Successfully reported this slideshow.
We use your LinkedIn profile and activity data to personalize ads and to show you more relevant ads. You can change your ad preferences anytime.
Palácio do Itamaraty, Brasília-DF, De 16 e 19 de novembro de 2010                                        Michelângelo Vian...
3º Seminário sobre Informação na Internet                  Tema Central:      Construindo o futuro da         Internet no ...
3º Seminário sobre Informação na Internet   A utilização crescente da Internet está    provocando impactos em todos os se...
3º Seminário sobre Informação na Internet  Painel 1  Cenários futuros da Internet mundial e seus reflexos no Brasil   Na ...
3º Seminário sobre Informação na Internet  Painel 1  Cenários futuros da Internet mundial e seus reflexos no Brasil   Fut...
3º Seminário sobre Informação na Internet  Painel 2  Cenários futuros da Internet no Brasil   Dez 2009: 67 milhões de usu...
3º Seminário sobre Informação na Internet  Painel 2  Cenários futuros da Internet no Brasil   Informação criada em máquin...
3º Seminário sobre Informação na Internet   As unidades de informação, notadamente os    arquivos, bibliotecas e museus, ...
3º Seminário sobre Informação na Internet  Painel 3  A Internet e a ação das unidades de informação  28% da população mun...
3º Seminário sobre Informação na Internet  Painel 3  A Internet e a ação das unidades de informação  Redes sociais interl...
3º Seminário sobre Informação na Internet  Painel 3  A Internet e a ação das unidades de informação  EUA:   Internet e mí...
3º Seminário sobre Informação na Internet  Painel 3  A Internet e a ação das unidades de informação  Para 67% dos america...
Digital Access Index       http://wireless.ictp.it/simulator
3º Seminário sobre Informação na Internet  Painel 3  A Internet e a ação das unidades de informação  Novos papéis das bibl...
3º Seminário sobre Informação na Internet  Painel 3  A Internet e a ação das unidades de informação  O que não mudou   Bi...
3º Seminário sobre Informação na Internet  Painel 3  A Internet e a ação das unidades de informação  Experiência de digita...
3º Seminário sobre Informação na Internet  Painel 3  A Internet e a ação das unidades de informação  Experiência de digita...
3º Seminário sobre Informação na Internet  Painel 3  A Internet e a ação das unidades de informação  Experiência de digita...
3º Seminário sobre Informação na Internet  Painel 3  A Internet e a ação das unidades de informação  Experiência de digita...
3º Seminário sobre Informação na Internet   Em passado recente, o acesso à imagem tinha    inúmeras restrições.   Agora,...
3º Seminário sobre Informação na Internet  Painel 4  A imagem na Internet: um mundo a ser descoberto   Retorno aos primór...
3º Seminário sobre Informação na Internet  Painel 4  A imagem na Internet: um mundo a ser descoberto   Muitos bancos de d...
3º Seminário sobre Informação na Internet   O acesso à Internet no Brasil surgiu a partir de 1994.   Desde então o númer...
3º Seminário sobre Informação na Internet                            Banda Larga:          Relação entre custo e velocidad...
3º Seminário sobre Informação na Internet   Internet no Brasil é cara, lenta e para poucos:                     2.30%     ...
3º Seminário sobre Informação na Internet  Painel 5  O custo do acesso à Internet no Brasil: caro ou barato?  Ações que po...
3º Seminário sobre Informação na Internet Painel 5 O custo do acesso à Internet no Brasil: caro ou barato? Ações que podem...
3º Seminário sobre Informação na Internet  Painel 5  O custo do acesso à Internet no Brasil: caro ou barato?   Custo da I...
3º Seminário sobre Informação na Internet  Painel 5  O custo do acesso à Internet no Brasil: caro ou barato?   Banda larg...
3º Seminário sobre Informação na Internet  Painel 5  O custo do acesso à Internet no Brasil: caro ou barato?   Caminho pa...
3º Seminário sobre Informação na Internet   A Internet tem atraído usuários de diferentes faixas    etárias, níveis de re...
3º Seminário sobre Informação na Internet  Painel 6  As faces ocultas da dependência da Internet   Aspectos negativos:   ...
