Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.

Estudos CACD Missão Diplomática - Política Internacional Aula Resumo 05 - Política Externa União Soviética / Rússia

1,404 views

Published on

studos para o CACD
missaodiplomatica.blogspot.com.br

Política Internacional
Política Externa da União Soviética à Rússia

Published in: Education
  • Be the first to comment

Estudos CACD Missão Diplomática - Política Internacional Aula Resumo 05 - Política Externa União Soviética / Rússia

  1. 1. Política Internacional Aula 05 Política Externa URSS / Rússia
  2. 2. Aula 05 – da URSS a Rússia 1 Fim da guerra fria e a Rússia – Gorbachev (1985 a 1991) 2 Boris Ieltsim (1992 a 1999) 2.1 Alinhamento com ocidente (1992 a 1998) 2.2 Crises e renúncia (1998 a 1999) 2.3 Mudanças na política externa (1998/1999) 3 Vladimir Putin (2000 a 2008) 3.1 do Pragmatismo à retomada da Autonomia 3.2 Rússia “emergente” 4 Medvedev e retorno de Putin (2008 – 2012)
  3. 3. 1.1 Fim da Guerra Fria e a Rússia – Gorbachev (1985 a 1991) . Cenário de profunda crise política e econômica associado à 2ª Guerra Fria de Reagan (posição defensiva e gastos militares excessivos) . Agenda de ajustes sustentada em 3 pilares: 1) Abertura e transparência políticas (Glasnost) 2) Reforma e reestruturação econômica (Perestroika) 3) Novo pensamento em política externa (cooperação, coexistência, desarmamento) . Resultados contrários ao esperado - aceleração da perda de capacidade da URSS de administrar políticas interna e externa - grande oposição interna e das repúblicas . Esforços de Gorbachev 1) Engajamento internacional e bom relacionamento com Ocidente 2) Busca por ajuda financeira externa 3) Tentativas de impedir crescimento de oposição interna e nas Repúblicas 4) Tentativa de impedir processo de desmembramento das Repúblicas Aula 05 – da URSS a Rússia
  4. 4. 1.2 Fim da Guerra Fria e a Rússia – Gorbachev (1985 a 1991) . Mecanismo para tentar manter unidade soviética, mas que aumenta autonomia local das repúblicas (União dos Estados Soberanos) . Insatisfação tanto das forças tradicionais do Kremlin quanto das Repúblicas levam à Golpe de Estado em agosto de 1991 - golpe articulado pelas forças tradicionalistas do Kremlin para tentar sustentar integridade da URSS - resultados contrários ao esperado, acelerando processo de independência das repúblicas . Criação da Comunidade dos Estados Independentes (CEI) por iniciativa de Bóris Ieltsin - arranjo frouxo com objetivo de manter laços econômicos e políticos das Repúblicas com Moscou - CEI não representou importância estratégica nem para Moscou nem para as Repúblicas . Prioridade da “Nova Rússia” no momento era aproximação com Ocidente (abdicação de pretensões hegemônicas na região) Aula 05 – da URSS a Rússia
  5. 5. 2.1 Boris Ieltsin (1992 a 1997) – alinhamento . O governo de Ieltsin teve duas fases - 1ª fase (1992 a 1998) alinhamento e adesão ao Neoliberalismo - 2ª fase (1998 a 1999) crise e busca de autonomia . Prioridades de Ieltsin na primeira fase - implementação capitalismo de tipo moderno com privatizações e reorganização do Estado (eliminação de estrutura socialista anterior) - aproximação e cooperação com Ocidente - constituição de identidade ocidental em termos étnicos, políticos e geográficos – em detrimento de sua parcela asiática (exterior próximo) . Consequências do desmonte do Estado e das privatizações aceleradas - hiperinflação - desemprego (chegou a atingir 25% da população ativa) - depressão (queda de 40% do PIB) - aumento de criminalidade (oligarquias do petróleo) - corrupção Aula 05 – da URSS a Rússia
  6. 6. 2.1 Boris Ieltsin (1992 a 1997) – alinhamento . Tentativa de golpe contra Ieltsin (1993) articulado pelas elites do Parlamento - dissolução do Parlamento - concentração do poder no Kremlin e plenos poderes para Ieltsin . Ocidente preocupado com instabilidades na Rússia - poucas críticas à reversão do autoritarismo - preocupação com fragilidade da situação na Rússia - apesar dos problemas e do autoritarismo, ocidente aposta em Ieltsin para continuar com reformas para reconversão econômica liberal - Clinton apóia governo russo e declara “aliança estratégica com a reforma russa” Aula 05 – da URSS a Rússia
