERRANDO? O QUE ESTÁ FALTANDO?
  23. 23. 13º Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia e Ambiental CONSIDERAÇÕES FINAISVerifica-se que a capacidade de enfrentamento doPoder Público e da população frente aos desastres temsido limitada, havendo necessidade demelhorar a eficácia dos instrumentos de gestão e gerenciamento atualmente implantados e até mesmo ampliando os tipos e abrangência dos mesmos.
  24. 24. 13º Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia e Ambiental CONSIDERAÇÕES FINAISA prevenção de desastres no Estado de São Paulodeve ser tratada de forma ampla e articulada, visando - reduzir as vulnerabilidades, - minimizar as perdas e - ampliar a capacidade de enfrentamento das situações de emergência e os riscos existentes.
  25. 25. 13º Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia e Ambiental Política Pública de Prevenção de Desastres com ações articuladas entre os órgãos estaduaisDiagnóstico das situações de risco- levantamento sistemático com informações sobre a situação dos perigos e dos riscosde escorregamentos, inundações, erosão e colapso de solo, que permitiria a - - identificação de áreas prioritárias para o mapeamento de risco, - - subsidiando a formulação de planos de ação para os mapeamentos
  26. 26. 13º Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia e Ambiental Política Pública de Prevenção de Desastres com ações articuladas entre os órgãos estaduais OrdenamentoDiagnóstico das territorial e situações de planejamento risco ambiental- levantamento sistemático com informações sobre a situação dos perigos e dos riscosde escorregamentos, inundações, erosão e colapso de solo, que permitiria a - - identificação de áreas prioritárias para o mapeamento de risco, - - subsidiando a formulação de planos de ação para os mapeamentos Inserção da questão de prevenção de desastres em estratégias mais amplas de planejamento de uso e ocupação do solo
  27. 27. 13º Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia e Ambiental Política Pública de Prevenção de Desastres com ações articuladas entre os órgãos estaduais Monitoramento OrdenamentoDiagnóstico das de áreas de risco territorial e situações de e em áreas planejamento risco sujeitas a perigos ambiental geológicos- levantamento sistemático com informações sobre a situação dos perigos e dos riscosde escorregamentos, inundações, erosão e colapso de solo, que permitiria a - - identificação de áreas prioritárias para o mapeamento de risco, - - subsidiando a formulação de planos de ação para os mapeamentos Inserção da questão de prevenção de desastres em estratégias mais amplas de planejamento de uso e ocupação do solo evitar que as áreas de risco se ampliem e que ocorram acidentes danosos
  28. 28. 13º Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia e Ambiental Política Pública de Prevenção de Desastres com ações articuladas entre os órgãos estaduais Monitoramento Ordenamento Intervenção,Diagnóstico das de áreas de risco territorial e mitigação e situações de e em áreas planejamento erradicação de risco sujeitas a perigos ambiental riscos geológicos- levantamento sistemático com informações sobre a situação dos perigos e dos riscosde escorregamentos, inundações, erosão e colapso de solo, que permitiria a - - identificação de áreas prioritárias para o mapeamento de risco, - - subsidiando a formulação de planos de ação para os mapeamentos Inserção da questão de prevenção de desastres em estratégias mais amplas de planejamento de uso e ocupação do solo evitar que as áreas de risco se ampliem e que ocorram acidentes danosos sistematização de ações institucionais e procedimentos operacionais em consonância com políticas em andamento no âmbito dos poderes públicos
  29. 29. 13º Congresso Brasileiro de Geologia de Engenharia e Ambiental Política Pública de Prevenção de Desastres com ações articuladas entre os órgãos estaduais Monitoramento Ordenamento Intervenção,Diagnóstico das de áreas de risco Informação, territorial e mitigação e situações de e em áreas capacitação e planejamento erradicação de risco sujeitas a perigos treinamento ambiental riscos geológicos- levantamento sistemático com informações sobre a situação dos perigos e dos riscosde escorregamentos, inundações, erosão e colapso de solo, que permitiria a - - identificação de áreas prioritárias para o mapeamento de risco, - - subsidiando a formulação de planos de ação para os mapeamentos Inserção da questão de prevenção de desastres em estratégias mais amplas de planejamento de uso e ocupação do solo evitar que as áreas de risco se ampliem e que ocorram acidentes danosos sistematização de ações institucionais e procedimentos operacionais em consonância com políticas em andamento no âmbito dos poderes públicos de equipes municipais, corpo técnico, agentes de defesa civil e demais atores envolvidos no gerenciamento e monitoramento de riscos, bem como conscientização da população para a prevenção e o enfrentamento de situações de risco

×