3º Seminário sobre Informação na Internet  Painel 6  As faces ocultas da dependência da Internet   Aspectos negativos:   ...
3º Seminário sobre Informação na Internet  Painel 6  As faces ocultas da dependência da Internet   Aspectos negativos:   ...
3º Seminário sobre Informação na Internet  Painel 6  As faces ocultas da dependência da Internet  Sugestões:   Monitorar ...
3º Seminário sobre Informação na Internet  Painel 6  As faces ocultas da dependência da Internet  Sugestões:   Pais preci...
3º Conferência Internacional sobre Inclusão Digital e Social                        Tema Central:           Políticas e te...
3º Conferência Internacional sobre Inclusão Digital e Social        Painel 1: a experiência de          três países mostra...
3º Conferência Internacional sobre Inclusão Digital e Social  Painel 1  Políticas públicas para a informação e inclusão di...
3º Conferência Internacional sobre Inclusão Digital e Social  Painel 1  Políticas públicas para a informação e inclusão di...
3º Conferência Internacional sobre Inclusão Digital e Social  Painel 1  Políticas públicas para a informação e inclusão di...
One Laptop Per Child: Uruguai  O “Ceibal” é a contrapartida  permanente uruguaia ao  Projeto One Laptop Per Child:  www.ce...
3º Conferência Internacional sobre Inclusão Digital e Social        No Painel 2 são apontados os        aspectos positivos...
3º Conferência Internacional sobre Inclusão Digital e Social  Painel 2  Tecnologias digitais e as conseqüências no tecido ...
3º Conferência Internacional sobre Inclusão Digital e Social  Painel 2  Tecnologias digitais e as conseqüências no tecido ...
3º Conferência Internacional sobre Inclusão Digital e Social  Painel 2  Tecnologias digitais e as conseqüências no tecido ...
3º Conferência Internacional sobre Inclusão Digital e Social  Painel 2  Tecnologias digitais e as conseqüências no tecido ...
3º Conferência Internacional sobre Inclusão Digital e Social           Do conhecimento único à         construção do conhe...
3º Conferência Internacional sobre Inclusão Digital e Social  Painel 3  Construção do conhecimento no século XXI   Pesqui...
3º Conferência Internacional sobre Inclusão Digital e Social  Painel 3  Construção do conhecimento no século XXI   Pessoa...
3º Conferência Internacional sobre Inclusão Digital e Social  Painel 3  Construção do conhecimento no século XXI  Ações do...
3º Conferência Internacional sobre Inclusão Digital e Social  Painel 3  Construção do conhecimento no século XXI  Plano Na...
3º Conferência Internacional sobre Inclusão Digital e Social  Painel 3  Construção do conhecimento no século XXI  Quatro l...
3º Conferência Internacional sobre Inclusão Digital e Social       Painel 4: Panorama geral da      inclusão digital na Co...
3º Conferência Internacional sobre Inclusão Digital e Social  Painel 4  Panoramas da Inclusão Digital na Costa Rica   PRO...
3º Conferência Internacional sobre Inclusão Digital e Social       Painel 5: Panorama geral         da inclusão digital na...
3º Conferência Internacional sobre Inclusão Digital e Social  Painel 5  Panoramas da Inclusão Digital na Espanha  Telecent...
3º Conferência Internacional sobre Inclusão Digital e Social  Painel 5  Panoramas da Inclusão Digital na Espanha  Telecent...
3º Conferência Internacional sobre Inclusão Digital e Social  Painel 5  Panoramas da Inclusão Digital na Espanha  Telecent...
3º Conferência Internacional sobre Inclusão Digital e Social             Painel 6: Com a chegada das           tecnologias...
3º Conferência Internacional sobre Inclusão Digital e Social  Painel 6  Novas mídias e as possibilidades de inclusão digit...
3º Conferência Internacional sobre Inclusão Digital e Social  Painel 6  Novas mídias e as possibilidades de inclusão digit...
3º Conferência Internacional sobre Inclusão Digital e Social  Painel 6  Novas mídias e as possibilidades de inclusão digit...
3º Conferência Internacional sobre Inclusão Digital e Social  Painel 6  Novas mídias e as possibilidades de inclusão digit...