  7. 7. 2.2 Boris Ieltsin (1998 a 1999) – crise . Problemas no campo interno - Reeleição em 1996 - aprofundamento da oposição e das crises internas - sérios problemas de saúde - grupos criminosos (oligarcas) aproveitam “vácuo de poder” para intensificar desvios de recursos . Problemas no campo externo - dificuldades em conseguir financiamento externo - estrangulamento (encirclement) do setor energético Russo: . empresas de energia e governos ocidentais avançam com projetos no setor de petróleo e gás na região (construção de novos gasodutos e oleodutos, novas rotas de distribuição) . Objetivos conflitantes da Rússia e dos EUA - movimentos separatistas (minorias étnicas) – principalmente Chechênia - ascensão do fundamentalismo islâmico - combinação do alinhamento e das vulnerabilidades . concessões na política internacional agravam descontentamento interno . apoio à operação Tempestade do Deserto . silêncio diante dos avanços ocidentais na ex-Iugoslávia Aula 05 – da URSS a Rússia
  8. 8. 2.2 Boris Ieltsin (1998 a 1999) – crise . Pressionado e bastante doente, Ieltsin nomeia Vladimir Putin como Primeiro- ministro em agosto de 1999 . Ieltsin renuncia em dezembro de 1999 em troca de imunidade de futuras investigações de corrupção . Putin assume como presidente Aula 05 – da URSS a Rússia
  9. 9. 2.3 Boris Ieltsin (1998 a 1999) – mudanças na política externa . Mudança de foco na política externa - deixa foco na ocidentalização e adota reafirmação de identidade Russa como potência continental e nação eurasiana - defesa do Multilateralismo e Multipolarismo - assinatura de acordo e aproximação com China - cooperação Sul-Sul (China, India, Brasil, BRICS) - Organização de Cooperação de Xangai (OCX) com China, Cazaquistao, Tadjiquistão e Quirguistão . Preocupações comuns Rússia e China - avanços dos EUA na região - movimentos separatistas (Chechênia, Tibet, Xinjiang) - avanços do fundamentalismo islâmico - EUA e UE repudiam apoio dado por Rússia e China ao Irã . Assimetrias nas relações China-Rússia - preocupação da Rússia pelo crescimento e consolidação militar da China - preocupação da Rússia sobre possibilidade de ocupação chinesa de vazios territoriais gerados pela ausência de população russa em fronteiras com a China Aula 05 – da URSS a Rússia
  10. 10. 3.1 Vladimir Putin (2000 a 2012) – pragmatismo e autonomia . 3 fases na política russa na última década 1) 1999/2001 – transição do regime Ieltsin, controle de crises - crises político-econômicas herdadas do governo Ieltsin - 2ª guerra da Chechênia - pressões pelo alargamento da OTAN (antigas repúblicas soviéticas) - desconforto Russo pela ação ocidental na guerra do Kosovo (apoio ao separatismo) 2) 2001/2003 – alinhamento (pragmatismo devido às vulnerabilidades) - processo de recuperação político e econômico - reconstrução de capacidade de influência regional - fragilidade perante unipolaridade militar dos EUA - aceitação pragmática do status quo - apoio aos EUA na GWT 3) 2003/2012 – estabilização interna e autonomia no plano internacional - recuperação econômica e reincorporação do setor energético (ação contra os oligarcas) - Invasão do Iraque (2003) põe fim à cooperação com OTAN e os EUA - aproximação com França e Alemanha contra ações no Iraque - realocação de prioridades com maior Autonomia na política externa - maior assertividade regional e global - maior confrontação com os EUA - aproximação com antigas repúblicas - aproximação com China e com BRICS Aula 05 – da URSS a Rússia
  11. 11. 3.2 Vladimir Putin (2000 a 2012) – Rússia “emergente” . aproximação com a China (OCX) . resgate da influência regional . conceito de “emergente” usado a seu favor . aprofundamento das ações com BRICS . Identidade compartilhada com países do sul – como país periférico . pauta comum de demandas - reforma do sistema multilateral político-econômico - defesa do Multipolarismo . 5 vetores estratégicos para modernização econômica 1) eficiência da produção, transporte e uso de energia 2) prioridade no desenvolvimento de tecnologia nuclear 3) prioridade no desenvolvimento de tecnologia da informação 4) investimentos em transmissão de dados/satélites 5) busca de liderança no desenvolvimento de equipamentos avançados para o setor de medicina (equipamentos médicos, diagnósticos, tratamento câncer, etc) Aula 05 – da URSS a Rússia
  12. 12. 4. Medvedev e retorno de Putin (2008 – 2012) . Dmitri Medvedev homem de confiança de Putin - presidente da Gazprom (2003) - vice-primeiro-ministro (2005) . Putin não pode assumir 3º mandato - Medvedev eleito presidente - Putin primeiro-ministro . Reativação de parcerias com os EUA de Obama - Novo START - retomada negociações sobre escudo antimísseis - entrada da Rússia na OMC . Priorização de reformas domésticas - reformas econômicas e sociais para atingir autonomia e consolidação da democracia - manutenção do controle sobre setor energético - recuperação e consolidação de identidade russa . Agenda Sul-Sul - OCX - BRICS - postura de autonomia no CSONU . Retorno de Putin à presidência em 2012 (mandato de 6 anos) Aula 05 – da URSS a Rússia
  13. 13. missaodiplomatica.blogspot.com.br

×