Obrigado!Michelângelo Viana mviana@pucrs.br
3º Seminário sobre Informação na Internet e da 3ª Conferência Internacional sobre Inclusão Digital e Social
3º Seminário sobre Informação na Internet e da 3ª Conferência Internacional sobre Inclusão Digital e Social
3º Seminário sobre Informação na Internet e da 3ª Conferência Internacional sobre Inclusão Digital e Social
3º Seminário sobre Informação na Internet e da 3ª Conferência Internacional sobre Inclusão Digital e Social
3º Seminário sobre Informação na Internet e da 3ª Conferência Internacional sobre Inclusão Digital e Social
Upcoming SlideShare
Loading in …5
×

3º Seminário sobre Informação na Internet e da 3ª Conferência Internacional sobre Inclusão Digital e Social

584 views

Published on

  • Be the first to comment

  • Be the first to like this

3º Seminário sobre Informação na Internet e da 3ª Conferência Internacional sobre Inclusão Digital e Social

  1. 1. Palácio do Itamaraty, Brasília-DF, De 16 e 19 de novembro de 2010 Michelângelo Viana Bibliotecário da PUCRS - CRB-10/1306
  2. 2. 3º Seminário sobre Informação na Internet Tema Central: Construindo o futuro da Internet no Brasil
  3. 3. 3º Seminário sobre Informação na Internet  A utilização crescente da Internet está provocando impactos em todos os setores da sociedade.  O profissional, o estudante e o cidadão em geral estão passando a considerar a Internet como algo inerente ao seu exercício diário.  Assim, nos Painéis 1 e 2 serão analisados os reflexos observados no exterior e no Brasil.
  4. 4. 3º Seminário sobre Informação na Internet Painel 1 Cenários futuros da Internet mundial e seus reflexos no Brasil  Na Coréia e Japão, 60% da banda larga é via fibra ótica: alta velocidade (até 1 Gbps).  Japão está testando a tecnologia 4G (até 100 Mbps) (3G: 5 ou 10 Mbps).  Fibra ótica: permite novos padrões para comunicação via vídeo, IPTV e vigilância remota: (CFTV) residencial pela Internet.
  5. 5. 3º Seminário sobre Informação na Internet Painel 1 Cenários futuros da Internet mundial e seus reflexos no Brasil  Futuro: redes sem fio + fibra ótica: velocidade de 1 Gigabit por segundo + IPTV + TV digital.  Banda larga no Brasil: cabo (pouco), ADSL e 3G: cobram muito mas garantem somente 10% da banda.  Democracia através de serviços com interoperabilidade, potencializando a cidadania e o poder de decisão das pessoas.
  6. 6. 3º Seminário sobre Informação na Internet Painel 2 Cenários futuros da Internet no Brasil  Dez 2009: 67 milhões de usuários da Internet no Brasil.  Previsão 2010: 70 a 75 milhões (Censo IBGE).  Tempo médio de navegação por mês: 1º Brasil (48h); 2º EUA (42h); 3º UK (36h); 4º França (33h).  Brasileiros são os que mais usam redes sociais no mundo.
  7. 7. 3º Seminário sobre Informação na Internet Painel 2 Cenários futuros da Internet no Brasil  Informação criada em máquinas: apenas 0,5% é estruturada.  Futuro: Tecnologia: redes sem fio, cidades conectadas, WiMax. Legislação: marco regulatório, direitos autorais, crimes digitais. Inclusão: OLPC, Programa Nacional de Banda Larga, Telecentros (mudar foco: na pedagogia e não na tecnologia ).
  8. 8. 3º Seminário sobre Informação na Internet  As unidades de informação, notadamente os arquivos, bibliotecas e museus, estão se incorporando ao mundo digital de forma acelerada.  O Painel 3 pretende mostrar as implicações desse mundo digital na gestão dessas unidades e os seus reflexos junto aos usuários.
  9. 9. 3º Seminário sobre Informação na Internet Painel 3 A Internet e a ação das unidades de informação  28% da população mundial usa a Internet;  50% da Europa;  60% da Oceania;  43% do Brasil;  4,3% da África.
  10. 10. 3º Seminário sobre Informação na Internet Painel 3 A Internet e a ação das unidades de informação  Redes sociais interligadas (Twitter+Facebook+Website) para interagir com usuários (uso virtual) e atrair usuários (uso presencial).
  11. 11. 3º Seminário sobre Informação na Internet Painel 3 A Internet e a ação das unidades de informação  EUA: Internet e mídias sociais como oportunidades (não ameaças) para bibliotecas: Internet fez aumentar uso das bibliotecas nos Estados Unidos.
  12. 12. 3º Seminário sobre Informação na Internet Painel 3 A Internet e a ação das unidades de informação  Para 67% dos americanos a biblioteca é o único lugar que oferece acesso gratuito à Internet.  Maior parte do orçamento das bibliotecas (80%) é de recursos locais (8% est., 2% munic.).
  13. 13. Digital Access Index http://wireless.ictp.it/simulator
  14. 14. 3º Seminário sobre Informação na Internet Painel 3 A Internet e a ação das unidades de informação Novos papéis das bibliotecas  Suporte: ao ensino a distância, a pessoas em busca de emprego, ao uso do e-government (cidadania)  Digitalização de conteúdo exclusivo: história local, livros do próprio acervo, produção local.  Biblioteca como e-publisher: usuários produzem e disponibilizam conteúdo na Internet.
  15. 15. 3º Seminário sobre Informação na Internet Painel 3 A Internet e a ação das unidades de informação O que não mudou  Bibliotecas provêm acesso aos que “não tem”.  Atendimento personalizado: por bibliotecários.  Muita informação agora é grátis, mas a informação de valor está mais cara do que nunca.
  16. 16. 3º Seminário sobre Informação na Internet Painel 3 A Internet e a ação das unidades de informação Experiência de digitalização em Portugal : Arquivo Nacional da Torre do Tombo (antt.dgarq.gov.pt)  Fundo documental da inquisição de Lisboa (desde 1834).  Documento mais antigo é de 882.  Mais de dois milhões e quinhentas mil imagens.
  17. 17. 3º Seminário sobre Informação na Internet Painel 3 A Internet e a ação das unidades de informação Experiência de digitalização em Portugal : Arquivo Nacional da Torre do Tombo (antt.dgarq.gov.pt)  Digitalizar custa muito: deve-se fazer muito bem.
  18. 18. 3º Seminário sobre Informação na Internet Painel 3 A Internet e a ação das unidades de informação Experiência de digitalização em Portugal : Arquivo Nacional da Torre do Tombo (antt.dgarq.gov.pt)  Definir quais coleções: * são de maior interesse para a comunidade; * estão em pior estado, para salvaguardá-las; * são pouco conhecidas, para potencializar seus conteúdos.
  19. 19. 3º Seminário sobre Informação na Internet Painel 3 A Internet e a ação das unidades de informação Experiência de digitalização em Portugal : Arquivo Nacional da Torre do Tombo (antt.dgarq.gov.pt)  Responsáveis pela biblioteca devem coordenar processos de: * nova metodologia de trabalho; * novas ferramentas e competências; * formação específica para trabalhar com imagens; * renovação programada (escalabilidade) de equipamentos de digitalização, tratamento, armazenamento e consulta.
  20. 20. 3º Seminário sobre Informação na Internet  Em passado recente, o acesso à imagem tinha inúmeras restrições.  Agora, com o advento da Internet, a imagem pode ser vista, muitas vezes em tempo real, por qualquer pessoa que possua acesso ao mundo digital.  O Painel 4 pretende mostrar o que é necessário para facilitar o acesso para uma clientela de usuários que possuem inúmeros interesses, variedade de faixas etárias e níveis educacionais.
  21. 21. 3º Seminário sobre Informação na Internet Painel 4 A imagem na Internet: um mundo a ser descoberto  Retorno aos primórdios: imagem como principal conteúdo para comunicação (ex a Igreja, que difundia suas doutrinas através de imagens).  Seleção e aquisição de imagens deve levar em conta:  Padrões de qualidade técnica;  Usuários e as suas atividades;  Cognições. Ex: psicologia da Gestalt (forma).
  22. 22. 3º Seminário sobre Informação na Internet Painel 4 A imagem na Internet: um mundo a ser descoberto  Muitos bancos de dados de imagens, mas poucos com qualidade.  Em geral bancos de dados comerciais oferecem imagens com maior qualidade.
  23. 23. 3º Seminário sobre Informação na Internet  O acesso à Internet no Brasil surgiu a partir de 1994.  Desde então o número de brasileiros que entraram no mundo digital tem crescido.  Infelizmente, o percentual de cidadãos que acessam essa ferramenta de informação e entretenimento poderia ser bem maior.  Uma das causas desses óbices está relacionada com o custo de acesso.  O Painel 5 pretende abordar ações que poderiam ser executadas para diminuir o custo de acesso e, conseqüentemente, ampliar o número de brasileiros no ciberespaço.
  24. 24. 3º Seminário sobre Informação na Internet Banda Larga: Relação entre custo e velocidade média ofertada 50 60 24 40 2.4 28 0.5 20 0.25 0.34 4.3 0 1º Japão 2º Coréia 65º EUA ?? Brasil Custo U$ Megabits/seg
  25. 25. 3º Seminário sobre Informação na Internet Internet no Brasil é cara, lenta e para poucos: 2.30% 83% Classes A,B,C D,E
  26. 26. 3º Seminário sobre Informação na Internet Painel 5 O custo do acesso à Internet no Brasil: caro ou barato? Ações que podem melhorar essa situação:  Tornar a banda larga um serviço essencial, como foi com a telefonia fixa, para que o governo crie políticas públicas, universalidade a baixo custo, continuidade, motricidade, ampliar acesso onde não existe competição empresarial (inclusão).
  27. 27. 3º Seminário sobre Informação na Internet Painel 5 O custo do acesso à Internet no Brasil: caro ou barato? Ações que podem melhorar essa situação:  Novo modelo regulatório (legislação) +consulta pública.  Convergência tecnológica do mercado (melhoria da qualidade por parte de todos).  Intensificar ações da ANATEL com empresas prestadoras.
  28. 28. 3º Seminário sobre Informação na Internet Painel 5 O custo do acesso à Internet no Brasil: caro ou barato?  Custo da Internet no Brasil está baixando: Antes 1 Mbps custava R$ 200. Hoje custa R$ 50.  Programa Nacional de Banda Larga: Banda larga popular, com instalação + modem + provedor por até R$ 29,90 por mês.  www.planalto.gov.br/brasilconectado
  29. 29. 3º Seminário sobre Informação na Internet Painel 5 O custo do acesso à Internet no Brasil: caro ou barato?  Banda larga móvel (3G): caminho para a inclusão digital.  Precisa diminuir custos de transmissão (aluguéis/tributos) para aumentar a oferta e diminuir custo final ao consumidor.
  30. 30. 3º Seminário sobre Informação na Internet Painel 5 O custo do acesso à Internet no Brasil: caro ou barato?  Caminho para inclusão digital:  Cooperar (governo): abrir mercado, aumentar espectro de rádio, incentivos tributários, subsidiar acesso à Internet para áreas não atendidas (especialmente o meio rural).  Compartilhar (setor): parceiras priv-priv, púb-priv para aumentar a oferta e otimizar recursos .  Competir (empresa): incentivos tributários, subsídios tecnológicos.
  31. 31. 3º Seminário sobre Informação na Internet  A Internet tem atraído usuários de diferentes faixas etárias, níveis de renda e educacionais.  Muitos desses usuários tornam-se dependentes do uso dessa ferramenta de informação.  O Painel 6 pretende discutir os aspectos negativos dessa dependência e apresentar sugestões para reduzir ou erradicar os problemas de várias ordens provocados por essa dependência.
  32. 32. 3º Seminário sobre Informação na Internet Painel 6 As faces ocultas da dependência da Internet  Aspectos negativos:  Cyberbuylling.  Desliga o usuário do mundo real e o torna vulnerável.  Crimes virtuais, como autor ou vítima.
  33. 33. 3º Seminário sobre Informação na Internet Painel 6 As faces ocultas da dependência da Internet  Aspectos negativos:  Crimes com evidências digitais: aliciamento, calúnia e difamação, fraudes, invasão, racismo.  Em SP há registro de 200 ocorrências por dia.
  34. 34. 3º Seminário sobre Informação na Internet Painel 6 As faces ocultas da dependência da Internet  Aspectos negativos:  Jovens colocam muitos dados pessoais na Web, que passam a ser acessados por desconhecidos.  Exposição de localização/roteiros: facilita sequestro.  Exposição de fotos/casa: facilita roubo/furto/sequestro.
  35. 35. 3º Seminário sobre Informação na Internet Painel 6 As faces ocultas da dependência da Internet Sugestões:  Monitorar atividades dos filhos com aplicativos (PC/celular), inclusive com relatórios de posição (GPS).  Monitorar atividades dos filhos na Internet. Ex: virar “seguidor” do filho no Twitter.
  36. 36. 3º Seminário sobre Informação na Internet Painel 6 As faces ocultas da dependência da Internet Sugestões:  Pais precisam vigiar (diferente de invadir a privacidade): são os responsáveis legais e respondem pelos crimes dos filhos.  Analisar comportamento (microexpressões faciais).  Orientar e aconselhar.
  37. 37. 3º Conferência Internacional sobre Inclusão Digital e Social Tema Central: Políticas e tecnologias para a inclusão digital na ibero-américa
  38. 38. 3º Conferência Internacional sobre Inclusão Digital e Social Painel 1: a experiência de três países mostra as políticas públicas e as soluções adotadas por eles para reduzir a pobreza e a exclusão digital.
  39. 39. 3º Conferência Internacional sobre Inclusão Digital e Social Painel 1 Políticas públicas para a informação e inclusão digital nos países ibero-americanos Brasil  Ausência de uma política brasileira unificada .  Rede de redes de telecentros da América Latina e Caribe: 22 organizações, mais de 6.000 telecentros (muitos ainda com “banda estreita”).  IBICT fez mapa da inclusão digital no Brasil: integrar ações governamentais (ministérios e casa civil) para estabelecer políticas. Também promove eventos para discussão da inclusão digital.  Programa GESAC: mais de 15 mil pontos de acesso no Brasil, via satélite (restrição de número de transponders)
  40. 40. 3º Conferência Internacional sobre Inclusão Digital e Social Painel 1 Políticas públicas para a informação e inclusão digital nos países ibero-americanos México  Exclusão social: o caso dos grupos indígenas e mulheres em alguns estados do México.  Índios: marginalizados, pobres <-> sem educação.  Discussão: incluir índios na sociedade civilizada ou manter seus costumes (muitos contrários aos direitos humanos).  Somente 20% da população tem computador em casa.  Índios: apenas 2% tem computador.
  41. 41. 3º Conferência Internacional sobre Inclusão Digital e Social Painel 1 Políticas públicas para a informação e inclusão digital nos países ibero-americanos Uruguai  Primeiro país a aderir ao Programa One Laptop Per Child (um laptop para cada criança).  380.000 computadores “XO” distribuídos em 2 anos (apenas 0,25% do PIB anual).  Computador usado para aprendizado e publicação de conteúdos.  Primeiro país da América Latina e Caribe totalmente “iluminado” com Wi-Fi (escolas e alguns locais públicos).  Programa do governo: investimento em tecnologia e suporte técnico, adequação curricular (tecnologia x pedagogia: novas formas de ensinar as matérias) e capacitação dos professores.  Atores educativos convencidos + vontade política.
  42. 42. One Laptop Per Child: Uruguai O “Ceibal” é a contrapartida permanente uruguaia ao Projeto One Laptop Per Child: www.ceibal.edu.uy O nome “Ceibal” foi escolhido porque o mesmo é simbólico para os uruguaios: a árvore do “ceibo”, a flor, o conjunto dos ceibos ao longo dos rios do interior. Foi transformado em uma sigla: “Conectividad Educativa de Informática Básica para el Aprendizaje en Línea”.
  43. 43. 3º Conferência Internacional sobre Inclusão Digital e Social No Painel 2 são apontados os aspectos positivos e negativos das tecnologias digitais e sua influência na vida social, modificando comportamentos, ofícios e modos de pensar.
  44. 44. 3º Conferência Internacional sobre Inclusão Digital e Social Painel 2 Tecnologias digitais e as conseqüências no tecido social Brasil:  Projeto Pontos de Cultura (nacional): teatro, música, dança... a digitalização e disponibilização da sua produção (via Creative Commons)
  45. 45. 3º Conferência Internacional sobre Inclusão Digital e Social Painel 2 Tecnologias digitais e as conseqüências no tecido social México:  Mulheres devem ter os mesmos direito de acesso a meios e tecnologias de informação no país: igualdade de direitos como usuárias, gestoras e produtoras de conteúdo.  As mulheres se consideram usuárias de conteúdo, enquanto os homens se consideram produtores de conteúdo.  A origem é cultural: homens tem familiaridade com tecnologia desde pequenos. Mulheres em geral tem tecnofobia.
  46. 46. 3º Conferência Internacional sobre Inclusão Digital e Social Painel 2 Tecnologias digitais e as conseqüências no tecido social Peru:  Projeto “Estações do conhecimento”.  Experiência de inclusão digital com idosos.  Funcionam em uma rede de bibliotecas públicas (4).  A biblioteca contribui com o desenvolvimento social e cultural da comunidade.  Mais de 400 pessoas já participaram.  Pontos negativos: idosos são vulneráveis (fraudes) e não conseguem assimilar tanta informação.
  47. 47. 3º Conferência Internacional sobre Inclusão Digital e Social Painel 2 Tecnologias digitais e as conseqüências no tecido social Brasil:  Jovens: apropriação e uso de mídias sociais.  Espaço de comunicação com a sociedade e canal de comunicação entre iguais.  Não fazer Inclusão Digital com Exclusão social:  Não se deve olhar somente para restrição econômica (pobres) quando se trata de inclusão digital, pois:  Hoje o acesso é restrito para vários grupos;  Pessoas querem ter direito a lazer via Internet;  Pessoas querem ter direito a aprender via Internet.
  48. 48. 3º Conferência Internacional sobre Inclusão Digital e Social Do conhecimento único à construção do conhecimento compartilhado, o Painel 3 debate as possibilidades de inclusão digital a partir dos novos conhecimentos gerados em rede.
  49. 49. 3º Conferência Internacional sobre Inclusão Digital e Social Painel 3 Construção do conhecimento no século XXI  Pesquisas na Escola do Futuro (USP): Projeto Acessa São Paulo: www.acessasp.sp.gov.br  404 locais de acesso público à Internet (desde 2000)  2 ondas da inclusão digital:  1ª restrita à exclusão digital  2ª literacias emergentes  Literacia: não basta saber ler e escrever, é necessário a sujeito saber aplicar essa leitura/escrita e esclarecer o que ele ganha com isso.
  50. 50. 3º Conferência Internacional sobre Inclusão Digital e Social Painel 3 Construção do conhecimento no século XXI  Pessoas incorporam mudanças decorrentes da interação digital (Web 2.0).  Buscam mais informações relacionadas à cidadania, e-government, saúde.
  51. 51. 3º Conferência Internacional sobre Inclusão Digital e Social Painel 3 Construção do conhecimento no século XXI Ações do IBICT para inclusão digital:  Mapa da inclusão digital no Brasil (integração).  Estímulo aos estados para criarem seus mapas.  Programa de Aprendizagem Informacional: Estímulo à autonomia intelectual e ao desenvolvimento do censo crítico dos cidadãos brasileiros, de forma a torná-lo produtor de informação de valor”.
  52. 52. 3º Conferência Internacional sobre Inclusão Digital e Social Painel 3 Construção do conhecimento no século XXI Plano Nacional do Livro e da Leitura (www.pnll.gov.br):  Indutor de programas de inclusão à leitura, educação e cultura para formação de leitores.  No Brasil há 2.650 livrarias, em 11% das cidades brasileiras apenas.  Em alguns estados da região Norte há apenas 3 livrarias no estado inteiro.  Papel do bibliotecário no PNLL: é o profissional qualificado a ser mediador.
  53. 53. 3º Conferência Internacional sobre Inclusão Digital e Social Painel 3 Construção do conhecimento no século XXI Quatro linhas do Plano Nacional do Livro e da Leitura:  Democratizar o acesso à leitura;  Criar mediadores de leitura (bibliotecários);  Comunicação e valorização da leitura e do imaginário do brasileiro;  Incentivo à cadeia produtiva e distributiva do livro.
  54. 54. 3º Conferência Internacional sobre Inclusão Digital e Social Painel 4: Panorama geral da inclusão digital na Costa Rica em especial no que concerne às tecnologias de informação e comunicação.
  55. 55. 3º Conferência Internacional sobre Inclusão Digital e Social Painel 4 Panoramas da Inclusão Digital na Costa Rica  PROSIC: Programa de la Sociedad de la Información y el Conocimiento de la Universidad de Costa Rica.  Espaço multidisciplinar.  Enfoque no ser humano.  Objetiva aumentar e melhorar o uso de tecnologias e informação e comunicação em benefício da sociedade.
  56. 56. 3º Conferência Internacional sobre Inclusão Digital e Social Painel 5: Panorama geral da inclusão digital na Espanha em especial no que concerne às políticas públicas.
  57. 57. 3º Conferência Internacional sobre Inclusão Digital e Social Painel 5 Panoramas da Inclusão Digital na Espanha Telecentros na Espanha hoje:  São mais do que um centro de formação em Tecnologias da Informação e Comunicação (TIC).  Estão se tornando a força motriz do desenvolvimento social e, em alguns casos, abrangendo os serviços de bibliotecas públicas.  Realidade reforçada: em 2001 havia 53 telecentros, em 2002, 75, e em 2008, 6.546, em 14 comunidades.
  58. 58. 3º Conferência Internacional sobre Inclusão Digital e Social Painel 5 Panoramas da Inclusão Digital na Espanha Telecentros na Espanha hoje:  44% dos telecentros estão em bibliotecas, sua gama de serviços pode ser encontrada em http://red.es.
  59. 59. 3º Conferência Internacional sobre Inclusão Digital e Social Painel 5 Panoramas da Inclusão Digital na Espanha Telecentros na Espanha hoje:  Atendem toda a população (não só os marginais) e tem 11 grandes grupos de serviços: governo eletrônico, educação, serviços bancários on-line, e-saúde, e-commerce, informações e serviços aos usuários, Internet e tecnologia, busca de informações, emprego, empresários e as pequenas e médias empresas e difusão de atividades de lazer e cultura.
  60. 60. 3º Conferência Internacional sobre Inclusão Digital e Social Painel 6: Com a chegada das tecnologias digitais, surgem novas mídias no mercado, aumentando a concentração dos meios de comunicação e, consequentemente, a participação popular o que gera maiores possibilidades de inclusão digital.
  61. 61. 3º Conferência Internacional sobre Inclusão Digital e Social Painel 6 Novas mídias e as possibilidades de inclusão digital  Novas mídias: celular, IPTV, Internet: muitos para muitos (interação)  Mídias tradicionais: 1 para 1 (sem interação)
  62. 62. 3º Conferência Internacional sobre Inclusão Digital e Social Painel 6 Novas mídias e as possibilidades de inclusão digital  Perigos da “inclusão digital”: privacidade, proteção de dados e cyber-segurança  Nova revolução social:  Web is dead (Wired)  PC is dead (Forbes)  Era pós-PC (Ray Ozzie, Microsoft)
  63. 63. 3º Conferência Internacional sobre Inclusão Digital e Social Painel 6 Novas mídias e as possibilidades de inclusão digital  Cibercultura 2.0:  Novos meios de comunicação  E-books  Novos suportes de leitura (E-readers, celular...)
  64. 64. 3º Conferência Internacional sobre Inclusão Digital e Social Painel 6 Novas mídias e as possibilidades de inclusão digital  Limites de armazenamento só aumentam: Terabyte > Petabyte > Exabyte > Zettabyte > Yottabyte...  1 Terabyte: 1024 Gigabytes=200 mil músicas MP3  Google: 1 Petabyte por dia de tráfego de dados
  65. 65. Obrigado!Michelângelo Viana mviana@pucrs.br

×